História Uma Nova Chance - Camren G!P - Capítulo 22


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camila Cabello, Camren, Fifth Harmony, Lauren Jauregui
Visualizações 573
Palavras 1.078
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


😂 😂 😂 Vcs realmente querem treta...?! POISS BEM NÃO RECLAMEM DEPOIS.

E não vai ter nenhum boy ou boia beijando a Camz ta?! Apenas um beijo no cantos dos lábios quando ela tiver de volta ao apartamento. (spoiler)

Mas talvez mudem de ideia, depois desse cap.. Bjs no clitóris

Vamos ao cap?!

Capítulo 22 - Capítulo 21


Narrador Pov

Camila aproveitou uma onda para se afastar, mas Lauren flutuou na mesma elevação da água límpida. Deslizaram na crista.

Camila mergulhou e engasgou.

Lauren a alcançou e segurou-a, encostando seu corpo seminu no de Camila.

"Peguei uma sereia!" ela brincou com aquele sorriso que a deixava sem ação.

"Largue-me!" disse, colocando a mão entre elas.

"Não é o que você deseja."

"É sim, sua convencida." retrucou, indignada.

"O seu olhar a desmente, Camz."

"Jauregui, solte-me!" empurrou fracamente com a palma da mão em sua barriga.

Lauren a olhava com desejo, porém a soltou.

"Camila, a idéia de se casar comigo a apavora? Este lugar... Imagino que saiba por que a trouxe aqui. Amo tudo isto, e gostaria que você amasse também." disse apontando ao redor.

"Amar..." Camila murmurou, dando dois passos para trás.

Lauren conheceria o verdadeiro significado daquela palavra?

"Quando meu pai morreu, Camila, um consultor de investimentos dos Estados Unidos me mostrou fotos desta localidade. Avisou-me que seria um bom negócio comprar terrenos por aqui, nem que fosse apenas para passar algum tempo pensando no futuro. E eu me apaixonei. Exatamente como está lhe acontecendo agora."

Lauren tinha razão, exceto por um agravante: Camila morria de amores também por ela.

"Onde aprendeu a nadar?" Lauren quis saber.

"Em casa, na fazenda." Ela falou abraçando seu próprio corpo.

Lauren não se aproximava, mesmo quando as ondas faziam com que boiassem.

"Camila, você não quer voltar para Sydney, quer?"

"Não. Mas é onde eu moro."

"Nosso lar é onde nosso coração se sente mais feliz, não é?"

Ambas gostavam da natureza e Camila se sentia dividida por causa disso.

"Você pagou aos golfinhos para virem aqui?" Camila caçoou.

"Telefonei para eles ontem à noite. Tudo se torna mais fácil, quando se tem amigos." entrou na brincadeira.

"Não duvido. Quer me convencer de que meu lar é aqui, Lauren, mas o que representa este lugar para você?" Camila sentiu a hesitação dela.

"É o mais estável dos meus lares. Se você ficar, será mais duradouro."

"Mas ainda assim, é só um deles."

"O que quer dizer, Camila?"

Um diálogo estranho, quando o futuro de Camila se encontrava nas mãos de Lauren.

"Pensava em Julian..." Ela disfarçou. "Não será justo para seu filho que você viaje tanto."

"Mas você ficará aqui."

Tudo seria perfeito se não fosse por um detalhe: Lauren Jauregui não lhe oferecia amor.

Apenas queria comprá-la.

De jeito nenhum! Camila se encorajou.

"Não quero ficar.. E não vou." falou olhando nos olhos de Lauren.

"Camz, o quê..." Ela a olhava, confusa. "Há alguns minutos..."

"Pensou que eu aceitaria. Não lhe tiro o mérito das tentativas. Você e seus golfinhos. Está perdendo seu tempo, Lauren. Certas coisas são impossíveis. Quanto antes perceber isso, imagino que será mais fácil que pense em outras opções, para evitar que seu filho tenha uma infância solitária." disse e saiu caminhando para fora do mar.

O brilho da manhã se perdia junto com as ilusões.

Julian acordou e começou a berrar.

Camila que já estava fora do mar, caminhou de forma rápida até o carrinho de bebê.

Lauren que ainda estava dentro da água, saiu as pressas e assim que chegou enrolou uma toalha nos ombros de Camila que balançava devagarinho o carrinho.

"Há uma mamadeira na geladeira portátil."

"Lauren, preciso voltar." Camila fitou o magnífico céu azul. "Quero ver o rio."

"As águas ainda não baixaram. É melhor aproveitar a praia enquanto pode."

"Então voltarei depois. Sozinha."

Sabia que estava sendo indelicada. Mas, com Lauren, nada mais de cortesias.

A verdade ou nada.

Nada...

€######

As horas se arrastavam depois do regresso da praia.

Camila não perdia o rio de vista, na esperança de ver baixar o nível das águas.

No dia seguinte talvez fosse possível lançar uma canoa no rio.

Ela permaneceu no terraço quase a tarde toda, lendo. Lia e vigiava a correnteza.

Lauren saíra antes do anoitecer para verificar o gado, e voltara aflita.

"Camila, preciso de você."

"Você necessita de uma babá e não de mim." falou sem erguer o olhar. Na verdade, não havia lido nada desde que escurecera e nem se dera ao trabalho de acender a luz.

Naquele momento se concentrava, como se fosse questão de vida ou morte, nos modelos de comportamento das aves da Guiné.

Lauren não demonstrou haver percebido a frieza de Camila durante à tarde e lhe falou como se nada houvesse acontecido: "Preciso de você neste momento. De sua capacitação como fazendeira."

"Agora?" perguntou seu tom ainda de frieza.

"Sim. Aquele touro idiota está preso no lodaçal de novo." Lauren parara nos degraus, para não ter de tirar as botas enlameadas.

"Você está brincando!" Camila exclamou e deixou o livro de lado. "Onde?"

"No mesmo lugar." Lauren parecia furiosa. "Vem comigo? Pode usar minhas botas de reserva e eu o farei correr."

"Afundou tanto como da outra vez?"

"Pior. Acho que terei de trocá-lo. É um ótimo reprodutor, mas não quero criar gado com genes tão estúpidos. Camila, por favor..."

Claro que ela iria. Não resistiu ao apelo.

"Vou preparar Julian, Lauren." Levantou-se.

"Por que não podemos deixá-lo aqui? Não há perigo. E, além do mais, o bebê está dormindo." Comentou confusa.

"Não se deve deixar uma criança sozinha em casa." falou em repreensão.

"Talvez eu seja processada por negligência..." disse dando um sorriso sem graça. 

"É isso aí. Mas há problemas piores. A residência pode pegar fogo durante nossa ausência."

"Não se preocupe. Eu o avisarei para não fumar na cama." disse brincando.

Camila teve vontade de rir. "Vou buscar o bebê."

O touro atolara quase no mesmo lugar.

Os sacos estavam próximos e poderiam ser aproveitados, se puxados para que a lama caísse.

Camila desceu do trator e começou a tirar os sacos de juta do lodo.

"Não." Lauren puxou o freio de mão e pulou para ajudá-la. "Csmz, eu a trouxe aqui para segurar a cabeça do animal enquanto eu cavo. Você não pode fazer nada, com esse dedo machucado. Faça-me o favor de sentar-se até eu começar."

"Sentar?" Encarou ela. "Não seja tola! Fui criada numa fazenda, lembra-se?"

"Não foi o que me falou da última vez." Lauren sorriu, matreira. "Disse que era uma advogada e seu trabalho consistia em tirar os clientes de dificuldades. Eu, como uma mulher do campo, terei de cavar. Agora, se quiser aceitar o emprego de esposa de fazendeira..."

Camila largou o saco na mesma hora, que estava puxando, olhou para ela e voltou para o trator. "Segurarei a cabeça dele quando estiver pronta, Lauren. Pode começar."

Daquela vez, tiveram mais sorte.

Já sabiam como trabalhar juntas e o touro se manteve mais dócil.

A parceria seria desfeita quando o rio baixasse.

Talvez no dia seguinte.

Dois pensamentos intoleráveis: ir embora e casar-se com Lauren.


Notas Finais


Eaii??



Byeee fofiss ✌


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...