História Uma Nova Família - Percabeth - Capítulo 31


Escrita por:

Postado
Categorias Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Visualizações 85
Palavras 1.430
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Famí­lia, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Não achei que eu fosse fazer isso. Mas talvez eu consiga né? Talvez... talvez...

Eu espero não decepciona-los.
Mas talvez isso aconteça.

Desculpem, está pequeno. Mas eu precisava escrever hoje. Eu estava a ponto de EXPLODIR, e um garoto que eu conheci falou que quando ele se sentia assim, escrevia.
Obrigada, Jojo. Você é muito especia pra mim ❤

Capítulo 31 - Paternidade aos 16 anos


POV Nathan

A briga com Louisa não me ajudou em nada. Estava confuso, estava chorando litros. Tinha muito medo de perdê-la, mas eu precisava que ela tivesse certeza de seus sentimentos. Porque eu já tinha certeza dos meus. 

Vê-la pedindo uma chance para nós dois fez com que um nó se formasse em minha garganta, eu quase desabei ali na frente dela. Por mais que fossemos apenas adolescentes, eu sabia que a amava. Eu a amava do fundo do meu coração e não gostava de vê-la assim. 

Respirei fundo. Uma, duas... Dez vezes até conseguir me acalmar por completo. Olá palavras dela não saiam da minha cabeça. Por que eu era tão idiota? Eu nunca deveria ter duvidado dela. Nunca deveria ter pensado em desistir da gente. 

Eu a abracei com todas as minhas forças e a senti fazendo o mesmo comigo. Isso era um absurdo, eu a fizera chorar e me sentirá um monstro por isso. Mas eu deveria ser forte, eu sabia que mais discussões viriam a qualquer momento na nossa conturbada história de amor, e não queria desabar e perder todas elas. 

- Eu te amo. 

Sem que eu medisse minhas palavras, elas saíram da minha boca. E por mais que eu estivesse surpreso, nunca escolheria momento melhor para tal frase. Esperei que Louisa ficasse de mal, se desencostasse de mim. 

Mas nada. Ela simplesmente me abraçou mais forte ainda e disse as palavras que eu tanto anseio escutar. 

- Eu te amo. 

Foi a melhor sensação do mundo até aquele momento. Eu não sabia o que fazer, a ficha de que ela me amava ainda estava processando. Oh deuses, quem eu sou? Onde estou? Acho que no paraíso. 

Depois do que pareceram segundos, mas foram trinta minutos, Nico apareceu é estragou o clima de casal, afirmando que a comida estava pronta. 

Acho que depois disso eu viajei legal. Eu também não esperava ficar 100% concentrado, mas não queria que toda a minha tarde tivesse passado como um raio ao seu lado. 

Eu arrumei minhas malas ao seu lado, provavelmente. Na verdade eu não sei. Que dia era mesmo? 

Eu não estava acostumado com o carinho recíproco. Não que eu já tivesse me declarado muitas vezes. Mas... Eu não era nenhum Matheus da vida né? 

Eu queria dormir com ela. Não no segundo sentido da frase, eu só queria aproveitar. Dormir abraçado nela, sentir todo o seu corpo colado a mim e sua respiração calma em meu pescoço. 

Mas eu sabia que ela ainda precisava fazer as malas dela, mais a de seu afilhado. Ah, este está cada dia mais lindo, assim como a irmã. Lembro de quando eles nasceram, há uns cinco meses ou talvez seis, estou desnorteado, e eu, Louisa e Nico ficamos basicamente desesperados em casa. 

Foi por culpa deles que que começamos a namorar. Ah, eu devo uma a estes pestinhas. 

Já eram dez horas da noite e eu não conseguia dormir. Meu celular estava tocando uma das minhas músicas preferidas enquanto eu tentava tocar o solo inicial que eu havia anotado. Daqui há uns 10 minutos, provavelmente, Will viria me xingar por estar tão tarde tocando quando tenho uma viajem amanhã cedo. 

Mas eu não estava me importando, na verdade. Eu apenas estava tentando encontrar o sono. Talvez, se Will viesse, ele poderia ficar falando daquelas coisas chatas de médicos e então o sono viria sem pestanejar. 

Quando eu finalmente consegui tocar o solo e estava me preparando para tocar os primeiros acordes, escutei três batidas na porta. Eu me levantei e senti meus joelhos estralando, depois me espreguiçei e andei lentamente para a porta. 

Destranquei a mesma e esperava que Will fosse dizer algo como "Você não deveria estar acordado mocinho" e todo aquele blá blá blá. Mas na verdade lá estava ela. 

Louisa vestia um short de dormir e uma blusa fina de manga comprida de panda. Estava a coisa mais fofa do mundo. Um sorriso no rosto e seus olhos cobertos pelo seu óculos/espada. Um coque muito bem feito que eu queria bagunçar para irritá-la e um urso de pelúcia.

- Eu posso dormir com você? 

Eu não sabia o que responder. Assenti, vendo que meu desejo seria realizado e que teria ela em meus braços nessa noite. 

- É que sabe... Eu tô com saudade do meu namorado incrível e perfeito. - Ela se explicou, entrando e rindo em seguida. Dei uma leve risada sabendo que ela falava a verdade. 

- Acho que veio no quarto errado, não tem ninguém incrível e perfeito aqui... - Eu fingi procurar alguém, mantendo uma pose séria. Louisa não gostava quando eu falava essas coisas. 

- Então eu vou pra casa... 

Quando ela fez menção em se virar e passar pela porta, a vontade que eu tinha de beijar sua boca transbordou e eu a puxei pelo braço, iniciando um beijo que me tirou o fôlego em alguns segundos. Ela deu risada e foi, infantilmente, saltitando até a minha cama. 

Ela deitou, puxou o lençol por cima de seu corpo, abraçou o urso de pelúcia, e me chamou. Rindo, tirei meu violão de cima da cama e passei a música no meu celular. Apaguei a luz e abracei ela, com o ursinho na nossa frente. 

- Que ursinho é esse? 

- Meu pai me mandou. Ele disse que deu esse ursinho pra minha mãe quando eles começaram a se paquerar. É importante pra mim. - Ela ainda se emociona bastante quando fala da mãe e eu entendo completamente. Achei bonito da parte de Poseidon, mas sem querer quebrar nenhum clima, apenas assenti e beijei sua bochecha, vendo-a corar. 

Dois toques na porta e logo depois um Nico e um Will estavam do lado da minha cama. Nico estendeu a mão ao loiro e este lhe passou cinco dólares. 

- Eu falei que se chamasse ela, ele logo perderia a insônia. - Disse o moreno, rindo. O loiro apenas revirou os olhos e riu ironicamente. 

- Sério que apostaram isso? - Eu ri. - E porque chamaram ela? Não era mais simples me pedir pra dormir?

- Então quer dormir sozinho? - Nico me olhou malicioso. 

- Nunca mais. - Respondi com um sorrisinho de canto, olhando para minha garota em meus braços. 

- Boa noite, crianças. - Will falou. Depois saiu do quarto.

- Criança é teu namorado. - Gritei para meu irmão. 

- Te garanto que não. - Ele voltou e puxou Di Ângelo pela cintura, saindo e lhe dando um beijão. 

- Argh - resmunguei com nojo no ouvido da minha namorada, que me deu um tapa no peito e logo se aconchegou no mesmo, pegando no sono logo depois. 

Fiquei admirando a paisagem, até receber uma mensagem. 

***

Matheus: Hey cara, cês vão vir amanhã?

Matheus: Tenho uma coisa séria pra contar. 

*** 

Estranhei, mas tratei de responder logo. 

***

Nathan: Vamos sim, mano

Nathan: o que há, de tão sério?

...

Matheus: Cê tá ligado as meninas de Afrodite né?

...

Nathan: sei sim cara, que merda que cê fez?

...

Matheus: Eu não fiz nada sozinho mano

Matheus: Eu juro que tentei de tudo 

... 

Nathan: Fala logo pow

Nathan: Não pode ser tão sério 

...

Matheus: Paternidade aos 16 anos é sério o suficiente? 

...

Nathan: O QUE??????

... 

Matheus: Isso mesmo. CARA EU NÃO TENHO MATURIDADE PRA ISSO, ELA NÃO QUER ESSE FILHO E NEM EU, MAS EU NÃO SEI O QUE FAZER AAAAAA

...

Nathan: Calma Caralho

Nathan: Cê tá que nem as menininhas quando ficam fofocando. 

Nathan: Respira imbecil

...

Matheus: se ficar me insultando eu te deixo no vácuo pnc

...

Nathan: Aguenta, idiota. Que merda cê foi fazer?!?

...

Matheus: quer mesmo os detalhes?

Matheus: Tava ficando quente e tal, ela me beijou...

...

Nathan: PARA 

Nathan: Cara, eu preciso dormir e daqui a pouco Louisa se acorda e vê isso 

Nathan: DEUSES ela vai surtar 

Nathan: e bater em ti

...

Matheus: imagina minha mãe 

...

Nathan: quantos meses?

...

Matheus: Cinco.

... 

Nathan: CARALHO E TU ME CONTA ISSO AGORA SEU FILHO DA PORRA?!?!?

...

Matheus: Esqueci bro, desculpa. 

...

Nathan: imagina se for um piá mano

Nathan: Cê vai se divertir pra Caralho

...

Matheus: Qual parte do eu não quero ser pai ce nao pegou?

...

Nathan: Mas e aí cara?

...

Matheus: Sei lá mano... Eu vou dormir e esfriar a cabeça 

...

Nathan: Qual delas?

... 

Matheus: Aquela que vai parar no teu cu, arrombado

...

Nathan: Arrombado é teu pai

Nathan: dorme msm, viado

...

Matheus: Ain eu sou

Matheus: Boa noite 

***

Demorei mais duas horas para dormir. Mas pelo menos eu consegui. Alguns sonhos com um garotinho e Louisa, nós dois morando juntos e fazendo programas de família. 

Tão lindo e real que eu quase chorei ao ver que isso não era real e que não era nosso filho que estava a caminho, mas sim um de Matheus. 




Notas Finais


HAHAH fudeu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...