História Uma Nova Vida em Estilo RPG (Nanatsu No Taizai) - Capítulo 28


Escrita por:

Postado
Categorias Bleach, Devil May Cry, High School DxD, League Of Legends (LOL), Naruto, The Seven Deadly Sins (Nanatsu no Taizai)
Personagens Naruto Uzumaki, Personagens Originais
Tags Naruharen
Visualizações 142
Palavras 2.692
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Fantasia, Ficção, Harem, Hentai, Luta, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem.

Capítulo 28 - Heróis


 NARUTO ON

 Logo que eu disse isso, Meliodas se colocou ao meu lado e disse.

- Não pense que vamos deixar a diversão toda só para você. – Disse Meliodas com um sorriso no rosto. Logo depois Hendrickson se levantou e tentou nos atacar. Mas o Ban conseguiu inutilizar um dos braços dele, aproveitando essa chance, eu e Meliodas demos um gancho no queixo do Hendrickson o mandando para cima, logo Diane aparece e o golpeia com seu Gideon o mandando para a parede da montanha, ele então abre suas asas e tenta voar até nós, mas King o golpeia com sua lança o mandando para o chão.-

 AUTOR ON

- Incrível! Esse é o poder dos lendários cavaleiros… - Disse um dos Cavaleiros Sagrados.

- Sem mencionar aquele rapaz. – Disse outro dos Cavaleiros Sagrados. Hendrickson então levanta do chão e coloca seu braço de volta no lugar.

- Não é possível! Nem um arranhão! – Disse Diane incomodada.

- Caramba! Achei que tivesse arrancado esse braço. Essa armadura resistente dele é insuportável! – Disse Ban irritado.

- Não se preocupem. Eu mesmo vou acabar com ele! – Disse Naruto desaparecendo da vista de todos e surgindo atrás de Hendrickson, o mesmo o toca pelas costas e diz.

- Descarga Elétrica! – E uma grande mão feita de raios explode nas costas de Hendrickson o mandando longe. Enquanto no ar, um pouco mais acima, Naruto estava com duas asas espectrais em suas costas (As mesma do Nero) e logo ele diz juntando as mãos.

- Raio das Dez Pétalas! – E de cada dedo sai um mini feixe de energia, e cada um perfura o corpo de Hendrickson e o manda para o chão, logo Naruto pousa e diz apontando suas duas mãos abertas na direção de Hendrickson.

- Raio de Estame! – E das palmas de suas mãos saem dois grandes raios de energia que atingem Hendrickson queimando sua pele. Naruto então une suas mãos no formato de lança e diz.

- Perfuração Mestre! – Ele então começa a girar feito uma broca e avança contra Hendrickson, mas o mesmo consegue desviar, mal sabia ele que era isso mesmo que ele queria. Naruto então para de girar e apontando seu braço direito na direção de Hendrickson ele diz.

- Esfera Lenta! – E uma esfera se forma ao redor de Hendrickson, e se pode ver que os movimentos dele estavam consideravelmente mais lentos. Naruto então começa a carregar um pouco de sua energia em suas mãos e assim que termina a esfera que envolvia Hendrickson desaparece, e Naruto aponta suas mãos na direção de Hendrickson e diz.

- Adeus Hendrickson. Mega Tiro Carregado! – E lança uma grande esfera de energia azul na direção de Hendrickson, que tenta desviar, mas é em vão. Pois Naruto surgiu em seu caminho e lançou outra grande esfera de energia azul em Hendrickson, fazendo ambas se chocarem e causarem uma enorme explosão. Quando Naruto pousa ele desativa seus Devil Bringers e dá um sorriso na direção de todos e diz.

- Acabou. – E ninguém disse nada, apenas ficaram o encarando com cara de que ainda estavam processando o que acabaram de ver. Quando tem sua atenção voltada para o rei que apareceu ali junto da Merlin.

- Majestade! – Disse Houzer.

- Papai! Como está se sentindo? Está melhor agora? – Pergunta Elizabeth se aproximando do rei.

- Estou. – Respondeu o rei.

- Merlin, já terminou o tratamento do Bartra? – Pergunta Meliodas.

- Já. A nova técnica secreta do reino dos demônios que eu queria experimentar foi um sucesso. – Disse Merlin surpreendendo Meliodas e Elizabeth.

- Usou o rei como cobaia? Você é corajosa. – Disse Meliodas.

- Mas deu tudo certo no final, não é, majestade? – Disse Merlin. O rei simplesmente riu de forma nervosa.

- Majestade! – Disse Gilthunder. O rei então viu todos os Cavaleiros Sagrados ajoelhados (O Griamore apareceu nesse meio tempo).

- Por favor… Nós, Cavaleiros Sagrados, pedimos uma pena severa. – Disse Gilthunder.

- Nós nos desnorteamos… Ignoramos seus conselhos para evitar uma Santa Guerra e desprezamos o sofrimento do povo. – Disse Gilthunder.

- Não temos mais o direito de sermos Cavaleiros Sagrados. – Disse Gilthunder.

- Nos dê sua sentença mais severa. – Pede Gilthunder.

- Muito bem, eu vou dar a sentença. – Disse o rei.

- Todos vocês ficaram sem folga durante um longo tempo. – Disse o rei deixando os Cavaleiros Sagrados sem entender.

- Majestade! Mas então nossos pecados não… - Disse Houzer, mas é interrompido pelo rei que disse.

- Mesmo que eu os punisse severamente, os danos causados a quem sofreu não vão melhorar mais rápido! Agora, Cavaleiros Sagrados de Liones, se dediquem a reconstruir o reino e a ajudar o povo! – Disse o rei para todos os Cavaleiros Sagrados.

- Sim, majestade! – Disseram todos os Cavaleiros Sagrados. O rei então se virou para os Sete Pecados Capitais e disse.

- Meliodas… Você e os Pecados Capitais… Muito bem! – Disse o rei.

- Apesar de terem sido culpados, por terem protegido o reino e não terem deixado de proteger minha filha, eu sou grato a vocês, como rei e como pai. Obrigado. – Disse o rei.

- Não precisa dessa formalidade toda, Bartra! – Disse Meliodas.

- Fizemos o que qualquer um faria por um amigo. – Disse Diane.

- Elizabeth… Você ficou muito forte. Fez muito bem em procurar os Sete Pecados Capitais sozinha. Como seu pai, estou muito orgulhoso. – Disse o rei.

- Mas… Mas, por minha causa, o Hawk… E ele era meu amigo… - Disse Elizabeth em lágrimas.

- O Hawk não acha que é culpa sua. – Disse Meliodas. Ban então vai até o corpo do Hawk e disse.

- Mestre… Eu sei que disse coisas horríveis a você, que nós não eramos amigos… Aquilo não é coisa que se diga. Todos mundo de quem eu gosto acaba me deixando… - Disse Ban.

- Nossa! Quanto drama! – Disse Naruto chegando perto do corpo do Hawk e dando um golpe de karatê no mesmo o fazendo rachar e começar a evaporar, deixando todos surpresos e Ban com raiva.

- Ora seu… O que pensa que está fazendo? – Pergunta Ban avançando sobre ele.

- Eu só quebrei uma casca vazia, ele está aqui. – Disse Naruto deixando Ban sem entender, mas o mesmo viu uma espécie de bolotinha rosa na mão de Naruto e ninguém conseguiu acreditar no que era essa bolotinha rosa, era o Hawk bem pequenininho dormindo com uma bolha saindo do seu nariz, deixando Ban em lágrimas. Logo Hawk acorda e Meliodas pergunta.

- Você tá vivo Hawk? – Pergunta Meliodas.

- É. Pelo visto… - Disse Hawk antes de ser agarrado pelo Ban e ser jogado para o céu enquanto Ban diz.

- Mestre, você é demais! – Disse Ban todo feliz.

- Nossa, não acredito! – Disse Diane com lágrimas nos olhos.

- Ele ficou pequenininho! – Disse King. Logo Hawk faz um sinal de positivo com sua pata para o Meliodas.

- Sério, você é um porco muito louco! – Disse Meliodas retribuindo o gesto. Logo uma certa pessoa surge dizendo.

- Ellie… - Disse Verônica se aproximando.

- Verônica… Minha irmã! – Disse Elizabeth se aproximando.

- Como… Verônica, você… - Disse Elizabeth.

- Depois que os deixei em Vaizel, ela acordou. – Disse Griamore.

- E tudo graças a você, minha irmã. – Disse Verônica.

- Minha irmã… Estou muito feliz! – Disse Elizabeth abraçando Verônica com lágrimas nos olhos.

- Você é muito chorona, Ellie. – Disse Verônica.

- Por enquanto, caso encerrado, né? – Pergunta Hawk no ombro do Ban.

- É, acho que sim. – Disse Ban.

- Mas por que você ficou tão pequenininho, mestre? – Pergunta Ban.

- Eu sei lá. – Respondeu Hawk.

- É. Acabou. – Disse Meliodas.

 Um tempo depois, com Merlin e Meliodas.

- O caixão da escuridão eterna está perdido? – Pergunta Meliodas.

- É. Procurei por toda parte usando meus poderes mágicos, mas não tem nenhum vestígio. – Disse Merlin.

- Onde pode estar? – Se pergunta Meliodas.

- Para garantir, procurei na capital, mas o resultado foi o mesmo. Mas tem uma coisa. Logo depois que Hendrickson foi derrotado, houve relatos de uma criatura estranha parecida com um pássaro naquela área, voando em direção aos céu do sul. – Disse Merlin.

- Sul, é? – Se pergunta Meliodas.

- Bom, não fique triste, capitão. Falei para o Arthur que me ausentaria por um tempo. – Disse Merlin deixando Meliodas surpreso.

- Merlin, o pecado do javali, vai acompanhá-lo como um dos Sete Pecados Capitais. – Disse Merlin.

 Com King.

 King estava pensando sobre como poderia chamar a Diane para o festival. Quando ele escuta a mesma chamando, mas se surpreende ao vê-la com uma estatura humana.

- A Merlin disse para eu ficar menor enquanto eu não tiver roupa. Ela fez uma poção especial. – Diane enquanto King apenas a olhava sem falar nada.

- Essa roupa é estranha, King? - Pergunta Diane.

- Ou será que eu pequena estou estranha? – Pergunta Diane.

- Não, não! Não é nada disso! – Disse King.

- Pequena ou grande, você é você, Diane. Foi isso que eu pensei. – Disse King.

- Mas é claro que sou eu! Você é muito estranho, King! – Disse Diane.

- Eu sou estranho? – Pergunta King.

- Já sei! É uma ótima oportunidade. Chame alguém para ir ao festival com você! O capitão, por exemplo! – Disse King, mas por dentro ele disse.

- Ai, eu sou um idiota! A verdade é que eu quero ir com você! – Pensou King se lamentando pelo que disse.

- Está bem. Acho que vou chamar alguém! – Disse Diane.

- King, vamos juntos ao festival? – Pergunta Diane deixando King sem entender.

- Eu falei você e eu, King. Vamos? – Pergunta Diane.

 Com Jericho.

- Droga! Como imaginei, meus poderes mágicos sumiram. – Disse Jericho irritada.

- Mas, se tivessem me deixado como estava, eu seria um monstro. – Disse Jericho.

- Se o Ban não tivesse me salvado, eu seria… - Disse Jericho se lembrando de quando o Ban a salvou e ficando corada.

- Caramba! Graças a esse sujeito, eu estou muito confusa! – Disse Jericho em pânico.

- Ora, ora, você está muito bonita. – Disse Guila trajando um belo vestido.

- Guila? Que roupa de mulherzinha é essa? – Pergunta Jericho surpresa por ver Guila vestida de tal jeito.

- Bom, eu sou mulher. Você está bonita, Jericho. – Disse Guila.

- Você teve sorte. Não ficou doida, não perdeu seus poderes mágicos. – Disse Jericho desanimada.

- Na verdade, teve um motivo para isso. – Disse Guila, deixando Jericho esperançosa.

- O poder do amor. – Disse Guila corada, deixando Jericho sem entender nada.

- O meu amor por ele, foi o que me ajudou a enfrenta-lo. – Disse Guila ainda mais corada. Naruto então saiu de dentro da casa da Guila e disse.

- Olá Jericho, já faz um tempo. Como está se sentindo? – Pergunta Naruto para Jericho.

- Estou bem. Tirando que perdi os meus poderes mágicos. – Disse Jericho desanimada. Naruto então ativa seu Mangekyou Sharingan e pode ver uma pequena chama branca pálida no centro de seu peito.

- Na verdade, parece que você possui um poder ainda escondido dentro de você. Se quiser, um dia posso ajudá-la a desperta-lo. – Disse Naruto com um sorriso, deixando Jericho corada.

- Eu adoraria. – Disse Jericho corada.

- Enfim. Eu tenho algumas coisa pra resolver agora. Até a próxima. – Disse Naruto desaparecendo da vista delas.

 No Chapéu de Javali.

- Ban, essa comida é de outro mundo! – Disse Hawk.

- O que é isso? O que é isso? Não consigo parar! É um milagre! Deve ser uma fantasia! – Disse Hawk se esbaldando com seus restos.

- Se fosse descrever o gosto, diria que é o melhor dos restos caindo da boca de um deus! – Disse Hawk maravilhado.

- Ei, Ban, espero que não tenha custado caro. – Disse Meliodas.

- Não se preocupe. São restos fora da validade que ele adora. – Disse Ban. Então a porta é aberta e por ela entra Gilthunder que pergunta.

- Você realmente está gerenciando uma taverna? – Pergunta Gilthunder.

- Oi, Gil! Bem-vindo ao Chapéu do Javali. Sente onde quiser. – Disse Meliodas.

- Está bem. – Disse Gilthunder sentando em uma cadeira aleatória. Ele então olhou para o Hawk e disse.

- Olá. Eu queria falar uma coisa se voltasse a vê-lo. Sinto muito por aquele dia na Floresta dos Sonhos Brancos. – Disse Gilthunder.

- Floresta dos Sonhos Brancos? O que é isso? – Pergunta Hawk. Mas logo diz.

- Ninguém vai comer meus restos! – Disse Hawk voltando a comer. Meliodas então volta com uma garrafa de cerveja e duas canecas em uma bandeja.

- Tome! Uma cerveja de Vanya para você! – Disse Meliodas. Gilthunder então bebeu um pouco.

- Uma delícia, né? – Pergunta Meliodas.

- É muito boa. – Disse Gilthunder.

- Principalmente depois de um dia duro de trabalho. – Disse Meliodas bebendo mais um pouco.

- Meliodas… Eu vou deixar a capital. – Disse Gilthunder.

- Por quê? – Pergunta Meliodas.

- Mesmo que o objetivo tenha sido enganar o Hendrickson, eu machuquei muita gente. E não consigo me perdoar por isso. Então vou deixar a capital e visitar todas as regiões. Quero recompensar quem prejudiquei como puder. – Disse Gilthunder.

- Entendo. Tudo bem. Se decidiu por conta própria, não vou impedi-lo. Você é um homem feito agora. – Disse Meliodas. Algum tempo depois o festival começou. No Chapéu de Javali, todos que se encontravam ali dentro estavam bebendo e se divertindo.

 Alguns dias depois pela manhã.

 Elizabeth, suas irmãs e orei estavam tomando seu café da manhã, quando o rei chamou pela Elizabeth que parecia pensativa.

- Os Sete Pecados Capitais vão deixar o reino hoje. – Disse o rei surpreendendo Elizabeth.

- E vão aonde? – Pergunta Elizabeth.

- Vão para o país do rei Arthur, Camelot. – Disse o rei, Elizabeth então se levantou de sua cadeira.

- Aonde você vai? – Pergunta o rei.

- Mas foi de repente! Eu nem me despedi! - Disse Elizabeth.

- O adeus vai doer muito. – Disse o rei.

- Essa jornada vai ser ainda mais severa e difícil que a anterior. E, como ele sabe disso, Meliodas deixou de lado o sentimento e partiu sozinho. - Disse o rei quando eles sentem um grande tremor.

- O que é isso? – Pergunta o rei. Quando eles olham pela janela eles podem ver um porco verde gigante. Era a mamãe Hawk. Meliodas então surge em uma escada e diz.

- Eu esqueci uma coisa super importante. Os Sete Pecados Capitais ainda não estão todos aqui. – Disse Meliodas, enquanto o rei e as outras princesas estão surpresos e chocados com o surgimento do porco verde gigante.

- Você vem com a gente, não vem? – Pergunta Meliodas.

- Vou! – Disse Elizabeth se atirando pela janela nos braços de Meliodas, deixando o rei e as princesas apavorados.

- Elizabeth! – Disse Hawk pulando no ombro de Elizabeth.

- Precisamos de você, Elizabeth. Se forem só eles, vamos afrouxar! – Disse Hawk já em seu ombro.

- Desculpa termos demorado para vir buscá-la! – Disse Diane em sua estatura humana.

- Mas eu acho que estamos sequestrando a princesa. – Disse King.

- Diane, Sr. King, Sr. Gowther, fico feliz em viajar com vocês de novo! – Disse Elizabeth.

- Capitão, estou indo embora. Tenho que ir a um lugar. – Disse Ban.

- Você vai voltar, né? – Pergunta Meliodas.

- Vou. Para acertarmos as contas! – Disse Ban, logo pulando de cima da mamãe Hawk.

- Espere um minuto, Ban! – Disse King seguindo Ban.

- Nunca falta emoção, né? Esse pessoal. – Disse Merlin.

- Pensando bem, Merlin, eu tenho várias perguntas sobre aquele dia dez anos atrás. – Disse Meliodas.

- É uma história muito longa. – Disse Merlin.

- Tudo bem. Temos bastante tempo até chegar ao nosso destino. – Disse Meliodas.

- Nosso encontro foi coincidência ou inevitável? Encontraremos desespero ou esperança adiante? Minha nova jornada com Meliodas e os Sete Pecados Capitais começou. – Pensa Elizabeth.

 Com Gilthunder, Griamore e Houzer.

- Olhe só. – Disse Gilthunder mostrando um livro no quarto do Dreyfus, contendo uma imagem da mesma marca que o Meliodas tem na testa.

- Aconteceu a mesma coisa no rosto do Meliodas e no do Hendrickson. – Disse Gilthunder.

- Então… Mentira! – Disse Houzer.

- O que foi que o meu pai… - Disse Griamore.

- Eu acho, que vamos ter que rever tudo desde o começo. – Disse Gilthunder.

 Continua...


Notas Finais


E assim termina o primeiro Arco desta Fanfic. Por favor comentem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...