1. Spirit Fanfics >
  2. Uma Nova Chance >
  3. As Desgraças Sempre Ocorrem em Conjunto

História Uma Nova Chance - Capítulo 8


Escrita por: TYNathy

Notas do Autor


Oiiii!!! Eu voltei!
Espero que gostem!!! ^^
E perdão pelos erros ortográficos! ;)


_ Alerta de abuso físico e psicológico _

Capítulo 8 - As Desgraças Sempre Ocorrem em Conjunto


Xue lutou, mas não importava suas habilidades terminou derrotado e arrastado ainda inconsciente para o meio do nada. Os primeiros dias foram de longe os piores, quando acordou se encontrou em um local escuro, deitado em rochas nuas e frias, após parar, focar e analisar percebeu que pelo ambiente úmido e por quase ser empalado por uma estalagmite ele, provavelmente, estava em uma caverna.

Ele tentou escapar, mas logo percebeu que era inútil, e quem quer que o tenha prendido era especialista nisso. Resignado se sentou contra uma rocha e decidiu que com a cabeça calma era conseguiria pensar em algo, então fechou os olhos, e bummm.... Imagens inundaram sua mente: Xiao ferido, Xiao morto, Xiao agonizando, Xiao se suicidando, todas as malditas recordações de sua vida passada que ele se esforçara para apagar simplesmente voltaram em um rompante, desestabilizando por completo seu ser.

Sete minutos depois ele concluiu que se fechasse os olhos, por um instante sequer, aquelas visões bombardeariam em sua cabeça.  Com o corpo trêmulo e o coração acelerado Xue decidiu que ele se manteria acordado e não piscaria em momento algum. O problema era: Xue era poderoso, mas também humano. E assim falhou hediondamente.

No primeiro dia, enlouqueceu...

No segundo dia, quase arrancou seus olhos fora...

No terceiro dia, implorou por misericórdia...

No quarto dia, finalmente colapsou...

No quinto dia, quando abriu seus olhos após a noite de pesadelos Xue encontrou a caverna iluminada, ela era misteriosamente bonita com as pedras perfeitamente esculpidas pela água. Água! Normalmente as cavernas têm água.  Xue não teve oportunidades de procura-la antes porque a falta de visão, junto a tortura psicológica, atrapalhava um pouco.

Andando pela caverna ele logo constatou que as possibilidades de ele morrer empalado eram de noventa e nove por cento, e que sim o lugar tinha um pequeno lago de água azul escura cristalina. Sem conseguir resistir, ele mergulhou, o que fez seus olhos involuntariamente se fecharem....

Ele desejou ir até o fundo e não subir mais.

 

 

E só não fez isso porque seus olhos capturaram uma da parede com uma mensagem.

Se é de seu desejo que suas visões não se tornem realidade.

Que quem ama não se torne escarlata e frio

Obedecerá sem questionar.

E restaurará o Selo do Tigre Estígio.

Nenhum idiota cairia numa armadilha dessa, certo?

Exceto por Xue Yang, é claro.

Sem hesitar e mesmo sabendo que tudo o que via não passava de ilusões plantadas em sua mente e alimentadas pela intensa fome que sentia, Xue cedeu ao desejo de proteger ao amado e iniciou o longo processo de restaurar o Selo do Tigre.

Seus carcereiros não se importavam com seu estado de saúde, tampouco com sua energia. Mal mandavam, três vezes por semana, um pão duro e seco e cada vez que ele caia de cansaço era atormentando com as abomináveis visões de Xiao sendo estripado, enforcado, esquartejado... Sim eles ficaram mais “criativos”.

Contudo, apesar de variarem no início e no meio das visões, todas terminavam de uma única maneira: Xiao soltando o mesmo horroroso grito de sua vida passada, antes de se matar, para sucessivamente sussurrar “Xue Yang” e, por fim, morrer.

Um inferno pessoal para Xue Yang.

--------------------------------------

Seis anos se passaram até que finalmente Xue conseguisse restaurar o Selo do Tigre Estígio. Mas não havia nem um pouco de felicidade em seu rosto, o único que fez foi se sentar e esperar.... Não demorou muito para que seus captores aparecessem, Jin GuangYao surgiu cercado por seus guardas e sem um segundo olhar para o moribundo ele pegou o objeto que era seu objetivo e desapareceu.

Xue ficou surpreso, a porta da caverna permanecia aberta assim que ou Jin GuangYao não se importava com ele saindo por aí e atrapalhando seus planos, ou era uma armadilha e assim que Xue tentasse escapar seria preso ali pela eternidade. Em poucos segundos as duas possibilidades caíram por terra, os passos marchados de soldados se fizeram escutar, e logo os mesmos transbordaram pela caverna e levaram a Xue com eles.

Xue estava esgotado de corpo, mente e alma para sequer tentar lutar. Não abriu a boca quando viu seu real captor, mesmo que isso o tenha ferido bastante, não se movimentou quando foi amarrado em um cavalo e arrastado de lá, e nem mesmo deixou uma lágrima cair quando lhe revelaram uma parte de seu passado que ele nem imaginava existir, e que preferia ter ficado sem saber, e sequer revelou qualquer emoção quando destruíram qualquer resquício do pequeno sonho que um dia tivera de ter uma família que o amaria incondicionalmente. 

Seu coração estava destroçado? Sim.

Sua alma despedaçada? Com certeza.

Mas para a infelicidade de seu mártir ele ainda não estava destruído.

Tudo devido a um único fator.

Xue acabara de perder todas as coisas que um dia prezara por sonhar, tudo o que desejara no fundo de seu âmago, tudo o que sempre quis. Mas ainda tinha a Xiao. As recordações de seu último encontro lhe deram a energia necessária para não desabar após tanto sofrimento, o mesmo sentimento de outrora preencheu seu peito.

Seu mundo inteiro de esperanças desabara, mas ainda restara Xiao e seria nele que Xue depositaria todos os seus sonhos, todas suas esperanças.

Se ainda há possibilidade para eu ser feliz nessa vida, que ao menos seja com alguém que eu ame, e que espero que um dia possa me amar também, mesmo que seja só como amigo.

O brilho nos olhos do garoto foram a infelicidade de Mei Meng. Ela não planejara nada daquilo atoa, e de um jeito ou de outro, ela faria Xue Yang sucumbir.

Quando um sorriso ferino brotou daqueles lábios vermelhos, Xue Yang sabia que às cenas dos próximos capítulos seriam ainda mais terríveis.

E ele não poderia estar mais certo.

Se antes a abordagem fora a forte tortura psicológica, dessa vez o foco foi na física.

Ele foi acorrentado e levado para o mesmo lugar que conhecera Mei Meng, e lá foi usado, quebrado e rompido o máximo que poderiam sem mata-lo no processo. As humilhações concedidas a ele o faziam se sentir como se fosse um nada, fizeram com que ele desejasse morrer, apenas para que descobrisse que ele não tinha direito a desejar nada.

Não o trataram como o criado submisso a seu suserano.

Não o trataram feito o cão obediente ao dono.

Tiraram sua humanidade. O trataram como um objeto.

E teve momentos que para esquecer a dor Xue Yang quase aceitou isso.

A única coisa que o impedia de emergir em loucura, que o permitia a lucidez, eram os sonhos que tinha de que podia ser feliz um dia...

Então ela tentou destruir esses sonhos novamente.

Só que dessa vez Xue Yang driblou o feitiço e aprendeu a controlar sues sonhos, o que sempre o fazia imaginar que se houvesse aprendido isso antes, talvez os rumos das coisas seriam diferentes. Contudo seu estado de ânimo não o permitia ficar se questionando, assim que sempre abandonava as indagações e entregava suas poucas horas de “descanso” a imagens alegres de ele com a pessoa amada.

Aquilo se tornara seu único refúgio

----------------------------------------------------

Há uma pequena distancia dali...

A lua cheia se erguia alta pelo céu estrelado iluminando os campos floridos, vagalumes piscavam, e os grilos cantavam sua canção. Em uma casa de veraneio uma garota com um buquê de flores recém colhidas e cheirosas, observava pela janela a magnifica visão, mas considerando sua expressão impassível e seu olhar afiado érea claro que ela não disfrutava da mesma.

A única coisa que ele pensava era: Onde foi que eu errei?!

Ela fez de tudo, o fez passar pelas piores humilhações, destruiu suas esperanças, aniquilou seus sonhos, queimou sua reputação, objetificou seu corpo. E mesmo assim seu espírito seguia são, não completamente intacto ou saudável, mas ele ainda estava lá. E isso a irritava profundamente.

Como que no objetivo de incendiar ainda mais o estado de ânimo da patroa, um dos soldados responsáveis por vigiar Xue Yang se aproximou e relatou o dia do mesmo. E como era de se esperar, foi o bastante para que as flores na mão da mulher se tornassem apenas retalhos.

Ela se ergueu da cadeira, a fúria proporcionando energia o suficiente para que ela pusesse em pratica uma ideia tão abominável quanto improvável de acontecer.  Mas não importava. Se ela tivesse nem que fosse a mínima possibilidade de destruir Xue Yang, ela tentaria sem pensar duas vezes.

Todo seu plano dependia de diversos fatores, mas ela conseguiria. Sempre conseguiu tudo o que quis e dessa vez não seria diferente.

Sua gargalhada ressoou no ambiente, o que fez com que seus guardas sentissem calafrios, os vagalumes parassem de piscar, os grilos de cantar e, até mesmo, Xue Yang estremecer em seu dormitório longínquo.

- Solte as correntes do prisioneiro. – A voz cortante soou e rapidamente um de seus serventes obedeceram.

- Yang Yang aproveite sua liberdade momentânea, porque eu finalmente me vingarei de você corretamente.

E quando acabasse Xue se tornaria como as flores na sua frente.... Apenas retalhos. 


Notas Finais


Obrigadaaa por lerem!!! 🥰🥰🤗

Espero que tenham gostado!!!!

Como sempre críticas e elogios de qualquer fundamento são importantes para mim. Gostaria de saber o que estão achando da história... 🤗🤗

Ah! E uma perguntinha: Eu estou chegando no ápice da história, e gostaria de saber se vocês gostam mais de finais felizes ou dramáticos/emotivos/tristes?

Tenho ideias para ambos.... E estou um pouco indecisa de pelo qual vou seguir 😊


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...