1. Spirit Fanfics >
  2. Uma mamãe em apuros ( Jeon Jungkook) >
  3. Capítulo quatro (Havaí aí vamos nós! Última parte)

História Uma mamãe em apuros ( Jeon Jungkook) - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Olha só quem voltou com esse xodó. Eu mesma ☺❤. Confesso que senti saudades gente. Bom, antes de começarmos, gostaria de me explicar sobre o sumisso aqui com as minhas fanfics pessoais. Como estou em dois projetos recentemente, decidi que focar especialmente neles seria uma boa pedida. Após essa atualização, irei demorar algum tempinho para trazer minhas outras fanfics de novo.

Outro ponto importante é sobre o sumisso de algumas fanfics. Decidi apagar para que eu pudesse corrigir e não haver problemas futuros. Talvez voltem, talvez não. Algo incerto. Bom, é isso, até o breve.

📍 Capítulo revisado ✔.
📍Tenham uma boa leitura 📖❤.

Capítulo 5 - Capítulo quatro (Havaí aí vamos nós! Última parte)


                                      Honolulu, Havaí.    
                                       Primeiro de maio, 2023.


Yujin se sentiu incomodada ao que adentrou no quarto de Jungkook vendo a cena de um lugar devastado. Roupas por todo canto, alguns itens sobre o chão e nenhum sinal de seu chefe. Até pensou o pior, mas logo sentiu o sangue ferver ao notar peças femininas desconhecidas. 


Antes que entrasse no cômodo em que ficava o quarto, a loira da noite anterior apareceu em seu campo de visão. Apenas com uma blusa azul que Yujin conhecia bem e com sua peça íntima de baixo.


— Você deve ser a famosa Kim Yujin.— sorriu mostrando suas covinhas.— Jungkook falou muito de você, o que foi bem estressante.


— Sou eu mesma.— olhou sem graça para a garota que parecia contente com a sua situação.


— Ele ainda precisa de uma babá para cuidar das coisas dele?


— Sim.— ajeitou seu terninho e o cabelo em um rabo de cavalo baixo.— E tirar o lixo eventualmente.


— Com...


— Se me der licença senhora Oliver, poderia se retirar?— juntou todas as roupas da loira antes que a entregasse. Por conta da pele clara, era visível sua irritação pela forma como uma "mera secretária" falava para consigo.— Senhor Jungkook detesta que fiquem em seu quarto ao final de tudo. Reciclar não é bem o forte dele.


Os minutos que esperava a oxigenada se vestir parecia longos e entediantes. Já com sua bolsa em mãos, varreu a garota com os olhos de cima a baixo. "Quem ela pensa que é?", questionou para si mesma antes de entrar no quarto.


O moreno dormia em estado profundo e Yujin se pegou contemplando o garoto por alguns instantes. Sua respiração lenta e calma deixava a garota boba, que se permitiu acariciar as madeixas escuras de Jeon.


— Bom dia chefe.— cochichou próximo ao ouvido.— Acorde.


— Hum...— espreguiçou.— O que está acontecendo?


— Já é um novo dia.— sorriu.— Temos o dia todo pela frente.


— Onde está a Oliver?— Yujin não pode evitar de suspirar pesado ao ouvir aquele nome irritante.— Já foi embora?


— Sim, ela preferiu ir embora mais cedo. Mas isso não importa, levante.


— Okay...


Com certa dificuldade se levantou. Yujin apenas não esperava que seu chefe estivesse livre de qualquer tecido em seu corpo. O que deu uma visão ampla do membro ao meio de suas pernas. Jungkook se assustou ao que a garota tampou os olhos com a mão, sem antes dar um grito.


— M-Me perdoe Yujin. E-Eu não...vou ao banheiro!


Mesmo que com os olhos fechados a visão favorecida de minutos atrás circulava sua mente causando um calor em suas bochechas. O barulho do chuveiro se fez presente e não pensou duas vezes antes de ir embora de volta para seu quarto.


"Se acalme Kim Yujin. Se acalme!" Tentou se acalmar numa tentativa fracassada, já que a cada pedido, mais sua mente era invadida pela visão de seu chefe nu.


— Mamãe?— Hyun seguiu para fora do quarto ao notar a mais velha ali.— Tudo bem? Parece nervosa.


— Ahn? Ah, estou bem pequena.— sorriu nervosa.— Apenas uma queda de pressão.


— Quer que eu chame o médico?— olhou preocupada, mas logo recebeu uma negação por parte de Yujin.— Okay, eu vou me vestir.


— E Carlos?


— Na varanda tomando um sol.


A passos largos chegou até a varanda vendo o pequeno entretido no ipad. Ao ver a mais velha sorriu docemente.


— O que acha de larga um pouco esse aparelho, hum?— pegou de sua mão facilmente.— O dia está lindo, e eu acho que você e a Hyun deveriam aproveitar.


— Eu estava tentando falar com a mamãe.— confessou triste.— Mas acho que ela deve estar ocupada.


— Pode ser. Mas prometo que mais tarde a gente tenta de novo, tudo bem?— o mesmo concordou sorrindo.— Venha, vamos tomar um café e aproveitar bastante.


Durante o café foi inevitável não sentir o rubor surgir toda vez que seus olhos encontravam o de Jungkook. Mesmo mostrando uma postura natural, Yujin ainda tinha a imagem muito bem gravada. E seria difícil mentir em dizer que estava tudo bem. Era mentira e se sentia péssima, como alguém que faria algo errado que lhe custaria algo. No caso, seu emprego. De volta para os quartos, tentou evitar Jungkook, mas em movimento rápido o rapaz lhe proibiu de continuar a andar.


— Eu queria lhe pedir desculpas pelo inconveniente de mais cedo. Eu deveria me atentar aos detalhes a minha volta.— seus olhos amendoados pediam uma desculpa silenciosa e Yujin não seria má em recusar.— Aliás, hoje você têm o dia livre com as crianças. Vou a uma partida de tênis com alguns fornecedores e não precisa ir.


Yu podia jurar que Oliver estaria lá. Até pensou em contestar, mas seria uma maluca controladora.


— Tudo bem Jeon, eu vou com as crianças para a piscina. Está um sol lindo lá fora.— colocou os fios do cabelo solto atrás da orelha.— Ah, eu já ia me esquecendo. Carlos ligou para a mãe dele hoje. Ficou bem triste quando ela não atendeu.


— Já era de se esperar.— sussurrou.— O dia que aquela vaca der atenção a ele será um milagre.


— Te contei porque achei o certo.


— E eu agradeço por isso. Vou conversar com ele sobre essas ligações.


                       [...]


— Tia Yujin, olha o que eu achei.— Carlos corria pela areia apressado até a mulher com seu chapéu sobre a cabeça.— Uma concha. Segura pra mim?


— Claro, coloque nesse balde para levar ao quarto.


Era por volta da hora do almoço e Carlos, Yujin e Hyun desfrutavam da praia e sua calmaria. Por conta da sofisticação do lugar, existiam partes privadas da praia para cada quarto. Yu observava os pequenos correndo perto da água em sua caçada por mais daquelas conchas bonitas e pequenas.


— Senhora, seu drink.— o rapaz tirou a bandeja para que Yujin pudesse alcançar.— Yujin? 


— Sim?– ao que seus olhos esbarraram com o do rapaz seu corpo sofreu um choque. Os olhos miúdos a analisaram minuciosamente. A vontade de socá-lo parecia tentadora agora.– Dark-ho?! O que faz aqui?


— Eu que digo isso, o que faz aqui?


— A trabalho.


— Vestida assim?— apontou para o biquíni rosa.


— Olha aqui! Eu não te devo satisfação do que eu faço!


— Mamãe, o Carlos achou uma água viva morta. Venha ver.— segurou na mão de sua progenitora a puxando.— Vamos mamãe!


— Essa é...


— Não é da sua conta!— apressou em caminhar para longe do rapaz tatuado.


— Quem era mamãe?


— Ninguém. Me mostre essa água viva, okay?— mesmo afastada de sua cadeira de sol pode ver o mesmo acenar antes que sumisse para longe.


Como gostaria de bater naquele filho da....filho de uma mal amada! O sangue correu quente por todo seu corpo durante todo o restante da noite, mesmo com o banho de mar e um bom chuveiro depois de horas dentro da água. Pode chegar a conclusão de que havia pecado gravemente ao que Jungkook se aproximou a mesa de jantar com Oliver em seu "simplório" vestido azul perolado. Ambas encontravam o olhar uma da outra seguindo de um bufar. 


— Não sabia que vaca era permitida em local público.— cochichou vendo Jeon puxar a cadeira para a loira.



— Mamãe....— Hyun advertiu com o olhar após o protesto da mais velha.


— Secretária.— sorriu "dócil".— Não sabia que você jantaria com a gente.


— Incomoda você?— colocou o queixo sobre a mão encarando o garota a sua frente.


— De forma alguma. Quem são esses?— apontou para os pequenos.


— Carlos, filho do Jungkook.— Carlos acenou tímido.— Hyun, minha filha.— a garota sorriu em um ato educado.


— Você não me contou que tinha um filho tão fofo kookie.— kookie?! Okay, okay. Aquilo era demais para que pudesse processar.— Prazer Carlos, tenho certeza de que seremos bem próximos.


— Tenho certeza de que sim.— comentou Jungkook ao que observava Yujin forma mais uma de suas faces de desgosto para sua acompanhante.— Ahn...correu tudo bem hoje?


— Sim!— comemorou Hyun com um sorriso.— A gente achou uma água viva. Pena que já estava morta.


— Era de que tamanho?— questionou Jungkook com interesse. Hyun esticou os braços o máximo que podia em um ato exagerado de proporção.— Vocês tiraram foto?— Hyun discordou.— Que pena Hyun.


Yu não poderia negar que sentiu seu coração bater forte com aquele momento. Por frações de segundo se pegou pensando como Jungkook poderia ser como pai para Hyun. Mas descartou a possibilidade ao que Oliver atrapalhou a conversa pedindo que Jungkook contasse algo para os três dispostos na mesa.


— Ela em Nova York com a gente?!— Yujin gritou involuntariamente chamando a atenção de algumas pessoas.


— Isso te incomoda?— Oliver fixou seu olhar sobre Yu que negou.— Eu irei passar uma temporada com Jungkook até que tudo esteja resolvido com o meu apartamento. Gostou Carlos?— sorriu. O mesmo negou tímido fazendo com que o semblante da loira mudasse.— Você se acostuma com o tempo.


Oliver havia se tornado intrusa naquela viagem por apenas dois dias e já causava ânsia para Yujin. Se não fosse pela movimentação do local e seu chefe, provavelmente já teria voado na mesma após todo momento criticar a postura de Hyun. Por volta das dez da noite, Jungkook seguiu em frente com os pequenos nos braços após dormirem nas cadeiras depois de horas de assuntos chatos que a loira mantinha.


— Oliver....— começou Yujin atrás da garota no corredor.— posso saber o motivo do seu show no jantar? Acha que minha filha não têm mãe pra corrigir?


— Já que você insiste em ter essa conversa.— suspirou se virando.— Quer saber da verdade? Você e sua filha são duas moscas mortas. Tal mãe, tal filha.


— Esse rostinho bonito era só fachada não é?— Yujin se aproximou.


— Eu não preciso perder meu tempo agradando você e sua cria. Eu já tenho o meu alvo, algo que você não conseguiu não é?— fingiu um olhar triste mas logo desfez.— O que? Você achou que eu não iria reparar no seu olhar bobo pra cima do Jungkook? Se toca.


— Olha aqui Oliver.— empurrou a loira contra a parede a prensando com o braço.— Você pode pisar em mim, eu não me importo. Mas se você atacar minha filha fisicamente ou verbalmente, eu te mato! Eu sou mulher de cumprir a minha palavra.— sussurrou.


— Ficou louca?— tentou se desfazer do contato.— Me larga!


— Sabe o que você é? Uma cadela que se apoia em qualquer um por dinheiro. O que? Achou que eu não ia perceber que você é garota de luxo? Jungkook pode ser mongo mas eu não.— sorriu.— Eu não me importo com o que ele faz da vida dele, o que eu ganharia com isso? A única coisa que eu quero é o meu salário no final do mês. Mas me tira do sério pra você ver minha mão indo de encontro com essa sua cara sebosa.


A loira tentou protestar, mas logo arrumou a bolsa sobre o ombro e seguiu rumo contrário do quarto. Yujin também não seguiu para o quarto, mas diferente da loira, seguiu para o bar que funcionava na recepção. Após pedir um drink de pimenta se sentou em uma das poltronas dispostas ali. Com o movimento quase inexistente de pessoas não foi difícil perceber a chegada de Dark-ho a sua frente.


— A gent....


— Pega esse seu argumento e enfia naquele lugar.— deixou a bebida na mesinha de centro se levantando.— Hoje meu dia estava péssimo! Não me venha agora com qualquer que seja o assunto.


— Por que não me disse nada sobre nossa filha?


— Oi?! Eu te contei sim! Se você não se lembra eu te contei e você veio com uma espécie de "Eu não vou enfrentar nada Yujin!". 


— E-Eu sei, mas pensei que você tinha...— tomou coragem para continuar.— você sabe...


— Aborta a minha filha?


— Nossa Yu.


— Não, não nossa. Minha.— apontou para si.— A partir do momento que você passou por aquela porta naquele fatídico dia você deixou de ser pai Dark-ho.


— E agora sei o quão infantil fui.— ficou cabisbaixo.— Como você pôde ver, me tornei um fracassado.


— Essa cena toda é para que eu me sinta mal? Se for, não estou convencida.


— Eu sei que com você não tem isso.


— Que bom, ainda é esperto.— ironizou vendo o mesmo se aproximar, mas recuou alguns passos.


— A verdade é que eu nunca te esqueci Yu, ainda têm algo aqui dentro.— pegou docemente a mão de Yu levando contra seu peito.— Talvez ainda exista amor aqui dentro por você Yujin. 


— E-Eu....eu...preciso respirar um pouco.


Sem que desse espaço para argumentos, Yu correu ao rumo dos quartos, e se surpreendeu ao ver Jungkook parado atrás da porta que dava acesso ao corredor direto para os dormitórios.


— C-Chefe?


— Tudo bem Yujin?— tentou se aproximar mas a mesma recuou.— Ei, o que foi?


— Ahn? Não foi nada.— justificou já seguindo para seu quarto.— Tenha uma boa noite Jungkook.


   Confuso, o mesmo seguiu seu olhar até a recepção, onde pode ver o rapaz misterioso protestar em pequenos sussurros ao que puxava as madeixas para trás.


         "Quem será?"


— Kookie, tudo bem?— Oliver se aproximou com um sorriso.


— Sim, sim.— desviou o olhar melhorando o semblante.— Onde esteve?


— Ah, eu resolvi esperar que sua secretária fosse embora. Acho que ela não gosta de mim.


— Yujin é assim mesmo. Difícil.— beijou docilmente os lábios da loira antes que a abraçasse de lado a guiando para seu quarto.— Podemos aproveitar mais um pouco, o que acha?


— Perfeito.— retribuiu o beijo.


Notas Finais


Se tiverem um tempinho, comentem please, é sempre bom conversa com vocês ! Bjs e até o próximo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...