1. Spirit Fanfics >
  2. Uma fresta de luz. -Camren-Keana. Lauren G!P >
  3. Motivos.

História Uma fresta de luz. -Camren-Keana. Lauren G!P - Capítulo 19


Escrita por: FlipJorebello

Capítulo 19 - Motivos.


Ponto de vista Lauren Jauregui 


Estava a dois meses naquela clínica de reabilitação, posso dizer que aqui é meu inferno particular,  a cada hora uma enfermeira vem me da remédios e isso me deixa um pouco sonolenta. Quando eu tinha meus surtos querendo sair daquele local para me drogar, eu pensava na Camila e Keana, pensava ate em Hades,  ele era meu filho, mesmo que seja um animal, ele é meu filhotinho e eu tenho que ser forte, por ele e pelas meninas.

Nesse meio tempo que estou aqui, eu escrevi cartas para as meninas e minha família dizendo que estava me tratando,  mas não podia dizer o local, não conseguiria olhar no rosto das pessoas que me queria bem e eu pisei na bola indo me drogar.


-Hey Jauregui. -Olho para a porta do meu "quarto" e vejo Alice, uma menina de 18 anos, ela está aqui faz dois meses, ela me contou que desde os quinze anos ela viveu aqui, toda vez que ela estava melhor, ela saia, mas não demorava duas semanas e voltava por ficar se drogando. A familia dela sempre vem visitar, Alice diz que não tem mais salvação,  mas ela tem sim, ela tem só 18 anos e tem salvação,  assim como eu.

-Fala pirralha. -Guardo o lápis dentro do caderno e me viro olhando melhor a menina, ela usava um "pijama" azul, não só ela como todos os pacientes daquela clínica.

-Chegou paciente nova. -Ela fala alegre. 

-Legal, era só isso?

-Não, a gente pode pegar a sobremesa dela.

-Alice, para de ser criança. -Riu indo ate ela. -Ta, vamos lá ver quem é e da as boas vindas como duas pacientes legais que quer sair daqui o quanto antes.

-Eu juro Lo, quando eu sair daqui, eu vou terminar meus estudos e fazer faculdade de direito. -A garota fala e eu sorrio. 

-Se você fizer isso que está falando, você vai trabalhar na empresa que eu trabalho com meu irmão, eu prometo. -Falo vendo a garota se agitar alegre.

-Verdade Laur? -Ela pergunta e eu concordo abraçando ela de lado. -Olha lá. -Ela aponta para uma mulher de cabelos azuis. -Vem vem. -Ela sai me puxando ate onde a mulher estava. -Oi, eu sou Alice, muito prazer.

-Ah, oi, Ashley Nicolette, mas pode me chamar de Halsey. -A de cabelos azuis fala e eu concordo. -Como uma mulher tão linda como você pode está nesse local? -Ela pergunta olhando para mim e eu sinto minhas bochechas arderem. Eu estava corada? 

-Eu dependia muito de drogas, eu decepcionei duas mulheres e por conta própria vim me tratar. -Falo dando de ombros. -Sou Lauren. Porque você está aqui?

-Comecei a usar drogas a seis meses atrás,  dois meses depois eu tive uma overdose e quase morri, a primeira coisa que fiz quando acordei foi fugir do hospital e me refugiar na casa de um cara, lá fiquei dois meses trocando sexo por drogas ate minha família me achar e me internar aqui. -Ela fala suavemente como se contasse uma história da bela adormecida para uma criança. 

-Uau. -Falo não acreditando. Uma mulher linda como Halsey afundar nas drogas, ela pode ter o que quiser e escolheu as drogas.

-E vocês? -Halsey pergunta se sentando no sofá daquela enorme sala e eu me sento em uma poutrona vendo Alice sentar ao lado de Halsey.

-Estou nesse vício a três anos, eu não tenho salvação,  ja falei para todos.

-Se você não tivesse, sua família não ficaria preocupados e não te colocaria aqui para melhorar desse vício. -Falo revirando os olhos. -Pense muito no que eu disse.

-Ok Lo.

-Bom, meu pai morreu a quase sete anos, esse meio tempo eu entrei em depressão,  com vinte e um eu conheci um cara, nos relacionamos e tals, comecei a usar drogas com ele para não sentir mais dor, eu pensava que ele era minha unica salvação e foi a dois anos atras que uma mulher me "salvou" de pular da ponte. Depois desse dia, eu parei um pouco, mas depois voltei a usar. Uns meses depois eu conheci outra mulher, nos envolvemos, eu tinha meus surtos de ansiedade e só Camila, a mulher que me salvou conseguia me acalma. -Falo lembrando das minhas mulheres. -Depois de um certo tempo, eu comecei a gostar de mais dela e minha namorada Keana, a mulher que eu me envolvo também, ai começamos um trisal. Estavamos felizes ate uns meses atrás onde eu tive uma recaida um dia depois do aniversário de Camila, eu me droguei e fiz ela ir embora de nossas vidas, depois de sobria eu descobri que o homem que eu estava me drogando, foi o mesmo homem que deu drogas ao pai dela que se matou, quando ela voltou da escola, ela foi a primeira a ver ele morto. -Eu chorava silenciosamente,  os olhares de pena das duas me quebraram mais. -Bom, ai vim por conta própria mesmo me internar, quero me curar disso e voltar para elas.

-Você tem motivos para lutar. -Halsey fala e eu concordo. -Queria ter motivos.

-Sua família pode ser seu motivo, eles te amam e querem o seu bem, se não quisesse,  com toda a certeza eles não te colocariam aqui e deixariam você morrer nas drogas. -Falo limpando minhas lágrimas. 

-Ashley, temos um negócio para lhe falar. -Um enfermeiro para ao lado dela.

-Pode fala.

-Você não vai poder tomar remédio, seus exames mostram que está gravida de um mês. -Ele fala e eu olho para Halsey que tinha um olhar assustado.

-Gravida? Não pode ser! Eu não posso está gravida! Eu não posso..

-Calma ok? Vamos fazer mais exames e vamos tratar você. -O enfermeiro fala e depois de ver que Halsey não abriria a boca, ele saiu.

-Que surpresa em, meu sonho é ser mãe,  ensinar tudo que meu pai um dia ensinou. -Falo tentando acalmar a mulher. -Um filho é algo magnífico, um ser dependente de você para tudo.

-Mas eu não posso, como vou criar uma criança aqui dentro? E se tirarem ele de mim? -Halsey pergunta assustada.

-Não vão,  se trate e fique bem para sair daqui o quanto antes e criar essa criança,  Deus te deu um motivo para lutar, agora é com você. 


Ponto de vista Camila Cabello


Ja se passava quatro meses que Lauren foi embora, eu ja estava com cinco meses,  voltei a morar com Keana, Hades amou me ver lá novamente, ele era um filhote grudento, só queria deitar abraçado na minha barriga enquanto eu fazia carinho naquela bola de pelo. Ja estavamos em agosto, sete anos que Mike morreu e em setembro vai fazer nove anos que meu pai morreu. 


-Oi amor, como está hoje? E o nosso príncipe? -Keana pergunta vindo ate mim se sentando ao meu lado no sofa. -E você meu amor, está gostando de ficar esparramado na barriga da Camz?

-Ele ama ficar aqui e parece que Noah ama a presença de Hades. -Falo rindo sentindo os carinhos de Kea na minha barriga. -Queria ela aqui.

-Eu também,  recebemos uma carta. -Ela me entrega a carta e eu sorrio vendo a letra de Lauren,  era linda em itálico. 

Oi, Camz, Kea, Hades, eu estou morrendo de saudades, já se vão quatro meses longe de vocês,  tenho novidades. Halsey está gravida como vocês sabem e ela está mal, com falta das drogas e como ela não pode tomar certos remédios para não prejudicar a criança,  ela fica muito mal, Alice saiu,  eu dei o nosso endereço para ela ir ai, mas por favor, não pergunte nada sobre mim, não estou preparada para olhar para vocês duas. Prometi a Alice que ela iria trabalhar na empresa quando terminar a faculdade,  mas por enquanto, Kea poderia contratar ela? Ou você poderia indicar ela a algum amigo, eu não quero que ela volte para cá,  ela é jovem de mais e tem que ocupar a mente para não pensar em usar drogas de novo.

Essa semana eu fiz um tratamento, os médicos deixaram maconha no meu quarto, só de sentir o cheiro eu acabei vomitando,  isso é um sinal que meu corpo esta reagindo positivo? Espero que sim! Quero muito voltar para vocês três. 

Parece que Halsey vai dar a criança para a adoção,  sinto uma pena, eu queria muito ter um filho, olhar para a barriga de Halsey e ver aquele volume me faz desejar isso, eu vejo Keana ou Camila gravida em Halsey e sempre fico alisando a barriga dela, parece que aquele pequeno ser gosta de mim! Eu estou tão feliz com isso, se ela for mesmo dá,  poderiamos adota-lo, claro se vocês quiserem. Eu amo vocês. 


Eu estava chorando, mas era de felicidade,  ela estava bem e o tratamento está dando certo, espero que não demore muito para voltar para casa. Olhei para Keana que tinha um sorriso bobo olhando para a carta.


-Se ela pelo menos deixasse a gente mandar uma carta, ela saberia do Noah. -Kea fala e eu concordo.

-Podemos fazer uma surpresa para ela. -Falo colocando meus pés no colo dela que começa uma massagem gostosa.

-Sim, ela vai ficar feliz em saber que vai ser mãe. -Kea fala e eu concordo. -Ja fiz o almoço,  vamos comer que você tem que ir trabalhar.

-Aqueles pirralhos me cansa, ja começamos a segunda parte dos jogos. -Me levanto com a ajuda dela e vou para a cozinha. -Nossa escola está perdendo, os alunos estão tristes.

-Você pode fazer um exercício para motivar eles, pede ajuda a Mani.

-Boa ideia, os alunos amam ela, fiquei feliz que minha recomendação deu certo, que o Louis aceitou contratar Mani, ela é uma otima professora de Biologia. 

-Aqui, coma tudinho ok? Para você e Noah ficar fortinhos. -Keana coloca um prato com comida saudável na minha frente e eu como fazendo caretas. Comida saudável nunca foi meu forte.


(...)


Eu estava na escola, tomava meu inseparável chá, conversava com Austin e Mani na sala dos professores, eu falava umas ideias para eles fazerem na aula deles e parece que eles gostaram.


-Isso ajudará no fortalecimento do cérebro e motivará eles. -Falo pegando um biscoito e começo a comer. 

-Keana ver você comendo essas coisas vai te matar. -Mani fala e eu riu negando. -Deu a hora, vou me preparar para a gritaria, cuidado ok? -Ela vem ate mim e me da um beijo na cabeça. 

-Ok, boa sorte com aqueles adolescentes.

-Vamos Mila? Vou te levar ate sua sala. -Austin sempre fazia isso, ele era um bom amigo.

-Claro, vamos. -Pego minha bolsa e vou com ele ate minha sala.

-Boa tarde doutora Cabello. -Kathy aparece no meu campo de vista e me entrega um papel.

-O professor George mal entrou na sala e te mandou pra mim, o que a senhorita aprontou? -Falo abrindo a porta de minha sala e deixo a menina entrar primeiro.

-Eu juro que não fiz nada dessa vez. -Ela fala se sentando no sofá. 

-Obrigada Austin, tenha uma boa tarde.

-Igualmente Mila. -Ele segue caminho para a quadra.

-Fala logo Kathylyn, o que aconteceu? -Pergunto me sentando na minha poutrona. 

-Eu estava na sala com a Paloma abraçada,  quando ele entrou, ele ja veio me dando esse papel e mandou vir ate a senhora. -A adolescente de quatorze anos fala e eu concordo desdobrando o papel e começo a ler. Cure essa menina pelo amor de Deus,  ela ainda tem salvação. 

-O que? -Pergunto não acreditando no que meus olhos viam. Ele mandou essa menina aqui porque ela estava abraçada com a namorada? -Kathy, vamos, vou te levar ate a sala. -Me levanto e a menina concorda.

-Professora, eu vou ter uma marca ruim no meu caderno escolar? -Kathy pergunta e eu nego.

-Pelo o que eu li, você não fez nada, então fique tranquila ok? -Ela concorda caminhando ao meu lado ate a sua sala. Bato na porta e abro lentamente vendo o George em sua mesa. -Entregue.

-Tão rápido assim. -George fala e eu concordo vendo a garota indo sentar ao lado da namorada. -Pyetro, troque de lugar com Kathylyn. 

-Mas.. -A menina ia protestar, mas foi cortada pela voz do professor.

-Anda logo.

-Não é necessário fazer isso..

-Doutora Cabello, algum problema? -Vejo o diretor Louis e sorrio para ele.

-Sim, eu ia falar com o senhor em particular, mas ja que esta aqui. -Entrego o papel a ele que começa a ler. -Professor George mandou Kathylyn na minha sala por absolutamente nada, ela não fez nada e mandou ela para a minha sala, Kathy me disse que ela estava abracada com a namorada e ele simplesmente mandou ela pra minha sala.

-Isso é verdade senhor George? -Ele balança o papel e o homem concorda.

-Ela é criança ainda, dá para salvar. 

-Bom, a aula de vocês acabaram crianças,  vão para o patio esperar a próxima aula. -Louis fala e vejo os adolescentes guardarem as coisas rapido e sair correndo. -Senhor George, o senhor está demitido por homofobia, venha na minha sala que vou assinar seus papeis.

-O que? Mas.. como?

-Senhor, o que você fez é grave, se os pais da Kathy quiserem, eles podem levar isso para a polícia e o senhor vai preso, homofobia é crime e eu não aceito nenhum tipo de crime nessa escola, me acompanhe por favor. -Louis fala e eu vejo George arrumar as coisas dele. -Mila, Harry convidou você e Keana para um jantar la em casa.

-Em casa hm? Olha ele em, já estão morando junto? -Pergunto vendo meu amigo sorrir corado.

-Longa história. 

-Eu quero saber hoje a noite. -Falo e ele concorda indo para sua sala com George. 


Voltei para a minha sala e sentei na minha poutrona relaxando meu corpo, Noah está ficando muito pesado e consequentemente me deixando com dor na coluna se eu ficar em pé por muito tempo.


Notas Finais


Oiie, vou tentar postar mais um hj a noite ok? Se eu n conseguir, é pq eu estava ocupado em um jogo de futebol

Comentem e favoritem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...