1. Spirit Fanfics >
  2. Uma mulher de atitude >
  3. Capítulo Único.

História Uma mulher de atitude - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oneshot não revisada, espero que gostem. ;D

Capítulo 1 - Capítulo Único.


Fanfic / Fanfiction Uma mulher de atitude - Capítulo 1 - Capítulo Único.

Segunda-feira, 18 de Maio de 2020. 22h45. Rio de Janeiro.



Eu estava deitada no peito de Diego, estávamos assistindo uma série qualquer na Netflix, quando ele tem uma crise de risos.


- Eu hein, enlouqueceu? - Pergunto a ele, que coloca as mãos na barriga, e continua a rir.


Passada a crise de riso, ele diz:


- Eu estava lembrando como a gente se conheceu. - Explica e eu abro um sorriso, lembrando do fatídico dia em que Diego Ribas da Cunha apareceu em minha vida.




Flashback, 14 de Abril de 2016. Hospital Metropolitano do Rio de Janeiro:



Meu plantão estava prestes a acabar, faltava apenas 3 minutos e eu, finalmente poderia ir par casa, tomar um banho relaxante e deitar na minha cama quentinha e bagunçada.


Enquanto encarava meu relógio, com o intuito de fazer o tempo passar mais rápido, ouço me chamarem pelo serviço de som do hospital.


"Doutora Sofia Gutierrez, comparecer ao quarto 473, urgência, imediatamente!"



Solto um suspiro frustrado e arrumo meu jaleco, disparando em direção ao quarto indicado.


Ao chegar lá, noto uma pequena confusão acontecendo, e alguns enfermeiros tentando apaziguar a situação.



- Léo, o que é isso? - Puxo um dos enfermeiros para fora do quarto, tentando entender o que estava acontecendo no quarto.


Ele passa os dedos pelos cabelos, nervoso.


- O paciente é um jogador de futebol, estava em uma festa, viu a esposa beijando um companheiro de time, partiu pra cima dele, foi uma briga feia, se estendeu até aqui. - Suspira. - A esposa e o cara com que ela chifrou ele estão dentro do quarto, a situação está incontrolável. - Resmunga.


Fecho meus olhos e conto até dez, peço paciência a todas as entidades que conheço e crio coragem para entrar no quarto.



- Peço para se retirarem do quarto, preciso verificar o estado do paciente. - Digo seriamente, para a esposa e o companheiro de time do jogador.



- Você não pode me tirar o direito de ficar com meu marido! - A loira e esposa do jogador grita.


- Ex-marido! Considere-se solteira a partir de agora. - O suposto corno ruge e tenta se levantar da cama, mas eu corro até ele e o impeço.


- Senhora, eu preciso verificar o estado dele, e a sua presença está deixando ele claramente nervoso. - Falo e ela se prepara para gritar novamente.


- Bruna, vamos sair daqui, depois nós conversamos com ele. - O companheiro de time do jogador, fala. - Deixe a médica ver se está tudo bem, vamos. - Tenta puxar a mulher mas ela se recusa a sair.



Tudo bem, perdi a paciência. Acionei os seguranças.


Em menos de 2 minutos eles aparecem e eu aponto para a suposta infiel.


Ela surta e tenta me agredir.



- Por favor, se dê o respeito! - Exclamo. - Além de infiel é barraqueira, que bela esposa você foi arrumar. - Falo para Diego, que ri, e depois resmunga de dor.



Os seguranças retiram ela do quarto e eu analiso o paciente, ele tem cortes no supercílio, nariz, boca, uma luxação na costela e suas mãos estão bem machucadas.



- Você quis bancar o Mike Tayson com um cara que tem o dobro do seu tamanho?! - Exclamei, sem pensar. - Coragem, noção não tem. - Completo e me amaldiçoo mentalmente por ter uma boca grande.


Diego ri e me pergunta:


- Você já foi traída? - Questiona.


Reviro os olhos e assinto.


- Já sim, mas é aquele ditado: um homem sem chifres é um animal indefeso. - Respondo e ele gargalha.


Sorrio, a risada dele é contagiante.



- Eu tinha 22 anos, ele me pediu em casamento, eu aceitei. - Conto e ele me observa atentamente. - Um dia antes do casamento eu descobri que ele estava me traindo, eu era nova e sem juízo. - Faço bico e me concentro em fazer seus curativos. - Eu imprimi as fotos em que ele me traía e coloquei embaixo das cadeiras dos convidados. - Sorrio, maldosa. - Na hora em que o padre me perguntou se eu o aceitava como esposo eu disse não e pedi para os convidados olharem as fotos embaixo das cadeiras. - Limpo o machucado em seu nariz e ele resmunga. - Foi uma confusão, ele me pediu perdão, de joelhos, chorou e tudo. - Digo, dramaticamente. - Eu soquei ele, chutei e só saí de cima depois de quase cair do altar. - Ele gargalha. - Depois eu rasguei parte do vestido e fui aproveitar a festa. Apesar de trágico, foi legal. - Termino.



Ele se recupera da crise de riso e fala:


- Uau, eu daria tudo pra estar lá e ver isso. - Fala.



- Gravaram esse momento histórico. - Digo. - Depois eu te mando por Whatsapp. - Falo e ele arqueia a sombrancelha. - Mas primeiro eu preciso do seu número para isso. - Mexo as sombrancelhas, de forma provocativa.



Sim, eu estava dando em cima de um cara que tinha sido traído, e estava machucado, quem perde tempo é relógio.



Fim do Flashback.



- Depois eu te passei o WhatsApp, e você realmente me enviou o vídeo. - Me abraça. - E foi assim que começou a nossa bela história de amor. - Fala em um tom fino e debochado.


- Diz aí, eu sou ou não sou uma mulher de atitude? - Dou língua.


- Sim, uma mulher de muita atitude. - Responde em tom malicioso e sugestivo.


- Sai daqui, mente poluída. - O empurro e nós rimos.



Sim, eu sou uma mulher de atitude.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...