História Uma nova perspectiva de vida - Capítulo 33


Escrita por:

Postado
Categorias Supergirl
Personagens Alex Danvers, Kara Zor-El (Supergirl), Lena Luthor, Maggie Sawyer
Tags Supercorp Sanvers
Visualizações 101
Palavras 1.609
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa Leitura ;

Capítulo 33 - Capítulo 33


 

As pessoas ainda pareciam assustadas, mas a curiosidade às mantinham por trás da faixa amarela, observando os corpos das vitimas. Nenhum deles possuía a identificação. Tinham os olhos abertos e brancos, sangue seco fazia o caminho de seus: ouvidos e nariz. A diretora do DEO se agachou em frente a um dos corpos. Analisando minuciosamente.

-Consegui o vídeo de segurança do outro lado da rua – disse Brainy passando a diretora o tablete – as imagens estão danificadas, mas ainda assim...

No vídeo, uma garota era arrastada para dentro de um carro, tudo era muito distante, então uma sombra escura engoliu os três e a garota correu, deixando para trás os corpos.

-Pelo menos tivemos paz por um tempo – afirmou a diretora sarcasticamente, pois aquilo só poderia significar um problema e segundo o instinto da Danvers, um problema verdadeiramente grande.

 

Terra-7

Cheia de nada. Era exatamente assim que Lena Luthor se sentia. Completamente vazia. Kara dormia a sono solto ao seu lado, seus cabelos estavam bagunçados e ela parecia calma, Lena passou toda a noite acordada encarando o nada. Sendo preenchida pelo nada. Respirou fundo e continuou deitada na mesma posição em que se deitou horas atrás. Lena se virou para esposa, tocou o rosto de Kara com a ponta dos dedos, ela se moveu na cama, porém não despertou. Lena se aconchegou nos braços da loira, inalou o cheiro da esposa, fechou os olhos. Mas não adiantava, ela poderia estar viva, mas por dentro não sentia o mesmo.

 

Terra-38

A diretora Danvers corria pelo aeroporto, tentou arrumar de forma desajeitada suas roupas. Sam abraçava uma mulher alta de cabelos loiros, sua irmã. Alex a abraçou antes que a kryptoniana pudesse falar qualquer coisa. Estava quase sufocando de saudades da irmã, e o sentimento era recíproco. Kara a apertou tão forte em seus braços que ouviram um leve estalo, era como se Alex fosse sumir a qualquer momento.

No apartamento, uma pequena reunião aguardava as duas. Uma noite de jogos com direito a muita bebida.

-Como foi à lua de mel? – perguntou Alex a irmã

-Foi maravilhosa – disse Kara, e tomou um gole de seu vinho tinto – apesar do ciúmes de Lena e de não conseguirmos lembrar de uma parte dela – quando viu a confusão se espalhar pelo rosto da irmã, Kara apenas ergueu a mão em um breve gesto –longa história – e seu sorriso cresceu ao ver a esposa não muito longe de onde estavam conversando entretida com Sam

-É normal sentir ciúmes Kara – afirmou Alex

-É, é normal – Kara repetiu na esperança de realmente acreditar nisso, mas não tinha muita certeza sobre, ela não sabia explicar o motivo, mas alguma coisa dentro dela a alertava para tomar cuidado quanto a esse sentimento que cercava a Luthor-Danvers.

A lua de mel havia sido um dos melhores momentos de sua vida, porém nada se comparava ao sentimento de estar de volta em casa cercada de pessoas que a amava, era a melhor sensação do mundo.

-Está tudo bem? – perguntou Lena, já fazia quinze minutos que Kara observava a parede de casa, sentada no sofá.

-Estou feliz por estar de volta – disse Kara, Lena sentou no colo da esposa e seu sorriso cresceu – acha que os nativos irão nos esquecer? – perguntou, Lena balançou a cabeça negando antes de beijar a esposa, nenhuma delas definitivamente esqueceria a lua de mel

Kara voltou ao trabalho na semana seguinte, e tudo porque Lena não queria mais ficar em casa e precisava trabalhar. Supergirl voltou aos poucos ao seu trabalho, e tudo parecia estar se tornando uma rotina.

 

Terra-7

-Fico feliz que tenha decidido estar aqui – disse Sheron com um sorriso leve nos lábios – tudo está bem entre você e a Kara?

-Sim, está tudo bem – Lena apertou suas mãos, hábito nervoso que tinha – mas, não é sobre isso que quero conversar.

-Lena – Sheron chamou a atenção da mulher, Lena mais uma vez se desligou, seu olhar se tornou distante e ficaram marejados – Lena

-Eu perdi o meu irmão – disse antes que a coragem desaparecesse, ela enxugou seu rosto com o nó dos dedos – perdi o meu pai... não, sinto que sou capaz de continuar o trabalho dele na Luthor Corp – Lena quis dizer que se sentia infeliz, porém infelicidade não parecia ser uma palavra suficiente para o que sentia. Então apenas começou a chorar e Sheron ultrapassou mais uma vez seus limites profissionais e abraçou sua paciente.

 

Terra-38

O mar estava revolto, as ondas batiam com força no barco, os marinheiros faziam seu melhor para se manterem vivos, mas a cada instante o fim parecia próximo e a esperança os abandonava.

-Senhor! – exclamou o cozinheiro do barco – tem um buraco enorme na cozinha tem água por todo o lugar – ele estava  desesperado

E quem poderia culpá-lo? Todos estavam com medo de morrer, eram pais de família, e jovens demais, as ondas batiam e empurravam o barco, chegou o momento em que começaram uma despedida silenciosa.

-Ah meu deus! – gritou um dos marinheiros, uma onda gigante virou o barco.

 

-Os inimigos foram abatidos senhor – anunciou um dos tenentes, o general Orm assentiu, ele não era o rei, não possuía o tridente, no entanto, era tudo que Atlântida tinha.

-Os moradores da superfície tem nos dado muita dor de cabeça – disse Orm –lixos nos oceanos, tentando invasões, não respeitando seus limites. Acho que está na hora de fazer com que respeitem Atlântida

O jovem Kaldur'ahm  era o único que parecia discordar das ações de seu suposto rei.

 

Terra-7

Há muito tempo que o silencio entre as duas não era mais desconfortável, então ter isso átona novamente, fez Kara se sentir mal por permitir que algo assim voltasse a acontecer. Kara tomou um gole de chá, Lilian pigarreou.

-Como está o trabalho? – perguntou

-Está bem – disse Kara e sorriu, um sorriso forçado, mas era o único que conseguia dada a tensão que se instalava rápido entre as duas mulheres –o jornal está crescendo, Lena disse que queria passar a CatCo para você e que você recusou – Kara viu no olhar da outra que ela estava desesperada para ter algo com o que se distrair, não que não se importasse com a nora, mas porque precisava de algo para distrair a mente e dissipar a nuvem densa de sua mente

-Eu não posso deixa-los agora, eles precisam de mim – afirmou Kara, o National News estava crescendo e o seu chefe colocava sob sua responsabilidade as reportagens, já que era graças a ela que tudo isso vinha acontecendo a ele.

-Lena também precisa – disse Lilian e tomou um gole de seu chá

Ela sabia que não havia sido sua intenção ser rude, e Kara não retirava o peso da verdade de suas palavras. Ela tentava da melhor forma que podia ajudar a esposa, mas com o seu trabalho era difícil, estava arrastando o jornal nas costas. Porém, Lena parecia que todo o mundo estava sobre o seus ombros, dias presa no laboratório trabalhando em pesquisas, dividia seu tempo entre a CatCo e a Luthor Corp, não era justo ela sabia disso. E agora, sentia-se um lixo novamente por permitir que a esposa ficasse sobrecarregada.

 

Terra-38

-Alguma noticia da garota? – perguntou Alex

-Realizamos o teste de DNA nas vitimas e curiosamente não encontramos nenhuma identidade, triangulei as possíveis...

-Sim ou não – interrompeu Alex –respostas simples para uma pergunta simples – provocou a ruiva

-Tenho 77% de certeza de que ela está aqui – Brainy apontou para o monitor e automaticamente surgiu imagens do mapa de National City, um ponto vermelho piscou, Brainy deu um zoom...

-Isso não é...

-Um convento – afirmou Brainy

Alex observou o rosto da garota, parecia apavorada.

 

Terra-7

Lena estava tão distraída em seu próprio mundo, que se quer notou a presença da esposa parada na porta do escritório da mansão, Kara bateu com o nó dos dedos na porta e Lena a olhou por cima dos óculos, Kara carregava duas xícaras, meio incerta se aproximou da mesa, havia papeis espalhados, e como nos últimos dias Lena parecia cansada. Kara sentou na poltrona a frente da mesa e colocou a xícara sob a mesa empurrando-a sutilmente a Lena.

-Chocolate quente – disse com um largo sorriso infantil no rosto, Lena se flagrou sorrindo pela primeira vez desde o incidente com irmão, um sorriso, pensou Kara, é um começo – um pouco amargo, como prefere.

Lena encarou a fumaça se dissipando no ar, por breves instantes apenas se desligou de tudo.

-Ei – Kara a chamou, pousou sua mão sob a dela, estava fria e a loira tinha certeza de que não era por causa do ar condicionado do escritório – você tem abraçado o mundo Lena...

-Eu preciso – a Luthor suspirou, levantou-se da cadeira que um dia foi de seu pai, lembrou-se de Lex e precisou respirar fundo e engolir aquele sentimento estranho de solidão que vinha a perturbando nos últimos dias, seus olhos fixaram-se no campo verde que se estendia por toda a mansão.

-Não precisa fazer isso... sozinha, eu quis dizer – Kara abraçou a esposa, deitou sua cabeça em seu ombro, lentamente a tensão que tinha em seu corpo foi desaparecendo –eu aceito voltar a trabalhar na CatCo – disse e Lena se virou para olha-la nos olhos, e Kara continuou:

-Eu cuido da CatCo para você, enquanto você resolve toda essa situação com a Luthor Corp ou até encontrar uma pessoa em que confia para ficar a frente...

-Achei que quisesse continuar ajudando o jornal que trabalha como é mesmo...

-National News, eles podem se virar sem mim, sou apenas uma jornalista.

-Não, você não é apenas uma jornalista Kara – afirmou Lena, suas mãos seguraram o rosto da esposa –você é minha heroína – Lena abraçou de forma desesperada o corpo de Kara

 


Notas Finais


Comentários?

Alerta de spoiler .. o próximo capítulo será apenas a lua de mel de Supercorp estou revisando haha


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...