História Uma Humana em Amoi - Capítulo 6


Escrita por:

Visualizações 7
Palavras 1.182
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção Científica, Harem, Hentai, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Sci-Fi, Shoujo (Romântico), Survival, Suspense, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 6 - A Mudança


Fanfic / Fanfiction Uma Humana em Amoi - Capítulo 6 - A Mudança

Acordei com a luz do sol batendo em meu rosto. Olhei em volta e vi que estava em casa...finalmente. Retornei para a minha vida monótona, apesar disso, posso me sentir mais segura agora. Me sinto confortável sem aqueles olhares curiosos e negativos em minha volta. Me levantei da cama e fiz minha rotina diária. Tomar um café da manhã, tomar um banho e ir trabalhar. Depois do banho eu me olho no espelho. Toco meu cabelo molhado e sinto uma vontade rara...uma vontade de mudar. Pego uma tesoura e corto o cabelo acima dos ombros. Parecia loucura para mim. No final achei estranho, mas é questão de costume. Ao fazer isso me sinto nova e livre. Me arrumo e vou até o restaurante. Jana, a gerente já estava lá organizando as coisas. Ao passar pela porta, ela se aproxima rapidamente.

- Liz, onde você estava? Você está bem? - Ela parecia mesmo preocupada. Lembro-me de ter avisado que não estava muito bem...nem tive tempo de contar o que houve. Preferi manter em segredo.

- Ah...me desculpa. Eu não estava me sentido bem. Desculpa não ter dado mais notícias. - Falo com um sorriso nervoso e com a mão atrás da cabeça.

- Pelo visto acordou bem. Cortou até o cabelo.

- É...mudar é bom as vezes.

- Certo! Já que você não foi sequestrada ou morta, bem vinda de volta ao trabalho.

Sequestrada...quase isso. Penso. Vou até o banheiro feminino vestir meu uniforme. Kim havia chegado. Ela ficou surpresa ao me ver.

- Antes que você pergunte, eu estou bem. 

- Que bom! - Exclamou com alegria e me deu um forte abraço.

- Aconteceu algo novo aqui?

- Na verdade não. Tudo igual. A Jana ficou irritada pelo fato dos Blondies não aparecerem mais.

- Ah... - Pensei em Iason. Sacudi a cabeça tentando esquecer tudo isso. Agora estou em casa e devo me comportar como antes. Aquilo foi um episódio curto e que provavelmente não irá mais acontecer.

O meu dia foi igual. Nunca imaginei que eu fosse sentir falta disso. Mas é temporário. Logo eu vou me cansar novamente e ansiar por algo novo. Anoiteceu e troquei de roupa. Antes de sair, fui avisada por Jana que o dono do restaurante, Louis, queria falar comigo. Achei estranho e assustador, geralmente quando ele chamar alguém é para dar bronca ou despedir. Era só o que me faltava agora, ser demitida. Bato na porta e entro em seguida. Louis estava sentado com vários papéis sobre a mesa. Ele era um senhor de idade, deveria ter uns 65 anos. Ele olhou para mim com um sorriso.

- O senhor quer falar comigo?

- Oh claro. Sente-se!

- Obrigada!

- Soube que estava doente. O que houve?

- Ah eu só fiquei um pouco deprimida. Nada demais. Não queria atrapalhar os outros funcionários.

- Hum...deveria ter me chamado para passar um tempo com você. É ruim ficar sozinha nessas situações.

- Eu sei. Mas eu estou bem.

- Ah...cortou o cabelo? - Ele deu uma breve risada. - Agora você está igual sua mãe.

- Mesmo? Nem lembro como era ela.

- Sua mãe sempre foi impulsiva. Ela tinha essas loucuras de mudar radicalmente. Mas admito que você ficou bem assim. Tem algum motivo importante para ter feito isso? Você por acaso saiu com alguém?

Fiquei pensativa e olhei a expressão de Louis. Ele parecia saber de algo, mas eu fingi que não sabia do que ele falava.

- Não. Apenas resolvi mudar.

- Liz...eu a conheço desde infância. Ele a levou não foi? - Engoli a seco quando ouvi aquilo. Mais uma vez tudo que passou veio em minha mente. 

- Sim... Como sabe?

- Bom...tenho alguns informantes.

- Hum...

- Não sei o que aconteceu lá, mas vou lhe dizer algo...fique longe dessa gente. Tenho você como minha filha e não quero que nada de ruim lhe aconteça.

- O que poderia acontecer, não vai acontecer nunca mais.

- Você não conhece bem eles. Quando querem algo, eles conseguem.

- Obrigada pelo conselho.

- Sei que quer ir para casa. Vá com cuidado. Se precisar de algo, me avise.

- Certo! Tenha uma boa noite.

- Você também.

Os meses passaram rápido e não tive sinal algum de Iason ou qualquer outro Blondie. Já acreditava que ele não viria mais atrás de mim. Se passou muito tempo. Eu servi apenas como uma acompanhante estranha para o divertimento de um Blondie. Nada de tão especial. No fim da noite, Jana pediu para que eu ficasse um pouco mais tarde no restaurante, pois tinha coisas para resolver comigo. Ela não deu muito detalhe. Todos os outros funcionários já tinham ido embora. Jana parecia nervosa quando entrou na sala onde eu estava a esperando.

- Eu sinto muito, Liz. - Ela falou olhando de um jeito que me deixou preocupada. Antes que eu pudesse perguntar, alguém entra e era Katze. Me levanto rapidamente da cadeira.

- O que está acontecendo aqui?

- Deixe-me explicar. - Falou Katze com um cigarro na boca. - Iason ordenou que eu a levasse para Tanagura. 

- O que Jana tem a ver com isso? - Perguntei aflita.

- Um tempo atrás Katze me contatou que Iason queria comprá-la. Não entendi muito bem o que ele quis dizer, mas eu sinto muito Liz. Eu a vendi, logo você será propriedade dele.

- O quê? 

- Eu sinto muito. - Dei um tapa no rosto de Jana que ela tombou para trás.

- Como pôde ter feito isso? O que eu sou pra você? Uma escrava na qual você pode vender? Eu não sou um brinquedo. Eu sou humana, eu sou livre. Eu não vou voltar pra Tanagura. Isso é ridículo.

- A grana foi alta por você. Tenho certeza absoluta que Iason tornará você mansa. - Falou com um sorriso no rosto. Antes que eu fosse lhe dar outro tapa, Katze segura meus braços. Os seguranças de Eos me prenderam e me levaram para Tanagura junto com Katze. Antes que eu fosse sair, olhei para Jana.

- Você não vai se safar. Louis vai saber o que você fez.

- Mortos não fazem nada.

- Não... Está mentindo!

- Esse lugar é meu agora. - Gritou de alegria.

- Desgraçada! Você vai pagar por isso. - Gritei e fui retirada do local sendo levada como um animal.

Katze acendia outro cigarro enquanto estávamos indo para Tanagura. Eu sentia tristeza e raiva...muita raiva.

- Hey garota...sei que está mal por tudo isso. Mas apenas estou fazendo o meu trabalho.

Não respondi Katze durante a viagem. Me mantive em silêncio até chegar em Iason Mink. Me levaram até uma sala na Torre onde Iason vivia. Ao chegar lá, vi um divã preto e algemas suspensas ali. O local era um pouco escuro e fazia frio. Depois de alguns minutos, Iason chegou. Andei rapidamente até ele pronta para lhe dar um tapa, mas ele segurou minha mão. Apertou forte que quase senti quebrar.

- Se não quer ter o braço quebrado, sugiro que não faça isso nunca mais. - Sua voz congelou minha espinha.

- O que fez comigo? O que você quer? - Perguntei chorando.

- A partir de agora você é minha Pet. Será finalmente minha. - Arregalei os olhos ao ouvir aquilo e caio no chão gelado em estado de choque. Fico ali sentada sem acreditar no que estava me acontecendo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...