História Uma duplicata de outra origem. - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias The Vampire Diaries
Personagens Alaric Saltzman, Bonnie Bennett, Caroline Forbes, Damon Salvatore, Elena Gilbert, Elijah Mikaelson, Esther Mikaelson, Finn Mikaelson, Jenna Sommers, Jeremy Gilbert, Katherine Pierce, Klaus Mikaelson, Kol Mikaelson, Matt Donovan, Mikael Mikaelson, Personagens Originais, Rebekah Mikaelson, Stefan Salvatore, Tyler Lockwood
Tags Hadassa Mayerson, Klaudassa, Klaus Mikaelson, Kol Mikaelson, Koldassa, Os Mikaelson's, Tvd
Visualizações 12
Palavras 2.365
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Capa tenebrosa né? É só pra alertar vocês que o clima vai começar a esquentar daqui pra frente, e que a nossa querida Hadassa está ficando cada vez mais exposta ao perigo a sua volta hahahaha.

Capítulo 3 - O perigo está à tona.


Fanfic / Fanfiction Uma duplicata de outra origem. - Capítulo 3 - O perigo está à tona.

     --------------------------

·Dylan Winchester·

A reunião no Grill havia sido mais rápida do que eu pensava, e agora todos os funcionários haviam voltado a trabalhar, inclusive eu, que me encontrava agora limpando o balcão, até que avistei um cara adentrar o bar, sua estatura era alta, cabelos pretos, estilo badboy metido, e com um semblante um pouco cansativo, ele andou até à minha frente e sentou-se no banco de cabeça baixa.
    
     -Traga-me uma tequila, o mais rápido possível, por favor. -disse ele ao me olhar fixamente de forma estranha.

    -Posso saber qual é o motivo da sua pressa? -perguntei o olhando com uma sonbrancelha levantada.

    -Ah droga! -resmunga ele. -Só faz o favor de trazer logo a maldita tequila. -disse com desdém em seu tom de voz.

Agora me deu uma enorme vontade de socar a cara dele, mas como estamos no meu local de trabalho, tive que conter os meus impulsos de enfrentar aquele otário, e então, fui até o frigobar pegar os ingredientes da tequila, e comecei a pensar no quão foi estranho naquele momento em que ele me olhou fixamente, eu vi como as pupilas de seus olhos ficaram dilatadas, como se tivessem a intenção de fazer algo, e logo em seguida, eu reagir normalmente com ele, o que o fez se incômoda, e acabei lembrando que os vampiros conseguem controlar os humanos através de hipnose, e como eu sou um caçador isso tecnicamente não se aplica em mim, droga! Foi por isso que eu não fui com a cara dele, e eu preciso fazer alguma coisa à respeito, eu não vou deixar isso sair despercebido! E quer saber, tive uma adorável idéia agora, vou colocar verbena na bebida, ele vai sair daqui morrendo de raiva, mas pelo menos vou deixar bem claro que em mim ele não manda!
   
   Assim que retornei com a tequila batizada com verbena em mãos, eu entreguei ao mesmo, e aguardei, o observando levar seu copo até sua boca virando para cima, e no exato segundo que o líquido desceu queimando por sua garganta, ele cuspiu fora, começando a tossir involuntariamente.

   -Sabe eu só queria me certificar sobre o que desconfiei logo de cara do que você fosse, e agora, está comprovado... Você é um vampiro! -digo a última palavra deixando o meu nojo por ele bem aparente, acompanhado com a ironia na minha voz, dei um olhar de provocação para ele.

   -Desgraçado! -respondeu o vampiro vindo para cima de mim, mas eu conseguir lhe dar um empurrão, e o nosso tumulto trouxe as atenções de todos, incluindo a do chefe.

    -Opa! Opa! Opa! -disse chegando até nós. -Pode parando os dois! -ele pôs suas mãos em frente ao nosso peito, nos afastando.  -Onde já se viu, briga no meu bar. --disse o chefe de forma autoritária e irritada conosco. -Posso saber qual foi o motivo para os dois iniciar uma briga aqui no Grill?

     -Por que não pergunte ao seu barman? Garanto que ele poderá explicar melhor o fato de ter me atendido super mal, fazendo perguntas as quais não queria responder... -disse o moreno me encarando de forma provocante, e aproximou -se do ouvido do meu chefe. -E se eu fosse você, o mandaria para a rua. -completou com um tom de voz baixo.

E então, o desgraçado saiu me lançando um sorriso vitorioso, se achando de tal maneira, ele definitivamente me paga!

    -Olha Dylan, eu sei que você é um funcionário excelente, mas por conta disso, eu vou precisar te retirar desse cargo. -disse o mesmo colocando uma mão no meu ombro, com um semblante infeliz.

    -Espera! Você está me dispensando? -perguntei altamente irritado. -Só por causa de uma briguinha? Foi aquele canalha quem começou querendo mandar em mim, de forma totalmente autoritária, e eu só quis mostrar para ele que...

   -Olha eu não quero saber, S r Winchester, eu só quero que você saía imediatamente e não volte mais aqui! -disse ele me ordenando.

   -Está bem! Que se danem! -digo retirando o meu avental azul e saindo apressadamente pela porta.

   
Filho da mãe! Ele o hipnotizou sem quê eu percebesse, e agora, eu estou desempregado, que maravilha! Ah mas esse desgraçado me paga! Eu ainda vou me esbarrar com ele em algum lugar, e com certeza vou ir tirar satisfação sem pensar duas vezes, e quem sabe até dar um socão na cara dele. E quer saber, nem vou voltar para a casa, vou ir beber em outro bar que eu ganho muito mais esfriando a cabeça, do que acabar descontando essa raiva sem querer na minha filha, ela não merece receber isso depois do seu ótimo primeiro dia de aula na escola dessa cidade, eu a quero ver bem, sem passar pelas mesmas frustações que eu, mas uma hora ou outra eu vou ter que lhe falar a verdade infelizmente.

        (...)

       Dia Seguinte...

·Hadassa Mayerson·

Fui acordando aos poucos, me lembrando da ausência de Dylan nesta noite, ele não voltou do Grill, mesmo passando-se horas depois do horário exato de saída, e eu já estou preocupada com isso, agora são 7:45 da manhã, droga eu vou me atrasar!

Me levanto da cama indo diretamente ao guarda-roupas, pegando a minha jaqueta de couro preta, e a minha blusa azul-turquesa, vou vestindo às duas, e depois pego a minha legging preta, e a coloco nas minhas pernas, vou até a minha penteadeira e então faço uma maquiagem básica, e assim que termino, saiu para fora do meu quarto, indo em direção as escadas e descendo os degraus, chegando enfim na cozinha, e preparando o café da manhã, olhei de volta no relógio, e marcava 7:58 horas.

   -Ah que ótimo Dylan! por sua culpa vou chegar atrasada logo no segundo dia de aula. -falo reclamando para mim mesma, reviro os meus olhos bufando com desdém.

Mas acabei conseguindo tomar o café mesmo assim, dando umas mordidas no meu sanduíche, e logo indo escovar os dentes, passei um batom vermelho, e peguei a minha bolsa branca escolar, andando com passos rápidos até a porta, e assim que a abrir, Dylan caiu para trás e acordou do seu sono profundo, o olhei completamente incrédula.

    -Pai, onde você estava? Ficasse a madrugada toda fora, sem voltar para a casa, depois do encerramento no Grill, sem nem me ligar ou sequer deixar uma mensagem de texto me avisando, enquanto eu fiquei o tempo todo preocupada sem nem conseguir dormir direito, e agora, de repente, você aparece encostado na porta dormindo? Por sua culpa eu vou me atrasar no segundo dia de aula, e a sua filhinha perfeita vai ter quebrado as regras, e eu não vou poder receber reclamações está me ouvindo? -pergunto altamente irritada, dando um suspiro fundo, enquanto ele coçava os seus olhos de forma sonolenta, reviro os meus olhos. -Por favor, só me diz o que houve!? -pergunto com um olhar triste de preocupação.

   -Eu fui demitido ok? -respondeu ele.

   -O quê? -pergunto cruzando os meus braços franzindo o meu cenho.

    -É, eu fui demitido, e agora estou desempregado! Tudo por causa de um vampiro desgraçado que chegou no bar ontem, querendo mandar em mim, e inclusive tentando usar hipnose em mim, mas como não funcionou, eu coloquei verbena bebida dele na tentativa de o colocar no seu devido lugar, e para comprovar o fato dele ser um vampiro mesmo, e daí ele tomou e cuspiu a bebida como eu já esperava, mas ele se revoltou e tentou vim para cima de mim, e eu o empurrei para o afastar, aí veio o meu chefe e ele o hipnotizou para me demitir, e como eu não queria ter descontado a minha raiva de você eu preferir sair e beber, para esfriar a cabeça so invés de acabar descontando a minha raiva em você, tudo por culpa daquele idiota! -disse Dylan chutando a lata de lixo longe.

    -Eu sinto muito, Dylan! -digo sentindo pena dele, afinal de contas, o seu estado não era um dos melhores que já vi na vida, ele tinha sido despedido, e isso já bastava, seria errado da minha parte agir de forma rude e incompreensível com ele.

    -Está tudo bem, filha... Venha, vou te levar logo para a escola! -disse indo em direção ao seu impala, e eu fechei a porta trancando-a com a chave, e então fui até o carro o adentrando, e sentando-me no banco do passageiro, fechei a porta e então o silêncio se fez presente, o encarei com tristeza e notei seu grande aborrecimento. -Me desculpa ok? Eu não vou reclamar de você, e eu prometo que irei dar um jeito nisso.

   -Tudo bem, pai! Eu fui rude com você sem saber de nada disso, e eu quero me desculpar também... Mas da próxima vez, venha para a casa, ou pelo menos dê algum sinal de vida, porque eu quase morri de preocupação. -digo tudo sinceramente com uma pitada de ironia no fim da frase.

   -Eu prometo! -respondeu ele me dando um simples sorriso e então ele deu partida com o carro.

   Ao chegar na escola...

Minha primeira aula era de matemática, ah que bom Hadassa! Pelo que percebi, eu já iniciei o dia com o pé esquerdo, ninguém merece! Reviro os meus olhos enquanto passava pelos alunos, guardei o papel do horário escolar no bolso, e quando ia acelar os meus passos, eu bati logo de frente com alguém.

    -Ah droga! Me desculpe! -digo levantando meus braços acima de maneira involuntária, me desculpando com... o cara mais gato do mundo.

    -Ah, tudo bem gatinha! Me desculpe também. -disse ele levantando-se após pegar seus cadernos e me olhar com um sorriso no rosto. -O meu nome é Kol, eu sou aluno novo aqui, então sabe, estou procurando pela minha sala. -disse me cumprimentando.

    -Ah! -digo voltando a realidade. -Meu nome é Hadassa, e eu também sou aluna nova, comecei a estudar ontem aqui e agora também estou procurando pela a minha sala. -respondo o olhando.

   -Qual é a sua aula agora? -perguntou.

    -Infelizmente matemática, e a sua? -perguntei fazendo careta.

    -Português. -disse ele fazendo uma carinha triste. -Mas então, podemos nos falar depois, o que acha? -perguntou ele.

    -Ah está bem então! -digo concordado positivamente com o moreno. -Até mais tarde Kol.

    -Até. -disse e saímos em direções opostas.

Olhei para trás e o peguei olhando para mim também, me virei de volta para frente, com um olhar contente no rosto, caramba ele é muito gato! E tem um nome único igual o meu, ele parece ser bem legal. Mas o que me surpreendeu é o fato de tudo estar sendo uma grande coincidência na minha vida, desde a dois dias atrás quando cheguei nesta cidade, tudo parece estar ocorrendo como se fosse planejado, e isso já está começando a me deixar intrigada. Não que eu não esteja gostando de fazer novos amigos, e conhecer todo mundo e descobrir ter coisas em comum, aparentando ser friamente calculado, mas eu estou me questionado agora, se isso significa realmente ser algo bom ou ruim?!

    Horas depois...

Eu estava voltando para a casa agora, e comecei a pensar nas coisas que aconteceram hoje, como o fato estranho da Caroline ter chegado atrasada e ainda por cima, com o irmão mais velho e gato do Stefan, ela me contou tudo sobre ter o conhecido ontem a noite e estar ficando com ele, já que o Stefan lhe deu um fora depois da aula. Já a Elena está ficando completamente apaixonada pelo Stefan, e eu estou fazendo de tudo para juntar esses dois logo, enquanto que o Matt ainda está tentando se conformar com isso, e eu estou até o ajudando do melhor jeito amigável possível. Bonnie parece ter as mesmas histórias malucas de família que eu para se contar, como por exemplo, o que a avó dela lhe explica sobre ser uma bruxa, enquanto no meu caso, Dylan está falando sobre vampiros, e sinceramente isso está ficando cada vez mais estranho, hoje de manhã ele contou que o cara que arranjou encrenca com ele foi um vampiro, e eu fico realmente me perguntando se ele estava falando bem sério mesmo ou era o efeito da bebida? Fora que ontem eu quase morri de curiosidade para saber o que era tão importante para ele falar, e quando cheguei em casa indo direto conversar, ele me diz que o mundo sobrenatural existe mesmo. Ah e o Kol, nossa ele é tão divertido! É engraçado, divertido, fofo, protetor e tão rebelde, ele fez questão de matar aula só para ficar conversando comigo, na intenção de me conhecer melhor, e conseguiu me convencer com uma chantagem irresistível, não tinha como eu negar aquele pedido, com aquela carinha marota de quem queria tanto a minha presença, as meninas acharam ele um gato, e todas concordaram com o fato da gente investir num namoro, eu obviamente vou fingir demência, mas no fundo eu não consigo discordar disso.

              
                      ...

     -E então, como estão indo às coisas com a minha querida duplicata? -perguntou ele.

    -Eu observei a sonsa da Elena o dia todo, e posso afirmar que foi muito entediante, tentei me aproximar no treinamento para a dança que terá sábado a noite, nisso eu posso dizer que me saí muito bem, até mais do que a própria amiguinha dela Caroline, mas o que eu realmente queria fazer era roubar o namorado dela. -disse minha irmã.

    -Calma Rebekah, os meus planos momentâneos com Stefan Salvatore só está na milésima linha da minha longa lista de coisas em quê pretendo fazer aqui em Mystic Falls, mas digamos que num piscar de olhos isso já irá se realizar... Agora, o que realmente me interessar, é o fato dessa duplicata de outra origem, você a teve vigiando caro irmão? -perguntou o mais velho vindo em minha direção com um sorrisinho no rosto, e as suas mãos apoiadas atrás de suas costas, enquanto mantinha suas sonbrancelhas arqueadas.

    -Sim, eu conseguir obter um pouco mais de resultados úteis do que a minha irmãzinha, e nos conhecemos melhor hoje, se quiser eu posso te contar tudo. -digo lançando um olhar provocador para Rebekah que revirou os olhos, e logo em seguida dei um olhar animado para ele.

    -Sou toda ouvidos! -respondeu ele dando um sorrisinho de canto malicioso.

[...]


Notas Finais


Eai gente? Ela finalmente conheceu o Kol, e isso significa que ela está entrando numa enrascada, e o pior, enquanto o seu padrasto insiste em mantê-la em alerta, ela só apenas recusar a acreditar na realidade, mas será que daqui pra frente ela não vai começar a pensar de forma diferente sobre as coisas? E o cuidado extremo que ele tem por ela, será que ele vai dar conta de protegê-la das criaturas sobrenaturais que existem na cidade? Se quiseres continuar lendo para saber, vai ter que comentar hahaha. 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...