1. Spirit Fanfics >
  2. Uma Esposa Para o Hokage. >
  3. Que voltarei liderando a matilha.

História Uma Esposa Para o Hokage. - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Capítulo mais que rápido porque ele completa o título do outro rsrs. Agradeço a todos que comentam, eu amo ler a opinião de vocês. Um beijo ♡

Capítulo 7 - Que voltarei liderando a matilha.


Sakura ergueu as mãos em busca da pétala de flor que deslizava pelo ar delicadamente. Seus lábios se abriram em um sorriso melancólico quando a frágil superfície macia tocou sua mão e a apertou entre os dedos. Flor de cerejeira, despedaçada.

—Sakura — Ino a chamou pela segunda vez. Deu-lhe uma cotovelada já que não fora novamente respondida — Qual seu problema? Vê se presta atenção!

— Desculpe — murmurrou, e a amiga já sabia que havia algo errado; Sakura nunca deixava passar uma cotovelada — Eu estou... pensando.

— Na ideia de Shikamaru? — Tenten ergueu os olhos para a amiga, sentada na outra extremidade da mesa. Mesmo que estivessem na presença de Ino, a ninja sabia que não havia oque temer; a loira era maluca, mas confiável — Sakura, não acha que eu sou a melhor pessoa para aconselha lá agora?

— Ideia de Shikamaru? — Ino olhou curiosamente para a ninja médica — Oque está acontecendo, Sakura?

— Não sei se posso dizer — A kunoiche resmungou — Estou me sentindo uma pessoa horrível.

— Porque? — Ino não desistiria ate que a amiga falasse. E as duas ali sabiam disso — Diga logo, não venha de segredos!

— Sakura tem uma nova missão — começou Tenten, olhando atentamente a reação da amiga de cabelos rosas — Que  recusou, no entanto.

— Shikamaru não pode designar missões – sussurrou Sakura, como quem quer convencer a si mesmo.

— Ele pode — Tenten bebericou seu chá e fez uma careta — Odeio camomila.

— Você disse não a uma missão? Pensei que queria sair da vila, sentir o vento e o perigo pelo rosto — a loira cruzou os braços — Oque aquele idiota designou a você? Acabarei com ele!

— Ele quer que eu me case com Kakashi sensei — Sakura apoiou os cotovelos na mesa e pôs as mãos entre o rosto triste — E eu disse não mesmo sabendo que isso ajudaria Kakashi.

Ino levou apenas um segundo para processar a informação.

— Você tá maluca? Dizer não a um homem.... a um homem daqueles, Sakura! — deu um soco indignado na mesa — E se é uma missao é provável que seja de mentira, mas porra... um homem daqueles, Sakura!

— Não xingue, Ino.

— Sakura tá maluca — a loira olhava para a amiga como se ela tivesse acabado de rasgar dinheiro — Um homem daquele um  corpo daquele, uma voz daquela... que Kami me ajudasse se fosse essa minha missão! Eu terminaria com cinco filhos e grávida de mais um. Você tem noção que ele é o Hokage ? Você tem noção oque é ser a mulher de um Hokage?

— Eu posso imaginar — riu Tenten — realmente é uma vida privilegiada e coberta de adornos de gente babá ovo. Mas ser casada com Gaara me abriu portas que nem em dez anos eu conseguiria abrir. Eu consegui me especializar em armas que jamais sonhei colocar as mãos, além de praticamente virar sensei de um exército de estudantes de armas ninjas. E não apenas em Konoha — os olhos castanhos brilharam de orgulho — Em Suna, na vila da Pedra, na vila da chuva... tudo foi esforço meu, mas com a contribuição de Gaara.

— Minha nossa, então ele permite que você saia de casa ? — debochou Ino — do jeito que ele olha pra qualquer homem que se aproxima de você, pensei que ficasse trancafiada em uma torre.

— No dia em que ele me tratar como uma prisioneira eu deixo de ser sua esposa — rebateu Tenten — foco, Ino. Temos que ajudar a Sakura.

—Minha decisão já foi tomada — resmungou a médica — Eu só... me sinto culpada pela forma que reagi. Kakashi sensei também foi pego de surpresa e nem por isso disse coisas absurdas. Também lamento não poder ajuda lo.

— Mas ajuda lo em que? Ele quer uma barriga de aluguel pra dar continuidade aquele DNA pra nenhum ninja por defeito? — Ino odiava ser a última saber das novidades — Não acredito que ninguém me disse nada disso antes.

— Eu só soube hoje quando fui pegar os papéis com o Hokage — Sakura deu de ombros — Posso contar o porque ele precisa de uma esposa se você prometer que não sairá daqui nenhuma palavra.

— Palavras não andam. Vamos, diga.

Sakura então fez um breve relato sobre a atual dificuldade que Shikamaru e Kakashi estavam passando, o documento modificado e os dias contados pelo decreto.

— Que... merda — Ino não entendia muito daquela politicagem toda, mas sabia que um Kage sequer sair da aliança era um problema grave — Shikamaru deve estar em um estado lastimável. Eu sei bem como ele fica quando não consegue encontrar uma solução.

— Ele encontrou, depende da Sakura agora — Tenten não fez rodeios — Ela seria perfeita para o papel.

— E porque não pensaram em mim? — questionou Ino — Eu sou linda e jamais negaria um homem daqueles. Imagine eu, Ino Yamanaka, praticamente a rainha de Konoha! Todos iriam comer na minha mão, ah se iam.

— Acho que por esse tipo de comportamento, Shikamaru não pensou em você —Tenten revirou os olhos — Espero que ele encontre uma solução o mais rápido possível, se não pode contar com a Sakura.

— Não seja cruel, eu já estou me sentindo péssima tendo que negar ajuda ao meu antigo sensei  — seus olhos verdes brilhavam de culpa — Ele sempre esteve lá, sabe? Sempre. Fazia até oque não era sua obrigação. Ele fez de nos uma equipe, e se somos praticamente considerados os novos sannins, ele tem uma grande parcela nisso. Eu não queria decepciona lo.

— Mas ele aceitou a proposta do Shika? - perguntou Ino.

— Ele disse que era absurda, mas acredito que seja mais pelo que Sakura começou a falar compulsivamente, brigando com Shikamaru. Se ele tiver que aceitar uma esposa de mentira, eu tenho certeza que essa só pode ser a Sakura — explicou Tenten.

— Oh, Sakura. Imagino que se sinta pressionada mas volto a repetir; burra. Você vinha me dizendo que queria expandir o ninjutsu médico da Godaime pelos países, e estudar os ninjutsus de lá. Ah oportunidade melhor que está? — Ino queria o melhor para a amiga, mas se ela achava um casamento de mentira um sacrifício, que se sacrificasse. Essa era a vida ninja — Você terá poder, Sakura. Nenhuma vila fechara as portas para a esposa de um Hokage. Eu sei que sua moral tá alta devido a ser uma das heroínas da guerra, mas será dez vezes mais fácil abrir caminhos com Kakashi ao seu lado. Ele comanda Konoha, voce entende oque é isto? Ele comanda a vila mais poderosa que existe.

— Não quero me aproveitar de um casamento com esse tipo de interesse — resmungou Sakura — Não me parece certo.

— Ele também estará nesse casamento por um interesse — Ino entendia a hesitação da amiga, mas alguém que se jogava na frente de Kunais não podia se jogar nos braços de um homem como aquele? — Depois de cinco meses vocês resolvem se vão se separar ou nao.

—Ele foi meu sensei, Ino! Pare imediatamente de sequer cogitar essas coisas! — ralhou a médica, irritada

— E deixa de ser um homem? Você deixa de ser uma mulher porque ele te ensinou algo? — Ino deu de ombros — cansei de pegar muitos dos senseis daqui. Uns até mais velhos que Kakashi sentei. Não venha com ladainhas, por favor... que vê como amigo, como um irmão... tira a roupa daquele homem e você só vai querer vê lo dentro de si.

—Kakashi sentei ? — Tenten se engasgou com seu chá enquanto ria — Oh Kami, Ino! So você para inventar isso, não posso nem sonhar no que pensaria Gaara ouvindo algo assim.

— Gaara é um antiquado — Ino resmungou — Esqueci que ele poe guarda costas em você. Esse cara relata tudo que ouve?

— Não que eu saiba — Tenten odiava lembrar que tinha um segurança — Ele fica preocupado atoa. Eu a ninja que sou, não preciso de guarda costas.

— Eu não sei oque fazer — lamentou se Sakura — em parte vocês tem razão, e não estou falando da sua indecência, Ino. Mas... oque eu direi a todos? Oque direi a Naruto? Ao sasuke?

— Sasuke? Jura? — Tenten as vezes achava que era a única lúcida entre as amigas. Hinata vivia alucinada com Naruto, Ino sempre comentando safadezas e Sakura parando sua vida por alguém que nunca pretenderá ficar — Não se case com o sensei então, Sakura. Ele precisa de uma ótima ninja para desempenhar esse papel e não de alguém que vive de ilusoes.

Sakura se levantou da mesa, e quando olhou para Tenten seus olhos furiosos estavam marejados.

— Como pode dizer isso?

— A dor ensina e abre os olhos. Vivia fazendo o impossivel por um homem que nunca retribuiu e agora se nega a ajudar um homem que sempre esteve ao seu lado — Tenten voltou a bebericar seu cha. Podia estar sendo cruel e isso lhe doia, mas algumas verdades eram para ser ditas como tapas — Sairá dessa missão ajudando a si própria, no final das contas, e tudo em que consegue pensar é em sasuke.

— Você nunca amou? — questionou Sakura, ferida. Seus grandes olhos verdes denunciavam uma enxurrada.

— Sim. Mas sempre me amei primeiro. A mim, e a quem me retribuia.

— Oh Kami, oque é isso? — Ino se interpos entre as duas — Tenten, cale sua boca. Sakura, fique quieta. Estamos aqui para um passeio de amigas, nesse lindo quiosque coberto com pétalas de flores, bebendo chás que o garçom trouxe errado. Façam favor de não complicarem algo simples.

Sakura pegou sua bolsa da cadeira, passando a mão rispidamente nos olhos marejados.

— Eu estou indo embora. Amanhã conversamos.

A médica ninja ignorou os pedidos de Ino e saiu transtornada. A loira caiu na cadeira, desanimada.

— Oh, Tenten. Conheco esse jogo — e esperava realmente que a amiga estivesse jogando — mas nao sei se jogar verdades na cara dela vai adiantar alguma coisa.

— Esse casamento so a ajudaria, Ino. Ela seria forçada a deixar um pouco Sasuke no passado e pensar no presente —Tenten tinha no rosto uma expressão culpada — Não é justo dizer oque eu disse, mas era preciso. sasuke, sasuke... será que ela não vê que ele não quer voltar? Se quisesse, oque está esperando?

— Tenten, não é fácil assim — os olhos de Ino também estavam entristecidos — Tem todo um processo de cura.

— Que tem que começar de algum lugar, certo? Ela só vive infurnada naquele hospital, esperando o dia que ele voltará e a livrará daquela dor. Porque ela não pode se livrar disso sozinha?

— Acha que Kakashi sensei ajudaria?

—Acho que ele ajudou muito, e pode ajudar mais ainda estando perto.

— Eu não sei, Tenten... Quero que ela fique feliz com a decisão que tomar.

— Ela ficará — Tenten queria acreditar nisso — só espero que ela escolha o melhor para si mesma.

♤♤♤ ♤♤♤ ♤♤♤

— Tenten? — a voz abafada pela música no quiosque só pôde ser ouvida por causa das habilidades ninjas da kunoiche sentada ali — Oh, voce está aqui! Não pude vê lá na festa... como está?

Neji. Tenten não se lembrava da última vez que o vira, mas podia afirmar duas coisas; nunca estivera tão belo, e nunca estivera em uma situação tão complicada. Ino havia ido ao banheiro, Sakura embora e o guarda costas ainda estava a espreita.

—Neji — O abraço que lhe deu foi calorosamente retribuído, os olhos cinzas do ninja da casa Hyuga brilhando de satisfação — Sim,  eu so soube que você sairia em missão... na manhã de hoje, certo?

— Adiada por Gai sensei devido a alta periculosidade do tempo, pelo visto teremos uma tempestade em breve e como são três dias viajando... oh, Tenten. Está tão bela.

— Obrigado. Não adiavam missões em Nosso tempo de gennin, lembra? Todos nós íamos seja qual fosse o temporal. Terrível.

— Sim, mas o Rokudaime é mais misericordioso. Se não for nada de nível extremamente importante, ele permite que adiemos um ou dois dias — Os olhos extremamentes cinzas do shinobi percorreram a amiga — Espera. Você  está grávida?

— Droga, esqueci do Byakugan — Deu um tapa na testa — Sim, mas por favor não conte a ninguém, está bem? Ainda é surpresa.

— Faz tanto tempo assim para esquecer do meu Byakugan? — riu Neji, mas seus olhos brilharam orgulhosos — Tenten. Fico tão feliz por você. Por mais que eu não entenda o olhar de Gaara em relação a mim, fico feliz por ele também. Faça o favor de treinar essa criança como um bom shinobi da vila da folha.

— Não esquenta. Ele não tem Byakugan, e vê coisas onde não tem — segurou emocionada as mãos do amigo — Estou feliz também, mesmo que eu não pretendesse ter filhos agora. Tá vendo esse vestido? — pôs se mais a frente para Neji notar os detalhes — Foi feito para que eu anunciasse minha primeira gravidez. Quase deixei isso escapar hoje, ia estragar toda a surpresa.

— É mesmo? E contornou bem a situação? — riu Neji

— Eu sou a melhor nisso, voce sabe.

— Sei.

— Neji? — Ino voltou a mesa e encarou as mãos entrelaçadas dos amigos, confusa — Quer ser morto pelo Gaara? Que desperdício. sente se conosco e contemple seus últimos minutos de vida então.

— Ino — Neji fez lhe um cumprimento com a cabeça — Vejo que está muito bem, e com a língua esperta e maldosa como sempre.

— Não seja mal humorado, querido — Tenten riu da indulgência da amiga — Mas estou surpresa, voce nao ia sair em missao com o doido varrido?

— Adiada. Alias, a do Naruto também — os olhos cinzas brilharam divertidos em direção a loira — achei que ficaria feliz em saber.

— P-porque? — o rosto de Ino tornou se carmesim — Não ligo para aquele desajustado, cabeça de ovo... Quero mesmo é que ele...

— Senhora Tenten — o guarda costas sempre tão calado e afastado se pronunciou, aparecendo ao lado da ninja em uma velocidade impressionante — Tenho ordens para escolta lá de volta ao prédio Kage.

— Eu não decidi ir pra casa — respondeu a kunoiche.

— Seu marido pediu para que eu a escoltasse até o prédio Kage — a expressão no rosto do homem era a mesma de sempre — Vamos?

— Não, não vamos. Eu não decidi voltar, entendeu? Diga ao meu marido que voltarei quando decidir que está na hora. Vá sozinho se quiser.

— Senhora, por favor não complique as coisas para mim. Ordens são ordens, e a senhora como ninja sabe disso.

—Como ninja também sei que eu faço meus horários e me responsabilizo pelas reações de quem não gostar de como os faço. volte para seu chefe então e reproduza oque eu disse, se desobece lo te assusta — voltou a sentar se a mesa calmamente — Eu já te dei minha resposta, se retire.

— Não imaginei que ele era tão controlador — resmungou Ino, olhando para o segurança que se afastava — Ele age assim com você, Tenten? Gaara, eu digo.

— Ele é calmo e pacífico a maior parte do tempo. Não gosto de vê lo furioso, me deixa nervosa, mas não vou tremer de medo aos seus comandos. Ninguém mandou esse fofoqueiro ir mandar informacoes; aposto que disse que estou com o Hyuga.

— Com o Hyuga? — Neji aceitara o convite de sentar se a mesa com as duas — É assim por acaso que Gaara me chama?

— Ele sente ciúmes.

— Mas... Eu e você somos amigos e so isso, Tenten.

— Vá explicar isso a ele — a ninja deu de ombros — de toda forma, vamos esquecer isso. Ele que lute para confiar em mim, como ele mesmo diz.

— Se alguma coisa explodir em areia aqui do lado já sabemos de quem é a culpa — riu Ino.

— Oh, ele não virá. O segurança ficou, vejam vocês — Tenten riu com amargura — Deixará para me passar o sermão quando eu chegar em casa.

— Prepare os ouvidos.

— É melhor ele se preparar, Ino.

♤♤♤ ♤♤♤ ♤♤♤

Assim que abriu a porta do quarto designado ao Kazekage o viu. Sentado em uma poltrona virada diretamente para a porta, como um pai que escolta a filha pela madrugada.

– Chegou — Não foi um cumprimento. Tenten sabia que aquilo era mais como um aviso de que ele ia começar.

— Estou lá ainda, sou um clone — tirou os brincos das orelhas e caminhou pelo quarto, passando por ele decidida — caso queira discutir com a real espere ela chegar daqui algumas horas.

— Não estou brincando.

— Você acha que eu estou? — jogou os brincos sobre a penteadeira e andou a passos largos para parar em frente ao marido — Droga, sabe a vergonha que eu passei? Oque você acha que é? Quem acha que sou?

Minha esposa.

– Não sou sua filha adolescente que sai na madrugada! Eu avisei onde estaria, eu disse com quem estaria, permiti até que aquele idiota fosse comigo apenas para vê lo calmo. Mas você não confia em mim!

— Você estava com o Hyuga!

— Ele apareceu, Gaara. Simples! Apareceu, o cumprimentei, e ele sentou se a mesa comigo e Ino. Qual seu problema ? — Gaara odiava quando ela usava aquele tom fazendo aquela pergunta — Qual a maldita questão?

— Estavam como amigos íntimos se abraçando por aí, na frente de quem quisesse ver — se levantou, passando a mão exasperado pelos cabelos  — Até insinuou a ele para que olhasse seu vestido! Droga, oque quer de mim? Que eu fique calado?

— Que você aprenda a confiar, somente isso. Te decepcionaram no passado? Lamento. Mas não jogue sobre mim suas inseguranças, porque não vou segura las — Tenten soltou os cabelos, sentando em outra poltrona para tirar os saltos — Sempre te disse que Neji é um amigo muito querido, e apenas isso. Se continuar fazendo parecer que sou uma mentirosa em relação a isso teremos um grande problema, eu te garanto.

— Devo ignorar, então? — os olhos incrivelmente verdes estavam irritados demais para seu gosto — Oque devo fazer, Tenten? Esperar que você chegue e ficar em silêncio sobre as coisas que me incomodam?

— Talvez devesse fazer isso — A mulher deu de ombros — se continua se incomodando com a mesma bobagem idiota de sempre. Vá, saia da frente! Não vai me fazer passar como uma boba controlada pelo marido na frente dos meus amigos e depois agir como se eu estivesse errada!

— Porque faz tanta questão de me contrariar ? — questinou o Kazekage — Não podia apenas ter atendido o meu chamado?

— Chamado, Gaara? Você exigiu que eu estivesse voltando para cá assim que seu capacho te mandou informações distorcidas pela sua própria mente alucinada — seus olhos encheram se de lágrimas — malditos hormônios! Olha oque você faz, vê bem? Me deixa assim, triste. Me faz sofrer! E só pisar em Konoha para que me trate como uma criança!

— Não precisa chorar.

— Não precisaria se não tivéssemos que discutir isso toda maldita vez! — Lançou os sapatos pelo quarto, frustrada — Eu mostrei sim o vestido a ele. Mostrei apenas porque é bonito, é um presente que me fora dado com amor! Mostrei porque ele quer dizer que estou esperando meu primeiro filho, e mostrei a Neji porque ele foi o primeiro a perceber que estou grávida. Qual seu problema!? Você me faz ficar puta e depois diz para que eu não chore. Vou chorar, se eu quiser. Eu sou a dona da minha vida!

— Tenten, não vou discutir com você sobre isso como se... espera — Gaara olhou aturdido para a esposa, depois para sua barriga — Você...

— Saia — Tenten apontou para a porta. Estava farta daquilo.

— Está grávida? — o Kazekage tentou alcança lá, que saiu de perto — Tenten.

— Se você não sair, eu saio. Vou dormir com Ino, na casa dela.

– Derrubo a casa até acha la.

— Não me impressionaria — voltou a  apontar decidida para a porta — Saia, Gaara. Durma abraçado a Kankuro, ou vá deitar no chão do quarto de Temari, Mas não iremos ficar nesse quarto juntos essa noite. Saia.

— Quero respostas — O Kazekage olhava fixamente para a mulher — Por favor, Tenten. Me diga, voce...

— Estou. É, é isso. Não se aproxime! Estou irritada, quero mata lo. Saia, ou não voltarei a Suna. Peço a Kakashi sensei que me receba de novo em Konoha.

— Não sendo a minha esposa. Não carregando meu filho. Irá para Suna comigo querendo ou não, Tenten. Isso não está em discussão.

— Sempre a pose de quem governa o mundo e todas as almas — resmungou a ninja

— Sou o Kazekage.

— Foda se, e eu sou a mãe do seu filho, sua esposa, uma ninja de elite formada na melhor vila do mundo shinobi. Ou você sai, Gaara, ou eu saio. Eu não tô com cabeça para discutir e muito menos vontade de olhar para você, Saia!

— Prometa para mim que irá se acalmar, então — Tenten sabia que ele estava sofrendo. A mudança era progressiva e alguém que nunca tivera nada tendia a querer se apossar com firmeza a tudo — Prometa que amanhã irá me ouvir. Por favor.

— Vou ouvi lo, Gaara. E não espere silêncio da minha parte — cruzou o quarto e abriu a porta ruidosamente — Saia.

— Quantos meses? — perguntou o ninja antes de cruzar a porta.

— dois — os lábios de Tenten mal se abriram para responder.

— Porque não me disse antes?

— Porque não soube antes. Gaara, vá.

— Só me diga... Está feliz? – seus olhos verdes sondaram seu rosto com ansiedade — com um filho, eu digo.

– Sinto como se não houvesse felicidade maior — Droga de hormônios. Porque sua voz saia embargada?

— Eu sei. Eu sinto o mesmo. Me perdoe, Tenten.

— Hoje não. Por favor, vá — Era tão difícil assim ele entender? — Eu compreendo que você queira saber mais. Mas hoje eu sinceramente não quero vê lo.

— Eu sinto muito. Devia ser diferente, não devia?

— Não era oque planejei, mas acontece. Vá!

O Kazekage assentiu, olhou uma última vez para a barriga da esposa e sorriu com felicidade.

— Juro que farei você me perdoar, Tenten.

♤♤♤ ♤♤♤♤ ♤♤♤♤

— Vou ser pai — Gaara anunciou, e Kankuro e Kakashi olharam surpresos na direção do Kazekage. Gaara se juntara aos dois em uma mesa de um bar discreto em Konoha, bebericando Sakê e amaldiçoando sua própria burrice — Um pai, vocês entenderam bem?

— Sim, um homem que tem um filho — Kakashi acenou o felicitando — Parabéns, Gaara. Só não entendo oque está fazendo aqui com nós dois ao invés de estar com sua esposa.

— Filho hein? Eu sabia! — Kankuro lançou ao irmão um olhar feliz — Tenten andava estranha. Fico contente por você, irmão mas o Hokage com a corda no pescoço aqui tá certo — deu tapinhas de solidariedade no ombro de Kakashi — Você aprontou, não é?

— Tenten não admite que eu não goste de certas atitudes de alguns amigos dela — Aquela era qual dose de sakê que estava tomando? — Aquele tal de Hyuga... Argh, ele me tira dos trilhos.

— O Neji? — Kakashi encarou o Kazekage descrente— Gaara, Neji e Tenten foram parceiros de equipe. Não é comum que sejam amigos?

— Amigos próximos demais pro meu gosto!

— Ela só vem aqui praticamente uma vez ao mês, irmão — Kankuro sabia o quanto o líder da vila da areia era desconfiado — E sempre com você. Da pra parar de ver coisas onde não tem? Veja Kakashi — deu tapinhas novamente nas costas do ninja, que lançou ao irmão de Gaara um olhar entediado — Está aqui prestes a perder seu posto e mantém a pose de durão. É um homem de postura, não fica tendo alucinações. Aprenda algo com ele.

— Cale se, Kankuro — Gaara pôs as mãos no rosto, irritado — Não vê que não estou para brincadeiras?

— Kankuro andou se excedendo na bebida. Mas Gaara — O até então Hokage de Konoha se voltou para o jovem amigo — Oque aconteceu?

— Mandei meu segurança trazer Tenten de volta pra casa assim que tive informações de que Hyuga apareceu. Ela estava com Sakura e Ino, Sakura foi embora e Ino saiu até certo momento, e aí o cara dos olhos giratórios coincidentemente chegou.

— Olhos giratórios? — riu Kankuro

— Não é uma visão de 360 graus?

— Porque os homens se sentem ameaçados por Neji? — Kakashi pôs as mãos no queixo, pensativo — Ele é um excelente ninja, mas não vejo o motivo de ser o causador de tanta insegurança.

— Não sou inseguro — Gaara bateu com os punhos na mesa — Ele só me irrita, apenas isso. Naruto me contou que todos dessa vila pensavam que ele quem se casaria com Tenten.

— Naruto? Oh, Kami — Kankuro bufou — Gaara você como um Kazekage devia controlar mais seus sentimentos. Deixe me adivinhar; Tenten disse que não ia voltar com segurança nenhum, voce se irritou, esperou ela chegar em casa e despejou suas merdas encima dela.

— Basicamente isso  — rosnou o ninja

— Aí ela te expulsou ? — Kakashi tentou disfarçar a graça que achava naquilo. Alguém expulsando o Kazekage de algum lugar era alguém a se temer — Você chegou aqui calado, pensei que ela ainda estivesse com as meninas. Vejo que é mais sério que isso.

— Ou eu saia ou ela sairia, disse ela. Falou que iria para a casa de Ino — Gaara rosnou, irritado — ameaçou até voltar para Konoha.

— Ela pode voltar se quiser — Kakashi deu de ombros.

— Não, ela não pode. Não vou deixar minha mulher solta em Konoha sozinha — Gaara levantou, já cansado daquele assunto. Devia ter ido se queixar da vida com Shikamaru, já que o outro estava tão atormentado que nem faria questão de responder — Vocês dois vão para casa, chega de bebidas de origem desconhecida. Kakashi, voce tem com oque se preocupar, se eu me lembro bem.

— É um dia feliz, Gaara. Você será pai, vamos comemorar a isso — Kankuro ergueu o copo para o irmão — deixe o Hatake, ele já aceitou seu destino. Sente se aí, vamos!

— Estou indo dormir com Temari — o Kazekage colocou dinheiro encima da mesa e virou as costas para os outros dois — Ela sabera como me ajudar.

— É — Kankuro acompanhou a saída do irmão, deu de ombros e voltou a encher o copo — Por isso eu não me caso. Olha só o estado do temível Gaara do deserto.

— Ele sabera contornar a situação — Kakashi deu de ombros, e puxou de dentro de seu uniforme o pequeno livro de capa verde — Vamos ao que me interessa.

— Cara, voce vai ler isso de novo!?

♤♤♤ ♤♤♤ ♤♤♤

Já fazia uma semana desde a proposta de Shikamaru, mas Sakura não conseguia deixar de se sentir culpada por tudo aquilo. Não vira mais Kakashi, Mas vez ou outra esbarrava com Nara e seu olhar escuro e entristecido a deixava envergonhada fazendo uma onda de remorso a atingir quando se lembrava das palavras que ele lhe jogara na cara. Shikamaru mal parecia percebe lá, mas a cumprimentava. Sakura desconfiava se o amigo percebia qualquer coisa desde que recebera aquele problema nas mãos e virara reu de sua propria mente exigente demais.

Para piorar sua situação, ficará sabendo que Tenten só pisaria novamente na vila quando Kakashi reunisse os Kages para anunciar sua decisao. Lamentava nao poder se acertar com a amiga, porque intimamente, sabia que ela estava certa. Quando fora a procurar no dia seguinte foi informada por funcionários da torre Kage que a mulher e o Kazekage junto com toda a equipe que viera de Suna retornaram ao lar. decepcionada, voltou para o hospital.

Agora vasculhando suas coisas no armário empoeirado começava a pensar no quao precipitada fora dizendo não a proposta de Shikamaru. Deixará a surpresa e a indignação tomar lugar e desconfiava que até magoara o antigo sensei. Esse era outro com quem queria se acertar, mas não tinha coragem. Começava a se perguntar quando ficará tão frouxa. Pensou seriamente se não interpretou errado o olhar do sensei quando Nara terminará de expor sua proposta; talvez ele só quisesse ver sua reação com aquela ideia, antes de considera lá absurda.

Tentava lembrar para si mesma os motivos por não ter aceitado tal proposta, com o objetivo de convencer se de que fizera o certo. Mas a cada vez que argumentava com sua própria mente, mas fracos os argumentos eram.

Mas Kakashi sensei foi meu professor!

Mas um motivo para ajuda lo nisso.

Mas... Um casamento é um casamento!

Uma missão também é uma missao.

Mas ele é mais velho!

Cogita por acaso que aconteça algo de verdade?

Mas... Oque as pessoas diriam?

Bem, se você se importasse com oque as pessoas dizem, voce nao teria feito metade do que fez por Sasuke.

Mas Naruto...

Ele que entenda.

Mas toda minha vida seria modificada!

E já não tá na hora?

Lançou irritada para longe alguns livros médicos que continham uma grossa camada de poeira. Onde andará esse tempo todo, para que sua casa se tornasse um chiqueiro? Um dos livros bateu contra a parede e um envelope grosso e sujo caiu de suas paginas. Sakura estranhou, nao se recordando de tal coisa. Passou os dedos pelo papel encardido e abriu para ver oque havia dentro.

Em sua maioria, eram fotos de quando era gennin. Fotos que alguns professores tiravam, e davam para seus alunos. Em uma delas, Shikamaru passava um braço por Ino e outro por ela, olhando preguiçosamente para a camera. Sakura riu. Em outra, Naruto, Sasuke e Kakashi olhavam para a camera espantados, ja que provavelmente foram pegos de surpresa pela luz do Flash. Um sorriso nostálgico cruzou seus lábios. Em outra, Kakashi sensei segurava sua mão, como se a ensinasse a atirar com mais precisão uma kunai. Seus dedos passearam por seu rosto concentrado no alvo a frente, caminhando até o rosto do sensei que tinha os olhos curvados em um sorriso sempre mascarado.

— Kakashi sensei. Fez tanto por mim.

Seus olhos voltaram se para os papéis que haviam dentro do envelope, esperramados ao chão quando o virou e despejou seu conteúdo. Pegou um dos mais envelhecidos, e identificou como uma carta ao perceber as letras borradas pelo tempo.

Sakura. Acho que passou da hora de decidir seu destino sem pensar no caminho conjunto com o time 7. Nunca deixaremos de ser uma equipe; assim como nunca deixarei de me preocupar com voces.Siga seu caminho,no entanto, e nao esqueça que laços existem porque alimentamos eles vivos. Tenha mais fe em si mesma.

Até breve, Kakashi.

Não recordava em qual situação se encaixava aquela carta, mas se lembrava bem de que Kakashi sensei odiava escreve las. Seu coração apertou culpado quando percebeu que ele sempre estivera lá por ela e não fizera nem um terço para retribuir. Ia ser colocado em uma situação perigosa, quando negasse subordinacao ao documento Kage; teria um problema em maos onde só poderia sair como culpado.

Respirou fundo por um segundo antes de tomar uma decisão, pensando rapidamente nos contras daquela proposta. Não podia deixar Kakashi sozinho nessa. Se ele só confiaria nela para tal missão, porque dizer lhe não?

Levantou se entao, decidida. Largou tudo onde estava, pegou sua bolsa e saiu em passos decididos para a rua. Não importava oque os outros diriam. Não estava nem aí com oque iam pensar; o sensei e ela sabiam qual seria a verdade por trás daquilo tudo. Ele, jogando como o estrategista brilhante que era. Ela, pondo em prática o plano que tivera sobre expandir seus conhecimentos médicos mundo shinobi a fora. Se eram poderosos separados, não fazia ideia de onde poderiam alcançar juntos.

Chegou ao prédio do Hokage em alguns minutos e subiu as escadas o mais rápido que pode, antes que pudesse hesitar em sua decisão. Talvez chorasse a noite, talvez se arrependesse mas naquele momento estava decidida, e mesmo que não fosse o Naruto, não voltava atrás com sua palavra.

Os Anbus apareceram e Sakura deu um desculpa estúpida sobre estar vindo relatar um grave acidente no hospital. Se culpou por dizer algo assim, Mas os Anbus desapareceram e não deu muito crédito a sua mente precariamente criativa.

Hesitou no corredor, antes de abrir a porta da sala de Shikamaru. Pensou no alívio do amigo, e tomou uma nova onda de coragem abrindo e a fechando com força atrás de si.

— Mas que... Sakura, está ficando louca? — Shikamaru ergueu se de sua cadeira, olhando para a figura da amiga como se procurasse ferimentos — Nao faça isso, droga! Penso que estamos sobre ataque!

— Esse documento está mexendo com sua cabeça a ponto de deixa lo burro? — Sakura caminhou a passos apressados até a porta do Hokage — Ninguém ousara invadir Konoha com o meu noivo no poder. Sente se e observe.

Abriu a outra porta, deixando Nara boquiaberto para trás.

Kakashi ergueu os olhos dos papeis que assinava e respirou fundo quando viu a ninja, como se esperasse o início de uma confusão.

— Sakura, hoje não é ...

— Kakashi sensei — a ninja médica caminhou decidida pela sala até parar diante da mesa do Hokage. Obrigou se a falar, já que começava a sentir seu corpo tremer de nervosismo e temia dar pra trás — Eu aceito me casar com o senhor.

Shikamaru, que entrava na sala esbaforido atrás da kunoiche, ergueu os punhos para o alto xingando baixinho.

— Oh Kami! É disso que tô falando quando peço para ouvir minhas preces!


Notas Finais


Até breve ♡♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...