História Uma Nova Chance - Camren G!P - Capítulo 28


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camila Cabello, Camren, Fifth Harmony, Lauren Jauregui
Visualizações 738
Palavras 1.023
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oii fofiss, eu só vou postar esse e de noite eu posto mais. (Eu esqueci que hj tem cursinho😫)

Capítulo 28 - Capítulo 27


Narrador Pov

Camila voltou para Sydney, graças a uma balsa que levava para o outro lado do rio.

Tentou não chorar... Muito.

Lucca que estava dirigindo podia não saber exatamente o que de fato havia ocorrido, porém tinha uma noção.

Deixando ela chorar, ficou em silêncio. Apenas falava quando pedia para ela indicar a direção.

Assim que chegaram ao seu apartamento, Camila agradeceu a Lucca.

"Obrigada. De verdade e desculpa pelo incômodo."

Lucca apenas deu de ombros. "Não se preocupe." Fez uma pausa. "Eu gostaria de saber se você não quer.." foi interrompido.

"Desculpa, não quero ser indelicada. Acho melhor não, acabei de sair de um pequeno relacionamento difíc..."

Lucca a tranquilizou. "Está tudo bem, mais não custa tentar. Foi bom te conhecer Camila, e espero que fique melhor." foi sincero.

Camila falou outro obrigada, dando um sorriso e saiu do carro com os seus pertences, entrando em no prédio em que morava.

Camila teve início a um segundo período mais triste de sua vida.

Blasfemava contra si: Idiota, idiota, idiota...quando se lembrou de algo.

Fizera sexo com Lauren e ainda por cima estivera em seus dias férteis!

Se engravidasse, teria o filho sozinha, Camila repetiu pela enésima vez.

E diria isso por mais outras tantas vezes, durante as semanas seguintes.

Como pudera ser tão imbecil e se apaixonar logo por Lauren Jauregui? E como sair daquela angústia?

Recordou a viagem que quisera fazer ao Havaí. Em seu estado de espírito, decerto só conseguiria notar os vulcões!

Lauren não saía de seus pensamentos o dia inteiro. Seu sorriso lindo e sensual, seu corpo fabuloso, seu bom humor ou quase, contagiante.

Tudo isso contribuía para deixar ainda mais o seu coração sofrido.

Seu carro já havia sido entregue.

E em vez de viajar, pintou as paredes de seu apartamento com cores neutras.

Por pouco não comprou tinta preta. 

Por fim, alguém lhe telefonou. Era Henry. Ainda bem. Acabaria ficando maluca, fechada naquele apartamento.

"Lembrei que você não foi para o Havaí." Henry Coyne disse. "Então, pensamos, que se estivesse livre..."

"Como soube que não fui?"

"Teria mandado um cartão postal, não teria?"

"Hum..."

"Bem, nós não perdemos de vista os funcionários que vão para fora."

"Desse modo, deve ter sabido que fiquei presa em Jauregui Point."

"Sim, senhora."

"E por que não mandou um helicóptero para me resgatar?" Camila ouviu um risinho abafado do outro lado da linha.

"É que pensamos... Ora, Jauregui Point não tem fama de ser um lugar tão ruim."

"E você acha que me alegrei por isso!"

"Foi o que pensei." Henry admitiu. "Acertei?"

"Não." respondeu curta e grossa.

"Entendo." O tom de voz era divertido. "Não foi a impressão que tivemos, Cabello."

"E por quê?"

"Lauren Jauregui telefonou quatro vezes e veio ao escritório pessoalmente, pedindo seu endereço. Ela ficou irritada ao saber que seu nome não constava no catálogo telefônico e que é norma da firma não dar os telefones de nossos advogados para os clientes. E detestou por não lhe fornecemos seu endereço."

Camila arquejou. "Pensei que a Sra Jauregui estivesse nos Estados Unidos."

"Agora está. Veio nos procurar antes de partir. Quer iniciar um processo de custódia a favor do filho. Já ligou duas vezes de Nova York para saber se você havia voltado ao trabalho, e exigiu o número do telefone. Sem dúvida, uma pretendente muito devotada."

Henry Coyne demonstrou curiosidade e Camila corou.

"Deu a ela, Henry?"

"Claro que não! Você vai voltar quando?"

Camila olhou as paredes do apartamento.

Mais um dia dentro de casa e as pintaria de cinza, na melhor das hipóteses.

Talvez até o teto.

"Estarei aí amanhã. Henry?"

"O que é?"

"A Sra. Jauregui quer mesmo seu filho?"

"Pelo que tudo indica, sim."

"Henry?"

"Diga, Mila."

"Lauren... A sra. Jauregui levou o menino para viajar com ela?"

"Ah, Camila! Ela pode até mostrar um interesse maternal, mas não vamos exagerar. Acredito que a criança ficou em Jauregui Point com uma babá."

Babá!

"Até amanhã, Henry." Camila quase derrubou o aparelho.

"Decidido! Pintarei de preto!" (n/a: Mais ce ta brava?) 

Na semana seguinte, Lauren Jauregui reapareceu na vida de Camila.

Houve uma enorme agitação na recepção entre a recepcionista e as digitadoras, e Lauren abriu as portas basculantes, em direção às salas internas.

Camila estava trabalhando e vestida de acordo.

Ela, o mesmo que todos conheciam.

Terno caro, charmosa, e aquele cinismo mal disfarçado. Resumindo, poderosa.

O escritório de Henry ficava em frente à entrada principal e Camila tinha uma saleta ao lado.

Ela a olhou, hipnotizada.

Lauren ia direto para a sala de Henry, com a recepcionista à frente.

Ao vê-la, parou de imediato.

"Camila."

"Sra. Jauregui..."

Ela fez um leve gesto com a cabeça e voltou os olhos para seu trabalho. Mesmo sem enxergar uma só linha.

Lauren parou diante dela, com a jovem alvoroçada da recepção atrás.

"O Sr. Coyne pode recebê-lo agora." a moça afirmou e Lauren a dispensou.

"A Srta. Cabello está encarregada dos casos Jauregui's."

"Agora não mais." Camila a encarou. A mesma atração. Não diminuíra nada.

"Por que está de roupa preta, Srta. Cabello?" perguntou curiosa.

Camila ficou embaraçada. Deu uma olhada para o conjunto que vestia e corou.

"Acho que não lhe devo explicações sobre minhas vestimentas, Sra. Jauregui." (n/a: turn down for what) 

"Minhas botas lhe assentam melhor."

"Obrigada." Camila se levantou, angustiada. "Sally, acho que o Sr. Coyne está esperando pela a Sra. Jauregui."

Henry que ouviu a conversa, abriu a porta e se aproximou.

"Lauren..." O advogado estendeu a mão para os cumprimentos. "Então já voltou dos Estados Unidos. Fez uma boa viagem?"

Lauren fitou os cabelos castanhos de Camila. "Foi péssima, pode acreditar."

"Em que poderemos lhe ajudar?" Henry perguntou e olhou de soslaio o rosto vermelho de sua assistente. "Vamos entrar?"

"Existe um problema com o processo de custódia de meu filho." Lauren não tirava os olhos de Camila. "A Srta. Cabello está familiarizada com o caso, e acredito..."

"Ela já está de volta ao trabalho, Lauren. A todo vapor."

Henry era muito esperto, pensou Camila.

Sabia captar as menores emoções.

"A Srta. Cabello está encarregada de outros assuntos, no entanto." Henry completou.

"A pedido de quem?" Lauren questionou.

"Meu." Camila desafiou de queixo erguido.

"Apesar disso, gostaria da participação da Srta. Cabello." Lauren viu as horas. "É quase meio-dia. Vamos almoçar, Henry? Você, eu e a Srta. Cabello."

"A Srta. Cabello não quer almoçar." Camila respondeu.


Notas Finais


Eaii? Amo vcs ❤

Ps: #Lauren3L #LerdaLoserAndBurra

Byee fofiss ✌


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...