História Uma nova Swan em Forks. - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Saga Crepúsculo, The Vampire Diaries
Personagens Edward Cullen, Personagens Originais
Visualizações 291
Palavras 1.397
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Fantasia, Ficção, Luta, Mistério, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 11 - Capítulo 11


 Onde eu estava com a cabeça quando permiti que Edward tentasse se explicar? Ele me arrastou para fora do colégio e juntos nos embrenhamos em meio a mata, as árvores densas garantiam um ar de perigo e mistério ao local, em um certo momento o vampiro simplesmente parou de caminhar. Olhei ao redor e sem outra alternativa acabei me sentando em um tronco de árvore jogado no chão.


 Ele me trouxe aqui para ficar calado apenas admirando  paisagem verde?


- Pode começar, quando quiser, sem pressão nenhuma - Disse quebrando o silêncio e atraindo sua atenção.


- Tudo bem - Reapirou fundo - Primeiramente me desculpe por ter pedido que se afastasse da minha família, e em segundo lugar, me perdoe por esconder que você é minha companheira, fiquei assustado quando percebi e achei que ficar longe era a coisa certa a se fazer - Disse olhando dentro dos meus olhos.


 Senhor, só pode castigo.


- É só isso? - Perguntei incrédula e me levantei irritada, em um piscar de olhos estava parada bem à sua frente.


 - O quê? - Ele me olhava confuso e com certo receio.


- Você só pode estar de brincadeira comigo - Murmurei começando a andar de um lado para o outro - Você me acusa de ser egoísta, e diz com todas as letras que não me importo nem um pouco com o restante dos Cullen. E agora acha que pode resolver tudo com um simples pedido de desculpas? - Soquei uma árvore com raiva, o impacto foi o suficiente para arremessa-la por vários metros de distância de onde estávamos.


- Charlotte, eu... - Nesse momento Edward parecia completamente perdido e sem saber o que fazer.


- Não, para mim já chega, é sempre a mesma coisa, as pessoas se aproximam e depois me dão as costas quando mais preciso - Meus olhos começavam a ficar cheios de lágrimas - Quer saber de uma coisa? Eu vou embora daqui e desaparecer do mapa - Disse decidida a nunca mais encontra-lo.


- Por favor, não se afaste, eu sei que errei e agi como um verdadeiro idiota, mas não vá embora, preciso tê-la por perto - Ele se aproximou e segurou minha mão entre as suas.


- Você já tem minha prima para ocupar seu tempo, daqui á alguns meses será como se eu nunca tivesse existido, serei apenas uma lembrança distante e perdida em sua mente - Murmurei já me sentindo cansada.


 Os acontecimentos dos últimos dias foram o bastante para me esgotar mentalmente e fisicamente.


- Não gosto daquela humana perseguidora, nos sentamos juntos porquê ela acabou descobrindo o segredo que escondemos, e ameaçou contar para todos - Revelou fazendo com que meu coração perdesse uma batida.


 Mas como?


- Isso é impossível, eu a induzi a esquecer os acontecimentos daquele dia - Disse com pequenos flashes de lembrança invadindo minha mente.


- Pelo jeito não deu muito certo, Bella deve ser imune ao seu poder de hipnose - Lancei um olhar irritado em sua direção - Não se sinta ofendida, eu também não consigo ler os pensamentos daquela humana, talvez ela tenha um escudo, como uma espécie de dom vampiro esperando para ser ativado - Edward parecia convicto com sua teoria maluca.


 Odeio admitir mas até que faz sentido.


- O que vamos fazer agora? -Perguntei torcendo para que ele já tivesse plajedo algo que nos tirasse dessa enrascada.


- Não faço a mínima idéia, Carlisle está preocupado que nosso segredo seja exposto, isso traria consequências sérias para todos nós - Notei o tom de sua voz arrastada e com indícios de medo.


- Vamos encontrar um jeito de consertar essa bagunça - Peguei meu celular do bolso traseiro da calça.


- Vai ligar para quem? - Questionou com curiosidade.


- Vou ligar para minha tia - Sussurrei iniciando a chamada e ouvindo os incessantes toques.


 Foram os segundos mais demorados e torturantes de toda minha vida, pude sentir o olhar de Edward queimando sobre cada parte de meu corpo, ele parecia acompanhar cada movimento meu com extrema atenção e cuidado. O que ela poderia estar fazendo de tão importante que não atendia o maldito telefone?


- Alô? Charlotte, aconteceu alguma coisa? - Tia Ella parecia  muito ofegante.


- Temos um problema sério, Bella descobriu que somos vampiros - Confessei pela primeira vez percebendo a real gravidade da situação.


- Como isso aconteceu? - Perguntou se controlando para não surtar e muito menos gritar feito louca.


- É uma longa história, encontrei alguns vampiros aqui em Forks e nos tornamos amigos, houve um acidente de carro e minha prima seria esmagada viva, a empurrei para o lado, um deles acabou me salvando e a sonsa viu tudo - Ouvi sua respiração acelerando do outro lado da linha - E aparentemente sou a companheira do vampiro que me salvou - Um silêncio ensurdecedor surgiu, aguardei pacientemente, era muita informação para ser digerida de uma vez só.


- Chego aí em uma semana - Disse desligando na minha cara.


 Ainda fiquei alguns instantes encarado o aparelho inerte em minhas mãos, desde quando tia Ella se tornou tão insensível? A situação não ajuda muito, mas ela poderia ter se despedido educadamente, ou me passado algumas instruções sobre como agir em relação a essa situação preocupante.


- Tem planos para amanhã? - Edward evitava olhar em meus olhos, isso indicava que estava nervoso.


- Não - Respondi tentando entender onde ele queria chegar com isso.


- Tem uma forte tempestade se aproximando, costumamos jogar baseball, Esme e Carlisle me pediram para perguntar se não quer se juntar a nós - Questionou de maneira tímida e ao mesmo tempo fofa.


- Tudo bem, vai ser divertido - Concordei recebendo um olhar surpreso como resposta - Até amanhã, vampirinho - Acenei e desapareci em meio as árvores.






[...]






 Acordei ouvindo o barulho irritante do despertador, abri os olhos enxergando tudo ainda meio embaçado, esfreguei os olhos e desliguei o celular. Olhei pela janela e me deparei com o céu escuro e cinzento, a visão de Alice com certeza estava certa, me levantei e corri até o banheiro, retirei minha roupa e liguei o chuveiro. Conforme a água quente caia sobre meu corpo, o cômodo foi preenchido pelo vapor.

 Me enrolei na toalha e retornei para o quarto, corri até o closet e comecei a tarefa de escolher uma roupa descente, optei por uma calça jeans escura, blusa de mangas longas vermelhas, tênis pretos e casaco de moletom branco. Amarrei meu cabelo em um rabo de cavalo alto e borrifei meu inseparável perfume.


- Bom dia - Lancei um sorriso irônico para Bella quando adentrei a cozinha faminta.


- Olá querida, onde vai animada desse jeito? - Tio Charlie sorria vendo minha empolgação.


- Edward me convidou para jogar baseball com a família - Dei os ombros pegando uma torrada e passando geléia de morango.


- Ohh - Charle acabou sendo pego totalmente de surpresa - Isso é ótimo, eu acho - Murmurou a ultima parte mais baixo.


- Pai, você não pode permitir uma coisa dessas - Exclamou a humana irritada e indignada.


- E porquê não, Belinha? É normal um casal de namorados conhecer a família do parceiro - Não pude perder a oportunidade de provoca-la.


- Namorados? - Ela ficou ainda mais branca e pálida que o normal.


- Sua tia já está sabendo disso? - Perguntou Charlie assumindo uma postura mais séria e responsável.


- Falei com ela ontem, semana que vem Edward poderá conhecê-la - Nessa parte não precisei mentir, Tia Ella faria questão de conhecer o vampiro.


 Antes que os dois pudessem dar sequência no interrogatório ouvi o som de um automovel se aproximando, e logo uma buzina alta, sorri reconhecendo o cheiro inconfundível de Edward. Corri até a porta e me deparei com ele encostado no carro e sorrindo maliciosamente.


 Cretino, tenho certeza que escutou toda nossa conversa.


- Tchau, volto mais tarde - Gritei para que os humanos pudessem me ouvir.


- Divirta-se e tenha cuidado - Charlie respondeu aparecendo do meu lado.


 Apenas sorri e o envolvi em um abraço apertado, por alguma razão um arrepio estranho percorreu toda a extensão de meu corpo, era como um aviso indicando que algo de muito ruim iria acontecer. Conforme me aproximava notei que o vampiro a minha frente sorria divertido, não quero nem saber o que se passa dentro de sua cabeça.


- Quer dizer que somos namorados? - O maldito estava se segurando para não rir.


- Apenas dirija, Cullen - Rosnei sentindo meu rosto esquentando de vergonha.


  E pensar que meu dia está apenas começando. 


 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...