História Uma história de amor e música - Capítulo 56


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Musical
Visualizações 18
Palavras 1.510
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ecchi, Harem, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 56 - Vai me mandar um buquê de flores?


Fanfic / Fanfiction Uma história de amor e música - Capítulo 56 - Vai me mandar um buquê de flores?

Anna sentiu o estômago revirar e Jung-kook não conseguia sentir as próprias pernas enquanto a cena se desdobrava bem diante de seus olhos.

-Por que a Anna não revida? -perguntou Jimin que assim como Lewis e Milla estavam sentados no chão do corredor esperando nervosamente pelo resultado da tal conversa particular.

-Porque certamente deve amar a própria vida. -Milla respondeu descascando os esmaltes verde-neón das unhas.

-Por que a Angie é a coisa que a Anna tem de mais próxima da figura de uma mãe. E a minha me ensinou que em mulher não se bate. -Lewis cochichou. -Às vezes até dá vontade de dar uma sacudidela naquela mulher, mas... não sei você... às vezes ela me dá mais medo do que a Anna de TPM.

-Eu pensei que a Angie era uma pessoa legal. -Jimin resmungou fazendo bico.

-E ela é. -Thom que estava de pé apoiado na outra parede do corredor comentou. -Você viu como ela te poupou do restante da bronca? Considere como um ato de misericórdia da parte dela.

-De que lado você está, hein samurai? -Milla reclamou.

Ele deu de ombros.

-A Anna só saiu porque precisava mesmo se encontrar com a Lílian. -Jimin explicou. -Eu e o Kookie só fomos para que ela não se metesse em confusão.

-Pois deviam ter me contado isso. -Milla mais uma vez reclamou. -Se eu soubesse teria avisado a vocês que inventassem uma desculpa diferente, sei lá... que foram brincar no bosque enquanto seu lobo não vem... qualquer coisa... menos tocar no nome de certa pessoa. A Angie simplesmente surta quando alguém toca nesse assunto.

-Por quê? -ele perguntou curioso.

-Lindinho, se você tivesse uma namorada e essa garota tivesse um bebê que foi abandonado pelo pai o que você sentiria? -Milla explicou.

-Eu iria investigar as circunstâncias... nem tudo é preto no branco. -ele falou.

-Ainda bem que a Anna não pensa como a Angie. -Thom falou cruzando os braços. -E é por isso que eu gosto dela.

-Você? -Milla perguntou em visível descrédito. -Justo você que roubou o namorado dela?

-Eu não roubei nada. -ele falou pacientemente. -Eu só não sabia. Além do mais, se eu soubesse teria tido um pouco mais de juízo. E apesar de tudo, a Anna permitiu que eu continuasse trabalhando com ela...

-Você tem um sotaque diferente, Thom. -Jimin observou.

-É porque eu sou de Taketomi, Okinawa. -ele explicou. -A Anna me recrutou no começo do ano passado quando fez um show no Japão.

-Na época eu imaginei que ela estava a fim de você, sabia? -Lewis interveio. -Mas talvez fosse só a pressa de ter um tecladista fixo na banda.

-Valeu mesmo Lewis, por achar que a Anna não viu talento algum em mim. Saibam que ela me recrutou pessoalmente. Apesar de que eu às vezes me pergunto quais as verdadeiras razões dela, porque nem sempre eu entendo. -Thom falou agachando-se um pouco mais perto dos outros. -Eu fico me perguntando se eu consigo chegar ao nível do Cristian, se eu consigo acompanhar o resto do grupo. Se estou à altura da Anna.

-Perdão, mas quem é Cristian? -Jimin perguntou curioso. -Só ouço falar Cristian aqui, Cristian acolá.

-É o excelentíssimo irmão gêmeo da sequestradora de coreanos aí. -Lewis ironizou.

Milla levantou-se e esticou as mãos acima da cabeça:

-Três pontos a serem destacados, meu caro “O bom gigante amigo”: Meu irmão não é tão excelentíssimo assim. Só teve a sorte de nascer com o dom do ouvido absoluto para música clássica. Dois: não sequestrei coreano nenhum. Muito pelo contrário, a pessoa que assim me julga só não pegou nenhum coreano de Busan até agora por falta de tempo, ou seja, se a Anna não tivesse sumido, certamente veríamos modelos transitando do quarto da Angie para fora do hotel a cada... sei lá, dez minutos. Aqui está o Jimin que sabe que eu não fiz nada de mais com eles.

-É verdade. -Jimin falou. -Nem bebemos apesar de todos ali terem idade suficiente.

-Idade? -Thom estranhou. -Sério?

-Você disse que tinha três pontos, Milla. -Lewis falou. -Qual o terceiro?

-Terceiro? -ela perguntou um pouco perdida. -Ah, sim! Três: O certo é Leviosa e não Leviosá.

Os três a encararam se perguntando se ela era normal, mas ela apenas caiu na gargalhada.

-Dá para parar com a brincadeira? Vocês notaram que está tudo silencioso demais? -Jimin falou

-Tem razão. Não dá para ouvir nada daqui. -Milla observou levantando-se. -Vou lá, abro a porta devagar e vejo o que está pegando.

-Você com essa cabeça desse tamanho? -Thom provocou. -Só não esquece de desligar os pisca-piscas.

-Ah, é? -Milla aproximou-se dele com os olhos estreitos. -Então vai lá você, Naruto! Ativa um kawarimi no jutsu e se infiltra lá.

Ele a encarou por um tempo e aproximou-se da porta silenciosamente colocando o ouvido na porta e depois balançando a cabeça em negativa.

-Que estranho! -ele falou. -Parece que a tv está ligada.

-E pelo visto ainda não terminou. -Angie falou passando para o próximo link que imediatamente apareceu na tela da tv

Anna franziu o cenho sem entender muita coisa. Por que estavam filmando um cômodo na penumbra com uma pessoa deitada na cama? Um cômodo que por sinal lhe parecia bastante familiar.

-Anna... -Jung-kook falou. -Esse aí não é o seu quarto?

Ela aproximou-se e nem precisou responder já que ela viu a si mesma entrando no recinto de uma porta anexa usando um pijama e conversando com a pessoa da cama.

-Por que o Jung-kook estava deitado na sua cama, Anna? -Angie perguntou ainda sem entender.

-Eu não! -ele adiantou-se em falar.

-Tenho certeza que é você. -ela insistiu.

-Não é o Jung-kook. -Anna entendeu enfim do que se tratava o vídeo. -É o Jimin.

-O Jimin? -Angie espantou-se. -Aquele Jimin que acabou de sair? V-você está pegando ele também?

Tanto Jung-kook quanto Angie a encaravam esperando por uma resposta.

-Eu não estou pegando o Jimin! Que coisa! Ele só estava deitado lá.

-E você de pijama. -Angie continuou. -A quem você quer enganar? Seu pai bem me disse que seria uma má ideia te deixar naquela casa cheia de garotos. Que merda de fogo no rabo é esse, porra?

-Fogo no rabo o cacete! -ela reclamou. -Eu já disse que não tive nada com ele. Que droga! E por que está brigando comigo? Você não deveria estar montando uma força-tarefa para descobrir quem pôs uma câmera no meu quarto?

-Agora não me faltava mais nada. -Angie andava de um lado para o outro. -Como é que a gente vai explicar isso para a mídia? Toda aquela imagem de boa moça que tentamos construir vai para o beleléu.

-Mas eu já disse que a gente só dormiu junto. -Anna insistiu já sem paciência. -Acha mesmo que eu ia transar com o Jimin?

-E por que não? -Angie parou de andar e pôs as mãos na cintura. -Ele não é bom o bastante para Vossa Majestade? E para piorar o Philipe não para de me ligar... Será que o Hyuk já está sabendo? Meu Deus! É o fim do mundo!

-E é por esse motivo, Kookie, que todos a chamam de Drama Queen. -ela ironizou. -Não é como se fosse a coisa mais bizarra que as pessoas virão na internet.

Angie a encarou com o cenho franzido:

-Anna, meu bem. -ela falou de um jeito suspeito. -Você pretende me mandar um buquê de flores?

-Não... -a garota estranhou.

-Pretende me pagar um Champanhe Dom Perignon?

-N-não está em meus planos...

Onde ela quer chegar?, se perguntavam os dois mais jovens.

-Vai me levar para comer caviar? -os olhos dela piscavam de um jeito estranho.

A garota apenas balançou a cabeça negativamente.

-Vai me levar para um motel cinco estrelas em Dubai?

-Sinceramente eu não. P-por quê?

-Porque você quer me foder, Anna! -ela gritou. -Você está querendo me foder legal, porra! Eu aqui trabalhando e você bostejando essas ideias loucas. O que você tem na cabeça?

-Anna... se eu bem conheço o seu quarto... -Jung-kook observou mais de perto interrompendo as duas. -Essa filmagem está sendo feita de cima da sua escrivaninha.

Só então ela lembrou-se que na noite em questão, ela esteve fazendo os deveres de casa enquanto Jimin a vigiava para que não dormisse sentada. No caso ele mesmo acabou adormecendo. Foi nessa noite que conversou com seu pai, pois estava on-line no aplicativo do computador e depois que terminou lembrava-se de ter encerrado a conversa, mas não desligado a internet nem o aparelho.

-Angie... -ela falou juntando os pontos -Alguém hackeou a minha web cam e gravou isso. O que me leva a perguntar o que mais tal pessoa viu... Ai meu Deus! Jung-kook!

E só então, Angie percebeu que Anna ficara dois tons mais pálida que o normal.

-Anna... o que foi? O que mais aconteceu nesse quarto? -ela perguntou já preocupada.

-Nós transamos. -ele respondeu num fio de voz.

Os dois se entreolharam preparando os ouvidos para a nova explosão de impropérios, mas tudo o que ouviram foi o baque de um corpo caindo no chão.

 

 

 


Notas Finais


Como o Jin costuma dizer, eu avisei! Agora resta a pergunta: será que até esse dia foi filmado? Ouço ao longe o barulho das Armys que se aproximam em ordem de batalha, tudo armadas. É aguardar para ver o resultado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...