História Uma Família AConvencional - Capítulo 31


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Tags Kushimiko, Minafuga, Narusasu, Shiita
Visualizações 254
Palavras 3.039
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi!

Hoje veremos mais um pequeno capítulo, espero que gostem.

Capítulo 31 - Previstos e Imprevistos


Fanfic / Fanfiction Uma Família AConvencional - Capítulo 31 - Previstos e Imprevistos

Naruto Namikaze:

 

            Faziam dois meses que estava namorando com meu pequeno, estava feliz, Sasuke era tudo o que sempre havia desejado em um parceiro, com todos os seus defeitos e qualidades. Ainda não havíamos tido um contato digamos mais íntimo, apenas beijos e carícias, é claro que eu queria ir mais além, queria fazê-lo meu de todas as formas possíveis, mas sabia que ainda não era a hora, meu moreno andava muito cansado e fraco devido ao tratamento, que havia causado uma anemia profunda, que o fez ter de ser internado novamente, mesmo e meio a protestos. Os sangramentos e vômitos também haviam retornado com toda a força, deixando-o ainda mais deprimido do que já estava, mas nada foi pior do que ver o seu lindo cabelo, que um dia já havia sido macio e brilhante, cair pouco a pouco, até o dia em que ele decidiu raspar tudo de uma vez.

 

- Tem certeza Sasu? – perguntei, sentado na cadeira ao lado de sua cama.

- Sim, eu... não adianta ficar adiando Naru, isso não vai parar. Eu acho que até... demorou demais pra acontecer. – o moreno falou, com um sorriso triste, algumas lágrimas caindo por seu rosto, peguei em uma de suas mãos e levei aos meus lábios, depositando um beijo nas costas da mesma.

- Pois então pode contar comigo, eu vou estar do seu lado, não vou soltar a sua mão. – falei, ele assentiu, ainda com os olhinhos repletos de água.

- Você vai ver bebê, sua cabelo vai crescer de novo, ainda mais lindo. – Kushina-san falou, acariciando a face do filho, limpando uma lágrima teimosa que havia resbalado.

- Sim amor e não importa, com ou sem cabelo, você sempre vai ser o meu menino lindo. – Mikoto-san falou, pegando na outra mãozinha dele, que assentiu – Bom, acho que podemos começar, não é Sasu?

- Esperem. – praticamente gritei, sobressaltando aos outros cinco ocupantes do quarto

- O que você tem Naruto? – meu pai perguntou, porém nada respondi, apenas soltei a mão do Sasu e levantei-me, pedindo para me aguardarem e saindo do quarto, todos me olharam confusos assim que retornei com outra máquina de cortar cabelo e entreguei na mão de meu pai loiro.

- Você vai cortar o meu pai. – falei, os olhos azuis, iguais aos meus arregalaram-se.

- O que está falando Naruto? – otou-san perguntou e virei para o lado em que ele estava, mas não o fitei, meus olhos foram para o menino que estava sentado na cama, com uma expressão de espanto. Andei em sua direção e sentei-me novamente na cadeira, tomando suas duas mãos.

- Eu quero fazer isso, quero que saiba que vou estar com você Sasuke, em todos os sentidos. – falei, com um sorriso, uma lágrima caiu de seus lindos olhos.

- N-não precisa fazer isso Naruto.  – meu garoto falou com a voz embargada, levei sua mãozinha novamente aos meus lábios, deixando um beijo ali, primeiro em uma depois na outra.

- Mas eu quero, e não é só por você Sasu, é por mim também, eu realmente quero fazer isso. – falei, mais duas lágrimas teimosas escaparam de seus olhos.

- Tem certeza? Você não precisa... – o interrompi.

- Eu tenho. Eu quero. – afirmei com convicção, ele apenas assentiu.

- Bom... – otou-san falou, limpando a garganta – podemos começar?

- Sim. – respondemos em uníssono, meu namorado e eu. Otou-san aproximou-se de Sasuke com a máquina e meu pai de mim, meus olhos em momento algum desviaram dos negros de meu pequeno, que estavam cheios d’água, que caíam por seu lindo rosto, suas mãozinhas tremiam em meio às minhas e sua respiração tornou-se mais pesada, ainda assim, seus olhos não desviaram dos meus. Tentei distraí-lo durante todos aqueles intermináveis minutos, entrelaçava seus dedos com os meus, levava as costas de suas mãos aos meus lábios e em momento algum tirava o sorriso de meu rosto, sempre com o olhar fixo no seu, para que ele soubesse que ali eu estaria e que dali, do seu lado, eu não sairia.

- Acabou. – otou-san falou, desligando a máquina, quase ao mesmo tempo que meu pai loiro e o olhar de Sasuke abaixou.

- Eu... posso ver? – o pequeno perguntou, ninguém respondeu, Mikoto-san apenas aproximou o espelho do menor e entregou-o, Sasuke demorou alguns segundos antes de pegá-lo e ainda mais alguns antes de levantar seu olhar e encarar-se, seus olhos novamente encheram-se de água.

- Meu amor, tudo vai acabar bem, ele vai crescer de novo. – Mikoto-san falou, afagando a cabeça agora lisa de seu primogênito.

- Sim, logo seu irmãozinho ou irmãzinha vai estar puxando seus cabelos em meio à bagunça que sei que vão fazer. – Kushina-san falou, sorrindo para o filho, enquanto acariciava o ventre já evidente da morena, ele apenas assentiu, com um sorriso fraco, como se não acreditasse muito naquilo.

- Você... ficou bonito Naruto. – meu pequeno falou, limpando mais algumas lágrimas de seu rosto.

- Fiquei, não fiquei? Mas bem, eu fico bonito de qualquer jeito. – falei, vendo minha cabeça agora sem cabelo nenhum no espelho, Sasuke apenas sorriu fraco – Mas é claro, não tanto quanto você. – ele negou com a cabeça.

- Agora eu pareço estar ainda mais doente. – falou com desgosto, peguei novamente em suas mãos.

- Sasuke, você está doente. – ele abaixou os olhos – Mas não é pra sempre, como Kushina-san disse, logo você vai estar bem e eu vou te levar pra ver um monte de lugares bonitos. – afaguei uma de suas bochechas, ele apenas assentiu, mas em seu rosto ficava evidente a dúvida, achei melhor não dizer mais nada, o dia já havia sido muito longo e pesado, agora era absorver e aceitar o que havia acontecido.

 

_____ x _____

 

- Foi uma atitude muito bonita Naruto-kun. – Kushina-san sussurrou, estávamos sozinhos, Mikoto-san havia aproveitado que Sasuke dormia para ir ao refeitório do hospital, comer algo.

- Obrigado. – falei, no mesmo tom.

- Ama muito o meu filho, não é Naruto-kun? – a ruiva perguntou, sorri, balançando a cabeça positivamente.

- Sim, muito. E a senhora também, pra ter aceitado sua esposa tendo um filho com outro. – ela sorriu fraco.

- Sasuke é o meu menino, meu bebê, Mikoto e eu sonhamos muito em sermos mães, mas é claro que sabíamos que não seria possível com o método tradicional. O dia que Sasuke nasceu foi o dia mais feliz da minha vida, ver aquele serzinho pequenino e frágil, dependente totalmente de nós, carregá-lo, amamentá-lo, como posso então não amá-lo? Como posso ficar sentada e assistir enquanto ele... – ela se interrompeu e fungou, limpando a lágrima que havia caído – Qualquer mãe faria o que fiz, qualquer mãe faria o que fosse preciso pelo seu filho.

- Sim... – sorri sem graça – deve ser bom ter uma mãe, Sasuke tem muita sorte.

- Naruto-kun... – a ruiva me chamou e levantei a cabeça, que nem havia percebido que havia abaixado, ela afagou meu rosto – qualquer mulher teria muito orgulho de ser sua mãe. – senti meu rosto esquentar com aquelas palavras, na certa estava corado, mas muito mais que meu rosto, naquele momento, com aquelas palavras, tinha uma sensação boa em meu coração, um calor diferente, que poucas vezes antes havia sentido e ali mais uma vez constatei, Sasuke definitivamente tinha muita sorte de ter aquela mulher como sua mãe.

 

_____ x _____

 

Sasuke Uchiha:

 

- Ei, tudo bem Sasuke. – Naruto afagava minhas costas, em movimentos circulares, enquanto mais uma vez eu vomitava o que tinha e o que não tinha em meu estômago. Sentia-me cansado, enjoado, dolorido, quando tudo isso iria acabar?

- Eu... não aguento mais. Quero... ir pra minha casa. – falei, em meio às lágrimas que já caíam, acho que nunca chorei tanto em minha vida quanto nos últimos meses, a quimioterapia tinha me deixado mais frágil.

- Eu sei meu amor, tenha só mais um pouquinho de paciência, logo você volta pra casa. – okaa-san falou, com os olhos cheios d’água, ela também estava mais frágil, devido à gravidez.

- Um pouco quanto okaa-san? Já faz um mês. – falei sem paciência e com uma grande tristeza, fazia um mês que havia tido uma infecção e havia tido de ser internado novamente e o pior é que tinha a sensação de que não sairia antes do nascimento de meu irmãozinho.

- Só mais um pouquinho, está bem? – a morena falou e logo sua expressão angustiada mudou para uma alegre – Sasuke, quer ver uma coisa legal? – a fitei curioso e a mesma delicadamente pegou uma de minhas mãos e levou ao seu ventre, um sorriso se formou em meu rosto.

- É o meu irmãozinho? – perguntei, sentindo algo se mover no interior da mulher ao meu lado, a mesma assentiu com um sorriso – É forte.

- Sim, vai ser muito forte, igual ao irmão. – ela falou, afagando o meu rosto.

- Só espero que tenha mais sorte. – falei, com um sorriso fraco, okaa-san nada falou, apenas sorriu da mesma forma – Olha, ele mexeu de novo. Ei pequeno, não faça muita bagunça aí, pra não machucar a okaa-san, que ela se finge de forte, mas é muito sensível. – aproximei-me da barriga já bem volumosa, onde depositei um beijo – Estamos te esperando irmãozinho. – acariciei o local e levantei os olhos, encontrando os da morena cheios de lágrimas, antes que a mesma envolvesse seus braços ao meu redor, em um abraço, que não precisou de palavras, aquele calor que vinha da morena já dizia tudo.

 

_____ x _____

 

Naruto Namikaze:

 

            Os meses passaram voando e antes que percebêssemos Mikoto-san já estava com seus nove meses, meu irmãozinho logo iria nascer e todos estavam ansiosos pela chegada do mais novo Uchiha de ambas famílias. Sasuke nesse meio tempo havia tido algumas complicações, anemia, infecções, febres, sangramentos, falta de ar, dificuldades de ir ao banheiro, mas tudo havia sido controlado e para o desgosto de meu namorado, ele não havia sido liberado para voltar para casa desde sua primeira infecção, já fazia alguns meses que ele estava internado.

 

- Eu não vejo a hora de ir para casa. – o moreno falou, jogando-se para trás, em uma atitude dramática que me fez rir e afagar sua cabeça, tão lisa quanto a minha.

- Agora falta pouco rainha do drama. – brinquei, ele assentiu, mas logo sua expressão leve mudou.

- Naru... – o moreno me chamou, ajeitando-se na cama, sentado, sentei-me ao seu lado – Eu não te disse antes porque não queria que ficasse desanimado ou triste, mas... se... se esse transplante não der certo...

- Vai dar Sasu, nosso irmãozinho vai te salvar e nós vamos mimá-lo muito, juntos. – falei convicto.

- Mas se não der... – o interrompi.

- Vai dar. – falei, ele suspirou.

- Naruto, me deixa falar. – fiquei quieto, ele suspirou novamente, com um pouco de dificuldade – Olha, Naru, se esse transplante não der certo e eu... e eu morrer...

- Sasuke, não fala isso. – falei, já sentindo meus olhos arderem, não gostava nem da ideia de pensar isso, o moreno pegou em uma de minhas mãos.

- Naruto, tem que me prometer, que se eu morrer, se eu morrer vai cuidar do nosso irmãozinho, das minhas mães e... – o pequeno se interrompeu, piscando várias vezes para impedir as lágrimas caprichosas de caírem por seu rosto – e que vai ser feliz e... e encontrar alguém que te ame.

- Eu não preciso de mais ninguém além de você Sasuke, e sabe por quê? Porque você não vai morrer. – a essa altura minhas próprias lágrimas também já ameaçavam rolar por minha face, estas que caíram sem hesitação quando ele disse as seguintes palavras.

- Naruto... eu te amo. – e este deveria ser o dia mais feliz de minha vida, meus sentimentos finalmente haviam sido verdadeiramente correspondidos, mas então por que havia essa angústia tão grande em meu coração?

 

_____ x _____

 

Sasuke Uchiha:

 

            Como havia suspeitado, não havia saído do hospital após ser internado depois da primeira infecção, que foram seguidas de uma série de outras, que me deixaram ainda mais fraco, não sabia quanto mais aguentaria, sentia que minhas forças diminuíam dia-a-dia.

            Naquele dia havia acordado sentindo-me mal, tinha febre e tinha calafrios, meus olhos tinham dificuldade em manterem-se abertos, só queria dormir, descansar e teria feito isso se Naruto não tivesse entrado praticamente correndo em meu quarto.

 

- Sasuke... – chamou-me, sua respiração ofegante.

- O que... o que houve Naruto? – falei, sentindo dificuldade até para isso.

- É Mikoto-san... nosso irmãozinho vai nascer Sasuke. – o loiro tinha um grande sorrido em seus lábios e tudo o que fui capaz de fazer foi sorrir, da melhor forma que pude, mas que pelo visto não foi muito satisfatória, pois o mesmo aproximou-se preocupado – O que foi? Está se sentindo mal?

- Não, não é nada. Só... me sinto cansado. – respondi, quase fechando os olhos, o Namikaze depositou um beijo em minha testa.

- Pois então descanse, eu vou estar aqui, cuidando de você. – nem mesmo fui capaz de responder, quando percebi já havia pego no sono.

 

_____ x _____

 

Naruto Namikaze:

 

            Passaram-se várias horas antes que obtivéssemos notícias, mas finalmente, após dez horas de trabalho de parto, meu mais novo irmãozinho, ou melhor, irmãzinha, havia chegado ao mundo. Fiquei radiante quando soube, queria ir correndo ver a pequena, mas não podia deixar meu namorado sozinho, além disso, queria contar a novidade a ele.

 

- Sasuke! – chamei-o, porém o moreno nem ao menos se moveu, franzi as sobrancelhas estranhando, afinal normalmente ele tinha um sono leve – Sasuke... – o chamei novamente, porém novamente não obtive nenhuma resposta – SASUKE! – dessa vez gritei, balançando seu braço, nada, comecei a me desesperar – SASUKE, ACORDA POR KAMI! SASUKE! – meus gritos chamaram a atenção do lado de fora e logo o quarto estava cheio e um médico, junto a vários enfermeiros me expulsaram, meu coração batia tão rápido que sentia que poderia ter um infarto a qualquer hora, minhas mãos tremiam e as lágrimas não paravam de descer por meu rosto, meu Sasuke, meu pequeno. Ele não estava morto, eu vi, ele ainda respirava, mas então... o que havia acontecido?

 

_____ x _____

 

Sasuke Uchiha:

 

            Abri os olhos com dificuldade, sobressaltando-me ao ver nada mais e unicamente à ruiva me encarando, com um sorriso em seu rosto. Levei uma mão ao coração, sentindo-o acelerado.

 

- Karin, me assustou. O que aconteceu? Estou sonhando de novo? – perguntei, ela aproximou-se, sentando-se na cama comigo.

- Não Sasuke, você está em coma. Você teve uma hemorragia, que ocasionou uma lesão na área que ativa o cérebro e eu... aproveitei para vir falar com você.

- Hemorragia... no cérebro? Então, eu vou morrer? – ela sorriu.

- Não, você não vai morrer, ainda tem uma missão muito importante pra cumprir. – minha prima respondeu, aquilo deixou-me confuso e curioso.

- Missão? Que missão? – perguntei, suas seguintes palavras me confundiram ainda mais.

- Precisa cuidar de mim Sasuke. – ela falar, a olhei estranhado, do que ela falava? – Já ouviu falar em reencarnação, não é Sasu? – a ruiva perguntou, apenas assenti – Então... é isso, eu vou reencarnar Sasuke, tenho uma importante missão, a missão de salvar um lindo garoto, que precisa de uma medula. – meus olhos arregalaram-se – Acho que você já entendeu, eu vou reencarnar, vou reencarnar na sua irmãzinha Sasuke.

- Karin... – sussurrei, sem saber o que dizer, sentia meus olhos arderem e logo as duas primeiras lágrimas caíram.

- Não chore Sasu, lembre-se, agora eu vou estar pertinho de você. – não impedi mais as lágrimas de caírem e praticamente me joguei nos braços da ruiva, que correspondeu o abraço.

- Eu te amo Karin, minha irmãzinha do coração. – falei, em meio aos soluços, a ruiva suspirou, afagando minha cabeça, sem cabelo algum.

- Eu também te amo... meu irmão. Cuide de mim quando eu nascer, está bem? Você vai cuidar, não vai? – balancei a cabeça positivamente de forma frenética, ela sorriu e depositou um suave beijo em minha testa – Nos vemos logo Sasuke. – e foi a última coisa que eu ouvi, antes que tudo ficasse negro outra vez.

 

_____ x _____

 

- SASUKE! – a voz de Naruto foi a primeira coisa que ouvi e com dificuldade abri meus olhos, vendo a imagem borrada do loiro se focar aos poucos, até poder vê-lo por completo, seus olhos estavam marejados – Sasuke, graças a Kami, finalmente acordou, já faz mais de vinte e quatro horas que você estava... estava... – o loiro se interrompeu, seu lábio inferior tremia, sinal claro que ele se segurava para não chorar – Eu fiquei tão preocupado, todos ficamos.

- E... e minha mãe? O que aconteceu com okaa-san? – perguntei, sentindo minha voz arrastada, o loiro, agora sem fio algum na cabeça, sorriu.

- Estão todos lá fora, só esperando que você acordasse. – o Namikaze falou, deixando um beijo em minha mão e saindo do quarto, antes de retornar, com várias pessoas atrás de si.

- Sasuke, meu filho, graças a Kami. – minha mãe ruiva falou, apertando-me da forma que podia contra si.

- Nos assustou Sasuke, nunca mais faça isso. – Itachi falou, ele como os outros estava mais pálido e em seu rosto podia distinguir-se as olheiras evidentes.

- E okaa-san? – perguntei.

- Estou aqui Sasuke, o médico não queria me deixar vir, mas nada que uma família grande e insistente não resolva. – a morena falou, aproximando-se com um pequeno embrulhinho em cobertas cor de rosa em seu colo.

- Além é claro de três advogados por perto. – Itachi falou, apontando para Fugaku-san, Shisui e ele mesmo.

- Essa... essa é... – interrompi a mim mesmo, sem desgrudar os olhos do embrulhinho no colo da morena, que finalmente chegou à minha frente.

- Sim Sasuke, essa é sua irmãzinha, Sarada. – okaa-san falou, mostrando a pequena menininha morena, que tinha as mãozinhas fechadas em punhos, assim como os olhinhos, descansando em meio ao sono, meus olhos imediatamente encheram-se de água – Quer pegar ela?

- Eu... eu posso? – perguntei, ela sorriu e ajeitou a pequenina em meu colo, em cima da cama é claro. Olhei para a pequena bebezinha e logo as palavras de Karin vieram à minha mente “lembre-se, agora eu vou estar pertinho de você”, “cuide de mim quando eu nascer, está bem?” – Sim, eu vou cuidar de você. – cheguei mais perto do bebê, deixando um beijo em sua testa, a mesma se remexeu em meu colo, bocejando e expondo a boquinha sem dente algum – Te amo... irmãzinha. 


Notas Finais


O que acharam? Ficaram surpresos? E sim, Sarada é a reencarnação de Karin, que chegou com a missão de salvar o irmão, mas será que vai conseguir?
Espero que tenham gostado do capítulo, nos vemos no próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...