História Uma Namorada para TaeHyung - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Visualizações 47
Palavras 3.398
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Capítulo 4


A verdade é que nada daquilo era esperado por Joy. A oportunidade de estar ajudando os rapazes era novidade, mas saber que também teria a chance de mostrar o seu talento era algo impossível de se conter. Conseguiu ficar mais empolgada para terminar as suas tarefas e quando se deu conta já não havia mais nada a ser feito. Finalmente poderia ir para casa. Como conter tudo o que sentia? Precisava ser colocado para fora de algum jeito. Foi até o vestiário trocar-se. Quanto antes pudesse sair daquele prédio mais leve se sentiria.

Conforme ia andando ela imaginava que havia alguém ao seu lado para escutar as suas novidades. Estava parecendo uma louca enquanto andava? Sim, mas ela não ligava para o que poderiam pensar a seu respeito. A felicidade havia batido na sua porta e Joy estava disposta a mantê-la durante um bom tempo ao seu lado. Tinha que aproveitar todas as brechas que a vida lhe mostrava e tornar o seu caminho mais iluminado.

Quando chegou em casa Joy só queria se livrar da mochila pesada e dos sapatos que estavam apertando seus dedos. Gostava de se sentir livre. Em seu quarto Joy não conseguia parar de pensar na conversa que teve com o diretor. Ainda não caia a ficha de que ele havia visto vídeos seus dançando. Queria acreditar que TaeHyung não tinha algum envolvimento. Não era possível que o homem tenha notado tudo sozinho. Sentia-se tão ansiosa com a ideia de poder ajudar os rapazes durante o show. Eles mereciam a sua ajuda, afinal se não fosse por eles teria sido pior a cena do desmaio. Seria uma nova experiência. Acreditava que tudo daria certo tanto para o grupo quanto para ela.

Com o adiantamento que havia recebido, fez uma compra para reabastecer o seu armário. Era apenas o básico para manter-se durante alguns dias, pois não havia como comprar muita coisa e deixar que tudo estragasse. O local onde ela morava era pequeno. O quarto era pequeno demais mesmo para uma única pessoa, a cozinha ao mesmo tempo virava uma sala.  Ao menos ela tinha um lugar para se abrigar em dias frios e chuvosos. Já estava de bom tamanho.

Tudo o que havia conquistado em pouco tempo ela guardava em caixas as deixava organizadas para quando houvesse a necessidade de mexer em algum momento. E mesmo assim ela nunca reclamava de sua situação, desde que ninguém soubesse da sua realidade nada mais importava. Queria ter algo a mais para fazer, mas nada surgia em sua mente. Ligou o seu celular simples e ficou encarando a foto que estampava a tela. Era a foto onde sua mãe, Kiara e ela estavam reunidas. Uma única lembrança para afastar a dor da saudade que ela sentia. Conseguia sentir-se abraçada todas as noites, o beijo suave na testa que sempre recebia de sua mãe antes de dormir a fazia sorrir. Nem mesmo a distância poderia mudar o que já havia sentido.

Muita coisa havia mudado na sua vida desde que se mudou para a Coréia. Nada era fácil de se conquistar, mas o pouco que conseguia sempre agradecia. Talvez fosse isso a diferença, Joy sabia ser grata aos mínimos detalhes. Uma das lições mais importante que teve com a mãe e sempre levaria consigo. Joy ainda tinha esperanças de que faria sua mãe e a irmã muito felizes.

Ela rolava de um lado para o outro na cama. A ansiedade não permitia que a sua mente se acalmasse. Queria dormir, mas seria impossível com tantas coisas rondando sua mente. Poderia arriscar algum contato com Hoseok, mas também corria o risco dele estar dormindo, afinal o dia seguinte seria puxado para eles.

Joy: Ainda acordado?

Ela queria tentar ter algum tipo de conversa com ele, mas poderia estar dormindo. Esperou em torno de cinco minutos até que a tela de seu celular se acendesse. As batidas de seu coração aceraram num ritmo que ela desconhecia.

Hoseok: Deitado... olhando para o teto enquanto escuto o Jin roncar.

Ela se controlou para não rir alto.

Joy: Ah! Peço desculpas se o interrompi no meio de algo tão importante...

Hoseok: Quem dera se tivesse atrapalhado... Como está se sentindo para amanhã?

Joy: Ansiosa e animada, mas preocupada.

Hoseok: Vai dar tudo certo! Só confiar.

Joy demorou para mandar mais alguma mensagem. O rapaz já estava cogitando a ideia de que ela havia caído no sono.

Hoseok: Ainda ai?

Joy: Estava pensando...

Hoseok: Ainda tenho alguns passos para te ensinar. Técnicas que podem ser aplicadas a qualquer estilo de dança.

Joy: Sério?

Hoseok: Claro que sim. A demora vai ser ter algum espaço na agenda.

Joy: O importante é treinar com alguém maravilhoso...

Hoseok sorria abobalhado com o elogio que recebeu por mensagem. Esperou por mais mensagens, mas Joy já deveria estar cochilando. Em algum momento o sono deveria chegar para todos.

 

*****

 

O celular da garota despertou em torno das oito da manhã. Precisava ter algum tempo para melhor se organizar e acalmar os nervos antes de ter contato durante um tempo maior com os rapazes. Cruzar os corredores e encontrá-los era uma coisa, mas passar praticamente o dia todo agüentando toda a loucura deles era outra coisa totalmente diferente. Cuidou de toda a higiene matinal e depois que tomou um café da manhã mais reforçado, pegou um bloco de notas e começou a riscá-lo.

Fazia anotações importantes a respeito de cada um deles. Ressaltava as cores e estilo que cada um usava durante os shows. Pelo menos era tudo o que ela já havia notado durante os vídeos que assistia na recepção. Sempre havia um detalhe para diferenciá-los. Enquanto estivesse com a equipe do show ela poderia tirar todas as dúvidas que pudessem surgir. Como Hoseok havia dito, ela só precisava confiar que tudo daria certo.

Pouco antes das dez da manhã, Joy já tinha deixado tudo organizado na sua casa. Conferiu várias vezes uma pequena lista que havia preparado com alguns detalhes específicos dos rapazes. Só tinha que esperar a van chegar para levá-la até o local do evento.

Poucos minutos de passaram e ela ouviu a buzina tocando e saiu rapidamente de casa. Não era legal deixar a equipe aguardando durante muito tempo.

— Bom dia! — cumprimentou o motorista — Pronta para começar a nossa viagem?

Ela suspirou.

— Não muito, mas vamos em frente.

— Bom dia Joy! — cumprimentou Yoongi.

Ela estranhou ao ver todos os rapazes compartilhando o mesmo automóvel. Ela sempre acreditou que a equipe ia separada dos artistas.

— Esperava que eles fossem em outro veiculo? — adivinhou o motorista.

— Exatamente.

— Com eles isso não acontece muito. São adeptos da aproximação como se fosse amigos e familiares. — explicava o homem — A diversão é garantida desde o primeiro minuto da manhã. Sugiro que aproveite.

Nervosa, ela apenas acenou para todos os rapazes. Não era muito de falar logo cedo. Joy teve que ir na mesma van com o grupo, sentia-se um pouco desconfortável e não queria se sentir uma estranha no meio deles. Por sorte o motorista pediu que ela fosse ao seu lado, mas mesmo assim não resolvia muita coisa. Sentia os olhares em sua direção, deveriam estar curiosos por algo. Para um grupo que tinha a agenda bem apertada entre vários eventos, eles eram bem agitados. Joy esperava um pouco mais de tranqüilidade durante a viagem.

 Foi necessário que alguns minutos passassem e a brincadeira começasse entre eles. Tiveram a brilhante ideia de cantarem músicas infantis só para melhorar o humor de Joy. Não havia meios de ignorar toda aquela bagunça, pois até o motorista se deixava levar e tornava tudo ainda mais engraçado. Hoseok e Tae faziam de tudo para que a garota se soltasse mais diante das loucuras, até que ela se arriscou. Um pouco mais contida, mas participava da bagunça coletiva. Impossível resistir a eles. Todas aquelas brincadeiras durou durante as quatro horas de viagem.

Assim que chegaram ao local todos eles foram chamados para fazerem reconhecimento de palco. As brincadeiras nunca eram deixadas de lado. Esse espírito deles era maravilhoso. Até dançaram músicas de outros artistas enquanto alguns dos instrumentos eram afinados da maneira correta. Tudo em prol da diversão e dos risos descontrolados dos amigos.

Durante a passagem de som, Joy apenas observou como cada um dos rapazes agia naquele momento. Brincavam, mas permaneciam sérios. Era o momento em que precisavam garantir que nada daria errado durante a apresentação principal. Joy percebeu que mesmo algo técnico eles não deixavam de dar o seu melhor. Faziam para valer todo o esforço da equipe. Sentia orgulho do que via e pela oportunidade que estava tendo que acompanhar tudo de perto. A passagem era tão importante quanto a apresentação. Poucos gostavam daquele momento. Felizmente estava tudo do jeito que deveria ser.

JungKook saiu do palco já sentando-se no chão. Se abanava e tentava acalmar a respiração agitada. Joy que passava por ali procurando alguém da equipe para auxiliá-la não mediu esforços e se aproximou do rapaz.

— Está tudo bem? — perguntou ela estendo-lhe um lenço.

— Não muito!  Sentindo minhas pernas tremerem e o peito ardendo.

— Tem que relaxar. — ela o ajudou a deitar no chão para acalmar a respiração dele — Inspira pelo nariz e expira pela boca. — ela o observava com atenção realizar o exercício. — Deixa a sua mente vazia, se imagina num campo verdejante... os pássaros cantando.

Com a ajuda de um cartão em suas mãos, Joy começou a fazer vento para o rapaz. Seu rosto suado demonstrava o quanto esforçado cada um deles era.

— Ainda bem que está conosco! — exclamou ele ofegante — É de grande ajuda mesmo.

— Só respira fundo e tudo voltará ao normal. Quando for se levantar tem que ser com calma para não te dar tontura. — orientou Joy levantando-se — Preciso falar com uma pessoa da equipe.

— Sem problema.

Joy caminhou à procura do restante da equipe em busca de auxilio para organizar a ordem dos figurinos. Ela era a única que não sabia.  O que era para ser breve logo levou mais tempo do que o esperado. Ela ficou vidrada vendo a performance de Tae e Hoseok. Os dois nos palco eram magníficos. A conexão que existia entre eles era possível de ser sentida. Realmente ela teria um dia muito longo pela frente. Não demorou para que ela logo voltasse para as suas tarefas antes que percebessem que ela estava babando só em vê-los fazendo passagem de som.

Algum tempo depois eles foram dispensados da passagem. Um a um foi passando perto de Joy em direção a sala de descanso, teriam algum tempo livre antes de começarem a cuidar da maquiagem e figurinos. Pareciam todos tão calmos.

— Está tudo bem? — quis saber Namjoon preocupado ao ver Joy agitada.

— Estou... — ela o olhava seriamente — Vocês nem ficam mais nervosos, não é? Já estão acostumados com os shows.

Namjoon sorriu exibindo suas covinhas. Era tão fofo. Ter um dialogo com ele chegava a ser mais fácil, ele transmitia segurança.

— Ao contrário do que parece o nervosismo ainda existe. Cada lugar onde realizamos os shows sempre tem alguma surpresa, os fãs se tornam nossos amigos, mas sempre ficamos preocupados com todos os mínimos detalhes. O nervosismo e ansiedade nunca nos abandona! — ele apontava para a sala onde estavam todos reunidos fazendo lanche — Fica um pouco com nós. Vamos precisar de toda ajuda possível. Precisa saber um pouco mais sobre o nosso comportamento.

O que ela conhecia à respeito de cada um poderia ser uma surpresa caso tivesse que revelar. Não era ignorá-los, mas tinha que assumir o controle da situação. Demonstração de fanatismo estava fora de cogitação.

— Não me sinto à vontade.

— Só relaxa. Vai levar um tempo até que comecem os preparativos finais.

Seguindo o conselho do líder do grupo, Joy adentrou a sala e ficou ainda mais encantada ao vê-los rindo das piadas que Jin contava. A harmonia entre eles era intensa e agradável. Ele mesmo não se agüentava.  Namjoon esperou até que todos lhe dessem a devida atenção para começar a falar.

— Vamos ajudar a Joy a se enturmar. — começou ele — É nossa amiga a partir de hoje.

Ela o olhou assustada. Não era este tipo de tratamento que esperava.

— Isso é um pouco de exagero. — protestava — Vocês não podem me considerar amiga sem me conhecerem direito. — murmurou Joy.

— Se o Namjoon disse, assim será! — exclamou Jimin sorridente.

— Qual de nós é o seu bias? — quis saber Hoseok.

Imediatamente Joy cobriu o rosto confusa.  Não era para ser verdade. Aquela era uma pergunta que ela nunca imaginou que ouviria vindo diretamente por um dos membros. Hoseok não queria perder a oportunidade de descobrir mais a respeito dela.

— Me desculpa, não sou capaz de dizer quem é o meu bias. Gosto de todos por igual. — seus olhos brilhavam intensamente — São sete membros e cada um tem uma característica com qual me identifico. Uma história que sempre vai com que eu nunca desista dos meus sonhos. Vocês são mais do que exemplos de pessoas que lutaram para ter o reconhecimento e provar a toda as pessoas que duvidaram que a música os salvariam. Milhares de fãs são gratos por tudo o que fizeram, por darem a elas a esperança, o sorriso e fazer com se amassem do jeito que são.

Os rapazes ficaram encantados com a sua resposta e logo começaram a bater palmas e fazer muito barulho. Ela daria tudo para que sua irmãzinha estivesse ali naquele momento. Seria bem divertido.

— Preciso ir até o camarim ver os figurinos de cada um. — disse ela se retirando.

JungKook esperou até que ela estivesse mais longe para fazer alguns comentários. Havia notado algo fora do comum e não perderia a oportunidade de compartilhar com seus hyungs.

— Eu tenho certeza de que o Tae é o bias dela...  — fez uma pausa breve — Está na cara! Talvez ela o queira como namorado. — ele lembrava de algo — Minha mãe sempre fala que quando dois brigam no fim é sempre amor. O Tae precisa de uma namorada.

Rapidamente Tae desviou a atenção do celular e encarou os rapazes. Aquela brincadeira não poderia estar se repetindo.  Já era um assunto tão antigo que não valia a pena ser lembrado, mas sempre tinha um engraçadinho para lembrar. Se não tivessem tantos shows agendados, Tae acabaria matando JungKook.

— Já estou cansado de todos falarem que eu preciso de uma namorada! — resmungava Tae — Qual é o problema de todos vocês?

Yoongi colocou- se ao lado do amigo passando o seu braço por cima do ombro do Tae. 

— Você sabe que estamos apenas brincando. Não leve nada tão a sério. — explicava Yoongi.

— Que seja! Preciso de um tempo sozinho...

Tae se levantou e foi caminhar pelos corredores. Tinha que se acalmar antes de fazer a maquiagem. Ele passou a passos largos em frente ao camarim despertando a curiosidade de Joy. Ela hesitou em sair atrás dele, mas não poderia permitir que ele ficasse para baixo, não parecia adequado para um momento como aquele. Pediu licença ao restante da equipe e o acompanhou lentamente. Parecia que Tae corria ao invés de andar. Preferiu dar alguma vantagem antes de aproximar-se.

Ela o encontrou sentado no palco. Debaixo da pouca iluminação ele parecia pequeno. Caminhou lentamente até ele.

— Posso não ser a melhor pessoa no mundo, mas sei que tem algo de errado acontecendo. — murmurou a garota sentando ao seu lado na beira do palco — Quer desabafar?

Ele sorriu fraco.

— É só uma bobeira. Nem sei porquê dei tanta importância. — disse ele dando de ombros.

— Entendo. — um breve silêncio se fez entre eles — Posso te fazer uma pergunta?

— Quantas quiser.  — respondeu ele cruzando as mãos.

— Você contou algo sobre eu utilizar o espaço para o diretor? — ela o encarava seriamente.

A risada fraca praticamente o entregou.

— Só enviei um vídeo, não foi algo com muito tempo de duração. Foi o suficiente para que ele percebesse que tinha mais um talento escondido na empresa. — respondeu Tae.

Sem poder conter a felicidade, Joy o abraçou repentinamente. O rapaz ficou sem reação, não sabia como se portar diante daquele gesto de carinho. Pela primeira vez ele estava se sentindo diferente em relação a aquela garota. Não queria ser invasivo e deu apenas leves tapas em suas costas. Era o mínimo que poderia fazer por ela.

— Obrigada Tae! De verdade. — ela se levantou anima estendo a mão para ele — Agora você precisa ir se aprontar.

— Fica só mais cinco minutos comigo. — seu olhar era de suplica.

Como dizer não a aquele pedido? Principalmente depois de tudo o que ele havia feito tinha que ter algum jeito de retribuí-lo, mesmo tendo que ficar mais cinco minutos ao seu lado. Era uma péssima hora para lembrar algumas músicas que combinariam com aquele momento. O grupo Rebelde sempre esteve presente nos melhores e piores momentos de sua vida. Isso era incrível. Chegava a ser irônico.

 

E então fique em silêncio
Cinco minutos
Eu preciso desse tempo,
Vem junto a mim



Um arrepio tomou conta do corpo de Joy quando Tae deitou sua cabeça no seu ombro e envolveu sua mão na dele. Era nítido que ele precisava de um pouco de atenção e que talvez nem todos fossem entender o que ele sentia naquele momento. Seus pensamentos e sentimentos estavam bagunçados e precisava de um tempo para organizá-los. A aproximação que estava tendo entre ele e Joy era novidade. Queria começar do zero e fazer com que tudo fosse diferente.

— Você me perdoa, Joy? — perguntou ele quebrando o silêncio — Fui imaturo fazendo todas aquelas brincadeiras com você.

Ela começou a rir deixando-o confuso.

— Esquece isso, Tae. Não costumo guardar rancor, mas fico feliz que esteja se desculpando pelos seus erros.

— Ótimo! — exclamou ele animado — Seremos amigos de hoje em diante. Certo?

— Sim. Precisa se preparar.

Ele fez uma careta engraçada.

— Sem formalidades, por favor! Preciso de pessoas loucas, mas que saibam dar conselhos nos momentos certos.

— Aigoo! Meu Deus, Tae! Não basta os seus companheiros com aquela loucura toda e você ainda quer mais? Meu filho, só pode ser problema mental.

A risada de Tae ecoou pelo palco. Não esperava que Joy fosse tão dramática. Ele estava disposto a conhecê-la fora de seus compromissos. Um verdadeiro desafio que ele estava a fim de descobrir. Eles caminharam juntos de volta para o camarim entre risos.

Os olhares de surpresa e admiração a pegou desprevenida quando chegou à porta do camarim. Não havia nada de errado, só teve uma conversa esclarecedora com Tae e nada mais. Preferiu deixar tudo de lado e foi separar os figurinos que seriam usados logo na entrada. Alguns dos rapazes já estavam fazendo a maquiagem e bagunçando. Nunca que ela conseguiria entendê-los por completo.

 

*****

 

As fãs gritando loucamente pelo grupo era motivo de orgulho. Faltavam poucos minutos para que a grande entrada acontecesse.  Estavam concentrados e mandando energias positivas uns aos outros. Quando eles foram para o palco a gritaria se tornou mais forte fazendo com que ela se arrepiasse. O publico sabia todas as músicas e durante as trocas de figurino não houve nenhum tipo de confusão, exceto as brincadeiras de Tae que a deixava desconfortável. Ele sempre insistia em colocar o do nas bochechas de Joy. Ela se irritava com muita facilidade, mas de um jeito divertido. A equipe estava afiada para que tudo acontecesse dentro do prazo estipulado pelos produtores.

Enquanto Namjoon, Hoseok e Yoongi se apresentavam foi o único momento em que Joy conseguiu relaxar. Os outros rapazes já haviam feito a troca de figurino e dali em diante seria o grande final. Foi naquele momento em que a garota esqueceu tudo ao seu redor e soltou a sua voz. Acompanhou a rap line sem problema algum, estava no ritmo deles.

— Você é uma caixinha de surpresas! — exclamou os rapazes assustando-a.

— Por que não contou que sabe cantar? — questionava Jimin.

Ela corava sob os olhares.

— E não sei. — rebateu a jovem. — Daqui a pouco vocês entram. Se preparem. — tentou mudar de assunto.

E assim ela os deixou. Voltou para o camarim para organizar tudo o que faltava. A paz interior que ela sentia nunca poderia ser descrita em palavras. Cada uma das daquelas pessoas foram essenciais para que mais um dia fosse maravilhoso. Não restava nenhuma dúvida de que o show havia sido um sucesso. Apenas terminou tudo o que precisava e saiu sem que ninguém percebesse. Pegou um ônibus para voltar para casa. Algo de diferente estava acontecendo com ela, mas Joy ainda estava confusa e ficar sozinha por algumas horas seria a melhor saída.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...