História Uma Gota No Oceano - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Karl Urban
Personagens Karl Urban, Personagens Originais
Tags Bones, Dr Mccoy, Dredd, Jim, Karl Urban, Mccoy, Red, Spock, Star Trek, The Loft, Thor, Thor Ragnarok
Visualizações 18
Palavras 1.397
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, pessoas! Mais uma vez de volta! Desculpe pela demora, mas eu gosto de escrever as coisas no meu ritmo, deixar que minha escrita flua naturalmente.
E foi assim que aconteceu, esse capítulo maravilhoso que eu estou muito orgulhosa de ter escrito!
Muito obrigada mesmo por ter favoritado a história, yaoilover2000!! Significa muito pra mim saber que tem mais alguém gostando dessa história que vem das profundezas do meu coração!! Muito obrigada mesmo!
E aqui deixo meus agradecimentos!
Comentem se gostarem, agradeço bastante!
Até o próximo capítulo!!

Capítulo 2 - Tu Te Tornas Eternamente Responsável Por Aquilo Que Cativas


Fanfic / Fanfiction Uma Gota No Oceano - Capítulo 2 - Tu Te Tornas Eternamente Responsável Por Aquilo Que Cativas

Eu tive um sonho estranho hoje...”


 

Essa foi a primeira coisa que Karl conseguiu pensar quando havia acordado meio que no susto de madrugada, ainda envolvido nas lembranças dele mesmo em um baile dos anos 20 ou 30, dançando com uma garota ao qual o rosto não ficou gravado em sua memória, mas que ele sentia que era alguém muito importante para si.

Ainda assim, como?

Como essa garota poderia ser importante para si se ele ao menos nem sabia quem era?

Não conseguia se lembrar do rosto tão claramente…

Quem era ela?

Por que sonhou com isso?

Karl acabou por suspirar audivelmente, confuso, sentando e colocando a mão sobre o queixo em um ar pensativo, alisando sua barba como se o ato o ajudasse a entender melhor o ocorrido.

Apesar de não se lembrar quem era a garota, lembrava-se muito bem do sorriso radiante que ela lhe mostrava quando o olhava.

E isso era para ele, definitivamente intrigante.

Há meses que tinha esses sonhos estranhos, aquele não era o primeiro, e parecia que não lhe seria tão cedo o último.

Karl acabou por levantar, intrigado e levemente irritado com os mistérios que agora rondavam todas as suas noites de sono, desistindo momentaneamente de dormir para beber um bom copo da primeira bebida que encontrasse.

Não gostava muito de se entregar ao álcool, já que não fazia nada bem ao seu corpo, mas em momentos como esse, Karl não conseguia se impedir de, pelo menos, beber um copo, para ver se relaxava sua mente desses pensamentos.

Pegou seu celular esquecido ao lado da cômoda da cama e foi checar as notificações que teriam da sua nova publicação mais cedo.

A bebida já na mão, mas antes mesmo de dar o primeiro gole, o copo foi esquecido no caminho até a boca quando havia visto aquele comentário tão especial, o que indiscutivelmente mais esperava receber em todas as postagens que fazia.

Aquele que vinha daquela garota que nunca havia conhecido pessoalmente em sua vida, mas que esperava ansiosamente um dia poder conhecer.

O sorriso que sustentava no rosto apenas refletia a enorme felicidade que sentia somente por ter tanta admiração e amor daquela fã por seu trabalho, seu peito aquecia-se inexplicavelmente toda a vez que ela “aparecia” em suas redes sociais.

Não pode se impedir de dessa vez, curtir o seu comentário, de Robin Carvalho.

Lembrava-se como se fosse hoje do dia em que a conheceu, um simples Tweet inocente em que ela havia marcado o seu nome, e por coincidência, ele havia visto e curtido.

Simples, mas que acabou por cativar o coração de ambos um pelo outro, criando um laço que os uniu e os une até hoje, que foi se fortalecendo a medida que a menina demonstrava toda a sua admiração pelo Karl e o mesmo a agradecia com suas curtidas, sentindo-se muito feliz por tudo o que ela dizia a si.

Como queria conhecê-la…

O moreno pensava, o copo esquecido em sua mão, assim como os estranhos sonhos que havia tendo ao longo dos meses.

Entretanto, em um estalo, todo esse dilema voltou a sua mente com força total quando aquela simples voz voltou a atormentá-lo.


 

Você pegou meu coração de um jeito que eu jamais poderia prever!”


 

A mesma frase, dessa vez, dele mesmo dizendo isso em um tom emocionado para alguém que ainda não conseguia identificar quem era, o assustou.

Karl acabou por largar a bebida e o celular em um canto qualquer, aflito.


 

O que está acontecendo?!”


 

Ele se perguntou confuso, exausto desse mistério enorme que estava envolto.

Quando que seus sonhos, que só deviam ser sonhos, se tornaram algo a mais?

Ele perguntou-se, decidindo por dar aquela noite por encerrada e ir dormir.

Não estava com cabeça para isso.

Karl somente esperava que seus sonhos com aquela garota não voltassem a acontecer.

Mas nem sempre tempos tudo o que queremos.

Ainda mais quando se trata desse estranho laço que une ele à aquela garota que ainda não conseguia identificar o rosto, mas importante e com um sorriso marcante a si.


 

Quem é você?”


 

Foi a última coisa que Karl pensou antes de adormecer, com a música que tocava no seu sonho embalando o seu sono.

E surpreendentemente, no dia seguinte, a sua pergunta sobre a misteriosa garota que rondava seus sonhos, seria respondida.

E tudo subitamente se tornaria mais misterioso, enevoado e complicado para Karl Urban compreender o que já indiscutivelmente sentia em seu coração, somente não percebia.


 

***


 

Nunca suas aulas haviam sido tão maçantes quanto essas que Robin havia tido de manhã.

Especialmente a de Bioquímica, que a fez querer urgentemente virar pó com o estalar de dedos de Thanos.

Deu graças a Deus por finalmente dar o horário do almoço, onde ela poderia descansar a cabeça um pouco de tudo aquilo, seu dia não havia começado muito bem.

A voz dele fazendo aquela pergunta ainda lhe atormentava o suficiente para achar o seu almoço não tanto atrativo ao seu estômago, e sim esse mistério que sempre voltava a sua mente para perturba-lhe a alma.

E apesar de a novo foto dele ter lhe distraído o suficiente da tristeza que sentia, ainda assim, suas dúvidas sobre o que sentia voltavam a afligi-la.


 

O que você está fazendo comigo, garota?”


 

Robin sentiu o rosto corar, sem saber o motivo, tratando de esquecer esse assunto e concentrar-se em outra coisa qualquer que seja.

Não podia pensar nisso.

Não era certo, correto.

Robin era apenas uma fã, nada mais além disso.

Tudo o que sentia por ele era apenas essa sua admiração pelo seu trabalho, somente isso.

Nada mais além disso.

Teimosa possivelmente poderia ser o segundo nome da garota, isso já era nítido em sua personalidade.

Apesar de mentir para si mesma, Robin não poderia mentir para o seu coração.

E por mais que negasse, ele já sabia seus reais sentimentos.

A garota somente não queria acreditar.

Nesse momento, ela encarava seu prato pela metade, desanimada.

Um aperto no peito sempre a lembrava que não devia esconder o que sentia, mas Robin, teimosa como era, se recusava a ouvir, com medo de se machucar ainda mais.

Já havia sofrido muito por causa do amor, não queria jamais acreditar que realmente, seu estúpido e traiçoeiro coração havia se apaixo…


 

Não!!!”


 

Robin imediatamente, pensou cortando sua linha de pensamento.

Estava ficando maluca, era só sua admiração pelo seu trabalho, nada mais além disso.

E afundando ainda mais nessa mentira, Robin lembrou-se de toda a atenção que recebia dele, tão especial…

Um singelo sorriso surgindo em sua face quando lembrou-se e que aumentou mais ainda quando viu a placa de que o wi-fi do restaurante era livre.

Imediatamente pegou o celular na bolsa, o ligou e o conectou a internet.

Apesar de se controlar, estava deveras ansiosa para saber se receberia aquela tão especial notificação no seu smarthphone.

E Robin, não pode evitar de sorrir mais ao saber que não havia sido desapontada, que não havia sido enganada em seus pensamentos.

Seu peito se aquecia ao saber que o ator que mais tinha admiração havia novamente curtido o seu comentário, dessa vez, no Instagram, na foto dele.

Um longo suspiro saiu de sua boca ao lembrar-se de como tudo aquilo havia começado.

Um simples Tweet que ela o havia marcado, nem tinha a intenção, na verdade, mas quando surgiu essa opção ao escrever o nome, ela pensou, por que não?

Jamais imaginava que Karl veria, afinal, quando que uma fã iria ter a oportunidade de ser notada pelo seu ator favorito?

Contudo, por mais surpreendente e irreal que possa ser, ele havia notado, e desde então, sempre que Robin comentava algo, na maioria das vezes, era retribuída com uma curtida dele, como se fosse um agradecimento por toda a admiração que ela tinha por ele.

E por mais que ela recebesse toda essa atenção, Robin ainda insistia que o que já sentia e desconfiava em seu peito, não passasse de uma simples admiração de fã, como sempre havia sido.

Não podia se permitir sentir algo a mais.

Quando que alguém poderia sentir algo assim por outra pessoa, e por tão pouco?

Contudo, geralmente o destino, prega-nos peças, e só percebemos o que aconteceu quando já é tarde demais.

Um Tweet.

Uma simples curtida.

Foi somente isso que bastou para que o coração de Robin e Karl fossem cativados e seus destinos fossem entrelaçados.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...