História Uma Nova Chance - Camren G!P - Capítulo 30


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camila Cabello, Camren, Fifth Harmony, Lauren Jauregui
Visualizações 573
Palavras 1.195
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Vcs são muito maravilhosos sabiam?!


É que eu gosto de fazer amizades e alguns de vcs quiserem.... Ja sabem o meu Twitter. (Estou sendo insistente? Sim, porem relevem estou muito sensível)

Chegaa, vamos a história.

Capítulo 30 - Capítulo 29


Fanfic / Fanfiction Uma Nova Chance - Camren G!P - Capítulo 30 - Capítulo 29

Narrador Pov

Lauren se espantou. "Você nem quer pensar a respeito?"

"Acho que tem razão em não jogar fora tudo o que construiu. Mas também não vou mudar de opinião." Camila soltou-se de Lauren. Era como arrancasse um pedaço de si mesma.

"Lauren, me sinto lisonjeada pela oferta excelente. Mas não quero ofertas. Já me casei uma vez e também prometi não me casar de novo. Eu me apaixonei por você e por seu filho. Amo tanto vocês dois que nem saberia dizer o quanto. Mas não aceito nenhum tipo de acordo, por melhor que seja. Não adiantaria. Não me interessa. Eu quero... você."

"Mas você já me tem."

"Lauren, está me oferecendo uma parte de seu precioso tempo gasto na construção de um reino fabuloso. O que eu desejo nada tem a ver com impérios, mas sim em partilhar a vida com você, quer necessite de mim, quer não. Preciso de você. Quero nós duas como uma só. É um sonho louco? Pode ser. Mas é meu sonho. E não me casaria por nenhum outro motivo."

"Camila, eu não posso oferecer mais."

Camila a encarou e teve a sensação de uma espada sendo cravada em seu peito.

Jamais a esqueceria, jamais.

"Então é isso."

"Camila..."

"Sua oferta não satisfaz meus requisitos, Lauren Jauregui. Dessa forma, acredito que, como advogada e cliente, nada mais temos a dizer."

€####

Nas semanas seguintes, Camila teve de ouvir comentários de Henry sobre Lauren.

"Ela vai ficar em Jauregui Point." Henry disse, vinte dias após o almoço deles no Edward's.

"Será ótimo para a execução do processo."

"Você acha que Lauren vai ganhar?" Camila perguntou, curiosa.

"Espero que sim. A Srta. Benson reivindica uma semana por mês para ficar com o menino. Lauren não aceita a idéia, mas terá de concordar. É razoável."

"Tudo isso?"

"Talvez ela goste mesmo do filho..."

Camila voltou para sua mesa, duvidando do amor de Ash por Julian. Passou a tarde olhando pela janela, sem conseguir trabalhar.

A audiência seria na sexta-feira. Ainda estavam na quarta.

Ela conhecia Ashley e sua desmedida ambição.

O que pretenderia a modelo?

No dia seguinte, Camila descobriu.

Ela chegou ao escritório e Henry já estava lá. A luz vermelha piscava no ramal do chefe, na mesa telefônica. Sinal de que só deveria ser perturbado para o anúncio do fim do mundo. (n/a: Divulgação da minha outra fanfic)

Camila espiou pelo vidro da porta. O advogado estava empenhado numa discussão com Lauren Jauregui.

Ela considerou que haveria um motivo sério para passarem a manhã toda conversando.

Quando Camila voltou do almoço, Lauren já havia saído. A maioria dos funcionários ainda não retornara e não se ouviam vozes no escritório.

"Margarina, Mila." Henry mostrou-lhe um sanduíche quando a viu. "Light. Colesterol baixo. Pão integral e salada. Pare de me importunar, Camila Cabello."

"Muito saudável." Ela sorriu e levantou um pedaço de papel que estava em cima da mesa.

"O que é este invólucro de chocolate? Entrada?"

"Conte para Margaret e será uma mulher morta."

"Tenho um excelente argumento para chantageá-lo." Camila sentou-se na beira da escrivaninha.

"Para começar, Henry Coyne, pode me dizer o que a Jauregui veio fazer aqui."

"Pensei que não se interessasse por ela."

Camila enrubesceu e Henry comeu um pedaço da barra de chocolate.

"Há duas maneiras de se jogar sujo, Mila. E por falar em chantagem..."

"O que há?"

"Lauren está em apuros e duvido que possamos fazer algo a respeito."

"Como assim?"

"Há dois dias, Ashley Benson foi a Jauregui Point na ausência de Lauren e levou o menino. A babá tentou impedir e Ash telefonou para a polícia, que a autorizou a sair com a criança."

"Sei..."

"A Srta. Benson abandonou o filho por muito tempo. E isso teve um preço."

"Como assim?" perguntou confusa.

"Lauren aprendeu a amar o menino. Tanto que o primeiro pensamento foi para o bem-estar de Julian."

"Ashley a está ameaçando?" Camila indagou, pasma.

"Para dizer a verdade, está." Henry afirmou.

Camila sentou-se na cadeira em frente ao chefe. "Como?"

"Nada com que se possa processá-la. Por isso mesmo uma atitude perigosa."

"O que houve?"

"Ashley não se contenta com a pensão estipulada e pretende extorquir dinheiro de Lauren. Entende que Julian, além de ser filho de uma Jauregui, é seu herdeiro. Ela telefonou para Lauren ontem à noite. Ouvia-se o choro desesperado do bebê do outro lado da linha. Parecia faminto. Ash ameaçou-a."

Camila sentia-se revoltada. Conhecia a Srta. Benson e não se espantaria com nenhuma coisa errada que ela fizesse.

"Ashley vai prosseguir com a execução do processo e quer o direito de ficar com o filho uma semana por mês durante sua infância. Afirma que poderá tornar a vida da criança um inferno naqueles períodos se Lauren não a levar em consideração. Mencionou falta de alimento, abandono emocional, solidão e crueldade mental. Nada que se possa comprovar. Qualquer um se horrorizaria. Quanto mais a mãe..."

"Meu Deus..." Camila empalideceu. "O que podemos fazer?"

"Poderíamos gravar as ameaças. Mas a moça é esperta e não fará a mesma intimidação duas vezes. Ela quer dez mil dólares a cada semana que ficar com o garoto, uma vez por mês, até o menino ter idade suficiente para decidir com quem quer ficar. E se o dinheiro não vier... ela cumprirá o prometido. Se Lauren a denunciar, ela negará tudo e fará ainda pior."

"Mas Julian é filho dela... Como ela pode?!"

"Acha que Ash está blefando?" Henry perguntou, desanimado. "Você conhece o passado da modelo. Acha que se incomodaria com o bebê?"

"Não. Ela só pensa nela mesma."

Henry esqueceu o lanche e passou o lenço na testa. "Ainda não terminei!" observou, furioso. "Cinquenta mil até amanhã ou ela exigirá o dobro. Como Lauren não se interessou pelo menino nos três primeiros meses, ela pode ganhar."

"Mas Ashley o abandonou!"

"Diz ter dado a oportunidade para Lauren conhecer o filho melhor. É a palavra dela contra a de uma Jauregui."

Ashley Benson era uma excelente atriz e tinha um advogado sujo.

"Para ser franco, não faço idéia do que sugerir. Quem sabe, você que a conhece melhor..."

"Onde está Lauren, Henry?"

"Em uma reunião no escritório da cidade."

"Não estará tentando encontrar Ash?"

"Eu lhe avisei que seria inviável. A polícia não iria interferir antes da audiência, que é amanhã. Lauren está desesperada. Dei um ultimato a ela para que não tome nenhuma atitude, sob pena de perder seus advogados. Nem sei o que poderá acontecer se for atrás de Ashley."

"Mas Julian não pode ficar com ela esta noite." Camila protestou. "De jeito nenhum!"

Ela se sentia doente. As faces coradas e os dedinhos rechonchudos de Julian não lhe saíam do pensamento.

"Mas é o que vai acontecer."

Camila apertou os dedos, revoltada. Levantou-se e foi até a porta. "Eu sei onde ela mora."

"Você não irá até lá!" Henry gritou, aturdido. "Mila, o que pretende fazer?"

"Trazer Julian de volta."

"Como?" Henry se ergueu. "Você sabe que não há amparo legal para uma ação desse tipo. Está planejando usar de violência?"

"Não creio que será necessário." Camila se voltou para o chefe. "Mas se for preciso..."

"CAMILA!"

"Você me defenderá num caso de assassinato?" ela perguntou, com ingenuidade.

"CAMILA!"

"Não aceito um "não" como resposta. Senão alguém vai saber do tablete de chocolate..."

Ela saiu, deixando Henry boquiaberto.

Durante duas horas, Camila leu e releu os arquivos que havia elaborado sobre a mãe de Julian durante o processo inicial de maternidade.


Notas Finais


Eaiiii???? TRETA NO PRÓXIMO CAPÍTULO


BYEE FOFISS ✌


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...