História Uma Nova Chance - Capítulo 105


Escrita por:

Postado
Categorias A Força do Querer
Tags Bebê, Drama, Família, Gravidez, Pagossi, Paolla&marco, Romance, Tragedia
Visualizações 52
Palavras 816
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiii

Boa leitura❤❤

Capítulo 105 - Cap.105


Fanfic / Fanfiction Uma Nova Chance - Capítulo 105 - Cap.105




                              Paolla:


Já eram oito e meia. Eu já estava pronta há poucos minutos, mas Marco insistia em enrolar para terminar de se trocar.

— Marco! Nós vamos a um show e não a um casamento e mesmo que fosse você não seria a noiva, então será que dá pra agilizar? O lugar não é tão perto assim.— Digo enquanto mexia no celular para matar o tempo.— MARCO!!

— To aqui! — Ele diz ajeitando o cabelo. — Que coisa, você demora uma eternidade em qualquer ocasião, agora eu demoro vinte minutinhos uma única vez e NOSSA!!

Sorrio do modo como ele falou, frisando ao máximo a última palavra e gesticulando sem parar.

— Amor, deixa de ser chato, vai... É só um show e nada mais. Foi uma gentileza eu já te disse o que aconteceu.

— Gentileza... Mal trocou algumas palavras com ele e ele vem com essa gentileza toda.

— E você queria o que? Que ele fosse rude? Eu ajudei ele, amor! Ele apenas retribuiu... Por favor, para com isso.

— Tá bom, tá bom! Agora podemos ir, senhorita apressada?

— Ah, não, agora me deu fome.

— Ah, pronto! Ajuda-me Pai!


( . . . )


O lugar era realmente longe, a casa de shows ficava no salão de um hotel enorme, acho que só o tal salão já ocupava metade do terreno e o negócio parecia animado mesmo com meia de antecedência, havia uma quantidade significativa de gente para ver o show que acontecia poucas vezes, pelo menos com o Jorge e também por aqui. Na verdade não seria só a apresentação dele essa noite, mas nossos convites incluíam apenas isso, ainda teriam shows de outros artistas da casa e de fora, alguns de humor, outros musicais mesmo, era diverso.

— Quanta gente, né?— Comento ao ver a cara amarrada de Marco.

— É, pois é... Pior que isso só a 25 de Março em época de fim de ano. — Ele diz e eu rio baixo.

— Besta... Vem, nosso lugar é alí!

Era fileira da frente, teríamos uma visão privilegiada do palco e de tudo.

O show de Jorge começou vinte minutos depois e era lindo, ele usava e abusava da tecnologia para fazer seus números e até deu um upgrade nos clássicos dos clássicos, ele era realmente bom no que fazia e não tinha quem dissesse que havia truques por trás de tudo, as luzes do local, fumaça, e até drones o ajudavam e fazia de tudo uma verdadeira obra prima e eu olhava encantada, eu já havia visto shows de ilusionismo em programas de tv, mas ao vivo era totalmente diferente. Somente Marco ficou de cara amarrada o tempo inteiro, aquilo já estava me irritando, ciúme mais besta esse... O cara iria embora de Miami no fim do show e nada mais fez do que retribuir uma "gentileza", que na verdade eu chamo de obrigação de todo e qualquer ser humano. E se já não bastassse o show em sí, Jorge ainda fez questão de me agradecer publicamente (o que eu não achei necessário, mas... Cada um com sua forma de ser grato) e de dentro de uma floricultura virtual num holograma, tirou um buquê de verdade e me entregou, eu fiquei com vergonha, óbvio, mas não neguei o presente, tampouco o beijo carinhoso na mão, e isso foi o suficiente para Marco deixar seu assento alegando precisar de ar.

Ele não voltou mais, a apresentação durou ainda mais quarenta minutos e ele não voltou. O show acabou e eu soube que Jorge fazia questão de falar comigo, então fui até o camarim, mesmo sem Marco, nem ligo foi ele quem sumiu e que depois não se atreva a reclamar.

— Queria falar comigo?— Pergunto entrando no local. Ele se levanta de onde estava e vem até mim. Não estávamos sozinhos, ele me apresentou a noiva e o empresário.

— Me desculpe se causei transtorno so seu casamento, não foi minha intenção, eu só quis agradecer, sem o dinheiro eu não teria como pagar o pessoal que me ajuda e não haveria show.

— Que isso, eu não fiz nada demais. E você também não, meu marido que é reclamão ás vezes, mas a gente sempre se resolve.

— Mesmo?

— Sim. Pode deixar que eu sei domar aquele ali como ninguém.— Digo e ele ri.

Trocamos mais algumas palavras sobre o show e eu o parabenizei antes de sair.

— Cade o Marco...? Onde ele se meteu?— Pergunto enquanto a terceira ligação caia na caixa postal.

Droga...

Ainda caminhei pelo salão, mas nada de encontra-lo, pensei que ele tivesse ido e me deixado e senti uma raiva imensa dele na hora, mas pouco tempo depois o avisto num barzinho bebendo e jogando com algumas pessoas, ele não parecia bêbado, mas também não parecia dar a mínima se eu estava alí ou não, então fui embora...


Notas Finais


Obrigada por ler❤❤

Bjs da Maah😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...