1. Spirit Fanfics >
  2. Uma Noite no Bar >
  3. Uma Noite Na Balada

História Uma Noite no Bar - Capítulo 1


Escrita por: Arthuzinho336

Notas do Autor


Espero que gostem pq aos poucos estou voltando! Meus amores

Capítulo 1 - Uma Noite Na Balada


Fanfic / Fanfiction Uma Noite no Bar - Capítulo 1 - Uma Noite Na Balada


' . . . Dado a hora do evento, o então presidente ( Archie Andrews ) não demorou tanto para chegar, porém todos sabem que era bem chique chegar atrasado, por isso não fez questão alguma de madrugar no local. Chegou olhando para todos e assim, em silêncio de início, teria uma presença muito imponente, tanto por seu cargo elevado quanto a altura que não era nada pouca. Andando entre os demais, ele estaria com as duas mãos para trás e com isso um pensamento elevado, parecia longe até que parou frente ao palco e disse. — Boa noite a todos...— disse passando entre eles e cumprimentando os demais. Seu traje era muito sensual e ao mesmo tempo atraente. Vestia um manto preto longo, e um shorts de cor igual que deixaria suas coxas de fora e ao mesmo tempo um volume aparente ali na frente que não passava despercebido. Seu corpo tinha pelos bem aparados, porém também visíveis por todo ele, não fazia a vibe lisinho. Indo para um lugar mais ao lado reservado, ele ficou esperando começar.

ㅤ 

[C] O jovial garoto ( Jughad Jones ) pálido adentra o ambiente trajando botas de látex pretas, uma regata apertada e curta, calças longas e um óculos, toda a vestimenta era preta e trazia um toque noir para sua aparência, o que combinava bastante com o menino, ele estava elegante e ao mesmo tempo ousado. Por ser um membro do antigo clã e da casa real ele não estava acostumado a ser vulgar em seus trajes. Ele caminha pela balada observando os rostos das pessoas. Ele se dirige até o balcão e pede uma bebida de coloração avermelhada, aproxima de seus lábios e degusta devagar. Apoiou seu cotovelo no balcão e ali, enquanto bebia seu copo de drink vermelho, observava todos que ali chegavam.

[C]

' . . . Teria visto a chegada do rapaz ali, afinal ele era conhecido do presidente e não precisava de muito para que pudesse guardar em sua mente aquele corpo provocante, ainda mais todas as vezes que o via no palácio para lá e pra cá, com sua pele branca e macia, sabia que poderia se divertir com o rapaz. Quando a luz apagou, sabia bem onde ir e levantou devagar para não esbarrar em nenhum puto, e seguiu em direção a ‎‏Jughhad Jones ‌‬‭. Chegou perto do menor e sua mão firme foi levada até sua nuca, segurou está com força para o imobilizar e o pegar de surpresa. Não demorou e o fez virar em minha direção, deixando a bebida ali mesmo. De repente o deu um selar de lábios intenso, enquanto com a mão livre agora em sua cintura, o fazia levantar do banco e ficar a minha frente. O beijo não se prolongou tanto, e por isso quando acabou não falou nada, mas simplismente o fez se ajoelhar a força a minha frente. Era um homem alto demais e era notória a diferença de idade, visto que o menino ficava frente ao volume do shorts, volume esse que teve o rosto do menino esfregando. Archie — Sinta o cheiro do seu macho desta noite...quero que engula tudo!

[C] Tudo estava tranquilo até as luzes se apagarem e em poucos instantes, um grande corpo cerca o jovem e sem deixá-lo escapar, o dominou de uma só vez. O beijo foi retribuído no mesmo momento e com ainda mais intensidade, o menino tinha lábios menores do que o do outro o que fazia com que o beijo ficasse, de certa forma, atrapalhado mas ainda assim, bastante prazeroso para ambos.

[C] Quando o ósculo se encerrou, o menor se sentiu fortemente pressionado à se ajoelhar, e assim o fez, ouvindo a grossa e imponente voz do homem à sua frente.

[C] Jughad — Sim, Senhor. — Após o que havia dito ele aproximou seu rosto do membro ainda coberto pela peça de roupa íntima do mais velho e sentiu o seu perfume masculino adentrar suas narinas.

[C] Aquilo deixou o garotinho extremamente animado, o fazendo no mesmo instante, sem pensar duas vezes, puxar para baixo aquela roupa, agarrando o grande membro do outro e o estimulando intensamente e com certa força, seus lábios gélidos e rosas iriam atacar a glande, demorando para que continuasse a ir até a extensão, suas mãos, iam abaixando até os testículos do homem, ali também os estimulando.

Quando sentiu assim sua mão puxar a peça de roupa para baixo, ele viu o pau do maior pular para fora do shorts. Era imenso de certo não caberia com tranquilidade na sua boca, afinal ele era pequeno demais perto de mim, não passaria nem mesmo chegaria a altura de seu peitoral. Os lábios gelidos sentiram o pulsar de uma piroca quente e veiuda, além de uma forte mão força aquela cabeça contra a rola de uma única vez, sim, fez o menino engasgar com àquilo e queria ver ele sem condições logo do início. Ter a mão em suas bolas fartas o fez tremer levemente e quando sentiu ele tossir e babar enquanto fazia isso em minha glande, a luz acendeu e sem demora puxou a sua cabeça para trás e o fez levantar, encostando ele contra o balcão e falando enquanto o encurrala. 

Archie — Vai ser meu primeiro, moleque...vai sentir o que eu posso fazer com alguém como você! — disse ele, com o pau pingando de baba do menino.

O garoto mal conseguia respirar com o pau do outro em sua quente boca, ele tentava continuar com o ato mas era grande demais e o machucava por dentro, ainda mais sua garganta. Ao outro retirar, ele sentiu certo alívio, respirando fundo.

Jughad— Sabe que pode fazer o que quiser comigo, Querido. — Ele disse quase que totalmente entregue.

 Colocava todo o membro novamente em sua boca e o mamava incessantemente de forma com que mão conseguia descansar, a baba de seus lábios desciam pelo seu pescoço cada vez que ele investia seus lábios ali.


' O menor não tinha muitas escolhas, isso era óbvio ali. Preso contra o balcão, levo a mão a seus cabelos dourados e por isso os segurou com tanta força que ele poderia sentir sendo puxado para trás, o fazendo erguer o olhar. A luz vermelha fazia o menino me ver como um demônio, mesmo sendo um anjo a ilusão era parecida... de baixo eu era ainda mais ameaçador e minha rola não era nada gentil. Em movimentos de vai e vêm com a cintura, o maior movia aquela piroca de forma veloz em sua garganta, estava a afundando em sua boca e ouvir o som do molhado toda vez que minha virilha bate em seu belo e delicado rosto era excitante demais. Seu rosto molhado e a boca agora sendo agredida, com os lábios avermelhados, foi tirado rápido e fez o ar voltar a seus pulmões de uma vez. Archie — Esse cuzinho é meu primeiro, os outros vão ter que esperar por essa delícia! — dito tal coisa, Andrews ergueu o jovem com uma única mão e assim o fez vir para meu colo, sentindo aquele cuzinho piscar quando a glande foi posta em sua entrada, que sobre meu colo foi forçado sem gentileza alguma a sentar sobre aquela piroca grossa. Seu cuzinho estava sendo alargado e arrombado, e quando lhe deu quatro fortes tapas no rosto e seguro em seu queixo com força, dizendo. Archie — Rebola caralho!

O garoto se perdia na escuridão e seu único guia era o enorme pênis à sua frente, que em sua boca machucava cada parte do local. Com certeza o menor acordaria com a boca totalmente destruída na manhã seguinte, e logo, não seria só sua boca.

[C] Quando o menino se viu erguido até o colo do homem ele percebeu que não teria como escapar, se deixando levar pelo prazer, e claro, pela submissão que tinha com o outro.

Jughad — Você sabe como sou seu, amor... — Ele sente o pau do outro adentrar sua entrada.

O garoto nunca tinha sentindo aquela sensação mesmo em todos os seus anos de vida, ele então revirou seus olhos e tombou a cabeça pata trás, respirava fundo e tentava manter-se calmo, era uma dor que não sentia a muito tempo.

Jughad — Sim, Senhor. Acabe comigo sem pena.

O garoto iniciou uma rebolada intensa e forte no colo do outro, aquilo doía e era desconfortável, mas ele queria fazer de tudo para entregar prazer à seu dominador que estava determinado a torná-lo um garotinho impuro.


' Sim, poderia estar pegando um pouco pesado com ‎‎‏Jughad ‌‬‭ ‌‬‭e não negaria que gostava de estar daquela forma, ele ainda era seu naquela momento e não deixaria ele sair dali andando como antes, o faria usar cadeiras de rodas no outro dia quando estivesse " calmo ". Seu pau estaria lhe dando um belo cansaço, afinal a glande invadia aquele cuzinho apertado sem pensar duas vezes e o choque entre sua bunda e nádega era algo maravilhoso, já que sua raba estava ficando bastante avermelhada quando se chocava contra mim. Assim, ouviu o que ele disse e falou. Archie — Eu sei que posso, seu corpo é meu e eu não preciso de permissão alguma para fazer nada! — com isso, o menor sentiu as estocadas ficarem mais brutas e velozes, já que sua próstata estava sendo socada pela rola do dominante que pulsava dentro dele e estava bombando dentro da vadia, fazendo ele sentir uma pressão na barriga. Seus lábios foram a seu pescoço e com isso, começou a lhe dar chupões fortes ali, enquanto a sua mão direita adentrou sua boca, enquanto ia em direção a sua garganta.

[C] Ele se sentia cada vez mais dolorido quanto mais o outro penetrava, ele poderia pedir pra parar, mas já sabia a resposta que o seu "Mestre" daria, então o menino apenas gemia baixinho e recebia com prazer cada investida do outro. E quando sentia sua pele pálida ser marcada mais e mais pelos lábios brutos do outro ele segurou a cabeça do homem com as mãos e a inclinou para que pudessem encontrar suas testas, estavam suados e cada vez mais satisfeitos.

Jughad — Me enche de leitinho, papai. Seja o primeiro a fazer isso... — Ele dizia entre gemidinhos manhoso, logo após o menino tascou um beijo violento e voraz nos lábios grossos do outro.

Suas nádegas doloridas e vermelhas de tanto choque rebolava sem parar no pau do ‎‏Andrews.

' O pequeno corpo era violado por um macho sedento que queria por tudo devorar aquele cuzinho apertado e rosado que insistia em se manter piscando para mim, o que leva a ter uma força maior e uma pressão de outro mundo para o penetrar. Puxado para um beijo, ele respondeu com intensidade aquele ato e junto a isso, o maior começou a lhe dar um beijo de língua, explorando sua boca com fogo e paixão naquela foda. Isso foi algo para que pudesse simplismente o distrair, para assim terminar de macetar naquela raba farta. Seu cuzinho estava sendo esfolado e vermelho e ardendo por dentro, o menor pode sentir aquela piroca começar a ejacular dentro de seu cuzinho em jatos longos e quentes de uma porra que iriam o preenchendo por dentro. Via ele revirar os olhos, e graças a isso, o beijo acabou ao ver um filete de baba entre minha boca e a sua, com os lábios inchados. Levou o menino até o balcão e o colocou deitado sobre este, deixando meu pau sair bem devagar. Archie — Pronto vadia descansa...agora você pode servir a outros homens, por eu tomei você pra mim...e se quiser mais, sabe onde me achar! — disse vendo aquela cuzinho avermelhado piscando e a rola molhada de baba e gozo. 

Quando o outro finalmente se desfez dentro dele, Elio suspirou quase aliviado, sentia o líquido descer de sua entrada. Foi sua primeira vez e ele podia sentir a euforia de energia de uma foda em sua pele, aquilo o arrepiava por completo.

Ao ser deitado no balcão, ele fechou os olhos e aproveitou seu tempo de descanso.






Notas Finais


Bom foi isso espero que tenham gostado e até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...