1. Spirit Fanfics >
  2. Uma Luz no Coração >
  3. E Sinto em Meu Coração

História Uma Luz no Coração - Capítulo 18


Escrita por:


Notas do Autor


Precisei me afastar do site mas compenso a demora com um capítulo novo, e se tudo dar certo terá capítulo novo até o final do mês. Embora este seja um capítulo curto ele fecha uma etapa da história e começa outra, não entrarei em detalhes mas logo começam novas interações. Tenham uma boa leitura e espero que gostem!

Capítulo 18 - E Sinto em Meu Coração


    Ter Chihiro novamente ao seu lado era como se fosse um sonho para Kohaku, um sonho que se tornou realidade apesar de tantos obstáculos e da improbabilidade de acontecer. Quantas vezes sonhou que ela estava bem na sua frente e em seguida ela se desvanecia em pleno ar como se jamais tivesse existido? Quantas vezes seu coração partido se apertou em agonia e desespero sempre que bradava por ela? Quantas vezes chorou por ela?

    Incontáveis vezes.

    Mas agora ela estava de volta, em seu abraço protetor, e ele sentia vontade de rugir para os céus e os deuses para demonstrar sua alegria e gratidão em tê-la de volta. Porém ele poderia esperar, afinal Chihiro poderia se assustar facilmente com tal atitude e interpretar mal. Admitia ter culpa, principalmente com a perseguição e o susto que deu à ela nos jardins da casa de banhos, mas não faria aquilo de novo nunca mais, pois não queria causar medo na menina.

    Ele poderia simplesmente abraçá-la e roçar seu focinho suavemente contra o dela, assim como estava fazendo naquele momento enquanto tentava acordá-la sem assustá-la. Ela tinha adormecido ali mesmo na noite anterior e desde então esteve em seu abraço relaxada e, ousava ele dizer, sã e salva.

    E imaginar que na noite anterior um espírito miserável tentou matá-la com uma lança. Nunca mais teria que se preocupar com o espírito, já tinha lidado com ele, mas se preocupava com Chihiro. Talvez por ser um dragão jovem e inexperiente a tenha tornado alvo daqueles que ansiavam por poder, agora mais do que nunca já que suas habilidade estavam desabrochando. Ninguém poderia fazer-lhe mal com Kohaku por perto, sua fama por ter um coração partido e estar extremamente feroz lhe dava vantagens e uma certa proteção, e apenas espíritos muito poderosos ofereceriam um risco verdadeiro para ele. Chihiro, por outro lado, era um alvo fácil.

    Como se permitisse que a ferissem outra vez.

    Ao sentir que ela despertava, Kohaku afrouxou seu abraço e permitiu que ela se espreguiçasse e mudasse de posição livremente. Dando-lhe um ronronado como “bom dia”, ficou feliz ao receber uma resposta. E então, escamas douradas e pétalas de flor se desprenderam de seu corpo, e Chihiro estava outra vez em sua forma de humana, mas claro que ela não era mais humana.

     Mas um espírito imortal, um dragão, assim como ele próprio.

    - Bom dia, Haku. - ela disse, esfregando os olhos.

    O dragão respondeu encostando sua testa com a dela em um gesto de carinho, ganhando um riso da menina.

    - Por algum motivo eu me lembro do seu nome, quer dizer, uma parte dele. - disse Chihiro. - Mas não consigo me lembrar de mais nada.

    Aquilo chamou a atenção de Kohaku.

    - Sinto que já estive aqui em Aburaya antes e que conheço os espíritos que vivem aqui, mas eu não consigo me lembrar de ninguém. - ela acariciou o focinho dele com uma mão. - Você me deu um grande susto ontem, mas uma parte de mim já te conhece e sabe que você jamais me machucaria. Agora eu sinto de coração que você é alguém muito importante na minha vida, mesmo que eu não me lembro dos detalhes.

    Então isso explicava do porquê ela reagiu como se não o conhecesse, como se ele de fato fosse um estranho e ambos jamais tivessem se encontrado antes. Talvez fosse o efeito colateral de sua travessia do mundo dos humanos para o mundo dos espíritos? Era uma possibilidade, mas nada definido. Por ora Kohaku só poderia aguardar o que tinha por vir.

    Até lá, ele poderia provar para Chihiro de novo e de novo que ele não era nenhuma ameaça para ela.

    Abraçando-a novamente com seu corpo serpentino, Kohaku sentiu-se privilegiado em ver Chihiro abraçá-lo de volta sem medo nenhum e sem duvidar de sua segurança.

    Não trocaria aquele momento por nada no mundo.

    …

    Nas águas rasas que cercavam a casa de banhos, em meio aos grous selvagens, Yasu e os grous de Midori no Mori estavam admirando o céu azul. Se outros soubessem que eram os guarda-costas de Aisuru Hikari diriam que eles estavam fazendo um péssimo trabalho, pois aquela que deveriam proteger foi atacada por um espírito mal-feitor e levada para o “covil” de Nigihayami Kohaku Nushi, mas na verdade eles sabiam muito bem o que estavam fazendo.

    Yasu sabia que Kohaku protegeria Hikari com própria vida se assim fosse preciso, e que embora ela e os demais grous juntos não seriam páreo para o espírito encapuzado o dragão seria, ainda mais protegendo seu tesouro mais precioso. Foi por isso que não interferiram, além do fato que as novas interações entre sua pequena mestra e o dragão poderiam abrir portas para as lembranças que a menina queria tanto lembrar.

    E estavam certos.

    Não demoraria e Hikari recuperaria suas memórias bem antes do esperado.


Notas Finais


Leia Notas do Autor.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...