História Uma Namorada para TaeHyung - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Visualizações 16
Palavras 1.504
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 21 - Capítulo 21


No dia seguinte Hoseok acordou antes de Joy e deixou um bilhete em cima do travesseiro. Precisava reparar alguns erros antes que se tornassem maiores. Estava decidido a não ter nenhum tipo de aproximação com Seo Yeon durante os shows que estavam por acontecer. A verdade é que não teria muito tempo para despedir-se de Joy ou de qualquer outra pessoa. Na indústria musical tudo acontecia muito rápido.

As semanas iam passando e a agenda só aumentava diante de tantos compromissos que os rapazes tinham que cumprir. Na maioria dos eventos Seo Yeon estava junto e para evitar maiores danos Joy pediu para continuar cuidando da organização do prédio. Desde que houve uma aproximação repentina Joy se sentia mais animada e estava sempre disposta a ajudá-los em tudo o que precisassem.  Praticava as danças com mais freqüência, mas sabia que ainda faltava algum ingrediente especial.

Era mais fácil manter a mente ocupada com a dança já que tinha mais tempo livre. A saudade que sentia de falar com os rapazes era nítida, principalmente com Hoseok, mas não dava para estar por perto sempre. A música estava num volume considerável. Joy já tinha cumprido com as suas tarefas do dia e sentia-se confiante quanto à dança.

Na sala do Park Kwang o coreografo Lee Jung assistia ao ensaio de Joy. Estava surpreso com o que via. Aquela garota tinha tudo para se tornar uma verdadeira maquina de dança. Já estavam programados para a seleção das novas garotas para a girlgroup. Joy era uma forte candidata.

— Acha que pode deixá-la pronta para encarar uma platéia? — quis saber o Park Kwang.

— Acredito que não terei muito o que fazer, mas posso treinar a movimentação em palco, pontos principais  a serem encarados... — ele foi interrompido por um Park Kwang animado.

— É tudo o que preciso.  Em breve farei uma avaliação vocal e se ela for tão boa quanto eu espero... — o homem parou no meio da frase.

O coreografo o olhou pensativo.

— Está pensando em colocá-la no mesmo grupo que a Han Seo Yeon? — indagou o homem.

— Talvez...

— Podemos fazer um teste, mas eu aposto que essa garota — apontava para o computador — Ela tem tudo para começar e seguir como solista. Não é do tipo que se apóia nas pessoas, tem energia e vitalidade para ser o centro das atenções. Colocar ela junto com a Seo Yeon seria motivo de uma verdadeira guerra no palco.

— Confio na sua avaliação. Fique à vontade se quiser falar com ela.

No mesmo instante o homem saiu da sala de Park Kwang e foi até a sala onde Joy treinava. Sua intenção era entrar, mas não interromper a evolução da dança. Uma batida na porta foi o suficiente para que ele seguisse em frente e ainda conseguisse contemplar a jovem dançando até que ela percebesse a sua presença.

— Belos passos, sincronia perfeita e a paixão pela dança é sensacional. — comentou ele se aproximando — Não é sempre que eu vejo isso em quem não tem sonho de enfrentar um palco.

Joy não conseguia entender o que estava acontecendo naquele exato momento, mas era dali que tudo faria diferença na sua vida.

— Pode me mostrar mais alguns passos? — pediu o homem.

Ela apenas assentiu. O homem colocou uma música aleatória. Precisava ver como ela lidava com o improviso.

— Ignore a minha presença nessa sala e deixe a música te guiar. Faça tudo o que sentir vontade. — instruía o homem — Sei que pode ir bem longe, respire fundo. Agora quero ver o show acontecer.

A melodia era mais suave. Uma balada romântica provavelmente cantada por mulheres. Havia um toque especial. Cada movimento realizado era preciso e não havia insegurança. O jogo de mão e cintura estavam sincronizados e funcionavam como pendulo. A precisão era mpressionante. O melhor de tudo era que Joy colocava sentimento em cada passo, mesmo que não fosse pedido. Lee Jung estava impressionado.

— Você dança muito bem! — elogiou ele quando a música terminou — Onde estudou a arte da dança?

Ela ofegava.

— Nunca freqüentei uma escola de dança, mas aprendi muito só de observar. — um sorriso tímido surgiu em seus lábios — Amo dançar e talvez isso faz com que seja melhor.

Ele cruzou os braços. Havia algumas perguntas que precisavam serem feitas.

— Sério? Mas pareceu que veio de alguma escola importante.

Joy deu de ombros

— A história da minha vida é mais triste do que pode imaginar.

— Está disposta a dar o seu melhor e se tornar uma idol?

A garota piscou algumas vezes ainda tentando compreender. Não conseguia dizer uma única palavra diante do que significava aquela oportunidade. Ao menos estaria tendo a chance de tentar algo que ela sempre desejou.

— Daria até a minha vida. Não imagina o quanto significa ter essa oportunidade.

— O meu conselho é que se exercite mais, faça uma alimentação balanceada e descanse o suficiente. A partir de amanhã começaremos com o treino pesado.

Ele saiu da sala deixando-a mais a vontade. Sem poder conter a ansiedade, Joy correu até onde estava o seu celular e procurou um único contato. Ele precisava saber das novidades. Tremia de felicidade e quase não conseguia digitar as palavras corretas.

Joy: Pode falar?

Taehyung: Aconteceu algo?

Joy: Sim. O coreografo de vocês vai me treinar.

Taehyung : HAHAH! Desculpa pela risada, mas será que você vai agüentar lidar com a loucura dele? Ele é exigente e pega pesado.

Joy: Vou fazer valer a pena. Preciso sair da minha zona de conforto.

Taehyung: Claro que vai. Se precisar pode falar comigo.

Joy: Obrigada! Está conseguindo sobreviver com a Seo Yeon?

Taehyung: Eu tento, mas ela foi fazer compras. Disse que precisa estar sempre bem vestida, pois logo mais seria anunciada como membro de uma girlgroup.

Joy: Fiquei com medo agora. Talvez ela acabe mudando o jeito dela.

Taehyung: Queria que ela fosse mais tranqüila, mas isso é algo que nunca vou ver acontecer. Sou feliz por te ter por perto. Os rapazes estão mandando beijos e abraços.

Joy: Estou sentindo saudade das bagunças, mas sei que estão arrasando por onde passam. Preciso terminar o turno e ir para casa.

Taehyung: Logo mais nos encontramos.

Mais um dia de trabalho foi concluído com sucesso. Quanto antes chegasse em casa seria melhor, pois queria relaxar um pouco. Estava ansiosa em ser treinada pelo melhor coreografo que ela já havia conhecido. Parar de pensar nas palavras daquele homem era impossível. Esperou pelo primeiro ônibus que passou para casa. Dentro da condução algumas pessoas comentavam a respeito do show do BTS. Era motivo de orgulho mesmo que ela não demonstrasse isso quando estava perto deles.  Daria tudo para ter a sua irmãzinha por perto, ela sim ficaria maluca só em vê-los. Sonhava com o dia em que poderia abraçá-los.

O trajeto até sua casa foi calmo demais. Teria que andar pouco, mas nunca se importou com isso. A música não saia de sua cabeça de modo que enquanto andava ela executava alguns passos. Já era normal toda vez que a viam fazer isso.

Joy sentiu as suas pernas falharam ao ver que a porta de sua casa estava aberta. Não queria pensar que o pior havia acontecido. Ao chegar à porta não encontrou mais nenhum de seus pertences. Havia sido roubada e levaram tudo. Entrou para ter certeza de que a sua visão a traia. Tudo o que ela conquistou foi embora em tão pouco tempo. Sentou-se no chão e deixou que as lágrimas rolassem. Já era difícil se manter sozinha e agora se via perdida. A maldade das pessoas não tinha limites.

Por que justamente quando ela acreditava que a sua vida estava começando a mudar, tudo virava ao avesso? Estava cansada de sempre dar murro em ponta de faca. Estaria ela destinada a ser uma perdedora para o resto de sua vida? Não poderia pensar daquele jeito. Permanecer ali já não era mais necessário. Ajeitou a jaqueta e saiu daquela casa. Ali não seria mais o seu lar.

As ruas de Seul eram iluminadas pela luzes do comércio noturno. A vida de alguns começava quando uma parte do país se retirava para um descanso. Desolada com o que aconteceu, Joy preferiu passar a noite andando por aquelas ruas. Não importava para onde ia, só precisava esquecer aquela cena. Esse era um dos grandes problemas de não ter amigos na Coréia. Faltava opções a serem seguidas, mas se os meninos estivessem por perto seriam a sua única opção de passar a noite num lugar seguro. Nem mesmo Kimie estava na cidade para lhe dar ajuda. Só teria que esperar o dia nascer, poderia deitar num banco de uma praça e rezar para que não chovesse.

Pensava no quanto poderia estar aproveitando o aconchego de sua mãe e irmã. Elas sempre seriam o seu refugio não lhe negariam um abraço, uma palavra amiga. Seria tão diferente de tudo o que já viveu. Ficou sentada no banco da praça enquanto os seus pensamentos voavam para longe de si. Iria mostrar para todos que ela poderia ir longe, que a estrela dela brilhava e jamais pisaria nas pessoas.

 

 

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...