História Uma Luta De Cada Vez - SwanQueen G!P - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, Cora (Mills), David Nolan (Príncipe Encantado), Emma Swan, Henry Mills, Lacey (Belle), Malévola, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Roland, Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Emma Swan, Ouat, Regina Mills, Swanqueen, Swen
Visualizações 228
Palavras 1.335
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: FemmeSlash, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey, pessoinhas, como vão vocês? E a vida? Vão bem? Sentiram saudades dessa belezinha de fic? Bom, para a alegria da nação, trago-lhes agora mais um capítulo top. Perdoem-me os erros e espero que gostem.

Capítulo 9 - Capítulo 9 - Apoio E Amizade


– Acomodado, príncipe? – Regina pergunta para o filho, que assente, já enrolando em suas cobertas de lã enquanto o frio do ar condicionado ocupa todo o espaço de seu quarto.

– Sim, mãe. – Responde, recebendo um beijo na testa de Regina. A mesma se encontra sentada ao lado do menino e suas mãos deslizam pelos seus cabelos lisos. – Obrigada por hoje. Foi divertido.

– Você merece, filho. – A morena sorri. – Bom, acho que já está tarde para você, mocinho. Amanhã è segunda e você tem aula, campeão. – Faz uma leve cócega na barriga de Henry, que gargalha, se remexendo.

– Eu não gosto de ir pra escola. – Reclama, formando um pequeno bico nos lábios. – Prefiro ficar em casa, assistindo desenhos e dormindo.

– Olha pelo lado bom, Hen: Faltam duas semanas para as suas férias. – Henry concorda freneticamente. – Depois poderá assistir todos os desenhos que quiser e dormirá o dia inteiro, que tal?

– Sim! Não vejo a hora de chegar. – Diz em empolgação.

– Eu sei disso. Mas, agora, iremos dormir. Sem mais conversa. – Regina se levanta da cama. – Boa noite, meu pequeno príncipe.

– Boa noite, mamãe. – A Mills deposita outro beijo em seu rosto e caminha até a saída do cômodo, desligando a luz e se retirando logo em seguida. Regina marcha na direção de seu quarto e entra no mesmo, trancando a porta atrás de si.

Ela apanha seu pijama no guarda roupa e entra em seu banheiro, fazendo sua higiene pessoal. Ao terminar, a morena se dirige para o seu colchão e busca o seu notebook, que está na gaveta de sua cômoda, ao lado da cama. Regina liga o aparelho e conecta seu Skype, iniciando uma ligação para a sua adorável irmã, que a espera para contar a tal novidade.

Sis! Você demorou para ligar. – Zelena resmunga ao atender a ligação. Regina revira os olhos. Por que Zelena só sabe reclamar?

Lena, eu estava ocupada hoje. Não sou como você, que passa o dia inteiro assistindo Netflix e comendo pipoca. – A ruiva finge se irritar e dá língua para a morena.

Chata!

Ok, ok, sem brincadeiras. O que quer me contar? – Regina indaga, se sentindo inquieta. Sua irmã è uma grande caixa de surpresas e nada de bom pode vir de Zelena.

Credo. Você está me encarando como se eu estivesse feito algo errado. – A morena arqueia as sobrancelhas, de forma desafiadora, fazendo a mais velha bufar em frustação. – Você ainda è a caçula, sabia? Eu quem deveria perguntar se você fez algo errado.

Tá, Zelena. Agora fala. Eu tenho pouco tempo. – Fala impaciente. Zelena respira fundo antes de pronunciar, rapidamente, as palavras presas em sua garganta.

EutranseicomaBelle. – Afirma num só fôlego. Regina demora alguns segundos para raciocinar, porém, ao entender o que a irmã quis dizer, arregala os olhos, completamente incrédula.

ZELENA MILLS! – Exclama alto e isso faz com que a ruiva cubra as orelhas, criando uma leve careta nos lábios. – Como assim?! Como isso aconteceu?!

Sis, não quer que eu te explique como funciona o sexo, não è? Acho que já passamos disso. – Brinca, tentando esconder o nervosismo em sua voz com um tom irônico. A morena a repreende com o olhar e a outra suspira pesadamente. Odeia quando Regina usa o olhar sério nela. – Depois que saímos do bar, Robin nos deixou na casa de Belle, pois eu iria passar a noite lá. Fomos para o seu quarto e, enquanto Belle tomava banho, eu estava sentada em sua cama, pensando em qual gosto teria os lábios dela. Estranho, né? Bem, quando a Belle saiu, eu deixei que meu coração falasse mais alto e a beijei. Foi incrível, Gina. – Diz a última frase em um sussurro.

O que aconteceu no outro dia? Como a Belle reagiu? – As órbitas azuis da ruiva perdem o lindo brilho de segundos antes, deixando Regina em total preocupação. – Zelena…?

Ela não falou comigo. Nem olhar na minha cara ela olhou, Regina. – Mesmo com um sorriso debochado, Regina consegue ver a pontada de mágoa nas íris azuladas da mesma.

Sis… – Ela è interrompida pela mais velha.

O que eu devo fazer agora? – Sua pergunta sai em tom de súplica, como se implorasse pela ajuda de sua irmã.

Eu realmente não sei, Lena. – A mulher de cabelos negros morde o lábio inferior, brincando os seus dedos. – Mas te aconselho a conversar com ela. Belle só deve estar confusa.

E se ela não quiser mais conversar comigo, Gina? – Indaga, cobrindo o rosto com suas mãos. Zelena bufa em frustação. Se sente chateada pela rejeição de sua melhor amiga. O coração de Regina se aperta em seu peito. Odeia ver o quão frágil a mais velha consegue ser. Deseja estar no mesmo recinto de Zelena para poder abracá-la e dizer que tudo iria resolver.

Não pense assim, Zel. Ficará tudo bem. – Ela sorri, recebendo a atenção da ruiva, que se desvencilha de suas mãos e fita os olhos castanhos através da câmera. – Confie em mim.

Eu confio, Sis. Obrigada por me ouvir. – Zelena também solta um meio sorriso, já melhor por ter ouvido as palavras de sua irmã.

Sempre que precisar.

[…]

– Droga! – Emma exclama ao, novamente, errar o soco no saco de pancadas. São 7:30 da manhã e Swan está em sua academia, treinando alguns de seus movimentos.

Sua cabeça se encontra nas nuvens, pensando em apenas uma coisa: Regina Mills. Esse nome, esse maldito nome foi o responsável por ter tirado sua noite de sono. Que porra está acontecendo com você, Swan?! Se concentre! Swan soca uma das mãos na outra, levanta seus punhos, em frente ao seu queixo, e seus cotovelos ficam perto de seu corpo.

Emma arremessa seu punho esquerdo para frente em uma linha reta e gira seu braço para dentro até que ele chegue na extensão máxima. Ela, de imediato, recolhe sua mão para perto de seu queixo mais uma vez. Esse golpe è conhecido como Jab.

Em seguida, a loira acerta um soco de direita no saco de pancadas. Seu braço vai reto contra o objeto e, enquanto isso, Emma gira o lado direito de seu quadril para frente até que sua perna direita fique reta e a parte de seu pé fique no chão. Emma volta a sua postura de combate e se prepara para dar um Swing, contudo è interrompida pela voz de alguém.

– Se eu não fosse gay, eu pegava! – Emma encara o dono da fala e arregala os olhos ao ver seu melhor amigo, Killian Jones. Ela corre até ele e o abraça fortemente, sendo recebida por gargalhadas do mesmo. – Como vai, Em?

– Kill, senti saudades. – Profere abraçando a ele. – Dois meses longe de você foi como um sacrifício. – Emma se refere aos dois meses que Killian passou em Barcelona. O jovem advogado de 30 anos estava em uma viagem a trabalho.

– Também senti, loirinha. – Se afastam, ainda mantendo a proximidade. – Você está gostosa, sabia? Andou malhando muito? – Killian assobia, olhando a melhor amiga de cima a baixo. Emma está vestida com um top branco, que deixa toda a sua barriga tanquinho de fora, uma calça moletom branca e uma trança boxer braid em seus longos cabelos loiros. Suas mãos possuem luvas de boxe da coloração branca e o seu corpo está em puro suor, fazendo-a brilhar.

– Engraçadinho. – Acerta um soco no ombro de Jones. – Como foi em Barcelona?

– Não pude aproveitar tanto por conta do trabalho, mas, sem dúvidas, Barcelona è incrível. Voltaria lá de olhos fechados. – Responde o moreno. – E você, Swan? Sinto que tem algo para me contar. Acertei?

– Sim, como sempre, Kill. – Emma retira suas luvas de boxe e bebe um pouco de água em sua garrafa térmica. – Que tal um café? Os meus alunos só chegarão ás 9:00. Tenho um tempo sobrando.


– Ótimo. Quero saber de tudo. Tudo mesmo. – A loira busca seu moletom de The Walking Dead e o veste em rapidez. Ela apanha as chaves da academia e se coloca ao lado de Killian. Os dois saem do lugar e caminham até a cafetaria mais perto, onde se permitem tomar um café e conversarem sobre todos os acontecimentos.


Notas Finais


Olha só, o nosso Jones finalmente apareceu! E a Emma nessas vestimentas? Fui imaginar e o meu psicológico deu pane. Bah.

Gente, alguém aqui assiste ou já assistiu Sense8? Quem gosta, comenta aí o que acharam da série, pois eu estou apaixonada. Bem, se cuidem, beijos e abraços e até a próxima. Bye. 😘❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...