História Uma Nova Chance - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Bangtan Boys (BTS), Drama, Jimin, Min Yoongi, Nova Chance, Novela, Park Jimin, Recomeçar, Romance, Suga
Visualizações 12
Palavras 1.138
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção Adolescente, Literatura Feminina, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 8 - Chocolate quente


Fanfic / Fanfiction Uma Nova Chance - Capítulo 8 - Chocolate quente

Os dias tem sido uma verdadeira correria depois que voltamos para a Coreia. Os dias de descanso acabaram e o de trabalho voltaram com força total. Nós nunca paramos realmente, uma pequena pausa, mas nunca deixamos de fazer algo relacionado. Eu e Nam passamos as madrugadas quase todas acordados terminando as músicas e acertando as composições. Meu irmão está realmente cansado, porque além de fazer músicas ele tem que lidar com outros assuntos internos e externos sobre o grupo, é o peso de ser líder. Mas nós nunca o deixamos completamente sozinho, tentamos dividir as tarefas entre nós o máximo possível. Mas vou admitir, sorte que a Ana está aqui e ela tem de fato o ajudado diretamente, ela é boa em traduções, ela é boa interprete, e entende bem de vários assuntos, e tem buscado ajuda com a Ji sobre contratos e outros documentos mais complicados, ela tem se desdobrado muito também, porque tem que dar conta da casa, nós tentamos deixar os quartos o mais arrumados possível para não sobrecarrega-la, e o Jin tem até mesmo ajudado com as refeições. Eu de vez em quando deixo aqui e ali alguma vitamina pronta, sucos, corto frutas e deixo na cozinha para ela, não sei se ela tem comido, mas espero que sim. Seria estranho fazer isso abertamente. Nós nunca falamos do que aconteceu entre nós na viagem, mesmo ela se esforçando para que estejamos juntos durante as refeições, fora isso não sobre muito tempo. Mesmo quando vem ao meu estúdio de madrugada com algum suco ou café ela não fica, ela deixa e vai embora sem muitas palavras.

Durante o jantar da noite, vejo que estão todos bem casados, e a conversa está um pouco parada. Na verdade se não fosse pelo pedido para passar um prato ou outro ninguém estaria falando.

- Onde aprendeu a fazer aquilo srta Ana? – Hope pergunta chamando a atenção de todos para ela que está parada em pé atrás do Tê

- Aquilo o que? – pergunta Jin

- O makenae passou mal hoje durante o treino e Ana conseguiu fazê-lo relaxar e até mesmo melhorou a respiração dele sem precisar de remédio ou bomba de oxigênio. – responde Jimin

- Eu sou asmática lembra? Sei como é ficar sem ar. O corpo todo sofre quando se tem asma, não apenas o pulmão. Fiz fisioterapia por muitos anos desde os 3 anos de idade, e tive que aprender como cuidar de mim, principalmente sem auxilio de medicação. – ela diz simples, retirando alguns pratos sujos.

- Deixe isso ai, agente lhe ajuda depois – diz Jeon – o que foi aquilo que você me fez respirar?

- Aquilo é um pano com pasta feita de mel e hortelã, é um remédio fitoterápico, ele ajuda a abrir os bronqueos facilitando a respiração, e usei um óleo de várias ervas para a massagem facial, que serve para desobistruir ou desinflamar as áres respiratórias do rosto ele diminuir alguma inflação que possa ter no nariz, testa ou bochecha, geralmente causado por mucos ou sinusites.

- Foi muito bom, realmente diminuiu muito a minha dor de cabeça, quase que instantaneamente, e as bolsas de gelo ajudaram muito com meus músculos.

- Eu joguei futebol quase que a infância e adolescência inteira, e fiz natação por causa da asma, eu sofri muito com câimbras e dores musculares, aprendi a fazer alguns exercícios de relaxamento e massagem para aliviar as dores

- Muito obrigado por hoje.

- De fato a srta tem mãos de fada, não apenas para comida srta Ana. – diz Jin

- Não foi nada. – ela responde meio sem graça e sai levando os pratos comigo.

Faz bem uns 40 minutos que estou  empancado com um trecho da música. Eu tento mais algumas vezes, mas contino sem ter muito progresso.

Ouço alguém batendo na porta e não me dou ao trabalho de responder, porque deve ser Nam. É provavelmente o único acordado uma hora dessas, e teve ter me ouvido tocando. Mas qual a minha surpresa quando o quarto fica tomado com o cheiro de chocolate e canela?

- O que faz aqui srta Ana? – pergunto sem me virar para ela.

- Vim lhe trazer uma xícara de chocolate quente e alguns biscoitos. Já está tarde e imaginei que estivesse com fome.

- Tem álcool no chocolate? – pergunto pegando a caneca de suas mãos

- Não sr. Só chocolate mesmo.

- Tudo bem, vai. Se importa de sentar um pouco e me fazer companhia enquanto como?

- Se não for lhe atrapalhar...

- Já me atrapalhou de qualquer forma, não é como se eu estivesse fazendo algum progresso e também não quero ter que sair daqui para levar a louça suja quando terminar de comer – eu digo com cara sínica e uma sobrancelha arqueada desafiando ela a dizer algo.

- Tudo bem sr Yoongi, eu espero o sr terminar. Posso perguntar em que está empancado?

- Não estou empancado.

- Não é o que me parecia lá do quarto. Faz uns 40 minutos que não sai do lugar, por isso vim trazer o achocolatado. Mas que espertinha.

- Bem, estou fazendo um arranjo para a música do Jimin, mas estou realmente sem muitas ideias. Ele quer que pareça melosa mas esperançosa, não é meu forte, toda vez que acho que estou indo na direção certa empanco por não saber como terminar.

- Como sr imagina que seja um som esperançoso – ela pergunta e depois de pensar um pouco começo a tocar – de fato é uma melodia feliz, mesmo que lenta.- eu continuo -  Se tem esperança, quer dizer que ainda não chegou ao fim da história

- O que quer dizer com isso? – pergunto agora dando toda minha atenção pra ela.

- Imagine isso como uma história. Se for uma história contada, ou escrita ela precisa de um enredo. Todo enredo tem início, meio e fim. Se for uma história sobre esperança, ele pode ter tanto um final feliz como um final triste, mas se você quer passar apenas a ideia de esperança, então ela ainda não tem fim, se tornando uma mensagem motivacional, dizendo que ainda não desista, por que não chegou o fim, ainda pode dar certo, ainda tem muito o que acontecer, entende? É uma história inacabada ainda.

- Entendo o conceito – isso realmente faz sentido. depois de um tempo eu volta a tocar, mas agora é a melodia que eu estava tocando, é uma melodia simples, porém forte, e quando  estou perto de chegar no trecho que estava empancado resolvo mudar de entonação, como se fosse dar continuidade, ou repetir uma parte da melodia mas tocada com acordes inversos, fazendo parecer como se o autor mostrasse o outro lado da música, isso está funcionando de verdade, não a vi quando saiu, estava tão concentrado que não percebi que saiu. Perdi a chance de lhe agradecer.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...