História Uma historia - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Saint Seiya
Visualizações 11
Palavras 699
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Terror e Horror, Violência
Avisos: Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Perdoem-me os possíveis e prováveis erros.

Capítulo 1 - Escadaria negra


   A lua cheia brilhante alçava-se aos céus iluminando o antigo santuário grego, constituído de uma longa escadaria branca intercalada por imponentes templos portando em suas marmóreas fachadas os resplandecentes signos zodiacais. No ápice dos degraus encontra-se a mais fabulosa estrutura já criada por mãos mortais O Templo de Atenas e sua guardiã a mítica Atena Paternos detentora da vitória, que transmutada em deusa repousa em sua palma, como a observar o transcorrer da história humana.

 Aos pés do divino gigante de mármore uma linda jovem de longos e arroxeados cabelos trajando um alvo vestido encontra-se ajoelhada em meio a uma chuva de delicadas pétalas róseas estranhamente marcadas com um líquido de odor ferruginoso...sangue vendo-as a moça com o coração calmo e um leve sorriso em sua face emana seu cosmo,preparada para enfrentar o novo nó que as velhas parcas decidiram por tecer na linha de sua vida, pois esse é seu dever e seu destino.

 Enquanto isso,em frente ao primeiro templo encontram-se cinco jovens fisicamente diferentes mas semelhantes em alma, com um propósito em comum proteger Atena e seus amigos.Juntos eles adentram a primeira casa zodiacal deparando-se com uma imagem brutal: corpos de espectros encontram-se espalhados pelo piso,entre eles mergulhado em uma poça vermelha a luzidia armadura dourada emana um pálido brilho refletido nos inúmeros fragmentos de cristal que ainda flutuam pelo ar que são lentamente vencidos pela gravidade acumulando-se pelo recinto como o puro orvalho da madrugada, derradeira obra de seu criador o guardião da casa de Aries.

 Sentindo pesar-lhes no peito os corações os leias defensores da esperança passam pelo amigo encaminhando-se para uma nova cena de dor, pois logo em seguida encontram-se com o cavaleiro de touro, ou melhor, seu corpo que mesmo sem vida continua a honrando sua função, protegendo sua casa e sua deusa.

 Desesperados cruzam as casas agora vazias de gêmeos e câncer para novamente chocarem-se coma destruição do templo de leão,onde em meio aos escombros um misero fragmento de metal dourado denúncia a anterior presença de outro nobre guerreiro, que seguindo os passos de seu finado irmão lutou até seu ultimo suspiro em favor da justiça. 

No entanto, foi com surpresa que adentraram o sexto templo, pois virgem encontrava-se surpreendentemente em ordem a decoração indiana  em seu interior exatamente de acordo com a vontade de seu morador, parecia que a paz imperava naquele lugar desde dias imemoriais se contudo o transeunte desavisado ousa-se espiar pela janela envés de um deslumbrante jardim depararia-se com uma cena de guerra, uma verdadeira catástrofe: as frondosas arvoes gêmeas agora meras hastes de carvão ,o gramado verdejante tornara-se uma terra queimada pelo explosão cósmica ocorrida, aquele sim era o verdadeiro inferno na terra. Libra,escorpião,sagitário,capricórnio,aquário revelaram-se novos campos de batalha,cenas de destruição,corpos inimigos espalhados e amigos perdidos teimavam em figurar-se ante os corajosos olhos daqueles bravos guerreiros-meninos criando gigantescas ondas de desespero que pareciam submergir-lhes a razão e oprimir-lhes os peitos sufocados assim suas almas.

 As belas rosas de peixes tornaram-se cinzas sua doce fragrância,uma armadilha mortal, destruídas pela fúria irracional dos enviados do inferno. Seu criador agora trajando as infames vestes negras fora o responsável por sua morte.

  Finalmente em desabalada carreira, os lendários cavaleiros da esperança adentraram a residencia terrena de sua deusa para em mudo espanto constatar que a mesma não encontrava-se mais ali nem podia-se perceber a presença dos amaldiçoados invasores que procuravam, em seu lugar deparam-se com um mar pétalas de cerejeira que como um tapete conduz a uma fissura no chão. Ao aproximarem-se percebem tratar-se de uma porta ou ,melhor o portal de entrada de uma longa escadaria de mármore negro, brilhante como obsidiana, que direciona-se para baixo adentrando a terra e a escuridão.

  Sem hesitação o quinteto aproxima-se da entrada infernal e como um adentram o sombrio recinto, aceitando o que pode ser sua condenação.  Neste momento um vento gélido e cortante invade o santuário e junto com a bela e fria rainha da noite testemunham o momento em que as sobras encobrem os cavaleiros de bronze.

 Enquanto isso, em meio ao céu noturno as estrelas das constelações de Cisne,Fênix,Dragão, Pégasus e Andrômeda adquirem um cintilar anormal levemente tremulo,  como se mesmo distantes temessem o futuro que aguarda seus caros protegidos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...