História Uma família e um inimigo - Mitw e Cellps - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Alan Ferreira (EDGE), Aruan Felix, Cauê "BaixaMemoria" Bueno, Felipe "Febatista" Batista, Felipe Z. "Felps", João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Lucas "Luba" Feuerschütte, Lucas "T3ddy" Olioti, Malena "Malena0202" Nunes, Marco Tulio "AuthenticGames", Pedro Afonso "RezendeEvil" Posso, Rafael "CellBit" Lange, TazerCraft
Personagens Alan Ferreira, Aruan Felix, Cauê Bueno, Felipe "Febatista" Batista, Felps, João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Lucas "LubaTV", Lucas Olioti, Malena0202, Marco Tulio "AuthenticGames", Mike, Pac, Pedro Afonso Rezende Posso, Personagens Originais, Rafael "CellBit" Lange
Tags Cellps, Mitw
Visualizações 103
Palavras 1.759
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 12 - Perda


- Washington – Cellbit.

É a terceira vez que vomito hoje, estou tendo varias tonturas, enjoos e vômitos. Acho que é melhor eu ir ao medico.

Eu estava sozinho, os gêmeos estão na escola. Estava na sala assistindo a minha serie quando a companhia toca, dou pause, me levanto e vou atender a porta, quando a abro, vejo que era o carteiro e em suas mãos tinha um pacote.

- Senhor Lange? – pergunta o carteiro.

- sim – respondo.

- esse pacote é seu – diz e me entrega o pacote – assine aqui

- claro – falo e assino. – tenha um bom dia.

- para o senhor também – fala e segue para dentro do seu carro indo embora.

Fecho a porta, vou até a bancada, pego uma faca e abro o pacote. Dentro tinha uma caixa e um bilhete.

= PARA RAFAEL.

Querido cellbit, não vou poder visita-lo, então mandei esse presente para vocês, espero que goste. Me escreve uma carta me falando sobre vocês, estou com muita saudade.

= ASSINADO: LUBA.

Luba seu idiota. Lucas é meu irmão mais velho, dois anos de diferencia, ele é professor de uma faculdade, onde quero mandar os meninos. Ele namora um dos alunos, me pede para manter segredo. Lucas, ou como é chamado, T3ddy, um amor de pessoa.

Abro a caixa, vejo que tem três livros, um de romance, outro de super heróis, e o outro de aventura. O romance se chama cinquenta tons de cinza, filho da puta. O de super heróis é A identidade secreta dos super‑heróis, e o de aventura era Alice no país das maravilhas. Pego os livros e vou até a biblioteca, sim temos uma biblioteca. Coloco os livros numa estante, saio, fecho a porta.

Ouvi um som vindo do meu quarto, com um pouco de medo, vou até meu quarto, abro um pouco a porta e vejo um vulto, era grande. Abri mais a porta, não tinha ninguém, a porta da sacada estava aberta, vou até ela e a fecho, vejo que em cima da minha cama tinha um envelope, vou até e ele e abro.

Dentro tinha uma cartar, pego e começo a ler.

=

Rafael, sei do seu segredo, e sei de quem são esses filhos. Se quiser que o Felipe não saiba do seu segredinho, é melhor fazer o que digo. Se não os seus filhinhos iram pagar os pecados do pai. Voltarei a ter contato em breve. Até mais meu bebê.

                                             Assinado: Daddy.

=

Quando li, meu mundo caiu, senti uma forte pontada na minha barriga, fazendo eu por a mão e cair de joelhos no chão. A dor era enorme. Senti dor de cabeça. Não conseguia pensar.

Como ele soube? O que vou fazer? Felps não pode saber.

Então me deito no chão, senti um liquido escorrer pelas minhas pernas, sinto mais dor, grito e não vejo mais nada.......

- Residência Zaghetti – Felipe.

Sinto uma dor no meu peito, me levanto e vou até a sala de Gabs, mas a porta estava fechada, vou até a cozinha, abro a porta dos remédios e pego uma para dor. Tomo agua junto com o comprimido.

Meu celular toca, pego ele e vejo na tela: CELLBIT.

Ligação On:

Eu: alo? Cellbit?

Gabriel: papai!.

Eu: Gabriel? Cadê seu pai?

Gabriel: ele esta no chão, ele não acorda e tem muito sangue.

Eu: o que? Calma eu já estou indo ai (vou até meu carro) fica calmo.

Gabriel: eu estou com medo.

Eu: não sinta eu já vou. Onde esta seu irmão?

Gabriel: esta na cozinha, ele esta procurando algodão e álcool.

Eu: ótimo, já estou chegando.

Gabriel: chega logo.

Ligação Off:

Eu estou desesperado, viro a esquina igual que os cara dos velozes e furiosos fazem. Pego o meu celular e disco o numero da emergência.

Ligação On:

Atendente: Alo? Hospital Ford, como posso ajuda-lo?

Eu: meu namorado esta desmaiado na casa dele, tem duas crianças lá.

Atendente: o senhor esta na casa?

Eu: não, eu estou chegando, podem enviar uma ambulância?

Atendente: sim, qual é o endereço?

Eu: o endereço é ******************** o bairro é Dupont Circle.

Atendente: ok, em 15minutos chega uma ambulância.

Eu: obrigado.

Ligação Off:

Desligo o meu celular, chego na casa, estaciono o carro e corro para dentro, sigo para o quarto e vejo os meninos ao lado de cellbit que ainda estava inconsciente, pego os gêmeos e os levo pro quarto. Vou ao lado de Rafa, pego o seu pulso e vejo os seus batimentos, normais.

- acorda cell – o chamo. – acorda.

Então três médicos entram no quarto, um me afasta e os outros dois ficam olhando para ele, pegam uma maca e o coloca em cima, desçam as escadas com o cellbit e entram no carro.

Vou para o quarto dos meninos, eles me abraçam e chorram.

- calma tá? Vai ficar tudo bem – falo para acama-los.

- vai mesmo? – pergunta Leo.

- sim – respondo.

- eu quero o papai – diz Gabriel chorando.

- eu também, mas ele vai ficar bem. – digo e os abraços – vocês tem alguém para ficar?

- sim, a Tia Daniela, é uma amiga do papai – diz Leo.

- ela mora perto? – pergunto.

- sim – diz os dois.

- ótimo, quero que vão até lá e fiquem la. Entenderam? – falo

- sim – respondem.

- tá, vão – falo.

Eles começam a pegar suas mochilas e colocar roupas lá, desço as escadas, espero eles descerem e saírem para fechar a casa. Vejo os dois correrem para a rua acima. Vou até meu carro, destravo ele e entro e o ligo, sigo a caminho do hospital.

Quando chego, vou até a recepcionista.

- Moça, eu estou quero saber sobre o paciente Rafael Lange – falo.

- um momento – diz e olha no sistema – ele acaba de entrar numa sala, esta sendo atendido por um medico.

- onde eu espero ele? – pergunto.

- no corredor da esquerda – responde. – o que o senhor é dele?

- sou o namorado dele – falo.

- ok. Pode ir senhor – fala.

- obrigado – digo e saio.

Vou andando pelo corredor, viro á esquerda, no final há uma sala com uma luz em cima em vermelho, me sento num dos bancos e espero. “esteja bem”

15minutos depois sai uma enfermeira, ela estava acompanhada com um medico, o medico vem até mim.

- Senhor?.....

- Zaghetti – falo.

- senhor Zaghetti, esta há espera de Rafael Lange? – pergunta ele.

- sim, como o meu namorado esta? – falo.

- ele esta bem, foi só um mal estar. – fala – mas tem um porem.

- e qual é? – pergunto com medo.

- ele perdeu o bebê – respode.

- o que? Bebê? – pergunto.

- sim, o senhor Lange estava gravido á uma semana, com licença – diz ele e sai.

Eu estava sem chão, me sento na cadeira com as mãos no rosto, cellbit estava gravido? De mim? Caralho. Depois de um tempo, vem uma enfermeira dizendo que eu podia ver ele.

Entro na sua sala e o vejo deitado na cama, me aproximo, sento- me ao seu lado com a mão no seu rosto. Meu bebê.

- Felps? – ouço ele fala com uma voz baixa.

- cellbit? – pergunto – como esta?

- bem, eu acho – fala – onde eu estou? Cadê os meninos?

- calma, eles estão na casa de uma amiga sua – falo.

- menos mal – fala.

- vou chamar um medico – falo e vou até a porta, a abro e olho para o corredor – por favor, o senhor pode ver meu namorado?

- sim, me leve até ele – diz um medico.

O levo para o quarto do Cellbit.

- qual é seu nome? – pergunta ele.

- eu me chamo Rafael Lange – responde.

- sabe quantos anos você tem? – pergunta.

- sim, eu tenho 26 anos – responde.

- sabe aonde esta? – pergunta – em que ano, dia e mês?

- sim, a gente esta no ano 2018, acho que no dia 05 ainda, e no mês 09, eu acho, não sei quanto tempo estava apagado.

- ótimo. Pode me dizer o que houve? – diz o medico.

- eu estava no quarto, lendo uma carta e então senti dores no meu estomago e ai apaguei – fala.

- OK. Agora descanse – diz o medico se levantando e vindo até mim – ele esta bem, a perca do bebê não foi tão forte aponte de apagar algumas memorias.

- certo, obrigado doutor.....?

- Jv, me chame apenas de Jv – fala o medico. – até mais.

Diz e sai da sala. Mas espera, como ele sabia que Cell estava gravido se não foi ele que o atendeu? Vou no corredor, mas não tinha ninguém. Vou até meu cellbinho, agora tenho que contar a ele.

- bebê, sabe por que sentiu aquelas dores? – perguntei.

- não. Por que? – pergunta.

- porque você estava...... estava....... Gravido – falo.

- gra-gravido? – pergunta.

- sim – respondo.

- oh merda – xinga.

- e.............

- “E” o que? – pergunta.

- você perdeu o bebê.

Ele fica sem reação, apenas deita a cabeça.

- pode chamar os meninos? – pergunta.

- sim – respondo.

- por favor – pede.

- claro – falo e me levanto.

Saio da sala, vou até o meu carro, pego o meu celular e ligo para o celular de Gabriel.

Ligação On:

Eu: Gabriel?

Gabriel: sim? Papai?

Eu: sim, esta tudo bem ai?

Gabriel: sim, e o papai?

Eu: esta tudo bem. Pode pedir para a amiga do seu pai trazer vocês para o hospital?

Gabriel: sim, que hospital que é?

Eu é o hospital Ford, fica a meia hora da sua casa.

Gabriel: esta bem, vamos chegar rapidinho. Tchau.

Eu: tchau.

Ligação Off:

Acabo a ligação e recebo uma mensagem, era do Rezende.

= 16:98 – Rezende.

Oi Felipe, tudo bem cara? Eu estou enviando essa mensagem para saber como você e os meninos estão, soube que se encontrou com o cellbit, que barra em? Bem, agora que esta tudo certo, eu gostaria de passar uns dias com o Marcos, se não for pedir muito.

=

Respondo:

= 16:98: Eu.

Claro que pode, Marcos adora você, infelizmente o Arthur vai ter que ficar, ele esta doente.

=

Ele responde:

= 17:00 – Rezende.

Que bom cara, que pena, adoraria passar um tempo com eles. Pode deixar que depois eu passo com os dois juntos. Vou buscar eles na escola e deixo Arthur em casa.

=

Desligo o celular, vejo um carro estacionar na frente do hospital e sair dela os meninos, eles correm até mim, eu os abraços, pego eles e os levo para a sala onde Cellbit estava.

Ao entrarmos, os gêmeos correm para abraçar o pai, que os recebe com vários beijos. Realmente, eles são uma bela família.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...