História Uma Nova Chance - Camren G!P - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camila Cabello, Camren, Fifth Harmony, Lauren Jauregui
Visualizações 957
Palavras 1.259
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Posso falar? Até eu começando a pegar ranço da Lauren e depois desse capítulo, não sei não em....

Bom dia ❤

Capítulo 17 - Capítulo 16


Narrador Pov

Camila nunca ficara tão brava.

Nunca a perdoaria.

Encarou-a furiosa e... Lauren estava sorrindo!

Aquele mesmo sorriso que a deixava atordoada.

"Exceto por eu lhe estar pedindo para se casar comigo, Camila Cabello."

Casar...

A palavra queimou como ferro em brasa. Seria preciso sepultar o passado para enfrentar o futuro desconhecido.

Camila abriu a boca e a fechou, em silêncio. Até Matthew estava quieto, e só se ouvia o barulho das galinhas ciscando no cascalho abaixo da varanda.

Ela fitou o rosto de Lauren e viu que ela não estava brincando. Pelo contrário, não a vira ainda tão compenetrada.

"Casar? Não estou entendendo..." Camila estava muito pálida.

"É simples." Lauren a pegou pelo braço, fez com que se sentasse na cadeira, parou em frente dela e repetiu: "Camz, estou pedindo para que se case comigo."

"Você deve estar brincando..." Ela não reconheceu a própria voz.

"Nunca falei tão sério em minha vida, e é a primeira vez que peço uma mulher em casamento."

"Que bom... para você." Camila respirou fundo. "E a que devo essa honra?"

"Trata-se de uma decisão sensata." Lauren hesitou, se inclinou e tomou as mãos geladas dela entre as suas. "Você sabe que eu não tenho como tomar conta de Julian. Minha vida é uma loucura. Fora as três propriedades na Austrália, tenho outras no resto do mundo. Preciso comparecer a uma reunião no norte do país, e no dia seguinte posso ter de estar no sul para a tosquia. Ao mesmo tempo, possuo negócios em Londres a Nova York. Aqui tudo vai bem, e fico feliz por estar nesta propriedade mais que duas semanas por ano. Acha que Julian pode aguentar uma mãe assim?"

"Não." Camila sussurrou. "Vai ter de reorganizar sua estrutura de trabalho, se quer seu filho."

"Os negócios são a minha vida. Sou uma executiva." disse Lauren, firmemente.

"Isso é terrível. Mas a única coisa que posso fazer é ter pena de Julian."

"Eu sei." Lauren se ajoelhou e lhe apertou as mãos. Camila só queria levantar-se e se afastar dela, mas fora pega numa armadilha. "Camz, posso ver como já se sente em relação a Julian, em apenas um dia. Ele precisa de você, e você, dele."

"Está me oferecendo o seu filho para ocupar o lugar do Dylan?" Ela a encarou, incrédula.

Desgraça insensível, idiota..

"Eu não pensaria num absurdo como esse, Camila. O vazio e a dor jamais serão esquecidos. Pela sua maneira de olhar tudo por aqui, tenho certeza de que adora a vida do campo. Você é forte, corajosa, adorável e alegre. Tudo o que sempre desejei para minha esposa. Fique. Pode ser uma vida boa para você. Poderá tomar conta de toda a parte jurídica de meus empreendimentos. Ou, se preferir, há uma empresa de advocacia na cidade vizinha, cujo dono é bastante idoso. Ficará maravilhado se você o ajudar algumas horas por semana." Lauren interrompeu os seus pensamentos.

"E tirarei a responsabilidade de Julian de suas costas." ela comentou, indignada.

"Engano seu. Sei que sou responsável por meu filho. Mas você pode lhe dar uma assistência muito melhor que a minha."

"Pelo amor de Deus... Você pode contratar uma babá! Já pensou nisso?"

"Julian não quer uma pajem." Lauren se ergueu e deu a volta para olhar o filho no carrinho. "Eu tive babás. Elas vêm, nós nos apegamos, e depois ficamos sozinhos. Depois de algum tempo, a gente não se apega mais."

"Está me oferecendo um emprego permanente."

"Estou." Lauren se aproximou de novo. "Pense nisso com carinho. Sei que você será capaz de assumir o encargo."

Camila teve a impressão de que alguma coisa se rompia no recôndito de sua alma. 

Deviam ser seus sonhos, pensou. 

"O que a fez pensar que eu me casaria com você? Que razões eu teria para me casar de novo?"

"Você se casou pensando em romantismo, e nós duas sabemos que isso nada tem a ver com casamento. Sua tentativa foi um desastre. Seus pais também se separaram, assim como os meus. A idéia romântica de casamento não passa de contos de fada. O que estou lhe oferecendo, é uma proposta de negócios."

"Quer dizer que vai me pagar?" indagou, incrédula.

"Claro que não!" Lauren sorriu e fez um gesto negativo com a cabeça, como se realmente já estivesse assinado o acordo. "Por outro lado, sei que passou muito tempo arcando com as dívidas de sua mãe e não tem muitas reservas financeiras. Se, depois de alguns anos, você quiser ir embora... Bem, faremos um contrato, e eu a deixarei em boa situação, caso isso aconteça.

"Depois de alguns anos..." Camila repete tentando manter a calma.

"Podemos fazer um acordo para dez anos, e depois você fará o que achar melhor. Nem pense que estou lhe pedindo para me aturar na velhice. Você ficaria só enquanto Julian precisar mais de você. E pensei que, se você quisesse um filho, nosso, eu não teria objeções."

"Que maravilhoso!" disse sarcástica.

"Seria bom para Julian e não me afetaria. Eu fico pouco por aqui." Lauren fala sem perceber o tom sarcástico na voz dela.

"O suficiente para ter um filho comigo." Camila conclui.

"Isso não seria o problema." Sorriu. "Pode acreditar."

Que ousadia daquela mulher!

Camila não apoiava a violência, mas estava quase abrindo uma exceção.

"Não acredito nisso." disso incrédula.

"É uma opinião. Mas não acho que seja impossível. Creio que seria feliz aqui na fazenda, Camz. E qualquer um pode notar que também gosta de Julian. Mesmo se não der certo para nós, o meu filho terá uma madrasta que o amará para o resto da vida, apesar de toda a tragédia que a envolveu. Não haverá melhor presente para meu filho." Lauren continuou a explicar.

"Eu?"

"Com certeza. Pense nisso, Camz." Lauren pediu, com delicadeza. "Eu gostaria muito. Você me daria um ótimo motivo para voltar para casa."

"Uma doce esposa..." respondeu cinicamente.

"Uma idéia bastante agradável." Fitou-a com deleite. "Você é uma mulher atraente, e acho que poderemos ser amigas."

Amigas... Uma palavra fria, sem emoção.

Lauren Jauregui esperava por uma resposta. Camila procurava por algo plausível para dizer, sem achar nada.

"Tudo isso é... Uma asneira!" Camila gaguejava, sentindo-se uma idiota.

"Camz, precisa pensar..." tentou falar, porém Camila a corta.

"Não." respondeu secamente.

"O que tem em mente?" Lauren franziu o cenho, pensando que Camila queria mudar alguma coisa da proposta.

"Que não há nada a fazer. De todos os ou as arrogantes, autocráticos, capitalistas, você é a mais desprezível. Tem um problema sério, Jauregui. Possui um filho, que pode substituí-lo na empresa quando estiver velha. E não fica bem colocá-lo num orfanato." Camila se endireitou, respondendo com classe, as palavras vieram fáceis. "Chocante, não é, Lauren? Sua consciência não aguentaria. Você precisa de uma mãe para seu filho. Achou uma solução simples. Camila Cabello. A ingênua moça do interior, pobre e de gosto duvidoso. Mas Camila cabello observou muito. Não foi à toa que ela estudou. E aprendeu que um erro só se comete uma vez. " Camila, altiva, fixava os olhos nos verdes de Lauren. "Casar-me? Nem arrastada. Nem agora nem nunca. E quanto a casamento como uma proposta de negócio... Tire essa idéia da cabeça, Jauregui!"

"Não estou falando absurdos, Camila. Se você não fosse tão orgulhosa..."

"Eu?!" abriu a boca chocada.

"Claro! Estou lhe propondo uma coisa sensata e rendosa. Não um insulto."

"Jamais pensei ouvir uma oferta dessa natureza."

"Sei que não. Mas nós não somos pessoas comuns. Conhecemos gente bem pior."

Camila sentou-se de novo na cadeira e olhou para cima. Lauren permaneceu em pé, como se o oferecimento fosse a coisa mais normal do mundo.

"E se você se apaixonar? Ou eu? O que faremos, Lauren Jauregui?" fez a pergunta chave.


Notas Finais


Eaii??



Byee fofiss ✌


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...