1. Spirit Fanfics >
  2. Uma mistura de nós.(Reescrevendo) >
  3. Capítulo 2

História Uma mistura de nós.(Reescrevendo) - Capítulo 3


Escrita por: e LichanVyp


Notas do Autor


Bom, essa história contém:

*Linguagem imprópria.
*Slash( insinuação de homoafeição)
*Lemon.d
*E muitas coisas.

2- para colocar diálogos será: "Fulano: Blá blá."

Flashbacks: ∆\∆

Pensamentos: (sulalaallaal), vou colocar entre parênteses e itálico.

Ofidioglossia: em negrito e itálico.

++$++_+_++_+_++_+_+_+_+_+_+

Boa leitura!!

Capítulo 3 - Capítulo 2



02 de agosto de 1988 (quarta-feira), Rua dos Alfineiros, nº4

Harry on:


Tinha se passado apenas dois dias depois daquela conversa.


Tia Tunia desconversava toda vez que eu perguntava o que  meus pais eram, e isso foi apenas uma pergunta simples. 


Poxa, o que custava me dizer se eles eram pessoas bem sucedidas? Ou quem sabe se  éramos uma família que vivia juntos, apesar de não termos dinheiro?


Eu continuaria os amando do mesmo jeito, já que o amor de família não se compara com nenhum dinheiro. Ok que precisamos de dinheiro para sobreviver ao dia a dia,mas não custava nada me dizer.


Mas de uma coisa eu sei: Eu vou descobrir isso, ou eu não me chamo Harrison James Evans Potter!

[...]

Estou lendo um livro que minha tia  me deu. O nome dele é: Os três lírios do jardim.

O livro  é bem legal, mas eu achei desnecessário a parte que eles brigam sobre o amor de uma bela rosa, pois pelo que eu sei, não dá pra outras espécies se reproduzirem. Não daria certo de jeito nenhum. Segundo nosso professor de ciências, uma rosa só se reproduz com outra rosa , um lírio apenas se reproduz com outro lírio. Ou seja, eles não poderiam ficar juntos.

A autora que fez esse livro com certeza estava louca, ou apenas quis romantizar, que você pode ficar com alguém que você goste, porém, que você tenha em mente que vão ser poucas as pessoas que irão te apoiar sem um julgamento antes.

Estava quase finalizando a última linha, quando Duda apareceu.

Duda: Harry, o que você 'tá fazendo?

Eu: Por enquanto só estou lendo, primo Duda.

Duda: Vamos ir no quintal?

Eu: Pra quê, Duda?

Duda: Pra brincar, ué! Vamos, vai!

Eu: Ok,vamos então, Duda!

Enquanto saíamos, passamos pela cozinha e logo chegamos no quintal. Enquanto brincávamos sossegados, meu estômago rodou.  Mas não dei muita atenção a isso.

O que eu não sabia é que, aquilo era apenas a calma antes da tempestade...

E eu estava com um pressentimento bem ruim quanto a isso.

[...]

Horas um pouco mais cedo...

Petúnia on:

O dia havia amanhecido nublado, mas nada que me impedisse de levantar.

Vou ao banheiro, faço minhas higienes matinais e logo depois desço pra cozinha.

Começo a fazer o café da manhã, mas um pensamento logo ronda minha cabeça.

( Como eu poderia contar à Harry que ele não é como nós? Hum... Tenho que tomar cuidado pra ninguém fora dessa casa descubrir, se não meu pequeno sobrinho não saberá como reagir às pessoas alheias. )

Fico perdida em pensamentos, até que ouço a voz de meu marido.

Válter: O que houve querida?

Respondi, porém meio longe.

Eu: Não foi... Nada.

Válter: Tem certeza, meu amor?


Eu: Sim Válter, agora vá trocar de roupa, que logo dará 07 horas e você vai acabar se atrasando, meu bem!


Válter: Tá bom. Estou indo...


Eu: Anda logo, Válter!


Ele solta um suspiro derrotado, mas logo  começa a subir às escadas.


[...]


Harry on


Enquanto Duda e eu brincávamos, uma visita inusitada aparece.


Túlio: Hey, Duda! Hey, Harry!


Duda: O que você quer aqui de novo, Túlio?


Túlio: Ouch! Eu só queria brincar com vocês,Duda.


Na hora que eu ia falar, tia Tunia apareceu.


Petúnia: Você de novo, Túlio?

Túlio: Desculpa, senhora Dursley! Minha mãe pediu pra mim vir aqui e que depois ela iria vim me buscar.

Petúnia: Túlio, avise a sua mãe que, quando ela for sair, que ela contrate uma babá. Pois eu não sou obrigada e nem estou sendo paga pra olhar crianças dos outros!

Túlio: Mas o Harry não é filho da senhora!

Petúnia: E o que você, um menininho de 8 anos, tem haver com isso? - ela pergunta docemente.

Túlio: Nada senhora.

Petúnia: Pois bem, essa é a última vez que você virá aqui sem o meu consentimento , Túlio.

Túlio: Sim senhora Dursley.

Petúnia: Ok então, agora venham tomar o café da manhã, meninos.

Eu/Duda/ Túlio: Sim senhora!

E assim fomos para a cozinha. Ao chegarmos lá, eu escolhi meu lugar perto da tia Tunia e Duda no outro lado dela. Túlio  sentou longe de mim, mas perto do meu primo.

Petúnia: Agora meninos, vocês tem algo a contar?


E foi aí que eu realmente entendi o ditado: " Não façais coisas que te faças se arrepender depois!"


[...]


Petúnia on:


Sei que comecei os pressionando com isso, mas não me entendam mal. Eu sei que algum deles vai me responder, nem que seja uma meia verdade.


Olho para os três e refaço minha pergunta.


Eu: E então meninos? Estou aguardando suas palavras!


Duda: Bom mãe, o Harry não gosta do Túlio e o Túlio não gosta do Harry. Então eu não queria que ele brincasse comigo e com Harry.


Olho para Túlio. Mas depois viro para Harry.


Eu: Querido, por que você não gosta de Túlio?


Harry bufou, e confesso que achei ele uma gracinha irritado.

Harry: Tia Tunia, eu não gosto dele porque quando estávamos no zoológico, ele me acusou de algo que eu não fiz!


Duda: Isso é verdade, mamãe! Harry estava comigo o tempo todo e nada de esquisito aconteceu! Túlio deve estar com inveja dele.


Túlio ficou boquiaberto.


Eu: Túlio, sua vez de relatar o que aconteceu.


Ele acena positivamente e logo começa:


Túlio: Bem, quando chegamos no zoológico, o senhor Válter disse para Harry ficar longe de mim, pois ele sabe que nós não nos bicamos muito bem. Até aí tudo bem, porém ele também falou pro Harry ficar junto com Duda apenas. - *ele toma fôlego e depois continua.* - Mas isso não é o mais assustador, dona Petúnia! Enquanto eu vagava pelos corredores contendo cobras, avistei uma que era muito bonita, só que ela estava dormindo. Então eu resolvi tentar acordar ela, mas ela não queria acordar! Como eu havia desistido dela,  decidi sair dali, todavia ao virar  para  entrar em outro corredor, ouvi sussuros que me arrepiaram até os pêlos da minha nuca.


Olho pra ele e digo.

Eu: Ok, continue, Túlio.

Túlio: Ai dona Petúnia, eu resolvi voltar para onde Duda e Harry estavam. Foi quando eu vi a cobra acordada e Harry conversando com ela, como se fosse a coisa mais natural do mundo!

Olho chocada para Harry, mas novamente desconverso com Túlio.

Eu: Túlio, você tem certeza disso?

Túlio: Sim! Tanto que com a correria que eu cheguei lá, acabei derrubando Harry. E ai eu chamei o senhor Válter para ver aquilo. Então, não sei o porquê, Duda brigou comigo!

Solto um suspiro exaltada.

(Céus, esse menino teve a cara de pau de vir aqui depois de empurrar meu sobrinho!)

Eu: Creio que devo ter uma conversa bem séria com sua mãe Túlio, isso que você fez foi muito grave. E se Harry faturasse a coluna? Eu estou  completamente desapontada com você.

Túlio: D-desculpa, dona Petúnia!

Eu aceno negativamente para ele.

Eu: Túlio, eu tenho certeza que você não se desculpa. Ah! E agora eu acho que sua mãe precisa saber que, filho dos outros que não são meus parentes, precisam de babá! Agora diga o número do celular dela.

Túlio: O número é 99xxxxxxx.

Eu: Ok, agora por favor, sente-se e espere sua mãe chegar. De hoje ela não me escapa!

[...]

Depois que Túlio me passou o número, resolvo ligar.

Ligação on

Daya : Alô?

Eu: Daya, é você? Sou eu, a Petúnia!

Daya: Ah, Petúnia! O que aconteceu?

Eu: Creio que, quando você chegar, devemos ter uma boa e longa conversa!

O telefone de repente fica mudo. Logo depois, vem a resposta que eu  mais esperava.

Daya: Logo sairei do serviço, e vou ir aí!

Eu: Ok.

Daya: Tchau, Petúnia!

Eu: Tchau.

Fim da ligação.

(Espero que ao menos ela venha!)

[...]

Harry on:

Tia Tunia estava diferente essa manhã. Ela estava no celular como se contasse os segundos pra algo.

Claro que eu não perguntaria o que era, mas eu acho que tem haver com Túlio.

(Será que tudo tem que envolver ele??)

Duda: Harry, você também notou que a minha mamãe tá agindo estranho?

Eu: Sim, Duda! Eu sei que a tia Tunia com certeza vai falar com a mamãe do Túlio. Mas não podemos fazer tempestade no copo d'água ainda.

Duda: Você fala coisas que às vezes eu não entendo, Harry.

Harry: Eu puxei a inteligência da minha mamãe.

Duda: Ah, sim! Eu tenho sorte de ter um primo tão inteligente!

Eu: E eu tenho sorte de ter um primo tão corajoso!

Com isso nos abraçamos e ficamos até tia Tunia nos chamar para o almoço.

[...]

Petúnia on

Estavamos todos almoçando, quando meu telefone começa a tocar.

Eu: Crianças terminem de almoçar, vou atender o telefone e já, já volto.

Saio dali sem esperar a resposta deles.

Chego na onde estava o telefone e atendo.

Ligação on

Eu: Alô?

Daya: Desculpa o incômodo, mas eu já estou chegando aí.

Eu: Tá, é só isso?

Daya: Vou desligar...

Fim da ligação

Acabo desligando na cara dela.

Eu: Choraste colega!

Dou uma risada.

[...]

Volto para cozinha bem plena e me sento na cadeira.

Duda: Quem era mamãe?

Eu: Ah! Era apenas  a mãe de Túlio, meu amor.

Túlio: O que ela queria, dona Tunia?

Eu: Apenas dizer que vai vim te buscar.

Ouço Harry sussurrar pra Duda e o primo acena positivamente:

Harry: já vai tarde!

Eu: Harry! Não é assim que se trata as visitas, meu bem.

Vejo ele corar, mas logo ri em seguida.

Harry: Hahahahah, sim tia Tunia!

Eu: Agora Túlio, vamos esperar a sua mãe lá fora.- digo pra ele. 

Túlio: Sim senhora.

Petúnia: E Harry, leve Duda para sala e fiquem lá, ok?

Harry: Sim tia Tunia.

Com isso, ele pega na mãozinha do primo e correm em direção a sala.

Eu: Vamos Túlio.

[...]

Estamos esperando na frente da minha casa faz 5 minutos e nada!

Eu: Túlio, a sua mãe é bem... Bem desnaturada! Que mãe deixa o filho fazer o que quer??

E foi isso que fiquei discutindo com ele. Até que um Celta preto dobra a esquina.

O carro estaciona no outro lado da rua e de lá desce a tão esperada Daya.

Daya: Eu demorei muito?

Mal ela chegou na calçada e Túlio correu em direção dela.

Túlio: Mamãe, mamãe!

Daya: Oi meu amor!- diz ela o pegando.

Eu: Já era hora! Eu pensei que ia ter que me tomar um bronzeamento artificial!

Daya: Desculpa, mas eu quero ter um trabalho bom!

Eu: Tá reclamando? Arruma uma babá na próxima vez! 

Daya: E se eu não quiser?

Eu: Tem que querer nada! Eu não sou obrigada a olhar filho dos outros e o seu não vai ser exceção! Então dá próxima vez, procure outra pessoa pra olhar a sua cria!

Daya: E qual é o problema do meu filho ficar aqui?

Eu: Simples, pergunta pra ele o que ele fez com meu sobrinho!

Ela olha pra mim e depois pra Túlio.

Daya: O que você fez Túlio?

Túlio fica quieto.

Eu: Se ele não vai falar, eu falo!- falo em apenas uma respiração.- Ele foi ao zoológico com meu sobrinho, depois o empurrou e depois contou coisas acusatórias pra cima dele!

Daya acaba soltando um suspiro.

Daya: Vamos Túlio, não se misture com essas pessoas!

Eu: Já vai tarde querida!

Depois que eles entram no carro, entro em casa.

Passo perto da sala e quando iria para o outro cômodo ouço Harry.

Harry: O Túlio vai vir aqui de novo, tia Tunia?

Eu: Não meu amor. Ele não vai voltar aqui de novo!

Vejo os olhinhos dele brilharem e ele vai correndo pra contar à seu primo.

Harry: Duda,Duda! O Túlio não vai voltar!

Duda: Eba!

E com isso os dois ficam pulando de um lado para o outro.


Notas Finais


Foi isso gente obrigado por lerem até aqui e até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...