História "Uma linda história de amor"(sqn) - Capítulo 7


Escrita por:

Visualizações 12
Palavras 1.661
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Turu bommmmm pesoinhas S2

Mais um ep aeeee e bom tá meio curto mais ok hahahaha
Se Estão gostando deixem seu favorito ou comentem oque acham da fic ou suas opiniões ou perguntas vou amar respondelas ^^

Então é isso fiquem com a fic haha S2

Capítulo 7 - É só uma tempestade, nada mais



[...] {CONTINUAÇÃO...}


Eu levei o matheus até em casa e paremos na varanda, ele tava com o canto da boca machucado mais mesmo assim sorriu para mim me olhando

- desculpa - ele falou e eu nem fiz nada só o abracei e ele retribuiu com carinho

- daqui a pouco o rafael tá ai acho melhor você ir - falei baixo se separando dele, ele concordou com a cabeça 

Eu sorri para ele e me coloquei nas pontas dos pés passando o dedo no seu canto da boca retirando o sangue, ele retribui o sorriso e me puxou a ele me beijando suavemente eu retribui com a mesma intensidade e quando se separamos eu o abracei novamente com meus olhos marejados, o que rafael me falou tava me matando, eu teria que perguntar mesmo com medo da resposta 

- matheus... 

- que foi baixinha - ele perguntou ainda abraçado a mim

- você e a Victoria namoram? - perguntei meio que para mim  mais ao ver ele hesitar o medo da resposta resposta 

Mais ao longe vi rafael chegando com alguns amigos, eu pedi para matheus ir sem nem ouvir a resposta dele, estava farta  brigas por hoje precisava de um descanso a minha cabeça que parecia querer explodir, ao matheus ir eu entrei em casa antes de rafael chegar e me enfiei em meu quarto, eu joguei minha mochila na cama e peguei um pijama mais ao entrer no banheiro antes mesmo de retirar minha roupa senti meus olhos marajados novamente, minha consciência gritava as palavras que falei a rafael, e as que ele me disse, eu me deslizei pela parede já chorando, eu não queria chorar mais me sentia culpada e muito, eu não queria ficar com rafael para não estagar nossa amizade e deixei ela estragar por não querer, matheus namorava e mesmo que goste dele somos muito diferentes e não quero brigas na escola, imaginar como rafael esta agora me fazia me sentir mais culpada, eu fiquei muito tempo naquele banheiro chorando de soluçar, até que resolvi ir dormir nem queria saber de banho, demorei a dormir pois minha cabeça estava a mil...

Umas três semanas sem ir a escola fingindo ir finalmente estava melhor, meus pais viajaram essas três semanas então finjir foi fácil, a campainha tocava varias vezes mais as poucas vezes que sai do quarto foram para comer algo, tinha ligações perdidas, mais não tinha coragem de nem sair de meu quarto, eu briguei com o matheus pela victoria e pedi para ele se afastar mesmo me doendo e muito, eu fiquei todo esse tempo me julgando pelo que fiz ou chorando me culpando, eu queria pedir desculpas a todos mais sabia por quem teria que comecar e não tinha coragem de o olhar, sua mãe me mandou mensagens falando do estado do filho depois da briga e me xingou, eu aceitei já que a culpa foi minha e a pedi desculpas mais para entrar na casa de rafael teria que conversar com a mãe dele também, mais após um banho revigorante e uma coragem que retirei do fundo de minha alma eu resolvi encarar a realidade e ir até a casa de rafael já que já era atarde, sai de minha casa e vi que ao mesmo tempo rafael também estav chegando, ele me viu mais virou a cara, eu respirei fundo tentando me acalmar e não chorar e andei até a casa dele, seu olho ainda estava meio verde pelo murro que levou aquele dia na briga, ele tentou passar reto de mim e eu o puxei 

- por favor fica - falei baixo o olhando de costas mais vi que ele parou - desculpas...

- pelo que só falou a verdade julia escolheu oque queria - ele falou totalmente friu oque me despedaçou mais um pouco, ele nem se deu o trabalho de virar para mim 

- não eu sou um desastre tomando minha próprias decisões - falei tentando ainda não chorar - eu preciso de você

- precisava - ele rebateu ainda friu 

- rafael por favor...

- tenho que ir julia - ele falou ainda mais friu e se distanciou me deixando ali parada

Nem tentei me controlar e chorei saindo de cabeça baixa para minha casa novamente, eu corri para meu quarto soluçando e me joguei na cama chorando, rafael sabia me machucar quando queria, mais eu fiz o mesmo então mereço, mais me surpreendi quando senti algo tocar minha cabeça eu tirei a cabeça de meu travesseiro e olhei para a ponta de minha cama mais não avia ninguém estava enloquecendo já, ignorei aquilo e continuei a chorar até dormir...

No outro dia estava caindo uma tempestade, eu morria de medo de tempestades e para ajudar caiu a luz, eu estava apavorada em minha cama tampando meus ouvidos, a cada barulho que os raios e trovões faziam eu dava um pulo, por estar sozinha chorava de medo, o vento parecia que iria levar a casa, eu torcia para passar logo mais a uma hora já estava chovendo, meu celular tocou me dando um baita susto e eu o peguei rápido talvez alguém falar comigo iria me destrair eu atendi sem nem ver quem era atendi

- a...lo - falei desesperada

- juh? Você tá bem - me aliviei ao escutar a voz de rafael 

- não - falei ao ouvir outro raio e a chamada caiu

 eu gritei ao ver um raio cair pela janela e aquele barulho chegar a tremer a casa eu desci correndo as escadas e abri a porta ao ouvir a campainha, quando abri nem vi quem era só abracei agradecida por não estar mais sozinha, eu abracei forte sentindo as lagrimas escorrerem ao sentir o perfume sabendo que era rafael, ele retribui o abraço sussurando para eu me acalmar, eu tentei mais piorou pois via que mesmo eu tendo brigado com ele era ele que estava ali quando eu estava apavorada, cuidando de mim e deixando seu orgulho de lado, eu tentei abafar meus soluços mordendo meu labio inferior mais mesmo assim soluçava, ele ficou ali acariciando meus cabelos e me abraçando até ver que meus soluços pararam, eu o soltei olhando para baixo mais ao ouvir outro trovão o abracei novanente

- calma juh foi só um trovão - ele falou calmo acariando meus cabelos - vem vamo fechar a porta 

Ele andou comigo ainda abraçada nele até poder fechar a porta eu soltei ele ainda chorando e passei a mão em meu rosto limpando as lágrimas, ele olhou para mim e levantou a minha cabeça pelo meu queixo me fazendo olhar diretamente para ele

- me...de..sculpa - gagejei tentando não chorar mais 

Ele nem respondeu quando vi seus lábios estavam sobre os meus, eu fechei meus olhos e coloquei minha mão em seu rosto, eu nem queria saber se estava errada desde que ele estivesse comigo o errado estava certo, deixei o beijo fluir só o seguindo, aquilo pareceu tirar um peso das minhas costas, eu sentia as lágrimas escorrerem pela minha bochecha mais isso não interferiu em nada, a cada instante rafael sorria ainda me beijando, nem estava mais ligando a tempestade, aquele momento estava ótimo, suas mãos envolta de mim como se ele tivesse medo de eu sair dali, e nossas línguas em uma batalha, eu sabia que para ele aquilo era um pedido de perdão nós dois erramos por ciúmes bobos e não queriamos adimitir que na verdade um queria o outro, eu ainda tinha medo de onde aquilo me levaria mais vou  tempo ao tempo, querendo ou não o beijo durou pouco para a vontade que ficou mais a falta de ar foi mais forte, ele encostou sua testa a minha limpando meu rosto e me deu vários celinhos demorados, como se tivesse duvida se aquilo era real, eu sorri no último ainda recuperando o ar e por minha vontade o beijei novamente dessa vez mais suave só curtindo o momento e não a maneira desesperada do anterior, esse demorou a acabar e assim que terminou eu o abracei colocando meu queixo em seu ombro, onde fimamos abraçados sem falar nada um ao outro, ele sabia que eu morreria de vergonha e que estava realmente me esforçando para ainda continuar ali sem sair correndo, eu dei um tempo até voltar ao planeta terra e decidi o olhar nos olhos novamente 

- não disse se me desculpa - falei meio envergonhada a ele que sorriu e me deu outro celinho 

- acho que isso responde - ele falou sorrindo - agora é a sua boca 

Eu dei risada e o abracei, ele beijou minha cabeça e falou para irmos a sala, a chuva ainda continuava então eu fiquei encolhida no sofá enquanto ele procurava vela e eu levava sustos pelos trovões e raios que via na janela, ele finalmente acendeu uma vela colocando em um prato encima da mesinha e ao ver que estava ainda com medo da chuva ele fechou as cortinas para eu não focar vendo a chuva, os barulhos eram os piores mais estava muito melhor com um pouco de luz e ele ali que logo sentou e me puxou para perto dele me abraçando 

- juh a chuva tá lá fora calma - ele falou acariciando meu cabelo mais gritei ao ouvir um estrondo encima da casa - isso é um trovão calma 

Ficar calma? Como se fosse fácil com o mundo acabando em barulhos lá fora, para ele era como se fosse normal que raiva 

- não vai acontecer nada juh já passa - ele falou ao me ver o abraçar mais forte pelos barulhos 

Ele tirou minhas mãos de volta dele e entrelaçou nossos dedos me distrando com aquilo, quando vi ele me roubou um celinho e sorriu ao me ver surpresa 

- viu esqueceu a chuva - ele riu 

- não tem graça rafael - falei brava por ele rir de meu medo 

Ele deu risada me roubando outro celinho e logo outro beijo demorado, realmente aquilo me fazia esquecer a chuva...


[...] {CONTINUA...}



Notas Finais


Aeeeee mais um ep S2

(Obs: sorry por erros, não foi corrigido ^^)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...