História Uma manhã de sexo - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Park Jimin (Jimin)
Visualizações 386
Palavras 2.526
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 1 - Capítulo Único


  

       Era um dia normal daqueles que tenho todos os dias, minha vida anda um saco a faculdade consome cada energia que eu tenho. Levantei cedo com barulho do meu despertador me irritando estava um dia tão frio perfeito pra ficar deitada, mas o dever me chama afinal tenho que me formar e sair logo da casa dos meus pais, quero minha independência.

      Levantei rápido precisava pegar o ônibus não ficava tão distante assim sempre gostei de chegar mais cedo. Andei com passos rápidos, algo me perturbava, sabe aquela sensação de esta sendo observada? Estava sentindo agora. Dei mais alguns passos quando um carro para do meu lado não dava para ver quem era porque os vidros eram escuros, fiquei com medo no mesmo momento pensei em sequestro o pior não tenho grana nem para um sorvete imagina para um resgate. Quando já estava preparada para correr e gritar que nem uma louca o vidro desce e me assusto ao ver quem estava dentro do carro.

  - Oi (s/n), vai à algum lugar?

 Era Park Jimin um cara que foi minha paixãozinha no primeiro ano do ensino médio, que teve que mudar no ano seguinte por conta do trabalho de sua mãe. Ele era muito garoto na época me fazia sorrir sempre só que agora estava mudado, ele deve ter malhado, havia tingido o cabelo de loiro. Com certeza estava muito sexy.

  - Oi Jimin estou indo para tortura, digo, faculdade.

 Ele da uma risada de um jeitinho que fez fechar os olhos, sempre amei sorrisos acho que deixa as pessoas mais bonitas só que com Park Jimin me fez ter sensações diferentes,quase como excitação.

- Se você quiser eu posso te levar- ele me olhou e mordeu o lábio de um jeito que eu não queria mais que ele me levasse pra faculdade é sim para a cama dele- vamos?

 - Com certeza.

    Dei o endereço e seguimos, só que o mais estranho é  que estávamos indo na direção oposta do que eu havia indicado. Ele entrou em uma rua pouco movimentada e parou o carro no estacionamento de um supermercado. 

- Por que a gente parou aqui?

- Só queria conversar um pouquinho com você- sei exatamente onde aquilo ia levar, por que ele não parava de olhar pros meus seios e eu realmente queria a mesma coisa.

- Conversa sobre o que?- tenho tempo já que era a aula do professor que sempre se atrasava .

 -Sobre como você tá bonita e gostosa- ótimo a brincadeira começou.

 - Obrigado! Você também tá bem diferente.

 - Nossa essa doeu- põe a mão no peito fazendo uma expressão de dor- eu tô só diferente é isso?

- Tá mais bonito- sorrio- gostoso também.

   Ele passa um tempo me encarando será que ele não vai tomar iniciativa em nada, que merda não posso perder aula ou eu me ferro total. Quer saber que se dane o cavalheirismo.

- Vai ficar só me olhando ou a gente vai foder logo?- Perguntei sem rodeios. Ele me lança um olhar safado.

-Estava aqui pensando onde ia fazer isso, mas acho que você não tem muito tempo então vai ser aqui mesmo.

  Ele me puxa e me beija, nada de beijo calmo e romantiquinho só aquele beijo que parecia que que ia me engolir. Tirou nossos cintos de segurança, baixou o banco e me puxou para sentar em seu colo, botou mão por baixo da minha blusa e subiu até meus seios apertando eles enquanto chupava meu pescoço.

-Merda, você é muito gostosa-falou com a voz rouca no meu ouvido- queria brincar mais com eles mas estamos apressados certo? Então acho melhor você me chupar logo.

 Aquilo me deixou excitada em nível muito louco, me posicionei e desabotoei a calça dele e puxei seu pau para fora da cueca, então comecei a chupar. Ele gemia baixo, sabia que tinha que se controlar por mais que fosse cedo ainda passava poucas pessoas próxima ao carro, continuei chupando enquanto ele segurava nos meus cabelos.

 - Não vai me fazer gozar agora- me faz para e me mostra a camisinha que está segurando- ainda quero meter em você.

 - Estava preparado, hun!- faço cara de deboche 

 - Sempre ando- liga o rádio e aumenta o volume- só pro caso de você gemer alto de mais.

 Ele abriu o pacote de camisinha e botou, enquanto eu tirava minha calça toda desengonçada naquele espaço minúsculo.

 - Não precisa tirar a calcinha é só botar pro lado- me fez subir em cima dele novamente- não quero q tenha mais trabalho.

 Me penetrou com força me fazendo gemer alto, comecei a fazer movimentos de subir e descer.

-Sua safada, está molhada do jeitinho que eu gosto- mordeu minha orelha- vou foder você gostoso.

 Me fez trocar de posição, fiquei de costas enquanto ele voltava a me penetrar.

 -Empina essa bundinha gostosa pra mim empinar- deu tapas na minha bunda.

 Continuei a cavalgar, voltei pra outra posição agarrei seu pau é fiz movimentos no meu clitóris me masturbando fiz isso olhando fixamente para ele com olhar de pura luxúria.

 - Isso é muito gostoso- falei lambendo seu pescoço e mordendo o lóbulo da orelha- só que agora eu quero você todinho dentro de mim.

 Ele tirou minha mão do pau dele e deu outro tapa forte na minha bunda é nem penetrou fundo. Aumentou o ritmo enquanto eu tentava não gritar de prazer.

 - Eu vou gozar- falei entre gemidos.

 - Goza para mim sua vadia.

 Continuei subindo e descendo até que cheguei lá, ele agarrou nas minhas pernas e é fez os últimos movimentos que fez com que gozasse também. Ficamos parados um tempinho até que voltei para outro banco e vesti minha calça ele ajeitou o dele tirou a camisinha e jogou em qualquer lugar e terminou de se vestir.

 -Acho que você precisa ir pra faculdade agora- ele fala com aquele sorriso.

-Acho que sim.

 Seguimos o caminho em silêncio até que paramos em um sinal. Ele é o primeiro a falar alguma coisa.

 - Foi uma ótima despedida

 -Despedida?

 - Vou me mudar pro exterior hoje.

 -Hun...

 - Acho que foi só não é? tipo a gente não precisa manter contato sabe eu meio que estou namorando então...

 - Não, não precisa eu já entendi isso foi bom eu precisava pra relaxar e você estava aí eu também...

- Ok.

  O sinal abriu, minutos depois chegamos na entrada da faculdade.

-Obrigado pela carona Jimin e pelo resto sabe- sorrio envergonhada- e boa viagem.

- Sou eu quem agradasse- morde o lábio inferior- você chupa gostoso.

 Faço uma reverência e saio do carro dando apenas um aceno antes de entrar, sabia que a aula já havia começado mas não dava a mínima a essa altura do campeonato. Entro é santo na minha carteira minha amiga (n/a) me olha e cochicha.

 -(s/n) o que aconteceu perdeu o ônibus? Tá descabelada, você veio correndo? Dormiu de mais?- me enche de perguntas muito rápido.

- Perdi sim só que arranjei uma carona com... uma amiga da minha mãe- menti.

 Não tenho muitos amigos e a (n/a) Estava mais pra colega não precisa contar pra ela o que realmente aconteceu.

- Ah.

 Vejo que ela acreditou então sorrio, tento prestar atenção na aula mas não consigo minha cabeça fica revivendo cada momento daquela manhã foi totalmente fora da minha rotina sempre fui pé no chão não tinha muitas experiências sexuais mas com certeza queria mais daquilo.

 Minha vida segue o curso normal até que um dia...

- (s/n), precisa de carona?

 Volta a ficar divertido de novo.

 

 

 

 

         Era um dia normal daqueles que tenho todos os dias, minha vida anda um saco a faculdade consome cada energia que eu tenho. Levantei cedo com barulho do meu despertador me irritando estava um dia tão frio perfeito pra ficar deitada, mas o dever me chama afinal tenho que me formar e sair logo da casa dos meus pais, quero minha independência.

      Levantei rápido precisava pegar o ônibus não ficava tão distante assim sempre gostei de chegar mais cedo. Andei com passos rápidos, algo me perturbava, sabe aquela sensação de esta sendo observada? Estava sentindo agora. Dei mais alguns passos quando um carro para do meu lado não dava para ver quem era porque os vidros eram escuros, fiquei com medo no mesmo momento pensei em sequestro o pior não tenho grana nem para um sorvete imagina para um resgate. Quando já estava preparada para correr e gritar que nem uma louca o vidro desce e me assusto ao ver quem estava dentro do carro.

  - Oi ____, vai à algum lugar?

 Era Park Jimin um cara que foi minha paixãozinha no primeiro ano do ensino médio, que teve que mudar no ano seguinte por conta do trabalho de sua mãe. Ele era muito garoto na época me fazia sorrir sempre só que agora estava mudado, ele deve ter malhado, havia tingido o cabelo de loiro. Com certeza estava muito sexy.

  - Oi Jimin estou indo para tortura, digo, faculdade.

 Ele da uma risada de um jeitinho que fez fechar os olhos, sempre amei sorrisos acho que deixa as pessoas mais bonitas só que com Park Jimin me fez ter sensações diferentes,quase como excitação.

- Se você quiser eu posso te levar- ele me olhou e mordeu o lábio de um jeito que eu não queria mais que ele me levasse pra faculdade é sim para a cama dele- vamos?

 - Com certeza.

    Dei o endereço e seguimos, só que o mais estranho é  que estávamos indo na direção oposta do que eu havia indicado. Ele entrou em uma rua pouco movimentada e parou o carro no estacionamento de um supermercado. 

- Por que a gente parou aqui?

- Só queria conversar um pouquinho com você- sei exatamente onde aquilo ia levar, por que ele não parava de olhar pros meus seios e eu realmente queria a mesma coisa.

- Conversa sobre o que?- tenho tempo já que era a aula do professor que sempre se atrasava .

 -Sobre como você tá bonita e gostosa- ótimo a brincadeira começou.

 - Obrigado! Você também tá bem diferente.

 - Nossa essa doeu- põe a mão no peito fazendo uma expressão de dor- eu tô só diferente é isso?

- Tá mais bonito- sorrio- gostoso também.

   Ele passa um tempo me encarando será que ele não vai tomar iniciativa em nada, que merda não posso perder aula ou eu me ferro total. Quer saber que se dane o cavalheirismo.

- Vai ficar só me olhando ou a gente vai foder logo?- Perguntei sem rodeios. Ele me lança um olhar safado.

-Estava aqui pensando onde ia fazer isso, mas acho que você não tem muito tempo então vai ser aqui mesmo.

  Ele me puxa e me beija, nada de beijo calmo e romantiquinho só aquele beijo que parecia que que ia me engolir. Tirou nossos cintos de segurança, baixou o banco e me puxou para sentar em seu colo, botou mão por baixo da minha blusa e subiu até meus seios apertando eles enquanto chupava meu pescoço.

-Merda, você é muito gostosa-falou com a voz rouca no meu ouvido- queria brincar mais com eles mas estamos apressados certo? Então acho melhor você me chupar logo.

 Aquilo me deixou excitada em nível muito louco, me posicionei e desabotoei a calça dele e puxei seu pau para fora da cueca, então comecei a chupar. Ele gemia baixo, sabia que tinha que se controlar por mais que fosse cedo ainda passava poucas pessoas próxima ao carro, continuei chupando enquanto ele segurava nos meus cabelos.

 - Não vai me fazer gozar agora- me faz para e me mostra a camisinha que está segurando- ainda quero meter em você.

 - Estava preparado, hun!- faço cara de deboche 

 - Sempre ando- liga o rádio e aumenta o volume- só pro caso de você gemer alto de mais.

 Ele abriu o pacote de camisinha e botou, enquanto eu tirava minha calça toda desengonçada naquele espaço minúsculo.

 - Não precisa tirar a calcinha é só botar pro lado- me fez subir em cima dele novamente- não quero q tenha mais trabalho.

 Me penetrou com força me fazendo gemer alto, comecei a fazer movimentos de subir e descer.

-Sua safada, está molhada do jeitinho que eu gosto- mordeu minha orelha- vou foder você gostoso.

 Me fez trocar de posição, fiquei de costas enquanto ele voltava a me penetrar.

 -Empina essa bundinha gostosa pra mim empinar- deu tapas na minha bunda.

 Continuei a cavalgar, voltei pra outra posição agarrei seu pau é fiz movimentos no meu clitóris me masturbando fiz isso olhando fixamente para ele com olhar de pura luxúria.

 - Isso é muito gostoso- falei lambendo seu pescoço e mordendo o lóbulo da orelha- só que agora eu quero você todinho dentro de mim.

 Ele tirou minha mão do pau dele e deu outro tapa forte na minha bunda é nem penetrou fundo. Aumentou o ritmo enquanto eu tentava não gritar de prazer.

 - Eu vou gozar- falei entre gemidos.

 - Goza para mim sua vadia.

 Continuei subindo e descendo até que cheguei lá, ele agarrou nas minhas pernas e é fez os últimos movimentos que fez com que gozasse também. Ficamos parados um tempinho até que voltei para outro banco e vesti minha calça ele ajeitou o dele tirou a camisinha e jogou em qualquer lugar e terminou de se vestir.

 -Acho que você precisa ir pra faculdade agora- ele fala com aquele sorriso.

-Acho que sim.

 Seguimos o caminho em silêncio até que paramos em um sinal. Ele é o primeiro a falar alguma coisa.

 - Foi uma ótima despedida

 -Despedida?

 - Vou me mudar pro exterior hoje.

 -Hun...

 - Acho que foi só não é? tipo a gente não precisa manter contato sabe eu meio que estou namorando então...

 - Não, não precisa eu já entendi isso foi bom eu precisava pra relaxar e você estava aí eu também...

- Ok.

  O sinal abriu, minutos depois chegamos na entrada da faculdade.

-Obrigado pela carona Jimin e pelo resto sabe- sorrio envergonhada- e boa viagem.

- Sou eu quem agradasse- morde o lábio inferior- você chupa gostoso.

 Faço uma reverência e saio do carro dando apenas um aceno antes de entrar, sabia que a aula já havia começado mas não dava a mínima a essa altura do campeonato. Entro é santo na minha carteira minha amiga (n/a) me olha e cochicha.

 -(s/n) o que aconteceu perdeu o ônibus? Tá descabelada, você veio correndo? Dormiu de mais?- me enche de perguntas muito rápido.

- Perdi sim só que arranjei uma carona com... uma amiga da minha mãe- menti.

 Não tenho muitos amigos e a (n/a) Estava mais pra colega não precisa contar pra ela o que realmente aconteceu.

- Ah.

 Vejo que ela acreditou então sorrio, tento prestar atenção na aula mas não consigo minha cabeça fica revivendo cada momento daquela manhã foi totalmente fora da minha rotina sempre fui pé no chão não tinha muitas experiências sexuais mas com certeza queria mais daquilo.

 Minha vida segue o curso normal até que um dia...

- (s/n), precisa de carona?

 Volta a ficar divertido de novo.

 

 

 

 

  

 

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...