1. Spirit Fanfics >
  2. Uma nova heroína (ou não) >
  3. Kouta

História Uma nova heroína (ou não) - Capítulo 34


Escrita por:


Notas do Autor


Boa noite pessoal, desculpa a demora💕
Boa leitura❤

Capítulo 34 - Kouta


Fanfic / Fanfiction Uma nova heroína (ou não) - Capítulo 34 - Kouta

Acampamento de Treinamento – Dia 2

5h18 da manhã


- Izumi pelo amor de Deus, levanta! - ouvi Momo gritar.

Sentei na cama, despertando automaticamente, olhando para os lados e vendo todas já vestidas com os uniformes de exercícios.

- o que foi? - esfreguei os olhos, bocejando.

- Aizawa sensei mandou todos se reunirem as 5h30. - Jirou bocejou também.

- certo...

Levantei e fui para o banheiro jogar uma água no rosto para ver se conseguia ao menos despertar um pouco.

Dez minutos depois estávamos todos reunidos na frente de Aizawa sensei.

- Bom dia, pessoal. - ele nos comprimentou.- hoje vamos começar o acampamento para aumentar a força de vocês a sério. O objetivo desse acampamento é um reforço geral e, com isso, conseguir licenças provisórias. É para prepará-los para enfrentar hostilidades mais comuns a cada dia. Tenham isso em mente. Sendo assim, Bakugou, tente lançar isso.

Sensei jogou para ele a bola do teste físico do primeiro dia de aula.

- seu recorde, logo depois de ingressar na escola, era 705,2 metros. Vamos ver o quanto melhorou.

- Ah, estamos vendo o quanto crescemos?! - Mina se animou.

- já aconteceu muita coisa desde o início das aulas, né? Já deve conseguir lançar a 1km! - Sero comentou.

Bakugou se preparou e lançou a bola, xingando.

- então... vai para o inferno!

Revirei os olhos, rindo. E ri ainda mais quando sensei anunciou a pontuação.

- 709,6 metros. - Aizawa mostrou o número no aparelho de contagem.

Bakugou parecia completamente chocado, no mal sentido da palavra, irado.

- passaram cinco meses desde que ingressaram na escola. Através de várias experiências, certamente vocês cresceram. Mas foi, basicamente, em níveis técnicos e mentais. E também um aumento de energia. Isso foi o principal. Como podem ver, suas próprias individualidades não melhoraram muito. É por isso que vamos trabalhar suas peculiaridades a partir de hoje. - Aizawa sensei sorriu daquela forma bizarra que só ele sabia.- será difícil a ponto de quererem morrer, mas tentem não morrer... ainda.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

- vou morrer! Eu não aguento mais!

Aquilo era o inferno, não tinha outra palavra. Eles pareciam ter pegado nossos limites, os rasgando e quando conseguíamos os montar novamente, os partiam como gravetos.

Meu treinamento se baseava em atrair e repulsar vários objetos ao mesmo tempo, todos de diversos tamanhos e pesos. Ofeguei me concentrando para continuar e não cair de cansaço e dormir até o final do acampamento. Ouvi um barulho atrás de mim e vi Aizawa empurrar um forno para perto.

- tente não quebrar, se não Pixie-Bob vai ficar no meu ouvido. - ele saiu andando calmante.

Engoli seco, esticando a mão para tocar no forno. Já estava no meu limite igual a todos a minha volta, menos Momo e Sato. Como eu queria o treinamento deles! Os dois estavam comendo, enquanto Yaoyorozu produzia sem parar suas bonecas russas e Sato fazia musculação.

Me esforcei e continuei, não ia desistir, tinha que melhorar muito ainda e o mais rápido que pudesse.


* 18: 26 Pm*


Só paramos verdadeiramente na janta, e eu estava me mantendo em pé na pura força da fome.

- eu disse ontem, não disse? - Pixie-Bob apontou para a pilha de ingredientes nas mesas.- "hoje será o único dia que cuidaremos de vocês"!

- Ao menos façam sua própria comida! - Rogdoll balançou uma das patas animadamente.

Cobri o rosto com as mãos, nervosa.

- sim, senhora...

Rogdoll parecia terrivelmente energética, o que já estava me irritando além da conta, ou talvez só fosse uma reação da fome.

- vocês todos parecem acabados! - ela saltitou.- mas não significa que podem fazer uma velha comida de gato mal feita!

Murmúrios soaram atrás de mim vindos de Iida, até que o representante de classe tomou conta dele.

- vamos fazer o curry mais gostoso do mundo, pessoal!

Cobri os olhos, com vergonha da minha falta de habilidade com a cozinha.

- certo...

Ajudei apenas cortando os ingredientes ao lado de outros alunos da turma 1-B, mas quase perdi um dos dedos quando olhei para trás distraidamente.

- Todoroki! Pode nos dar fogo aqui também? - Mina pediu.

Depois de ajudá-los, caminhei até o forno que Mina pediu e acendi usando um isqueiro que sempre carregava comigo.

- que bonito. - Todoroki apareceu atrás de mim.

Concordei com um sorriso.

- era do meu pai.

Todoroki olhou para os lados e depois segurou a minha mão e me puxou furtivamente para um canto mais afastado.

- o que está fazendo?! Aizawa sensei vai comer os nossos fígados se nos pegar.

Meu coração martelava só de pensar no perigo de nos flagrarem aos beijos naquela parte da floresta. Ele abaixou um pouco a cabeça, e a sua mão em meu rosto levantou a minha. Shouto sorriu enquanto juntava nossos rostos, com seu polegar acariciando minha bochecha direita, bem em cima das sardas. Senti nossas respirações se misturar e me senti acolhida em seus braços. Quando notei, nossos lábios já estavam colados. Sem me preocupar mais, apenas enlacei os braços no pescoço dele com um pouco de dificuldade enquanto ficava na ponta dos pés com esforço. Sua mão que estava em meu rosto deslizou com firmeza para a minha nuca e a mão que repousava calma em minha cintura me puxou contra si, colando nossos corpos. Senti a língua dele insistir e lhe dei passagem. Sua língua explorava todos os cantos de minha boca em um beijo molhado e calmo. Aos poucos senti uma de suas mãos deslizar calmamente para a minha coxa esquerda, onde ele deu uma apertada que me fez soltar um pequeno suspiro entre o beijo, o fazendo sorrir descaradamente.

- Shouto...

Todoroki me empurrou com delicadeza para uma das árvores maiores e juntei minhas pernas em volta de sua cintura, sem interromper o beijo. Senti seus dedos gelidos em minha perna direita me dando arrepios prazerosos enquanto a mão quente tocava a parte exposta da minha barriga. Quando nos separamos novamente, juntei nossas testas e aproveitei aquele momento de calmaria. Estávamos ofegantes e senti meu rosto esquentar ao olhar a boca dele inchada, imaginando como estava a minha. Senti os braços de Shouto me apertarem contra si e senti seu perfume dominar o ar a nossa volta. Acariciei seus cabelos, enquanto sentia as mãos dele em minhas costas.

- temos que voltar, alguém já deve ter notado a nossa ausência. - murmurei soltando as pernas da cintura dele.- vou por um lado e você pelo outro.

Shouto concordou e ainda me deu um selinho antes de se afastar.

Sai discretamente pelo lado direito, olhando para os lados distraidamente quando bati de frente com alguém, quase caindo no chão. Senti meu corpo preso e fui arrastada sem ao menos entender o que estava acontecendo. Até que vi que Shouto estava na mesma situação.

- vocês estão terminantemente proibidos de ficar no mesmo metro quadrado! - ele rosnou olhando para nós com os olhos vermelhos.- Midoriya vai assistir as aulas de reforço para garantir que não vão sair às escondidas de madrugada. Agora cada um para um canto e se eu ver mesmo uma troca de olhar, vão treinar até os braços caírem, e não é no sentido figurado.

Caminhei rápido sem olhar para Shouto e me sentei pesadamente, cobrindo a cabeça com as mãos, completamente envergonhada.

- Ele te pegou, não é? -Eijiro perguntou sentando ao meu lado.- uma vez ele quase me pegou também, consegui me esconder por sorte.

Levantei o olhar, totalmente curiosa.

- quem?! - perguntei.- quem era?!

- não acredito que você está contando isso para ela, Eijiro. - ouvi a voz de Ashido atrás de mim e ela olhou para ele com repreensão.- não escute esse idiota, Aizawa só não arrancou nossas cabeças porque eu obriguei Eijiro a pular a janela da sala de treinamento.

Olhei boquiaberta para os dois, sem acreditar.

- não acredito! E nenhum dos dois não me disse nada?! - fiz biquinho, fingindo estar magoada.

Os dois riram e eu me juntei a eles até Aizawa nos mandar ajudar.


* no jantar*

Remexi o prato, sem vontade de comer e suspirei.

- Kouta! É hora de jantar! - ouvi Mandalay chamar.- Kouta!

Olhei e vi o menino seguir para uma parte mais afastada, e peguei um dos pratos prontos e o segui em silêncio. Ele subiu uma parte da montanha e só parou no topo de uma abertura. Kouta observava as estrelas com olhos baixos.

- está com fome, não é? - perguntei me sentando a uma distância respeitosa dele. Mostrei o prato e o coloquei entre nós.- pode comer esse curry aqui.

Ele me olhou com raiva.

- como achou esse lugar?!

Dei os ombros, mostrando as pegadas dele no chão.

- desculpe, eu apenas segui suas pegadas. Percebi que não se sentia bem com a gente e trouxe esse prato aqui, para você comer sozinho, se é assim que prefere.

Ele parecia menos zangado, mas ainda estava com uma carranca.

- estou bem. Não quero. Já falei, não foi? Não tenho a intenção de andar com heróis.

Dei um risinho o olhando.

- eu não sou uma heroína.

Vejo que ele ficou confuso e ainda mais bravo.

- está treinando para ser uma, não é?! Não brinque comigo!

Neguei com a cabeça.

- sabe, há um tempo, eu também odiava os super heróis. - Falei olhando para o céu.

Vejo que despertei a curiosidade nele, já que sua feição mudou.

- achei que fosse o único... - eu o ouvi murmurar.

Balancei a cabeça, negando.

- eu os achava extremamente fúteis e sem ideais verdadeiros. - comentei.

Kouta concordou com a cabeça.

- e saem por aí agindo como os melhores.

Dei risada e concordei.

- sempre se preocupando com os repórteres e entrevistas. " oh, nossa! Qual será o melhor lado para a foto? Tem que ser uma que eu saia sério para não demonstrar que só me importo com o meu cabelo".

Ouço ele rir e concordar. Aos poucos, vejo ele se aproximar e pegar o prato, o devorando em minutos.

- se você também não gosta de heróis, por que está aqui com esses idiotas? - ele perguntou com a boca cheia.

Limpei o canto de sua boca com o dedão, tirando o molho de suas bochechas.

- meu irmão sonha em ser um. - dei os ombros.- eu sempre o apoiei e não seria diferente agora. Eu só queria entender o que ele via nos heróis...

Kouta me olhou de canto, colocando o prato no chão.

- E descobriu?

Neguei com a cabeça.

- Ainda não. - dei um sorriso para ele.- mas quando eu descobrir qual é, você vai ser o primeiro a saber. Mas é melhor esperar sentado.

Ele riu novamente e concordou.

- meus pais também eram heróis. - ele comentou me deixando surpresa.

- Kouta, não precisa me falar sobre isso... parece muito pessoal.

Ele concordou com a cabeça.

- eu não gosto, mas é a primeira vez que encontro alguém com as mesmas idéias que eu. Eles eram heróis e morreram protegendo essa cidade. E a única coisa que eles falam é como foi uma morte digna e honrosa.

- que horrível. Nenhuma morte é boa para quem deixam para trás. - falei olhando para ele, vendo o brilho das lágrimas nos olhos.- já que você me contou sobre seus pais, posso te contar sobre o meu. Meu pai sumiu faz alguns anos, eu não sei se ele está vivo ou está morto, ele só se foi sem dizer o motivo. Eu tinha três anos na época. Desde então, eu protejo Izuku. Ele sempre me dizia que eu era a mais velha, essa era a minha obrigação, nunca me disse que eu não seria capaz de proteger ele sendo uma garota. - engoli seco, sentindo um nó na garganta.- sinto a falta dele.

Kouta concordou com a cabeça e vi que ele entendia como eu me sentia, e eu entendia como ele se sentia. Era doloroso ver toda aquela amargura em volta de uma criança tão nova. Se eu pudesse fazer algo para ajudá-lo, mesmo que apenas conversar, já fazia eu me sentir melhor. E ouvir a risada dele, era algo incrível e preenchia meu coração de alegria.

- a partir de hoje, você pode frequentar a minha base secreta. - ele falou me oferecendo o mindinho.- mas tem que prometer que esse é um segredo.

Dei um sorriso e liguei nossos dedos.

- eu prometo.

Deitei no chão ao lado dele e ficamos observando as estrelas, até que pensei em algo para deixar aquele assunto de heróis de lado.

- ei Kouta, sabe que estrela é aquela? - apontei. Ele negou com a cabeça.- aquela é a constelação do Cão Maior, e a estrela mais brilhante é a Sirius. Meu pai me dizia que ela era a única estrela que brilhava no céu no dia em que eu nasci.

Ele a olhou com atenção.

- será que ela brilhou no meu também?

Dei um sorriso e baguncei seus cabelos.

- talvez, mas ela brilhou mais para mim.

Ele mostrou a língua, rindo.

- sabe, agora que você não me odeia, posso tentar dar umas escapadas para vir aqui, mas só se você quiser.

Kouta olhou para mim e concordou.

- é... pode ser.

Me levantei e ofereci a mão para ele.

- agora temos que voltar, se não Mandalay vai brigar com você e Aizawa sensei vai comer meu fígado com farofa.

Ele riu e concordou.


* Acampamento de Treinamento - dia 3*


- Midoriya! Foco! - ouvi Aizawa berrar atrás de mim, me despertando.

As aulas de suporte que fui obrigada a assistir foram até as duas da manhã e eu mal dormi depois. O resultado é que mal conseguia me manter de pé, imagina usar minha individualidade normalmente.

- certo... - bocejei.

Vejo Izuku conversar com Aizawa, mas não consegui prestar atenção. Deitei, olhando para o alto e desejando que aquela semana passasse mais rápido para voltarmos para casa e eu poder dormir em paz.

- Mais importante, pessoal! Sobre hoje, teremos um teste de coragem de uns contra os outros! Depois do treinamento duro, há a diversão! Sendo assim, deem o melhor de si! - Pixie-Bob levantou o braço, animada.

- sim!

Respirei fundo, começando o treinamento de repulsar e atrair os objetos tentando aumentar a velocidade a cada tentativa, e notei uma melhora e aumento no limite de peso que eu poderia usar.

- finalmente uma coisa boa... - murmurei.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Durante a preparação do jantar, as tarefas foram novamente divididas e eu fiquei junto de Ochako e Jirou coletando lenha.

- Bakugou, você é ótimo usando a faca! - Uraraka olhou impressionada.- que surpreendente.

- Como assim "surpreendente"?! É impossível alguém ser ruim usando uma faca! A menos que seja a Gêmea de Merda! Essa aí é ruim com qualquer coisa que envolva uma cozinha.

Revirei os olhos.

- eu posso usá-la em você, tenho certeza que vai dar certo e irei livrar o mundo de um idiota. - rebati jogando a lenha nos pés dele e rindo satisfeita ao ouvir ele gritar e xingar.

- vocês aí! Suas mãos estão paradas! Parem de discutir e ao trabalho! - Iida ralhou.

Bufei e organizei a lenha na parte de baixo do fogão.

Depois que a comida estava pronta, servi novamente dois pratos e corri para a base secreta de Kouta, onde ele já estava.

- trouxe pra você. - ofereci um dos pratos para ele que aceitou e se sentou ao meu lado para comer.

- esse treinamento para aumentar a individualidade de vocês é ridículo. - ele criticou antes de colocar uma colher de ensopado na boca.

Concordei pensativa.

- é chato e cansativo. - olhei o relógio de pulso e estalei a língua, irritada.- merda, daqui a pouco eu tenho que voltar.

Ele me olhou curioso.

- não vai ficar aqui hoje?

Neguei com a cabeça, suspirando.

- tem aquele teste de coragem chato da Pixie-Bob que temos que fazer.

Ele cruzou os braços irritado.

- ridículo.

Dei um sorriso e concordei, já tentando distraí-lo um pouco antes de voltar para junto dos outros.

Quando finalmente nos reunimos para o teste, todos pareciam eufóricos e animados.

- então, nós enchemos nossas barrigas e lavamos a louça! - Mina lembrou- agora é hora do teste de coragem!

Aizawa se aproximou e colocou a mão em meu ombro.

- antes disso, dói dizer mas, o grupo das aulas extras e a Izumi terão aula comigo agora.

- Só pode estar brincando! - Mina arregalou os olhos.

- Q-que?! Não é justo, Aizawa sensei! Eu e Shouto não vamos mais fazer nada, eu juro!

Aizawa envolveu nós seis em suas faixas, nós arrastando para a sala.

- foi mal. Seu treinamento no dia foi pior que o esperado, e sua infração também Midoriya. Então vou usar esse horário.

- Ah qual é?! - reclamei.

- por favor, nos dê um descanso! - Eijiro reclamou ao meu lado.

Por favor, nos deixe ser testados! - Denki e Sero pediram.

Mas Aizawa sensei simplesmente continuou nos puxando até a sala, onde eu me debrucei na cadeira, em completo ódio.


Notas Finais


Capítulo que vem tem porradaria pra quem lembra do anime kkkkk
Obrigada por lerem e até a próxima❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...