1. Spirit Fanfics >
  2. Uma Noite De Crime >
  3. Purificação

História Uma Noite De Crime - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Purificação


Fanfic / Fanfiction Uma Noite De Crime - Capítulo 1 - Purificação

Todo Halloween é considerado "a data da purificação", uma noite onde quaisquer crimes são permitidos... 12 horas de violência permitida que faz muitos tremerem e outros sorrirem.

-não tocou em nenhum ômega, parecia um virgem.

-ele tem medo cara, você não entende ainda.

Os alfas conversavam aparentemente se divertindo, sem perceber que nós íamos na direção deles, mas logo nossos passos se tornaram altos e eles nos olharam.

BabyDoll: meninos...-sua máscara de boneca se tornou visível ao entrarmos na luz dos carros.- como vai a noite?-perguntou calmo e como se fosse uma rainha, um alfa ficou de quatro no chão para o mesmo se sentar em suas costas enquanto Die e Buh ficavam atrás dele com aquela postura intimidadora, os dois alfas eram praticamente protegidos de meu irmão após situações complicadas em purificações passadas.-vejo que há um novato aqui.-riu.

-Babydoll, não descumprimos nenhuma regra.-falou assustado.

Babydoll: eu sei, apenas estou esperando alguém.-suspirou e Bitch foi até o alfa com máscara de palhaço que eu conheci no último Halloween.

Bitch: como vai, amor?-passou o nariz pelo pescoço do alfa e sorriu de lado.-sem cheiro de ômega, gosto assim.-se virou, ficando apoiado no alfa e o fez passar os braços pela sua cintura como se o abraçasse.

Babydoll: Scary, senti sua falta no Halloween passado.

Scary: você aguardou um longo tempo para me dizer isso.-brincou e olhou os alfas atrás de Babydoll.-seus cachorrinhos estão cada vez mais assustadores, deve rolar um puta trisal...

Bitch: por que não veio?-perguntou rápido.

Scary: entrei no cio um dia antes por azar.-a voz grave por baixo daquela máscara parecia totalmente despreocupada.

Babydoll: eu queria te apresentar alguém.-me puxou para perto.-esse é meu irmãozinho.-contou e o maior me olhou.-começou a nos acompanhar na última purificação, ainda estamos decidindo um nome legal para ele.

Scary: então essas coxas são de família.-continuou me olhando e eu desviei envergonhado.

Babydoll: quer levar um tiro? Matamos alfas que costumam falar esse tipo de coisa.

Scary: desculpe.-levantou as mãos.-não pude controlar, você sabe como eu sou, Babydoll.

Babydoll: eu sei seu tarado suicida.-riu e por um tempo ficaram em silêncio, enquanto o alfa me analisava de cima a baixo.

Scary: tenho um nome que combinaria.-disse de repente.

Babydoll: qual?

Scary: Pure.

Os dois ômegas presentes riram antes de me olhar e eu respirei fundo, ainda me sentia nervoso estando na rua em meio a purificação. E aquele clima não ajudava.

Babydoll: o que acha?

Eu: eu gosto.-sussurrei.

Babydoll: então será Pure.-falou feliz.-eu estava tão animado para vir aqui, mas não imaginava que teriam tantas novidades.-olhou o alfa que eu não havia visto na última vez.

Scary: esse é Shot, foi transferido para o nosso colégio agora no fim do ano por...

Shot: quem são vocês?-perguntou fazendo os outros o olharem em repreensão, mas ele ignorou.-não é normal ter ômegas andando de langerie na rua durante a purificação... o que são?

Babydoll: depende...-suspirou.-para alguns alfas, somos a morte, para outros, uma ameaça.-olhou o céu.-mas para os ômegas, somos a vingança... a salvação.

Shot: o que quer dizer? Por que alfas temem vocês?

Bitch: castigamos os alfas malvados.-deu de ombros.-na maioria das vezes fazemos olho por olho.

Kill: fala sério, digam de uma vez, são vadiazinhas assassinas de alfas.-aquele alfa tão rude falou, abusando com da última vez... mas ele já havia sido avisado.

Babydoll: não... não é assim, meu bem.-falou devagar.-os fazemos pagar pela mesma moeda, castigamos assediadores.

Eu: estupradores.-falei baixo.

Bitch: agressores.-ditou e um tiro atingiu a testa do alfa.

Pink: e idiotas como você.-o som de seu saltos se fez presente.-eu disse "encontro vocês depois", mas aparentemente vocês ouviram "vão para o outro lado da cidade sem deixar rastro algum, eu me viro".-falou com aquela irritação típica.

Bitch: foi exatamente o que eu ouvi.-provocou e Pink rosnou para o mesmo.

Pink: veio se agarrar nesse alfa de merda, devia matá-lo.

Bitch: ele cumpre todas as regras.-bateu o pé, pelo o que eu entendi, Joke é como a cadelinha de Bitch, fez merdas que tiram a paciência do ômega, foi castigado sem pausa durante um Halloween e após isso teve que seguir todas as regras impostas por Bitch sem exceções.

Pink: ele nem gosta de você, o que sente é medo.-revirou os olhos.-não o culpo, levou tanta bala, porrada e facadas que virou essa cadelinha assustada.

Babydoll: não fale assi...

Pink: tanto faz.-jogou alguns cartuchos aparentemente sem utilidade de seu bolso e arrumou o rifle em sua mão de forma mais confortável.-que cheiro é esse?-se virou sério.-quem é esse novato?-revirou os olhos e o analisou bem, travando por um momento.-quem é você?-perguntou devagar e foi até o mesmo, Pink o tocava como se fosse uma escultura, passou a mão por cima da camisa em seus braços, peito, abdômen, até mesmo em suas coxas antes de se afastar.-muito bom...-mordeu o lábio enquanto sussurrava de costas para o alfa e eu arregalei os olhos.

Bitch: essa é realmente uma noite memorável.-brincou voltando ao normal depois de ter perdido as palavras com o moreno.

Pink: calado, antes que eu espete meus saltos em seus olhos.-andou na direção do carro de Babydoll.

Babydoll: mas já?-perguntou manhoso.

Pink: vamos logo, inferno.

Babydoll: é um prazer enorme...-falou sugestivo.-ver vocês, infelizmente não iremos nos falar até o próximo Halloween, esperarei ansioso.-se levantou e o alfa saiu de perto de si sob os olhos de Die e Buh.

Scary: até.-piscou um olho para mim e eu fitei o chão.

Shot: por que não?-perguntou.

Babydoll: digamos que... a minha fera fica livre e corajosa apenas durante a purificação.-andou de costas lentamente.-é quando eu posso receber toda a atenção negada durante o resto do ano.-riu.

Bitch: até, meninos.-segurou o pulso do alfa atrás de si e o puxou junto.

Eu: vamos.-segurei a mão de Babydoll.

Babydoll: ah, como eu amo essa atenção.-falou animado e fomos para o carro.

Bitch e Joke subiram em uma moto, enquanto Pink estava no banco do motorista e eu no passageiro, os alfas se sentavam nos bancos de trás calmamente enquanto Babydoll entrava animado e se deitava sobre suas pernas.

Babydoll: estou morrendo de sono.-falou e Die passou um braço por sua cintura enquanto Buh pousava as mãos em seus tornozelos.-vocês não os melhores.-riu ao estar tão confortável e pronto para dormir.

Pink: pode cochilar, mas é bom levantar quando eu chamar.

☆☆☆

Bitch

Joke: eu não descumpri nenhuma regra.-falou assustado quando eu o joguei na cama, tinha o feito tomar banho e agora o alfa usava apenas uma toalha.

Eu: eu sei, senta e espera.

Fui até o banheiro e tomei um banho demorado, tirando todo o sangue que manchava meu corpo, foi renovador, e apenas me deixou mais ansioso. Quando sai do banheiro usando apenas uma calcinha o alfa engoliu em seco.

Eu: está com medo de mim, Joke?-sussurrei e me sentei em seu colo o vendo ofegar.-não gosto que tenha medo de mim.-olhei em seus olhos.

Antes que mais uma palavra fosse dita, ataquei seus lábios, não demorando para aprofundar o beijo, sentindo seu gosto como queria há tempos, passei meus braços pelos ombros do alfa e sentir suas mãos segurarem minha cintura de forma fraca, após isso, já me sentia preparado para ouvir.

Eu: diga, se a resposta for "sim", você estará livre, não vai mais ter que seguir todas as minhas regras estúpidas.-me afastei minimamente mordendo o lábio inferior do maior e arfei roçando meu quadril no seu.-apenas seja sincero.-pedi.-tem medo de mim?

Joke: não, não tenho.-sussurrou voltando a me beijar, de repente ele assumiu o controle e me deitou na cama sem desgrudar seus lábios dos meus, ouvi a toalha cair no chão segurei os fios de cabelo na nuca do alfa.

A situação não era mais a mesma, eu não era mais o mestre e ele o escravo, esqueciamos tudo lá fora.

As mãos do alfa agora agarraram firme minha cintura e minha calcinha já ficava mais apertada por conta da minha ereção. Ondulava minha cintura contra a do alfa enquanto nos afastavamos ofegantes. O senti puxar aquele pano fino e roçar seu pau no meu num vai e vem gostoso, que só parou quando eu segurei seu membro e separei nossos lábios, pressionei a glande em minha entrada e ouvi o alfa arfar.

Joke: camisinha.-lembrou.

Eu: não se preocupe, não tenho nenhuma doença, e você?-falei calmo.

Joke: não, mas...-o fiz me penetrar e gemi baixo.

Eu: não sou ômega pra casamento, desculpe.-sussurrei em seu ouvido e no momento ele entendeu o que eu quis dizer; Não pode montar uma família, não serve para casamento.

Joke: isso não existe.-sussurrou de volta e me beijou, dando início ao vai e vem que me fez gemer em seus lábios.

Passei minhas unhas por seus ombros e mordi o lábio inferior ao me sentir tão bem, sentia meu interior ser preenchido de forma deliciosa, que apenas me fazia gemer mais alto. Meus dedos deslizavam até sua nuca, segurando fraco os fios ali enquanto o alfa marcava meu quadril com seus dedos.

Eu: eu vou gozar.-avisei segurando meu membro enquanto rebolava para o maior, aquilo parecia tão intenso. Nunca tinha vindo tão rápido.

Joke: a noite mal começou.

☆☆☆

Eu estava usando um moletom branco e uma saia rosa, meus tênis típicos davam um estilo a mais enquanto eu andava pelos corredores na direção do refeitório, iria encontrar meu irmão para lanchar e levava o ursinho que havia ganhado de uma amiga beta hoje. Quando ia subir o primeiro degrau da escadinha, pisei no meu cadarço e acabei caindo de joelhos, me apoiando nas mãos para não bater o rosto.

Eu: droga.-murmurei e senti alguém passar o braço pela minha cintura, me ajudando a levantar.-obrigado.

-cuidado, ômega.-falou e eu travei enquanto ele me entregava o ursinho, aquela voz, ele era alto, o máximo que eu podia ver pelo canto do olho eram seus lábios.-reconheço essas coxas em qualquer lugar.-sorriu de lado e seguiu seu caminho me deixando travado ali.

Babydoll: bebê.-chamou baixo.-o que está fazendo?-segurou minha mão.-vamos, os meninos estão te esperando.-sorriu.-adorei o ursinho.

Eu: eu acho que Scary sabe quem sou.-falei baixo e ele travou.

Babydoll: vamos, não tem como ele saber.

☆☆☆

-E ENTÃO? COMO FOI O HALLOWEEN DE VOCÊS?-o garoto gritou no microfone e todos o acompanharam comemorando.-como em todo ano, vamos repassar OS MELHORES MOMENTOS DA PURIFICAÇÃO, mas dessa vez será melhor, pensando na nossa falta no ano passado.

Eu: eu ainda não sei como conseguem as imagens das câmeras de segurança.-murmurei.

Babydoll: nem eu.

-vocês acreditam que cerca de 40% do colégio agora é composta de novatos?-sorriu de lado.-por esse motivo, nossa equipe decidiu fazer algo novo... para apresentar nossos principais purificadores...-riu baixo.-espero que gostem, na verdade... sei que vão.-saiu do palco com os aplausos e a tela gigante atrás de si mudou enquanto Purple Lamborghini ia aumentando pelas caixas de som. Em letras grandes apareceu "ALFAS" na tela e sumiu como se entrasse em um buraco negro, logo aparecendo Joke na mesma, ele parecia como um personagem de jogo, a montagem deixava dados ao seu lado como por exemplo "gosta de estrangular", "propriedade privada", "ex assassino de ômegas", apenas para brincar ou mandar a real, em seguida apareceram cenas de quando as pessoas morriam com as mãos dele em seu pescoço, ou quando Bitch aparecia e fazia ele ficar totalmente submisso. O próximo foi Scary, ao seu lado aparecia "voz de trovão", "louco suicida", "ponto fraco: coxas", "força de Lúpus", cenas em que ele atirava um alfa longe se passaram em vários ângulos, depois focando em como o veículo atrás do outro ficou amassado pelo impacto, logo trocou para quando nos encontrarmos e uma linha de pontinhos se formou de seus olhos até minhas coxas e ficou assim enquanto o vídeo passava rapidamente. E então veio Shot, "novo purificador", "corajoso", "forte", "domador de feras de salto", o mesmo era habilidoso com a arma e fazia a curiosidade bater para continuar assistindo, mas então o mostrou lutando, ele era realmente forte e aparentemente mais experiente que os outros alfas,a tela logo mudou para Pink o admirando, os olhos do alfa não desviavam do ômega, como se estivesse gravando o que podia ver de seu rosto com a máscara. Para a nossa surpresa, Die e Buh apareceram também.

Babydoll: não acredito nisso.

Seus dados eram: "intimidam qualquer um", "1,85 & 1,83", "fazem parte do melhor trisal", "ponto fraco: Babydoll", "protegidos da nossa bonequinha", "monstros", "irmãos". As cenas dos dois lutando com outros alfas eram incríveis, mostrava com eram fortes, logo passavam para os mesmo parados atrás de Babydoll em algumas situações e finalmente eles o protegendo em momentos que fugiam do controle.

De repente a música mudou e "ÔMEGAS", apareceu na tela, Babydoll foi o primeiro a aparecer, sua foto era com a sua roupa mais recente, no caso  langerie branca. Seus dados eram "boneca", "o segundo purificador mais fofo", "dono dos irmãos", "vingador olho por olho", cenas de meu irmão intimidando os alfas ocuparam a tela, ele atirava no abdômen dos alfas, quase sempre, as vezes os torturava quando seus "pecados" eram pesados demais. Em outra cena ele se afastou e nos começamos a atirar em alfas que tentavam tirar as roupas de duas ômegas, Babydoll foi na frente, mas em um momento de declínio, recebeu um soco forte que quebrou metade da máscara e o fez ir ao chão enquanto virava pela força usada no golpe, ele caiu com a arma ao seu lado e a máscara quebrada do nariz para baixo. Como monstros Die e Buh vieram para cima do alfa, quebraram seus braços e o socaram tão forte que o alfa desmaiou na hora. Logo se abaixaram ao lado do ômega e o ajudaram a levantar, analisando se ele não havia ferido nada mais.

Bitch: duas horas ajudando ele a esconder o hematoma hoje de manhã.-comentou.-me impressiona não ter quebrado seu o pescoço com a força que ele usou.

Babydoll: agora vou pensar se compro uma nova máscara ou personalizo aquela.

O próximo foi Pink, "salto agulha", "cuidado para onde olham", "estressado", "vingador cabeça por dente", "sem misericórdia", vídeos dele praticamente desfilando pela rua com uma metralhadora passaram, ele exterminou um grupo de alfas que tinham dois ômega no centro vestindo fantasias sexy  de cachorrinho. Logo depois o mesmo aparecia com uma bazuca e como no outro vídeo, acabou com os alfas, agora não havia nenhum ômega, em outro momento ele lutava, fez o alfa cair e fincou o salto em um de seus olhos enquanto olhava o drone. A última cena foi ele alisando Shot.

A seguir veio Bitch, fazendo os alfas se animarem, "o purificador mais sexy", "dono do Joke", "bom no mano à mano", "ponto fraco: ômegas", "vingador você tem uma chance", de primeira apareceu ele lutando com Joke, foi a última vez que o alfa se abusou tanto, voltaram um pouco a cena e legendaram, Joke dizia "você é uma vadia, me impressiona que não esteja grávido, depois de todas as histórias que já ouvi", esse foi o fim, Bitch o atacou e conseguiu esfaquear o alfa quando o mesmo segurou seu pescoço. Depois foram lutas onde ele mostrava seus talentos e como tinha facilidade em esconder tanto facas quanto injeções e no fim Joke o abraçando por trás com uma hesitação visível na última noite.

Pensei que havia acabado, mas então... eu apareci, meu "nome" era escrito de forma fofa em uma cor rosa bebê acima de meus dados, "o purificador mais fofo que você pode encontrar", "boa isca", "atirador", "pequeno e flexível", "novo vingador", "irmão de Babydoll", "tímido", apareceram cenas minhas deitado em um prédio, mirava nos alfas abaixo apenas esperando a ordem de Babydoll, quando ia atirar dobrei minhas pernas de forma sexy e meu corpo vibrou com o primeiro tiro, após isso me levantei para correr até o próximo ponto e entrei em um cano meio apertado, comecei a engatinhar e o drone veio atrás apenas me seguindo até o outro lado onde me posicionei de novo e voltei a atirar. Quando percebi a câmera, apenas sorri e abanei para a mesma, uma montagem de coraçãozinho apareceu ao meu lado e a cena mudou, eu estava em cima de um carro pulando e cantando apenas para chamar a atenção de alfas, quando eles vieram e tentaram me agarrar, eu tirei uma metralhadora do moletom e girei atirando em todos, olhei o drone e abanei novamente, dando tchau, assim tudo escureceu.

Babydoll: foi incrível.-sussurrou.

-vocês gostaram, certo? Sei que gostaram.-riu.-ainda teremos mais.-sorriu de lado.-a purificação mal começou.

Babydoll: como assim?-sussurrou e um jornal digital enfeitou a tela.

-pela primeira vez na história, a purificação vai durar três noites.-falou alto.-a partir das 19:00, até às 05:00.-o refeitório enlouqueceu, os alfas comemoravam e a maioria dos ômegas travavam ou se encolhiam.

Pink: então ainda posso desestressar.-estralou os dedos com uma expressão nada boa.

☆☆☆

Atirei no alfa que descobriu meu esconderijo e entrei no cano ao lado do prédio, escorreguei até as escada e comecei a descer, ao chegar na rua, comecei a correr.

Eu: sai do meu posto, vou tentar pelo prédio ao lado.-avisei.

Babydoll: não, alfas não andam sozinhos, esse lugar é perigoso, tente ir até Bitch, ele está com o carro perto da Candyman.

Eu: é longe, mas vou tentar.

Comecei e correr na sombra, segurava a arma pesada e olhava em volta, eu nunca tentei andar sozinho durante a purificação, agora parecia bem mais assustador.

Eu: Candyman é o ponto dos alfas de ontem, não?

Babydoll: sim, já avisei ele que você está a caminho. Mas tome cuidado ainda assim.

Eu: sim.-tirei uma faca de minha meia e arrumei a arma em meu corpo, a deixando como uma mochila em minhas costas.

Continuei correndo um longo período, até já estar na área de Candyman, a partir disso o cheiro de alfas invadiu minhas narinas e eu andei devagar, a sombra se extendeu um pouco e eu subi devagar em um carro que fazia parte dela, tentei ter uma melhor visão, mas não funcionou.

Eu: não sei mais se estou p...

Alguém puxou meu pé, me fazendo cair sentado no capo e eu ataquei sem pensar, mas o alfa segurou meus pulsos ao ter parte da máscara cortada e por coincidência a luz do poste acima de nós voltou a funcionar, me dando total visão.

Babydoll: Pure? Amor, o que está acontecendo? Pure?

Eu: Scary?-o olhei surpreso e o mesmo sorriu de lado, podia ver perfeitamente sua boca agora pois a faca cortou a máscara de orelha à orelha pouco abaixo de seu nariz.

Babydoll: bebê, é sério, responde agora.

O alfa tirou a escuta do meu ouvido e levou ao próprio.

Scary: e aí Babydoll, como vai?-falou calmo e arrancou a parte caída da máscara sem desfazer aquele sorriso.-você não vai arracar meu pau, seu irmão ainda vai precisar dele.-provocou e eu pude ouvir os murmúrios da escuta enquanto o alfa a tirava do ouvido.-porra, essa voz aguda gritando... agora tá ecoando.-resmungou e eu peguei a escuta.

Babydoll: ...EU VOU TE FAZER ENGOLIR O PRÓPRIO SACO, DIE VAI TE FODER POR TRÁS E BUH PELA FRENTE ATÉ VOCÊ VIRAR ÔMEGA, SEU...

Eu: Babydoll, é o Pure, tá tudo bem, só levei um susto, fui descuidado, desculpe.

Babydoll: amor... meu amor, esse malvado fez algo pra você? Onde estão as mãos perversas dele? Ele não tentou nada, não é? Se tentou, dê um tiro bem no meio da testa desse infeliz, depois no abdômen e pro final, no pau dele... ou faz ao contrário pra ele sentir tudo.

Eu: fica calmo, Babydoll, está tudo bem por enquanto.-coloquei a escuta.

Babydoll: ok.-respirou fundo.-manda o paspalho te levar, Candyman é um labirinto e eu não quero que você se perca nesse lugar cheio de... testosterona.

Eu: Scary.-chamei.-poderia me levar até Bitch e Joke?

Scary: ele estão transando em algum canto agora, mas posso te levar até o centro e lá esperamos eles.-suspirou.-vamos.-começou a andar despreocupado e eu apenas fui atrás dele.

Eu: o drone está nos seguindo.-comentei o olhando voar, a câmera brilhava em contraste com as luzes, como normalmente eu fazia, abanei para o mesmo.

Scary: querem gravar a gente transando.-falou e eu travei.

Eu: o que?

Scary: daria uma cena maneira ver meu pau entrando em você, tenho que concordar.-me olhou e eu engoli em seco.

Eu: v-você é sempre obsceno assim?-tentei fingi não me importar com sua fala.

Scary: na cama sou pior.

Pensei no que poderia responder, mas ele me prendeu contra a parede e eu arregalei os olhos, não entendi, até alfas de moto passarem por nós. Como estávamos na escuridão, eles nem nos viram, apenas seguiram reto.

Scary: você não tem noção de como a minha mente ficou criativa quando te vi tropeçar e aquela saia subiu.-sussurrou.

Eu: eu não sei do que você está falando.

Scary: sabe sim.-se curvou um pouco e eu arfei.-ter cortado aquela parte da máscara até que não foi má idéia.-se afastou e continuou andando, demorei um pouco até tomar consciência de sua brincadeira e voltei a andar, agora mais distante.-não precisa andar tão longe, eu não mordo.-falou, mas logo se virou sorrindo novamente.-só se você pedir.

Pink

Eu: merda, merda, merda.-revirei os olhos e continuei correndo.

O plano havia mudado após eu já ter iniciado minha parte, agora sem Pure, o perigo era maior e mais complicado de lidar. Estava passando por uma rua principal, iria passar para um beco quando o salto prendeu na grade de esgoto e eu cai, torci fortemente meu pé e descolei a solado do salto.

Eu: inferno.-me levantei, tentando me equilibrar, mas a dor era tanta que não pude ficar com a boa postura por muito tempo. De repente um carro que vinha em alta velocidade parou ao meu lado fazendo fumaça subir e do lado do motorista saiu Shot que veio calmamente até mim e analisou a situação.

Shot: precisa se ajuda?-se apoiou no carro.

Eu: sua? Não.-arranquei o salto bambo e mais uma vez tentei me levantar, mesmo dolorido, inventei de andar e no primeiro passo antes que eu caísse, Shot me pegou no colo naquele estilo noiva e eu arregalei os olhos.

Shot: teimoso... gosto assim.-abriu a porta do passageiro e me pôs no banco, depois fechando a porta e indo até seu lugar.-tem uma farmácia em Candyman, lá eu posso te ajudar melhor.

Eu: eu não vou ficar devendo nada a você, está fazendo isso por ser imbecil.-falei sério.

Shot: eu não pedi nada em troca, guarde essa marra toda pra os alfas aos quais você está acostumado.-ligou o carro.

Por todo o percurso, eu apenas o observava, ele era diferente dos outros alfas, a forma de falar, de agir, até mesmo de vestir, ele era... perfeito.

Eu: quantos anos você tem?-perguntei grosso.

Shot: não é da sua conta.-riu e eu pus o salto em sua coxa.

Eu: não sente medo?-rosnei.

Shot: o que eu sinto quando vejo um ômega sexy de salto alto tentando me domar, está longe de ser medo.-me olhou pelo canto do olho e eu me recolhi, apenas olhando minhas mãos.

Pela primeira vez alguém me deixava sem saber como agir.

Shot: se quiser saber algo de mim, peça de forma educada, eu não sou seu cão.-trocou a marcha. Eu me sentia destruído, não conseguia mais me impor de forma arrogante, nunca havia passado por uma situação como esta.

Eu: poderia me dizer sua idade, por favor?-murmurei e o vi sorrir por sua máscara não tapar o rosto inteiro.

Shot: tenho 27, os garotos queriam dizer que eu sou aluno transferido, mas é ridículo.-suspirou.-por qual motivo te chamam de Pink?

Eu: minhas botas.-olhei o salto quebrado.-tenho cinco pares, todas tem tons rosados... acho que combina comigo, gosto muito delas.-respirei fundo.-mas só sou confiante para usá-las na purificação, onde posso ser quem eu quiser.-olhei em seus olhos, recebendo o olhar de volta.

Babydoll

Eu: droga.-funguei.-eu planejei mal.-me abaixei olhando o chão.-tudo tudo.-ouvi os sons dos tiros fora do armazém.-agora tá dando tudo errado.-os alfas se sentaram no chão, um de cada lado.-desculpa Die, foi culpa minha.-falei me referindo a máscara cortada de sua orelha até o queixo, deixando a mostra seu maxilar e lábios.

Os dois se apoiaram ofegantes nas estantes de doces e eu apenas funguei, Buh pôs uma de suas mãos na minha coxa e deixou a outra em frente ao meu rosto com uma barra de chocolate.

Eu: roubar é errado.-murmurei.

Buh: não durante a purificação.

Foi a primeira vez em que eu ouvi um dos dois falar, a voz de Buh era grave e calma, ele olhava em meus olhos como se tentasse me acalmar e nesse meio tempo Die pegou algo para passar nos meus machucados.

Eu: vocês se machucaram demais?

Die: o único que se machucou aqui foi você.-sua voz conseguia ser mais grave e forte do que a de Buh.

Eu: eu mandei vocês irem embora.-falei choroso e senti o líquido ardido ser passado em meus machucados.

Buh: nunca deixaríamos você sozinho com 15 alfas.

Eu: eu não quero que vocês se machuquem, sei o que faço, e quando sairmos daqui, vocês vão para um lugar seguro.-tentei parecer sério.

Buh: vamos ficar com você.

Die: até essa purificação acabar.

Buh: e na próxima estaremos de novo.

Eu: vocês não podem, não vão.-insisti e Buh arrancou a parte dos lábios para baixo de sua máscara.

Buh: porra, não tava dando pra respirar.-ignorou completamente o que eu disse e Die riu.-já to pronto pra arrebentar mais uns.

Die: sei que está, mas nossa principal preocupação é com ele, talvez você possa cuidar agora, já que não cuidou ontem.

Eu: como assim?

Die: deixou um alfa quebrar metade da máscara dele com um soco.-falou entre dentes para o outro e eu arregalei os olhos.

Buh: eu já entendi, você repete isso o tempo todo.

Eu: aquilo foi culpa minha, não briguem, eu devia ter prestado mais atenção.-falei rápido e os dois me olharam.-é a primeira vez que vocês falam na minha frente, não quero ouvir a voz de vocês assim... não quero que briguem.

Nenhum dos dois desviou os olhos de mim, por nenhum momento, Die simplesmente jogou a água que passava nos meus machucados para longe, junto com a pinça e  algodão enquanto Buh se aproximava.

Buh: desculpe.-sussurrou e eu senti uma de suas mãos passar por meu cabelo antes do mesmo me beijar.

Por um momento me senti completamente perdido, meus olhos estavam arregalados, só os fechei ao senti os lábios de Die em meu pescoço.

Pink

Estávamos na pequena farmácia e o alfa já terminava de enfaixar meu pé depois de muitos argumentos jogados um contra o outro para eu tirar a bota.

Eu: me sinto uma cadela.-revirei os olhos e pus minha bota novamente.

Shot: por deixar um alfa te ajudar ou por estar desejando um alfa mais velho que você?

Eu: o que você disse não tem lógica.-andei me apoiando nas estantes e ouvi o mesmo vir atrás de mim

Shot: tem quando seu cheiro só fica mais forte a cada segundo que passa comigo.-passou em minha frente e abriu a porta me fazendo revirar os olhos.-o que significa que... ou está tentando me intimidar.-falou e fez com que eu me apoiasse na porta do carro.-ou está excitado.-travei no mesmo momento, me sentía descoberto.

Eu: ... e se...-respirei fundo e tomei coragem.-e se eu estiver excitado alfa, o que você vai fazer?-perguntei de forma sedutora e colei nossos corpos.-por acaso vai pedir para que eu te chame de "Daddy"?

Shot: se é o que você quer gemer, tudo bem.-aceitou a provocação e segurou firme minha cintura, me fazendo engolir em seco.-mas eu prefiro quando os ômegas não conseguem mais formar palavras.-abriu a porta e me puxou para ao lado, para que pudéssemos entrar.

Ele se sentou no banco do motorista e eu apenas fiquei em seu colo, chocado com a forma como o alfa lidava com as coisas, era diferente de todos os outros.

Shot: te assusto, ômega?-riu baixo.-você realmente está acostumado apenas com pirralhos.-segurou minhas coxas e eu arfei ao ter nossos rostos tão próximo.-tire a máscara.

Eu: o que?

Shot: odeio isso tapando seu rosto, quero te ver de verdade.-falou e eu senti meu corpo tremer.-quer que eu tire para você?-sorriu provocante e eu neguei rápido.

Eu: eu... eu não sei que estou fazendo, você ganhou.-falei rápido, meu corpo tremia.-não sei se isso é uma aposta, mas você ganhou, agora pare com esse jogo intenso.-ditei e o mesmo riu baixo.

Shot: você dessa forma é incrível.-murmurou antes de tirar a própria máscara, e ao olhar aquele homem tão bonito, apenas senti meu cheiro ficar mais forte.-está melhorando cada vez mais.-sussurrou tirando a minha máscara lentamente e eu fechei os olhos, sentindo meu rosto corar.-eu sou o único que te deixa assim?-perguntou descendo meu casaco rosa felpudo até ele escorregar por meu braços e eu assenti rápido.

Sem resposta, seus lábios apenas se grudaram aos meus e eu senti as mãos em minhas coxas subirem até minhas nádegas onde um de seus dedos passou para dentro da calcinha meio úmida por meu lubrificante. Passei minhas mãos por seus ombros até seu cabelo e deixei meus dedos fazerem um carinho ali sentindo os fios, senti o indicador por dentro de minha calcinha roçar em minha entrada já lubrificada e arfei, desci minhas mãos e comecei a abrir os botões de sua camisa, senti o corpo forte do alfa e me afastei minimamente enquanto seus lábios desceram para o meu pescoço, minha mão esquerda voltou até seu cabelo e o segurou firme. Senti seu dedo entrar lentamente, tocando meu interior e gemi baixo em seu ouvido, minha mão em seu abdômen desceu até a calça e eu a abri com um pouco de dificuldade, quando vi a marca de seu pênis na cueca, o mais velho desceu minha calcinha até a borda da bota e eu a olhei.

Estava me atrapalhando, então apenas rasguei a renda e a deixei cair no chão do carro enquanto sentia Shot penetrar o dedo médio em mim, estocando ambos em meu interior, deixei a mão livre escorrer para dentro de sua roupa íntima e segurei o membro duro, o masturbei no ritmo das estocadas e voltei a gemer baixo em seu ouvido ao perceber que isto o fazia pulsar.

Eu: mais rápido.-sussurrei e o senti tirar os dedos de meu interior.

Uma de suas mãos levantou meu vestido de seda até meu baixo ventre e Shot voltou a me beijar enquanto trazia meu quadril para perto, o ouvi abrir um pacote e senti o cheiro do lubrificante que vinha na camisinha, o mesmo a pôs rapidamente e fez com que eu abaixasse meu quadril, senti a camisinha molhada tocar minha entrada e mordi o lábio inferior enquanto descia o fazendo me penetrar, uma de minhas mãos foi automaticamente até meu cabelo, descontando parte do meu tesão ali e a outra foi até a mão forte do alfa em minha cintura, nunca me senti tão bem fazendo aquilo. Quando o senti por completo, não controlei a vontade de rebolar, olhei nos olhos de Shot e passei minhas mãos por volta de seu pescoço novamente enquanto me aproximava, o beijei da forma mais gostosa possível e rebolei em seu colo, suas mãos agarram minha bunda com força, logo subindo uma até meu cóccix.

Comecei a me mover subindo e descendo, a cada movimento o sentia mais fundo, meu ponto sensível era estimulado a todo momento. Gemia toda vez que o sentia tocar naquela área, Shot percebendo que eu perdia a força aos poucos, fez com que eu parasse de me mover, me apoiando próximo, então começou a mover seu quadril contra o meu enquanto segurava meu quadril parado. O senti morder meu lábio inferior e arfei com os olhos fechados e senti meu orgasmo próximo, meu corpo tremia a cada estocada e meus gemidos apenas ficavam mais altos, quando minha entrada se contraiu mostrando o quão pouco faltava, Shot fez com que eu sentasse em todo seu membro, a glande pressionava meu ponto sensível me fazendo gemer alto, meu orgasmo veio no estômago de Shot enquanto meu corpo tremia. Rapidamente o mais velho deitou o banco e nos virou, me deitando, o mesmo fez com que eu abrisse minhas pernas e começou a estocar forte, me fazendo gritar ao tê-lo estimulando aquele local novamente, joguei minha cabeça para trás e quando o ouvi gemer rouco voltei a olhar como seu corpo se chocava contra o meu, cada vez mais lento e menos forte, até sair do meu interior antes que o nó se formasse por completo. O mesmo se inclinou sobre o meu corpo e mais uma vez nos beijamos, agora mais calmos, com menos malícia que antes.

Babydoll

Eu: menin...-fui deitado no chão, agora quem me beijou foi Die, senti sua mão tocar minha cintura e o lábios de Buh em minha coxa, onde antes estava sua mão.

Os lábios de Buh apenas iam cada vez mais na direção da minha intimidade e eu ficava cada vez mais nervoso, sentia meu corpo tremer com sua respiração tão próxima daquela área. Die abusava de meus lábios de forma deliciosa, me deixando cada vez mais perdido, tudo pareceu mais intenso quando tentei os afastar e cada um segurou uma de minhas mãos, não seguravam forte, na verdade foi como se me passassem segurança, nesse momento eu me entreguei por completo.

Senti a língua de Buh passar por cima da langerie e arfei, Die lentamente passou os beijos para o meu pescoço e eu gemi baixo, sentia meu membro já ereto quando Buh começou a puxar o short branco, a langerie de hoje tinha formato de short e top, os dois eram soltinhos e fofos em um tom branco, ao sair de meu corpo, senti a vergonha me tomar e tentei me esconder fechando as pernas, mas o alfa não deixou e Die o olhou, também tendo a visão de minha intimidade, o que me deixou ainda mais envergonhado.

Eu: não olhem.-pedi tapando meu rosto e os ouvi rir baixo.

Die: por que não?-voltou a me beijar e Buh sem demora pôs meu membro em sua boca, me fazendo gemer.

Eu: é vergonhoso.-murmurei.

Die: não tem que ter vergonha de nenhum de nós dois.-sussurrou.-te achamos simplesmente perfeito.-contou e mordeu fraco meu lábio inferior.

Eles instigavam meu corpo, eu ficava cada vez mais excitado e ansioso, mas Pure começou a me chamar na escuta e bem no mesmo momento eu senti meu orgasmo próximo.

Pure: falta pouco para o horário de nos encontrarmos, já estou com Bitch e neste exato momento Pink está chegando.

Eu: já estamos chegando.-arfei e mordi o lábio inferior.-só espera um pouco, Pure.

Pure: vamos esperar, se estiver com problemas e só falar e iremos ai, Babydoll.

Eu: sim.-gemi sentindo que gozaria a qualquer momento e senti a mão de Die em minha coxa enquanto Buh segurava a outra, sua mão desceu e no momento que roçou o indicador na minha entrada, eu me desfiz na boca de Buh.

Pure: o que v...

Eu: estamos indo.-falei ofegante.-do armazém até a divisa com Candyman levaremos de 10 à 20 minutos.

☆☆☆

Eu nunca estive tão podre no colégio, não conseguia me concentrar em nada e já havia perdido a conta de quantas vezes dormi durante a aula.

Passar a madrugada em claro não era tão fácil quando se tinha que estudar logo depois, olhei para o lado e percebi como Bitch não se importava, dormia sem problema nenhum durante a aula, mas eu só podia me forçar a ficar acordado e imaginar se os outros também estavam assim.

Pink

Professora: ACORDE.-a velha bateu o livro na minha mesa e eu me sentei rápido, limpei qualquer resquício de baba que pudesse ter saído da minha boca e pus meus óculos redondos, não enxergava nada sem eles.-me perdoe senhor, coordenador, pode continuar.-falou toda mansa com alguém e eu revirei os olhos ainda a encarando.

"como eu ia dizendo", só bastou ele dizer isto e eu me virei para quem falava, com os olhos maiores e mais redondos que meus óculos. Shot estava em frente a sala, apoiado na mesa do professor, impecável.

Shot: serei o coordenador do curso de vocês pelo resto deste ano.-falou calmo.-sei que já estão no terceiro, prontos para sairem desse lugar, mas vamos fazer o possível para convivermos de forma saudável.-sorriu e eu engoli em seco.-certo?-os alunos responderam "sim" e eu continuei o olhando assustado, quando seus olhos começaram a passar pelos alunos, tapei parte do meu rosto com o caderno e me encolhi, mas a maldita professora o tirou das minhas mãos assim que seus olhos pararam em mim e eu fui praticamente obrigado a olhar nos olhos do alfa.-começaremos tentando não dormir durante as aulas, ok?-perguntou calmamente e eu assenti rápido.

Professora: responda direito.

Eu: s-sim senhor.-senti meu rosto corar e os alunos riram baixo ao perceber o desastre que eu sou.

Shot: caso esteja se sentindo mal, posso levá-lo até a enfermaria.

Professora: seria perfeito.-assentiu.-vamos, levante-se.

Eu praticamente tinha acabado de ser expulso da sala, então apenas me levantei devagar e passei lentamente pelo corredor estreito até Shot, ele se despediu da turma e pôs uma mão em minhas costas como se me guiasse. Eu andava totalmente envergonhado, coloquei o capuz de meu casaco e tentei apenas ignorar as memórias da noite passada, mas era impossível.

Shot: como se sente?-entramos na enfermaria e eu percebi que a enfermeira não estava ali.

Eu: cansado, passei a noite toda alerta em casa preocupado com meu irmão gêmeo, ele é purificador.

Vai que cola.

O alfa me empurrou fraco contra a parede, apenas o possível para ficar com seu corpo praticamente colado ao meu.

Shot: não tem como mentir quando está com uma marca que eu deixei e com o meu cheiro, bem fraco, mas posso sentir.

Eu: deve estar me confundindo, sou apenas um nerd...-o senti me beijar e não tive outras desculpas.

Pure

Era aula de educação física, nossa turma estava com uma parte da quadra e na outra estavam os mais velhos, normalmente dividam assim nossas turmas, um lado para o segundo e outro para o terceiro ano. Eu estava praticamente na linha que nos dividia, enxergava tudo embaçado e só podia pensar em como estava com sono enquanto ouvia o som da bola e os gritos.

Professor: LYIH.-ouvi gritarem meu nome e percebi algo redondo voando rápido em minha direção, antes que me acertasse, senti alguém me puxar para trás e ouvi o som da bola quase estourando o chão em frente aos meus pés.

Scary: não costuma ficar tanto tempo acordado.-comentou em meu ouvido e eu arfei.

Eu: não consigo me mover.-sussurrei fechando os olhos e o senti me pegar no colo como se fosse uma noiva.

Scary: professor, ele não está bem, vou levá-lo até a enfermaria.-avisou alto e aparentemente o professor apenas concordou, pois ele começou a andar e eu percebi a mudança do clima ao entrarmos no colégio.

Eu: meu irmão vai te matar...-arfei.-se fizer algo comigo.-sussurrei.

Scary: se eu fosse fazer algo com você, gostaria de pelo menos te ver espernear e chorar, no seu estado, uma boneca inflável é mais divertida.-falou e eu ri baixo enquanto abria os olhos novamente, minha visão havia melhorado e pude finalmente vê-lo.

Eu: acha mesmo?-brinquei e travei ao sentir meu corpo se contrair ao imaginar como seria fazer sexo com o alfa.

Scary: seu cheiro ficou mais forte, ainda acha que sou uma ameaça?-me olhou e eu aceitei seu erro como uma desculpa.

Eu: você é uma ameaça.-afirmei e o mesmo riu.

Scary: e você é um péssimo mentiroso, sinceramente, se esse cheiro veio na intenção de me intimidar, pode acreditar que o meu pau não entendeu.-respondeu e eu olhei para baixo envergonhado.

Eu: por que você tem que ser tão obsceno?-entramos na sala da antiga enfermaria, haviam trocado a sala e comprado novos móveis, deixando a antiga sala com as coisas velhas com a promessa de um dia arruma tudo.-por que estamos aqui?-perguntei baixo e ele foi até uma cama, me deitando ali, logo tirando meus tênis.

Scary: seu mal é sono.-se deitou ao meu lado e eu engoli em seco ao sentir sua mão em minha cintura.

Eu: tem outra cama, não tem que deitar comigo.

Scary: não consigo dormir sem um ursinho de pelúcia, tenho medo.-falou sonolento, ele nem se preocupava em mentir algo aceitável.

Respirei fundo tentando dormir enquanto olhava o tecido de sua camisa e aos poucos fechei os olhos, mas nesse momento minha mente começou a trabalhar, os pensamentos iam piorando enquanto eu sentia o cheiro do alfa, cada vez ficando mais obscenos.

Scary: parece que você está no cio.-comentou e eu abri os olhos.-porra, que cheiro bom.-arfou e eu engoli em seco ao sentir o cheiro do alfa também mais forte, olhei disfarçadamente para baixo e ao ver o tamanho da ereção, fechei os olhos rapidamente.

Eu: só quero dormir.-sussurrei manhoso para mim mesmo e senti o alfa se afastar, nesse momento o olhei.

Scary: deixa que eu acabo com o resto de energia que você tem, daí você vai dormir melhor.-sorriu de lado e antes que eu pudesse responder, o maior me beijou, pus minha mãos em seu peito, mas não o empurrei, não queria realmente que acabasse. O mesmo levantou a blusa do meu uniforme de educação física tocando minha pele como podia, o beijo parou apenas para o mesmo tirar minha blusa e logo tirar a própria.

A forma como ele me beijava era intensa, fazia meu corpo reagir de um jeito diferente, suas mãos puxaram lentamente o meu shot até estar em meus joelhos e parou ali, ele fez minha pernas virem para cima quase na altura de seus ombros e eu senti meu rosto corar.

Scary: não mentiram na tag "flexível".-brincou e roçou sua ereção na minha ainda tapada pela cueca.

Ao se afastar, o alfa olhou em meus olhos enquanto tirava o tecido fino de minhas pernas e eu só pude arfar ao sentir suas mãos descerem pelas mesmas até minhas coxas, as apertando com força.

Scary: vira.-mandou e saiu da cama, sem ter certeza se devia fazer, o olhei pegar algo em um armário e voltar para a cama, ao perceber que eu o encarava, o maior se inclinou sobre mim e mordeu o lóbulo da minha orelha.-de quatro, ômega.-falou agora mais obsceno e eu tapei meu rosto.

Me virei lentamente e encostei meu peito no colchão enquanto empinava a bunda para Scary, suas mãos entraram por baixo de minha cueca e eu o senti agarrar minhas nádegas as apertando com força. Scary posicionou seu membro duro ali e me fez mover o quadril para frente e para trás o deixando roçar ali. Minha roupa íntima foi tirada rapidamente e eu ouvi Scary arfar, o senti por um dedo em minha entrada e roçar o lubrificante natural que eu já sentia escorrer, me fazendo gemer e agarrar o lençol branco, tentando descontar minha excitação ali.

Scary: esta se contraindo e molhando bastante.-falou rouco.-eu nem te toquei ainda.-penetrou um dedo e eu gemi alto.-apertado.-rosnou e eu o olhei de lado, percebendo que o alfa tocava o próprio membro enquanto me olhava.

Senti um segundo dedo entrar e rebolei devagar enquanto movia meu quadril para frente e para trás. Ouvi um som parecido com plástico e ignorei, segurei meu membro e arfei me mastubando lentamente, no ritmo em que os digitos entravam em mim.

Mas de repente Scary tirou seus dedos do meu interior e me puxou, fazendo minha bunda se empinar mais ainda, antes que eu pudesse raciocinar, senti algo maior presionar minha entrada e começar a entrar com dificuldade, mesmo que eu estivesse totalmente lubrificado, o sentir me abrir daquela forma apenas me deixou mais excitado, me fazendo rebolar em seu pau.

Scary: ah ômega...-deu um tapa em minhas nádegas.-assim eu me apaixono.-segurou meu quadril e começou a se mover, o ritmo não era mais lento como em seus dedos, o que me fez gemer totalmente manhoso enquanto segurava seu pulso com uma mão e agarrava o lençol com a outra.

A cama se movia com as estocadas fortes fazendo um rangido irritante, mas que não podíamos evitar, Scary agarrava minha bunda e minhas coxas, cada vez indo mais forte e gemendo rouco, eu o sentia tocar uma área sensível dentro de mim, que me fazia pulsar e me contrair em seu pau.

Eu: vou gozar.-falei com um fio de voz para mim mesmo e Scary de afastou, o mesmo me virou, fazendo com que eu deitasse na cama e abriu bem minhas pernas.

Scary: olhe nos meus olhos, ômega.-mandou e eu o fiz, o mesmo me penetrou e acertou diretamente naquele ponto sensível, mas agora parecia me estimular mais.

Meu lubrificante escorria como nunca enquanto ele me penetrava, suas estocadas eram fortes e fundas, me deixando cada vez mais próximo do ápice. Quando ele começou a me masturbar, foi o fim, não pude manter contato visual, fechei os olhos com força e gemi alto enquanto meu orgasmo vinha sujando sua mão e meu estômago, ao sentir meu aperto, o maior grudou seu corpo ao meu e me beijou, gozando na camisinha enquanto ondulava seu corpo contra o meu.

Eu: o nó.-falei rápido e cutuquei seu braço, mas o mesmo apenas  continuou dentro, deixando o se formar e rindo ao ouvir meu gemido agudo.

Scary: quero que você o sinta.

☆☆☆

Babydoll

Eu: eu não quero ver eles.

Bitch: seus alfas vão ficar irritados.-riu e eu ignorei a provocação.

Eu: não quero que eles se machuquem por minha causa.

Bitch: você tem noção de quantas purificações vocês já passaram juntos? Vocês não tipo esmalte, unha e carne.-insistiu.-cara, você vai poder postar um vídeo no Pornhub com a tag "dupla penetração brutal" quando eles te encontrarem.

Eu: cala a boca.-revirei os olhos.

Pure: eu concordo com o Bitch.

Eu: calado, você ainda está de castigo.

Pink: nunca imaginei que o Pure iria parar na diretoria por transar no colégio.

Bitch: é fácil falar quando transa com alguém que pode encobrir tudo.

Pink: cala a boca, você não sabe de nada.

Bitch: na verdade, não sei se você se lembra, mas hoje mesmo, na hora do intervalo, eles passaram um vídeo em vários ângulos da câmera da rua filmando você e o Shot metendo até o talo dentro do carro dele.-lembrou.-pra sua sorte, não conseguiram gravar os rostos de vocês... só as suas botas pro ar no final.

Pure: eu adorei, Pink ficou muito sexy cavalgando.

Eu: já te mandei calar a boca.-respirei fundo.-porra, tinha que ser logo com o Scary? Tanto alfa bom e você fodeu com o Scary.

Bitch: você que apresentou eles.

Eu: foda-se, não mandei transarem.

Pure: eu disse que ele tinha me descoberto, você apenas se fez de idiota e fingiu não conhecer ele... de qualquer forma, não me arrependo e pra sua informação, foi o melhor orgasmo que eu já tive.

Pink: é óbvio que foi, você transou pela primeira vez, foi novidade, espera pra ver se a próxima não vai ser melhor.

Pure: eu não contei que era virgem, ele não teve frescura comigo.

Eu: VOCÊ O QUE?

Pure: sabia que os alfas não curtem virgens? Se eu dissesse, ia acabar tudo.

Eu: Pure, você é louco, se ele mete pensando que você já ta acostumado, dá ruim.

Pure: não deu ruim porque eu estava jorrando lubrificante! Eu até recebi o nó no final.

Bitch: caralho.-começou a rir alto.

Pure: eu se fosse você, me preocupava mais com o nó duplo que você vai receber quando os meninos te encontrarem.-alfinetou.

De repente o celular de Bitch tocou e ele se afastou do carro em que estávamos apoiados enquanto atendia, nós dois estávamos parados próximos à Fuck, onde acontecia a maioria dos abusos de ômegas, nos encontraríamos com alfas, mas eles nunca chegavam, Pure estava em um prédio próximo e Pink andava com uma grande metralhadora pelas ruas.

Bitch: aconteceu algo, Joke?-pôs no vivo a voz.

Joke: só queria avisar que Scary roubou uma escuta e conseguiu transformar ela em uma espécime de rádio, então estamos ouvindo a conversa de vocês.-respirou fundo.-e os cães do Babydoll estão aqui, eu diria que... não muito felizes, se puderem vir buscar os dois...

Eu: passa pra eles.-puxei o pulso de Bitch e ouvi um rosnado, era assim que nos comunicavamos antes deles falarem no armazém.-vão pra casa, agora, estamos em um lugar perigoso e eu não quero que se machuquem.

Die: que lugar perigoso?-perguntou e Bitch arregalou os olhos.

Eu: não importa, Die, vão para um lugar seguro, agora.

Bitch: essa é a voz dele?-murmurou surpreso.

Pure: assustador.

Scary: ei maior, consegui rastrear, eles estão em Fuck, agora vão embora logo, é ridículo ver esse bando de alfas se encolhendo perto de vocês.

Pink: idiotas, estão rastreando vocês... oh merda.

Eu: Pink, o que houve?

Pink: é o carro dele.-sussurrou.-o que esse idiota tá fazendo aqui?

Shot: vim atrás de você.

Bitch: espera... que porra?

Scary: eu realmente fiz um ótimo trabalho, sou muito foda.

Joke: agora todos os "principais" tem uma escuta.

Eu: todos?

Buh: todos.

Ouvimos o som do carro parando e nos viramos rápido.

Boss: Babydoll, sua langerie encolhe a cada purificação.-falou malicioso.

Pure

Scary: você era virgem?-perguntou e eu senti meu rosto corar.

Eu: isso não importa.

Scary: diz que gamou em mim, vai.

Eu: começo a achar que quem gamou em alguém aqui foi você.-sorri de lado e voltei prestar atenção nos outros assuntos.

Babydoll: ...desculpe, Boss... não prestei atenção, pode repetir?

Boss: odeio quando as vadias não prestam atenção no que eu digo.

No momento em que ele pegou a arma, eu atirei em seu ombro, aproveitando a distração, Babydoll e Bitch começaram a correr enquanto todos os alfas se armavam.

Boss: ATRÁS DELES.-o grito dele foi tão alto que pude ouvir como se o mesmo estivesse ao meu lado.-E TRAGAM O ATIRADOR.

Eu: aah, deixa o atirador, eu te fiz um favor de não estourar seu saco.-resmunguei manhoso enquanto levantava pra fugir.

Babydoll

Bitch: TOMARA QUE ELES TE ARREGACEM.-gritou enquanto corríamos.

-peguem eles.-ouvimos de longe.

Eu: VAI SE FERRAR, ISSO NÃO É HORA.

Bitch: PODEMOS MORRER A QUALQUER MOMENTO, CLARO QUE É.-respondeu.-EU ACABEI DE ME DECLARAR E INICIAR UM RELACIONAMENTO ONDE ELE NÃO ESTÁ LÁ APENAS PRA ME COMER.

-voltem aqui.

Eu: BOM PRA VOCÊ, EU GOSTO DE DOIS ALFAS DIFERENTES QUE EU SEQUER TINHA OUVIDO FALAR HÁ ANOS E ACABEI DE DESCOBRIR QUE É RECÍPROCO.

Bitch: ACABOU DE DESCOBRIR? OS CARAS PRATICAMENTE LAMBEM O CHÃO PELO QUAL VOCÊ PASSA.

-vamos acabar com vocês.

Eu: PENSEI QUE FOSSE COISA DA MINHA CABEÇA, EU TE DISSE QUE GOSTAVA DELES E VOCÊ NÃO DISSE NADA.

Bitch: VOCÊ COMEÇOU A SE APAIXONAR NA MESMA ÉPOCA EM QUE JOKE ME TIROU DO SÉRIO, EU NÃO ESTAVA PENSANDO DIREITO.

Um tiro foi dado e a bala passou entre nós, me fazendo arregalar os olhos.

Eu: E VOCÊ ACHA QUE EU TÔ? OLHA O MEU TAMANHO, VOCÊ ACHA QUE EU TENHO ESTRUTURA PRA AGUENTAR DOIS ALFAS? NÃO VOU SUPORTAR E ELES VÃO SE ENJOAR DE MIM.

Bitch: JÁ TE VI METER DOIS VIBRADORES AO MESMO TEMPO COMO SE NÃO FOSSE NADA.-gritou indignado.-NÃO VEM SE FAZER DE VIRGEM PRA MIM, JÁ TE AJUDEI NUM CIO, CADELA, SÓ DOIS ALFAS PRA TE SATISFAZER MESMO.

Outro tiro.

Pure: gente, ainda dá pra ouvir tudo.

Pink: deixa eles falarem, isso tá bom demais.

Pure: só meio constrangedor imaginar meu irmão se abrindo todo.

Joke: o melhor é que nós e os cães de Babydoll podemos ouvir tudo.

Scary: não sabia que você era tão guloso, Babydoll... to louco pra ver eles juntos no colégio.

Pure: eles são do colégio?

Scary: tão fazendo o quarto ano em administração, são de um pavilhão diferente, mas já os vi no intervalo, ele sabem quem Babydoll é.-riu.

Eu: VIU O QUE VOCÊ FEZ?-perguntei envergonhado e nós viramos uma rua, nesse momento vimos duas motos vindo em nossa direção e as reconhecemos no mesmo momento.

Bitch: SEUS ALFAS SÃO FODAS.

Eu: EU SEI.

Pure: eles viraram a rua... ah não, eles tem uma bazuca, eles tem uma bazuca, ELES TEM UMA BAZUCA.

Die: Pure.-chamou sério.-acaba acaba com o cara da bazuca.

Pure: sim.

Bitch: FODE COM ELES ATÉ O TALO, BABYDOLL, NÃO DEIXA ESSES GOSTOSOS IREM EMBORA.

Eu: SÓ SE EU SOBREVIVER.

Die e Buh: pode deixar.

Scary: botei fé.

Ouvi o tiro mais alto que reconheci ser de Pure, os dois alfas esticaram um dos braços para nos puxar e ao estarmos próximo, seguramos em seus pulsos, sendo puxados pelos mesmos. Abracei a cintura de Buh com força e Bitch fez o mesmo com Die.

Scary: atira naquele de boné também.

Pure: por que?

Scary: você fica muito sexy puxando esse gatilho.

Pure: c-como você chegou aqui?

Eu: obrigado.

Buh: Fuck é uma das maiores áreas, eles tem boas armas, muitos alfas e um grande ódio por vocês, o que pensou que aconteceria?

Bitch: na minha opinião, ele não pensou.

Joke: o jeito agora é todo mundo ir foder pra amanhã ter notícia.

Pure: eu acho que Pink já está fazendo isso.-murmurou.

Joke: que tal fazermos em frente ao drone?

Uma outra moto virou a rua e eu percebi ser de Joke.

Bitch: eu gosto da idéia.

O ômega se virou de lado, atrás de Die e se preparou para pular, quando Joke passou, os mesmos seguraram um o pulso do outro e Bitch pulou para sua moto.

☆☆☆

Meu quadril se grudou à barra de apoio do elevador e os dois alfas ficaram de frente para mim, eu não sabia onde exatamente estávamos, só sabia que os alfas de Fuck vieram trás de nós e os meninos fizeram o máximo para despistar cada um. A mão de Die estava espalmada no espelho pouco acima de minha cabeça enquanto Buh segurava a barra de metal, ambos me olhavam e eu só podia encarar o chão, tentando não mostrar o qual nervoso estava.

Die: ainda estão atrás de nós.-ditou ao ouvirmos como se alguém estivesse batendo nas cordas do elevador.

Buh: é porque o cheiro dele está forte.-suspirou e eu engoli em seco.

De repente Die tirou o próprio casaco e pôs sobre mim, os dois se entre olharam como se soubessem o que fazer e se mostraram preparados, assim que as portas pesadas se abriram, os dois me guiaram rapidamente pelos corredores, tudo ali tinha um cheiro forte, tanto de ômegas quanto de alfas.

Die: nesse quarto, o cheiro aqui é mais intenso.-entrou rápido e correu para dentro do que parecia ser um banheiro enquanto eu trancava a porta.

Eu: que lugar é esse, Buh?-perguntei baixo.

Buh: uma casa dos prazeres.-respondeu calmo e pegou qualquer lubrificante com essência forte, espalhando em sua mão e passando rapidamente por partes do meu corpo e exalavam maior cheiro.-não devia vir para a purificação tão próximo do cio, aquela corrida apenas te fez liberar mais cheiro.

-onde eles estão?

Die saiu rapido do banheiro e abriu uma janela, mexendo nas cortinas para dar impressão de que havíamos saído por ela enquanto Buh apagava qualquer luz que houvesse ascendido quando entramos. O senti me puxar rápido até o banheiro e Die entrou junto, desligando a torneira, a banheira grande que havia ali estava cheia até metade, podia ouvir os alfas vindo em nossa direção cada vez mais próximos. Die desligou a luz do banheiro e no exato momento em que nós três fomos para a água, a porta foi aberta brutalmente após um tiro quebrar a tranca.

Nos escondemos completamente por baixo da água e esperamos. Eu não podia ouvir muito bem o que acontecia, mas os alfas estavam bem alertas, em um momento senti os dois puxarem as facas que eu escondia por baixo da saia da langerie, mas nada aconteceu. Logo eu, sem conseguir evitar, soltei o ar, sentindo meu corpo se contrarir pela necessidade de subir e puxar mais. Apenas nesse momento nós subimos e eu respirei fundo, o banheiro estava um breu e não tinha nenhum som vindo de fora.

Buh: já foram.-murmurou e os dois saíram rápido da banheira, logo me ajudando.

Die: a melhor opção é ficarmos aqui até o alarme soar anunciando o fim da purificação.

Buh: certo, vou fechar tudo ali.-saiu do banheiro e Die ligou o chuveiro.

O mesmo veio em minha direção e tirou seu casaco de meus ombros, logo segurando minha máscara lentamente e ao ver que eu não o pararia, puxou a mesma devagar.

Die: tome um banho.-falou calmo e eu apenas fui para de baixo do chuveiro sem questionar.

Fechei a porta de correr e joguei a langerie no chão, ao entrar de baixo da água, apenas deixei a mesma passar por meu corpo por um tempo, para logo começar a me lavar. Pude ouvir roupas pesadas caírem no chão e logo um som parecido com silicone molhado, que me fez travar ao imaginar que alguém havia tirado a máscara.

Buh: fechei tudo.-falou calmo.

Die: agora é esperar.-suspirou.-melhor tirar essa máscara.-escutei um armário ser aberto e algo ser jogado.-"valeu".

Buh: disponha.-mais roupas pesadas sendo jogadas no chão e a máscara sendo tirada. Percebi que um roupão e uma toalha foram pendurados por cima da porta do box e fechei o chuveiro após terminar de me lavar.

Puxei o roupão e o vesti percebendo que ficava perfeito em meu corpo, peguei a toalha e passei em meu cabelo, sequei meu rosto e olhei o vidro embaçado, tomando coragem para sair, logo o fazendo. Respirei fundo antes de olhar os meninos e senti meu rosto corar ao perceber que os dois alfas usavam apenas toalhas presas aos seus quadris, nos aproximamos sem pensar, eles me olhavam como se procurassem por algum novo machucado ou qualquer coisa preocupante e ao não acharem, Buh me abraçou, fazendo com que eu arregalasse os olhos ao ter o corpo do alfa tão próximo daquela forma.

Ao se afastar, não pude nem dizer algo antes de seus lábios se colarem nos meus, gemi baixo ao ter uma das mãos do maior em meu cabelo e outra em minha cintura, minhas costas se grudaram ao peito de Die que estava apoiado na pia, suas mãos pousaram em meu quadril enquanto o mesmo beijava meu pescoço e foram subindo lentamente até meus ombros, onde o senti afastar a gola do roupão até que o mesmo caísse de uma vez só em  meus pé, me deixando totalmente à mostra. Agora podia sentir a pele dos alfas contra a minha, me fazendo arfar e tremer com o contato tão bom.

Apenas com seus toques, eu já podia sentir meu corpo reagir, o que eles não demoraram para perceber, Buh afastou seus lábios dos meus e de repente desceu a mão que antes estava em meu cabelo até meu membro já desperto, me fazendo gemer surpreso e me contrair, os sentindo me segurar mais firme, virei meu rosto, olhando Die assim que ele passou um de seus braços pela minha cintura e com a mão livre segurou minha coxa, não me deixando fechar as pernas enquanto Buh me tocava, o mesmo apenas me beijou e eu senti agora o outro abusando do meu pescoço.

Quando senti a mão em meu membro descer até minha entrada, não pude conter um gemido manhoso, ter um dos dois tocando aquela área tão sensível me deixava totalmente entregue, mas de repente os mesmos pararam e Buh me puxou fraco, fazendo com que eu me afastasse de Die, o mesmo andou de costas, me guiando até o quarto enquanto me beijava intensamente e eu só tomei consciência de quanto havíamos andado ao ser deitado na cama e ver os dois alfas subirem na mesma junto comigo, como no armazém, Buh desceu, se direcionando à minha intimidade e Die tomou meus lábios sem demora, agora tudo parecia mais intenso, Buh não focou tanto em meu membro e desceu até minha entrada, lambendo ali e me fazendo gemer nos lábios de Die que desceu sua mão até meu pênis, o tocando num ritmo lento. 

Senti os lábios do maior passarem para o meu pescoço e arfei dando total liberdade para ele abusar daquela área. Abri os olhos que nem percebi ter fechado e percebi ao meu lado na cama, não muito afastado, um lubrificante e duas camisinhas, não pude evitar de imaginar até onde chegaríamos e isto me fez pulsar, ao perceber como eu estava excitado, Buh penetrou lentamente um dedo em meu interior, logo pondo outro e eu gemi alto. Não pude conter a imensa vontade de rebolar em seus dedos os sentindo se molharem com o meu lubrificante natural, entendendo como eu estava necessitado, os dois alfas e entre olharam e rapidamente Buh pegou uma camisinha enquanto Die voltava a me beijar.

Ao sentir o membro duro ser pressionado contra minha entrada, arfei jogando minha cabeça para trás e o senti entrar lentamente, Die apenas admirou cada expressão minha ao ser penetrado, logo o mesmo se aproximou e me beijou intensamente enquanto eu sentia Buh se mover lentamente antes de outro se afastar, senti suas mãos em minha cintura e o mesmo me puxou, nos virando sem sair de dentro de mim enquanto Die pegava a outra camisinha, fiquei de quatro por cima de Buh e Die se posicionou atrás de mim.

Eu: Buh.-gemi baixo e rebolei em seu membro, sentindo Die derramar o lubrificante gelado em minha entrada antes de pressionar também seu membro para me penetrar.-D... ah.-gemi alto ao sentir o mesmo entrar aos poucos.

Buh voltou a me beijar e eu tomei coragem, rebolando devagar os sentindo em meu interior, senti as mãos de Die segurarem firmes minha bunda e Buh minha cintura, quando os dois se moveram, eu apenas me empinei mais, as estocadas eram lentas, mas logo acertaram meu ponto mais sensível e eu arfei, isso fez com que os alfas aumentassem a velocidade, estocando forte em meu interior enquanto eu gemia alto, sentia meu orgasmo próximo e me contraia fortemente, sentindo meu corpo tremer.

Eu: eu v...-gemi alto e senti meu orgasmo vir no abdômen de Buh, os mesmos apenas se moveram mais rápido até gozarem também em meu interior, ao sentir o nó de cada um se formar, gemi baixo enquanto deixava meu corpo se colar ao de Buh lentamente.

☆☆☆

Abri os olhos devagar e percebi que o sol já estava nascendo, eu estava deitado, tapado pelo lençol branco e os alfas estavam, cada um de um lado meu, não pude conter o sorriso largo que apareceu em meu rosto ao lembrar o que havíamos feito, perdi a conta de quantas vezes repetimos, só sabia que não queria mais me levantar daquela cama.

"Anunciamos agora o final da purificação"



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...