1. Spirit Fanfics >
  2. Uma fresta de luz. -Camren-Keana. Lauren G!P >
  3. Dor.

História Uma fresta de luz. -Camren-Keana. Lauren G!P - Capítulo 16


Escrita por: FlipJorebello

Capítulo 16 - Dor.


Ponto de vista Camila Cabello


Como estava tarde  o médico nos avisou que Ally e Estella iria receber visitar só amanhã,  a menininha da família nascei as 23:12 da noite do dia 03 de março, Ally e Chris estavam felizes, toda a familia está feliz com a chegada da bebêzinha. Agora eu estava em casa com Lauren e Keana, antes fomos pegar os presentes que eu ganhei e arrumar a casa de minha mãe.


-Lauren, o que é isso? -Pergunto mostrando uma caixa razoavelmente grande com o nome de Lauren.

-Eu não sei, Sofi que me deu dizendo que Ty mandou entregar a mim. -Ela fala pegando a caixa e abrindo. -Uma caixa grande para guardar um bilhete pequeno. -Ela fuça a caixa e tira de la outro papel, como se fosse o fundo da caixa. -Puta merda, Ty seu desgraçado filho da puta. -O rosto de Lauren era assustado.

-O que tem ai? -Keana pergunta curiosa dobrando as roupas que eu jogava para ela dos presentes.

-Nada, eu lembrei quem é o cara. -Lauren fala apressada e sai do quarto.

-Estranho. -Kea fala e eu concordo.

-Muito..

-Olha que blusa linda, quem deu essa?

-Sofi. -Sorrio. -Puta que pariu, nada discreto Dinah Jane. -Mostro a embalagem do presente com a cara de Dinah.

-Essa girafa gosta de causar. -Keana fala rindo. Abro o presente e não acredito que ela me deu isso.

-Filha da mãe. -Tiro uma cinta com um pênis de borracha da cor do arco íris. -Estou com um pouco de vergonha.

-Eu quero usar. -Kea fala que nem uma criança feliz que ganhou seu presente de natal favorito. 

-Eu vou usar na Lauren, com toda a certeza. -Falo e vejo a branquela aparecer no quarto.

-Vai usar isso em mim mesma não. -Lauren fala de olhos arregalados. 

-Babe. -Faço bico.

-Camila, olha o tamanho desse troço. -Ela aponta para a cinta.

-O seu é maior e nem por isso faço caso. -Reviro os olhos. -Só quer comer? Pois bem, se quiser me comer, vai ter que deixar eu usar a cinta em você e isso vale pra você Keana.

-Por mim podemos fazer isso agora. -Kea fala alegre. -Lauren não faça caso, sua mãe disse que você pegava homem também, porque não liberar pra nós?

-Amoorr.. -Lauren faz manha. -Tudo bem, só vai com calma, faz anos que transei com um cara.

-Vamos ser bem carinhosa, né honey? -Pergunto para Keana que concorda sorrindo.


(...)


No outro dia acordamos cedo e nos arrumamos para o trabalho, me despedi das minhas vidas e entrei na enorme escola, cumprimentei uns alunos e professores que estavam na porta e fui na sala dos professores, lá vi meu colega de trabalho, Austin, ele é professor de educação física, ele foi o primeiro a me da as boas vindas ao "inferno infantil", é assim que eles chama essa escola, mas de um modo bom, os alunos são adolecentes problemáticos,  sabemos lidar com eles, afinal um dia eramos eles ali levando puxadas de orelhas dos professores. 


-Bom dia Cabello.

-Bom dia Mahone.

-Café? -Ele pergunta e eu nego levantando meu copo.

-Chá. -Rimos. -Passei pelos alunos e vi que eles estão.. quietos, quietos ate de mais. -Falo desconfiada.

-Que dia é hoje? -Ele pergunta confuso.

-Quatro de março. 

-Merda. -Ele coloca o copo ja vazio em cima da mesa. -Hoje é dia da outra escola vir participar dos jogos, não avisaram?

-Não, isso é ruim? -Pergunto seguindo ele.

-Nossa escola e a outra são rivais desde 1980 onde o ensino medio roubou nossa bandeira e desde então eles rouba nosso mascote e nossos alunos rouba o deles.

-Os diretores não fazem nada? 

-Fizemos um acordo, podem invadir a escola e tentar roubar nosso mascote, mas ninguém pode machucar e quebrar a escola, é uma atividade saudável para os alunos, isso faz eles pensarem em estratégias. -Austin fala entrando na quadra.

-Professor,  pegamos o Ivo. -Um aluno fala com um porquinho em mãos,  o menino estava todo sujo de terra, tinha um sorriso enorme.

-E o Charles? -Austin pergunta e uma menina vem ate onde estavamos com um porquinho da Índia em uma gaiola.

-Bem protegido. -A menina fala e varios alunos gritam em felicidade. 

-Um ponto para a School Tomlinson e zero para a School Styles. -A voz do diretos Louis Tomlinson ecoa pelas caixas de som da quadra e os alunos gritavam mais e mais. -Vamos da início as jogos segunda feira, o diretor Harry Styles e alguns professores não poderam comparecer por motivos pessoais e nós entendemos, decidimos que segunda vamos iniciar os jogos, treinem bastante, bom dia a todos, comunicado do seu diretor Louis Tomlinson. 

-Aconteceu algo muito sério para ele fazer isso. -Austin fala pegando o porco do menino. -Bom, Benjamin pode ir tomar banho e depois aula, você tambem Crytal, deixe nosso mascote com a professora de biologia e va para a sala.

-Tudo bem professor,  ate logo doutora. -Os dois saem e vejo os alunos irem para suas salas.

-Me acompanha para devolver o Ivo? -Austin pergunta e eu concordo indo com ele para fora da escola. -Imaginei que a gente iria perder um ponto, os meninos da outra escola são bons.

-Nunca subestime seus alunos. -Falo cutucando a costela dele que rir concordando.

-Cabello, eu estava pensando e queria saber se você não gostaria de sair para beber uma qualquer dia desse. -Ele pergunta todo tímido e eu sorrio com isso colocando minha bolsa na frente do meu corpo.

-Sabe...

-Camila! -Olho para o lado vendo Keana com uma cara séria olhando para o homem ao meu lado que segurava o Ivo.

-Oi, o que foi? Aconteceu alguma coisa? -Pergunto preocupada.

-Lauren não foi trabalhar, Vero ligou para o meu trabalho dizendo que ela não apareceu, ela está com o carro. -Keana fala vindo ate mim.

-Você veio de que? Porque não me ligou?

-Esqueceu que Hades derrubou meu celular na agua dele? -Ela pergunta e eu nego. -Vim de uber, um funcionário pediu para mim. Colega de trabalho amor?

-Sim, estava indo devolver o mascote da outra escola. -Falo apontando para o porco. -Você não se importa né Austin? É que a nossa namorada esta meio esquisita desde ontem a noite e estamos preocupadas.

-Não, tudo bem, eu aviso ao diretor que você teve que resolve uns problemas familiares. -Ele fala e eu concordo pegando meu celular e chamando um uber para a casa de Keana. -Ah, sobre o que você pediu pode ser na terça, marquei com umas amigas, se quiser aparecer te mando o endereço.

-Claro claro, tchau e espero que vocês encontre a namorada de vocês. -Ele fala e eu concordo entrando no carro e o motorista da a partida.


Ele não demorou muito e num instante chegou na casa de Keana, eu peguei meu celular e tentei ligar para Lauren, mas sempre dava caixa postal, eu ja estava ficando puta e com medo. E se ela tivesse sofrido um acidente? Essa pergunta rondava minha cabeça. Vero ligou para mim dizendo que Lauren estava vindo pra casa e pediu para que ela não me contasse, ainda bem que minha amiga tem um pingo de juízo e me avisou. Não demorou muito e Lauren entrou em casa, suas vestes toda amassada, os cabelos bagunçado,  o fedor que ela tinha era de maconha e cerveja.


-Michelle. -Chamo sua atenção. 

-Michelle, eu mesma, aqui, o que deseja moça bonita? -Ela pergunta com a voz arrastada. -Uau, outra moça bonita.

-Onde você estava? -Keana pergunta indo ate ela. -Primeiro, quem veio te deixar?

-Tyy.. -Ela aponta para a porta e eu vou lá vendo um homem entrando em um carro.

-Você conhece esse desgraçado? -Pergunto fechando a porta com todo o ódio e força que eu tinha naquele momento. 

-Meu amigo. -Ela dá de ombros sentando no sofá. -Que gatinho bonito,  é de vocês? Vocês namoram? Eu queria namorar com vocês duas.

-Primeiro, já somos sua namorada. -Keana fala aparecendo com uma xícara de café e da a Lauren. -Segundo, esse gato é nosso.

-Terceiro, onde você estava e o que usou? -Pergunto olhando seria para ela.

-Maconha, doce, um comprimido que não faço ideia, mas é legal, vocês vão adorar. -Ela fala toda alegre.

-Não não não não... -Repito diversas vezes começando a chorar. Parece que a cena do meu pai drogado no escritório da antiga casa veio a tona.

-Amor, o que foi? -Keana pergunta preocupada e eu nego.

-Pode da banho nela e por pra dormi? Eu não consigo tocar nela desse jeito. -Falo fungando e Keana concorda levando Lauren para o andar de cima.


-Kaki filha, papá te ama muito. -Meu pai falava de joelhos, seus olhos vermelhos, o cheiro de cigarro barato com maconha denunciava que ele estava sujo, sujo com essas drogas que aquele homem deu a ele horas atrás. 

-Se me ama, por favor papá,  não usa mais isso. -Peço chorando. -Isso faz mal, o senhor pode morrer. -Corro ate ele e abraço seu corpo.

-Me desculpe, mas não consigo,  fui longe de mais e o vício me dominou, me desculpe pequena borboleta. -Ele beija minha cabeça. -Agora você vai para a escola ok? Seja uma menina estudiosa, ajude as pessoas que tem dificuldade de seguir em frente, não deixe elas afundarem no poço,  não deixe elas desistirem da própria vida, ela é muito valiosa para tira-lá.

-Vamos ao parque quando eu voltar?

-Vamos.

-Promete? De dedinho?

-Prometo de dedinho minha princesa. -Ele beija a ponta do meu nariz e saio logo em seguida. 


Nesse mesmo dia quando voltei da escola, ele ja tinha tirado a própria vida, foi por causa daquelas drogas que Ty dolla deu a ele que fez meu pai tirar a propria vida, eu estava com raiva e se eu ver esse homem na minha frente mais uma vez, eu mato ele. Eu não vou deixar mais uma pessoa que eu amo se matar com essas drogas, de novo não!


-Amor? O que foi? Porque está chorando? -Keana aparece na sala e senta ao meu lado.

-Eu vi ele nela, eu vi meu pai no dia que ele se matou, Ty dolla deu drogas a ele e ele usou tudo, quando eu voltei da escola, ele já estava morto. -Falo tudo chorando. -Se ela morrer, eu não sei o que fazer.

-Hey, calma amor, vai ficar tudo bem, vamos ficar de olho nela e depois vamos conversar ok? Não vamos deixar ela se sujar nisso. -Kea fala e eu concordo. -Ela está dormindo,  não vou trabalhar hoje e vou cuidar de vocês duas. -Dou um selinho demorado nela. -Durma um pouco ok? 

-Ta bom, vou ficar aqui.


Keana me deixou na sala e foi para o andar de cima, talvez procurar se tinha alguma droga escondida em casa, eu estava sem forças para ajudar ela e eu me achava uma pessoa fraca, patética,  estava com dor, minha mente doia, eu estava chorando com medo de acontecer de novo, dessa vez com a mulher que amo. Eu não sei se vou conseguir olhar nos olhos de Lauren, ela saiu de manhã esquisita, pensei que ela iria trabalhar, mas ela foi se drogar. Eu odiava isso, tudo bem com cigarro, ate eu usava as vezes, mas essas outras drogas não,  isso eu não aceito.


Notas Finais


Oiie
Duas att em um dia só, mereço oq??
Comentem e favoritem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...