História Uma Nova Chance - Camren G!P - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camila Cabello, Camren, Fifth Harmony, Lauren Jauregui
Visualizações 710
Palavras 931
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiii fofiss ❤

Eu sei que vcs querem maratona, porém eu não sei se vai dar pra mim fazer hj.

Mas pra não ser ruim e compensar o meu sumiço, irei postar outro mais tarde.

Aproveitem esse cap...

Capítulo 13 - Capítulo 12


Narrador Pov

"Nem tocá-la eu posso?" Lauren questionou com uma careta.

"Não quero."

"Devido a minha reputação?" (n/a:Bad reputation)

Camila assentiu com um gesto de cabeça. "E muitas outras coisas."

"Camila..." Lauren hesitou, e o cansaço de seu rosto aumentou. "Ash e eu..."

"Não quero saber." Camila a interrompeu.

"Mas eu gostaria de explicar. Saí com ela duas vezes. Fomos a uma pré-estréia e a um lançamento beneficente. Foram dois eventos muito comentados pela imprensa, e Ash os aproveitou o quanto pôde para a sua promoção pessoal. Não podia imaginar. Ela investia na carreira de modelo e aparecer fazia parte do negócio. Eu precisava de uma mulher a meu lado, e ela preenchia os requisitos. Mas..." deu uma pausa.

"Sim?" Camila perguntou e se arrependeu de imediato.

Não queria saber mais nada sobre Ashley.

Ela tinha uma opinião pessoal sobre Ashley Benson, formada durante o transcorrer do processo.

Conhecia detalhes da história da modelo que Lauren, na certa, nem imaginava.

Fatos que provocariam pesadelos nela e seriam um prato cheio para os meios de comunicação.

Lauren deu de ombros. "Não sei o que você sabe sobre minha vida, que se tornou pública desde que eu era uma garota, Camila. Sempre houve problemas entre meus pais e eu. Nós não tínhamos tempo para nos dedicarmos uma a outra."

Camila já desconfiava de uma situação mais de aparência que de amor.

"Uma hora antes do baile da Heart Foundation, no ano passado, soube da morte de minha mãe em Nova York. Ela não falava comigo há muito tempo. Não gostava de ter uma filha de trinta anos quando ela mesma queria aparentar essa idade. Eu fingia não me importar com isso, mas, quando mamãe morreu, vi que me incomodava... e muito."

"Você foi ao baile?" Camila questionou verdadeiramente curiosa.

"Ash estava me esperando e eu também não queria pensar em minha mãe. Ficar em casa com meus fantasmas? Não é meu estilo. Assim, fui ao baile, bebi demais e acabei no quarto da Ashley, no hotel. Quanta estupidez! Lembro-me dela me assegurando de que não havia problema. E rindo. No dia seguinte, eu me perguntava como tinha conseguido fazer sexo, tendo estado tão bêbada." Lauren fez uma careta e fitou o copo vazio. "Por isso insisti no teste de DNA. Espero que Julian nunca venha a saber que sua mãe nem se lembra do momento de sua concepção."

Camila ouvia o relato em silêncio.

"Tive muitas namoradas, mas não sou uma pessoa promíscua. De maneira alguma."

"Por que me conta tudo isso?" perguntou.

"Tenho o pressentimento de que é importante." Lauren a fitou, intensamente. Seus olhos verdes nos olhos castanhos de Camila. "Não é verdade?"

"Não tem nada a ver comigo!" exclamou, porém estava estremecida com o que ela havia dito.

"Ainda faltam trinta e nove dias..."

"Não brinque, Lauren Jauregui, por favor."

"Juro que não faria isso com você, Camz." Lauren pegou o pulso delicado e o acariciou, os dedos macios e gentis. "Pode ter a mais absoluta certeza."

Camila não respondeu. Nem poderia. Afogueada, sentia o coração bater desordenado.

O que estaria acontecendo?

"Não fique assim, Camila." Enfim, Lauren soltou a mão dela com delicadeza e se levantou. "Chega de vadiagem," disse, devagar e relutante. "Terminarei o serviço e... cama."

"Serviço?" Camila teve de se esforçar para que a voz saísse audível.

"As galinhas precisam ser trancadas e o cachorro deve estar com fome." Lauren explicou.

"Faz tempo que não vejo o collie." Ainda bem que mudou de assunto, Camila disse consigo mesma.

"Eu o prendi antes de irmos atrás do touro. Deve estar nervoso, coitado."

"Ele é uma graça." comentou Camila.

"Tonto como só ele. Meus dois cães de verdade estão com Claire."

"Como assim?"

"Os cães adoram Claire e o marido. Ele cuida desta fazenda quando estou nas outras propriedades."

"Ah... Então existe um Sr. Clarence?"

"Jace é uns vinte centímetros mais alto que a mulher e bem mais magro. É muito calado. Sem dúvida, é o melhor administrador que uma fazendeira distraída poderia desejar. O casal é insubstituível."

"Mas por que levaram os cachorros?"

"Ashley odeia cães." Lauren fez uma careta. "Berrava toda vez que eles se aproximavam, e o cão mais velho ameaçava reagir. Rosnava muito para ela. Então, os Clarence resolveram partir, levando-os. Não consegui convencê-los a levar o Matthew. É simplório demais."

"Coitadinho!"

"Para você ver... Tenho quase uma família completa. Até agora, isto aqui tem sido muito solitário." Lauren acariciou os cabelos quase secos de Camila. "Não saia daí, senhorita. Volto logo."

Assim que ela se afastou, Julian começou a chorar. Queria comer pelo tempo em que não se alimentara.

Camila relanceou um olhar ao redor. Em um canto, perto do guarda-louça, viu um rodo.

Pulando numa perna só, o apanhou, virou a borracha para cima e foi até o quarto de Julian, usando o rodo como bengala.

Acendeu a luz. 

O garotinho parou de chorar quando a viu.

Camila se enterneceu com o sorriso do menino. Afastou o rodo e cambaleou. Apoiou-se à grade do berço e ali permaneceu por um longo tempo, fitando a linda criança balbuciando sons ininteligíveis.

Amor... por alguém que não era o Dylan.

Camila sacudiu a cabeça para afastar os pensamentos tristes que lhe obscureciam a mente.

Julian agitava os bracinhos e Camila estendeu os dedos, que ele agarrou. Ria e balbuciava sem parar.

E tocava fundo o coração dela.

"Julian, querido, você é tão perigoso quanto sua mãe." murmurou. "Essa sua risadinha..."

Julian abriu a boca sem dentes e soltou um grito de alegria. Ela não resistiu. Pegou-o no colo e o apertou bem junto do peito.

A grande dor foi diminuindo.

Camila sempre sofreria por Dylan, que morrera havia dois anos e lhe deixara apenas uma pequena lápide branca num cemitério.

Apesar disso, ela ainda podia amar outro bebê.


Notas Finais


Eaii?? Tadinhaaa da minha Camz 😢



Byee fofiss ✌


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...