História "Uma linda história de amor"(sqn) - Capítulo 6


Escrita por:

Visualizações 22
Palavras 2.380
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olaaaaaa

Mais um ep aeee e se tiver gostando deixe seu favorito e um cometario caso goate da fic e queira perguntar ou falar algo ^^

Fiquem com o ep

Capítulo 6 - Não é a sua boca e muito menos da sua conta



[...] {CONTINUAÇÃO...}


Quando o carro estacionou, logo que coloquei os pés no chão e fechei a porta o carro saiu rapidamente, eu suspirei tentado relaxar pelo fato de estar de novo a mesma rotina, mais e a chave? Acabei de perceber que tenho a quem puxar o desastre, ótimo vou ficar aqui até de noite *suspiro* ninguém merece, me sentei na varanda e encostei na parede lateral da casa, fiquei observando o jardim e minhas unhas, meu celular estava descarregado e eu esqueci meu carregador novamente no sítio, rafael? concerteza ainda não chegou, eu tentei me distrair mais sofro de uma força maior que eu chamada "não consigo ficar sem fazer nada" isso é impossível, eu nem tinha noção das horas mais ao longo tempo que estava aqui já estavam me matando, eu levantei da escada e comecei a andar pela sacada, me sentei na mureta de madeira e fiquei ali tentado achar um jeito do tempo passar, logo vi a van dos amigos do rafael e rafael decer da van com jessica, odeio essa menina - oque caralhas ela tá fazendo aqui, e com rafael? - continuei andando e congelei ao ver eles dando as mãos, e me arrependi de ainda estar olhando ao ver eles se beijarem, nojo defini isso e raiva, rafael odiava ela também, que raiva, eu vou dar na cara dele, desci da mureta e andei até os dois abraçados 

- oque você tá fazendo aqui Roberts? - jessica falou se separando de rafael e me olhando furiosa 

- vendo se rafael não morreu com seu veneno - falei irônica

Rafael me olhou surpreso e nem quis falar nada 

- cala a boca Roberts e para de atrapalhar, se quisesse cachorra observando tinha trazido a minha que é mais bonita - jessica rabateu gritando 

- por que se você já é a cadela - sorri totalmente cínica para ela 

- a já entendi acho que tá com ciúmes de ter pego seu trofeuzinho - ela gargalhou - ou você ainda finje que são só amigos 

Me calei ao ouvir aquilo e fechei minhas mãos em punhos apertando tão forte que pude sentir as unhas em minha palma da mão, fechei meus olhos tentando inibir a raiva que estava pois não daria o gostinho de eu voando nela, virei de costas para eles e sai andando já sentindo meus olhos marejados quando ela abriu a boca novamente

- vai mesmo chorar Roberts, tadinha - gargalhada novamente 

Eu me virei e tentei acertar um soco nela mais quando vi o rafael tava atrás de mim segurando meu punho e minha cintura eu senti uma lágrima descer pela minha bochecha e a Jessica riu novamente 

- já deu Jessica vai pra casa - ele berrou oque a vez se assustar - tá surda? 

Ela negou com a cabeça e se afastou saindo enquanto eu tentava me soltar dele, minha lágrimas escorriam pelo meu pescoço e eu tremia inteira de raiva

- julia se acalma também - ele falou irritado ainda me segurando - que criancice achei que você tinha falado que não gostava de mim 

Eu nem respondi só tentei me soltar mais ele continuou a me segurar mais forte 

- achei que já tivesse de boa com a jessica e que ainda estivesse no sítio-  ele continuou a falar - eu sei que você não gosta dela cabeça de vento mais se acalma 

Eu continuava a chorar por ainda não ter estregado a cara dela no chão, ele me virou para ele ainda segurando meus braços pois tentei me soltar novamente 

- a não vai se acalmar? - ele falou irritado - pelo menos para de chorar 

Neguei com a cabeça, eu só queria meu quarto agora, ele tentou afrochar meus pulsos e quando tentei me soltar novamente ele me puxou contra ele me abraçando até ver que eu parei de chorar, eu tinha me acalmado um pouco mais a cena dele beijando outra menina não saia de minha cabeça, isso tinha me dado uma sensação horrível, eu senti meu peito doer e novamente a lembrança do dia no quarto dele veio em minha memória, coisa que aueria esquecer pois prometi que não irria nem pensar nisso novamente, mais  poucos que minha raiva diminuia uma dele veio atona por que ele estava beijando a menina que um dia quase destruiu a nossa amizade, nessa hora o empurrei 

- você é um babaca - gritei tentando sair mais ele me segurou novamente pelo braço - me solta e vai beijar a Jessica idiota 

- se você não tivesse atrapalhado agora estaria - ele sorriu irônico

- UE  corre atrás dela então cachorrinho sua ex ficante já estralou os dedos mesmo - dei de ombros tentando me soltar 

-  ainda tá brava com ela por isso juh - ele sorriu

- a esqueci ela mudou né? - ele concordou com a cabeça - eu percebi com ela aqui na frente 

- você nós atrapalhou metendo o loco nela queria que ela respondesse como? - ele continuou com seu tom totalmente irônico 

- vai se foder rafael - gritei tentando me soltar 

- ou você realmente está com ciúmes como ela tá falou - ele sorriu cínico me segurando mais forte 

- ciúmes da nossa amizade que ela vai destruir denovo idiota - gritei 

- não iria se não fossemos só amigos - ele falou irritado 

Eu parei o olhando surpresa, eu tentei ver se aquilo era piada dele mais ele nem sorriu só continuou me olhando 

- estaria estragando a nossa amizade do mesmo jeito - falei devolvendo o olhar gelado que ele me olhava agora - você sabe muito bem disso 

- ok juh somos só amigos - ele falou em um tom gelado que chegou a me deixar com medo - mais você não tem direito de se interferir em quem eu beijo ou deixo de beijar não é a sua boca e nem de sua conta 

Ele me soltou virando de costas e entrando oara sua casa sem nem deixar eu falar nada, eu fiquei ali plantada irritada mais ao mesmo tempo machucada pelas palavras, andei até minha varanda novamente e me joguei ali no chão sentando, fiquei refletindo as  suas palavras, acabei deixando umas lágrimas esxaparem mais não daria o braço a torcer era pela minha amizade com ele que eu tava lutando, mais não iria voltar a falar com ele até ele pedir desculpas.

[...] 

Meus pais finalmente chegaram e eu pude entrer em casa, inventei que estava na casa de uma amiga para não os deixarem culpados e subi a meu quarto, dormi até amanhecer novamente e ao acordar peguei meu celular mandando mensagem a pedro, fui me arrumar tomando um banho e colocando minha blusa do uniforme curta branca, minha gravata de um jeito desajeitado pois odiava ela me sufocando, e coloquei a saia vermelha, coloquei meu vans preto e escovei meu cabelo, peguei minha coisas colocando na mochila, coloquei meus  e sai do quarto escutando kpop, desci as  escadas e sai respondendo peppo, ao virar a esquina do Colégio tive meus fones retirados e ao olhar era o menino da jaqueta de couro 

- tá sedo para aula baixinha - ele falou sorrindo e colocando o fone em seu ouvido - que lixo musical

- eu sei que tá sedo e deixa minha música em paz - falei brava e ele bagunçou meu cabelo rindo 

- relaxa foi só um brincadeira - eu sorri envergonhada a ele - ta afim de um café? 

- seria bom por que - ele riu como se fosse óbvio mais eu o olhei confusa quando ele apontou para o local que estavamos na frente - aaaaah entendi 

- vem eu pago mais tira esses fones - ele falou rindo e indo comigo até uma mesa ali fora mesmo - quer algo para comer? 

Eu nunca recusaria comida e muito menos de graça então pouco me importava se ele pagasse, logo pedi dois pães de queijo e ele foi fazer o pedido lá dentro, eu fiquei conversando com peppo pelo celular mais guardei o telefone quando ele voltou e se sentou novanente 

- cade seu amigo babaca? - ele falou rindo e eu sorri envergonhada  para ele 

- bom digamos que ele seja seriamente um babaca - falei meio envergonhada oque o fez rir e levantar minha cabeça que se abaixou meio triste ao falar, ele me fez o olhar no seus olhos lindamentes verdes, oque me fez corar intantaneamente e virar o olhar, ele pareceu se divertir com aquilo mais para minha sorte os pedidos chegaram e comimos em silêncio ele sorrindo a cada vez que eu olhava meio rapido e envergonhada para ele, quando terminamos ele pagou e logo veio junto a mim novamente 

- vem comigo? - ele perguntou me olhando e eu o olhei novemnte confusa - ainda é cedo para a escola vamos dar um role 

- o lugar é longe por que não quero...

Ele saiu me puxando e rindo de minha cara de brava

- relaxa não vai se atrasar - ele falou rindo e me puxando pela mão oque me vez para e olha nossas mãos juntas, ele sorriu para mim sem se importar e para me irritar mais entrelaçou nossos dedos me olhando desafiador - é só as mãos juntas não estou te beijando por mais que queira 

Eu o olhei surpresa e ele riu novamente pois pela quentura de minha bochecha provavelmente estava igual um tomate, ele se aproximou levantando minha cabeça que foi diretamente para baixo para não encaralo, ele continuava com o sorriso nos lábios e me fez olhar para seus olhos onde me perdia naquele universo de verdes misturados entre claro e escuro, o formigamento de minha mão a dele e seu rosto perto do meu, o desejo de sentir o gosto de seu lábios rosados era gigante, sua respiração tão qiente que batia em meu rosto e seu sorriso, aquilo de certa forma me encantava, eu fiquei na ponta dos pés ficando mais próxima ainda de seu rosto e por uma força maior que eu coloquei as mãos em seu rosto oque senti instantaneamente a dele em minha cintura e sua outra foi a minha nuca onde ele se abaixou mais um pouco e quebrou os centímetros que separavam nossos rostos, e finalmente pude sentir seus lábios aos meus e sua boca invadindo minha boca, foi um beijo mais quente e calmo com desejo, aquilo chegou a me retirar o ar me fazendo se separar infelizmente de seus lábios mias levando um gosti de satisfação ao sentilo morder meu lábio e puxar a ele assim finalmente cortando o beijo que para mim poderia durar a eternidade que não enjoaria, ao separar coloquei meus pés totalmente em chão tanto quanto meus pensamentos voltaram a terra novamente, suas mãos continuavam em minha cintura e a outra em minha bochecha a acariciando enquanto retomava o ar, ele continuava a me olhar e eu provavelmente estava corada ainda, me separei um pouco  dele e sorri totalmente tímida 

- vem comigo ou não? - ele perguntou sorrindo e eu concordei com a cabeça agora pegabdo em sua mão 

Ele me levou a um parque onde alguns amigos dele andavam de skate fumavam ou usavam dorgas, eu não gostei nada do local mais também não ficamos muito ele só foi pegar cigarros e um isqueiro, eu tentei não falar nada do cigarro mais ele falou qie não iria fumar perto de mim, nós entremos na escola meio atrasados e ainda de mãos dadas, ele teria uma aula diferente da minha então ele me roubou um selinho me deixando envergonhada denovo e saiu, eu fui para aula de  e depois as outras até o recreio onde passei com victoria e umas amigas dela, victoria não parava de falar algo sobre estar afim de um bad boy acho que assim que ela falava nem sabia oque era mais não me importava estava com cabeça longe no beijo com o menino que finalmente descobri o nome de matheus, o tempo passou rapido até o final da aula e quando sai para fora do portão da escola matheus estava já me esperando mais quando o abracei ele me robou um beijo inesperado e só senti ser puxada pelo braço quando vi Victoria que estava prota para voar em mim e matheus a interferiu onde começaram uma discussão, quando vi fui puxada novamente mais dessa vez era rafael que saiu me arrastando dali contra a minha vontade, quando eu finalmente me soltei dele já estava  metade do caminho 

- enloqueceu de vez com o veneno da jessica - gritei 

- a louca é você de pegar o namorado das outras tá querendo apanhar? - ele rebateu berrando comigo 

- que namorado? - perguntei abaixando minha voz e o olhando confusa 

Quando ele foi responder mal pisquei e rafael estava no chão e matheus a meu lado 

- tá querendo morrer e não sabe como cara - matheus gritou levantando rafael pelo colarinho da blusa e o colocando com força na parede 

Eu gritei e tentei interferir mais matheus me impurrou 

- me solta arrombado - rafael gritou empurrando matheus e o dando um soco no estômago 

Logo vi a rodinha se formar e tentei os afastalos novamente um tava tentando literalmente matar o outro, minha preces foram ouvidas quando seguraram cada um para um lado, matheus era mais forte que rafael mais logo que seguraram ele se acalmou enquanto rafael tentanva voar denovo em matheus que veio até mim e pediu para sairmos dali eu concordei ainda em choque pela cena, e auando estava saindo parei e olhei fria para rafael que estava mais calmo mais com dois meninos o segurando 

- ok rafael - falei irônica em sua cara ainda sorrindo - nem somos mais amigos - completei fria - e você não tem o direito de interferir ou se meter em quem eu beijo ou deixo de beijar, não é a sua boca e também não é da sua conta 

A rodinha que estava presenciando vibrou gritando e eu sai com o matheus para longe dali, não sei oque deu em mim mais precisava retribuir oque estava engasgado em minha garganta, aquelas oalavras dlee me machucou e muito e agoram doeram para valer nele mesmo que isso me machuque mais

[...] {CONTINUA...}


Notas Finais


Então foi esse o ep de hoje amanhã tem mais flw S2


(Obs: não revisado sorry por erros^^)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...