História Uma Paixão Imprevista. - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amizade, Leonardoxnaudson, Romance, Romance Entre Amigos, Uma Paixão Imprevista
Visualizações 52
Palavras 1.826
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


A Continuação Genti, Fiz um capítulo um pouco maior a pedido da minha fã número 1 : @girlofgold .

Boa leitura genti(≧◡≦) ♡

Capítulo 5 - ...5


Ele começa a se aproximar de mim e começou a levar uma das suas mãos para o meu rosto, eu observo cada detalhe do seu rosto "Ele é mesmo bonito" Penso, vejo ele dar um sorrisinho, mas no momento que ele ia selar nossos lábios eu viro o rosto e ele dá beijo na minha bochecha.

—T-tarado.— Falo vermelho de vergonha por estar naquela situação, empurro ele e tento agir normalmente.— Já está apaixonado por mim Senhor? —Falo dando um sorriso malicioso.

—E se eu falar que estou, o que irá fazer?— Ele fala se aproximando lentamente e eu o empurro de novo, esse garoto é persistente.

Vou para sala meio que correndo, literalmente, ele vem logo em seguida, tinha começado a chover e estava forte a chuva, eu nem tinha reparado, mas como o Naudson iria para casa de bicicleta assim?!

—Puts merda, está chovendo muito, como eu vou para casa assim? E já está de noite.— Ele tinha reparado na mesma coisa que eu e fala se sentando no sofá. Ele pega o celular dele e disca um número, colocando o celular na orelha.

—Oi mãe... está em casa?— Ele pergunta.—Ata, tá bom...sim, tô bem mãe.— Ele fica corado do nada e desliga o celular.

—O que foi? —Pergunto.

—N-Nada, eu vou indo já está tarde e já incomodei demais.—Ele fala se levantando e indo em direção da porta, Pego o braço dele fazendo o mesmo para.

—S-Se quiser d-dormir aqui pode...—Falo de cabeça baixa e super corado, eu não consigo olhar nos olhos dele.

—T-Tá.—Ele fala e eu o solto indo até o meu quarto e pegando um travesseiro e cobertor.

—Eu não tenho quarto de hóspede, então você terá que dormir no sofá.—Digo e entrego para ele.

—Eu poderia dormir no seu quarto...—Ele se aproxima de mim e eu começo a andar para trás lentamente até sentir bater na parede, "Ele está me testando, então vamos testar ele também.." Penso e dou um sorriso malicioso, ele para de se aproximar e acha estranho,eu aproveito e troco de posição com ele, fazendo ele ficar sendo "prensado" parede, levo a minha mão ao seu rosto e fico nas pontas dos pés para ficar na mesma altura, sinto ele passar as suas mãos em volta da minha cintura , vou aproximando nossos rosto e ele tbm está aproximando, mas quando íamos tocar os nossos lábios eu paro.

—Acha que vai ser fácil assim?—Pergunto e dou um sorriso malicioso, tirando a minha mão do seu rosto e as suas mãos da minha cintura, ele está sem reação e eu aproveito para ir para o meu quarto, hoje foi um dia agitado.

 

≪━─━─━─━─◈─━─━─━─━≫


Acordo no meio da madrugada e estou com sede, tenho que tomar água não quero morrer de desidratação, me levanto da cama e vou para cozinha, está tudo escuro e nem vou ligar a luz porquê pode acordar o Naudson e ele pode tentar me agarrar novamente. Abro a geladeira e pego uma garrafinha que é só minha, termino de tomar e volto para o meu quarto, mas no momento que passo na frente da porta do banheiro, a porta se abre e eu pura coragem dou um grito e bato com o guarda chuva que estava do meu lado, agora sim o Naudson vai acordar, mas é a mesma criança que sai e reclama de dor.

—Aiii, porquê isso???— Ele fala cobrindo o rosto e eu paro de bater o guarda chuva nele.

—É você...—Eu olho e volto a bater de novo.—Para de me dar susto cacete!—Falo alterando o meu tom de voz quase gritando.

—Aiii, calma, foi sem querer...—Ele fala pegando o guarda chuva e tirando ele de mim.—Acabo, pronto.

Cruzo os meus braços e vou para o meu quarto, mas ele vem atrás e me abraça por trás.

—Desculpa neném.—Ele fala próximo ao meu ouvido.

—N-Não me chame assim, nós não somos nada.—Falo corado.

—E se fossemos Namorados?—Ele Pergunta.

—Se fossemos você poderia, mas não somos, então...—Falo desfazendo o abraço.—Sai do meu quarto, vai, vai.—Falo expulsando ele do meu quarto.

—Tá, tá, tenha bons sonhos neném.—Ele fala se virando e me dando um selinho rápido e sai do meu quarto, eu fico sem reação e fico igual um pimentão, "I-idiota." Penso e volto para cama, fico pensando no Naudson e pego no sono.

     ──────⊱◈◈◈⊰──────

               Dia Seguinte

     ──────⊱◈◈◈⊰──────

Acordo e vou para banheiro e tomo um banho, faço minhas higienes também, saio do banheiro só de toalha, pois esqueci de pegar a roupa, vou na sala para ligar a televisão

—Bom dia neném.—Escuto a voz do Naudson vindo da cozinha,"Merda, tinha me esquecido que ele estava aqui!" Penso.

—B-Bom Dia.—Falo Andando de fininho tendo cuidado para ele não me ver, mas ele sai da cozinha e me vê desse jeito, vejo ele dar um sorriso malicioso e me comer com os olhos.

—Isso sim, é um ótimo dia, queria ver você assim mais vezes...—Ele fala.

Começo a ficar super corado e pego o travesseiro que estava no sofá usando ele para cobrir o meu corpo.

—P-Pare de me olhar...—Falo gaguejando.

Ele dá risada e volta para cozinha, eu volto para o meu quarto correndo.Depois de colocar uma roupa, eu vou para cozinha, o Naudson ainda estava lá, vejo que tinha café da manhã na mesa e parecia estar deliciosa.

—Você que fez tudo isso?—Pergunto para o Naudson que estava sentado comendo o café da manhã.

—Não sei cozinhar, então eu comprei pelo aplicativo de uma lanchonete.—Ele fala e eu me sento e começo a comer também, "Isso está muito delicioso!" Penso e dou um sorriso para ele.

Depois de terminarmos de comer, ele me ajudou a lavar os pratos e copos sujos, enquanto eu guardava algumas comidas que tinha sobrado e aquelas que nós não conseguimos comer.

—Obrigado, estava tudo delicioso.— Agradeço.

— Não foi nada, você deixou eu dormir aqui, então queria te agradecer de algum modo.—Ele fala retribuindo o sorriso.—Bom, eu já vou indo, nos vemos amanhã na escola?— Ele fala secando as mãos.

—Sim e amanhã é dia de entregar o trabalho, não podemos faltar.— Falo acompanhando ele até a porta, me despeço dele e abro a porta e o mesmo sai.


 ࿇ ══━━━━✥◈✥━━━━══ ࿇

              Naudson (A.C)

 ࿇ ══━━━━✥◈✥━━━━══ ࿇


Ao sair da casa do Leonardo pego a minha bicicleta e vou para minha casa. Abro a porta e minha mãe está assistindo o programa favorito dela.

—Oi mãe.—Falo indo guardar a bicicleta.

—Oi filho, dormiu aonde? —Ela Pergunta sem tirar os olhos da televisão.

—Na casa de um amigo.—Digo voltando para sala, tiro o tênis e guardo.

—O que ficaram fazendo?— Ela pergunta.

—Fizemos o trabalho, fomos no mercado e eu encontrei a Clara, a minha amiga de infância, lembra dela?—pergunto e vou na cozinha para beber água.

—Sim, era uma menina que era sua melhor amiga, na época você era super tímido e ela foi a sua primeira colega, mas depois ela tinha se mudado e você ficou triste porquê não teria mais ela para brincar com você.— Ela Responde sorrindo se lembrando do passado.

—E, eu e o meu amigo ficamos assistindo filmes, ele fez empadinhas deliciosas.—Falo sorrindo.

—Usaram preservativo?—Minha Mãe me pergunta olhando para mim com um sorriso malicioso.

—Quê?! Não mãe, nós não fizemos nada, somos só amigos e ele é hétero.—Falo indo para o meu quarto pego uma roupa e depois vou para o banheiro, faço as minhas higienes. Minutos depois, volto para sala e fico assistindo com a minha mãe.

O dia foi normal, fiquei jogando Free Fire, conversei com os garotos da escola e fiquei irritando a minha mãe, pois estava entediado.


   ≪━─━─━─━─◈─━─━─━─━≫


Já está de noite e estou morrendo de sono e estou com saudades do neném que não é meu, ainda, estou no meu quarto e fico pensando sobre o que houve ontem, ver ele seminu, praticamente, é uma das 7 maravilhas do mundo, lembro do selinho que consegui roubar dele, toco nós meus lábios e dou um sorriso bobo, ele é muito fofo quando está bravo, corado ou melhor, ele é fofo por inteiro. Depois de alguns minutos adormeço.


     ──────⊱◈◈◈⊰──────

                Dia Seguinte

     ──────⊱◈◈◈⊰──────


Acordo cedo, faço minhas higienes e tomo o café da manhã delicioso que minha mãe fez, dou tchau para ela e saio de casa, indo a caminho da escola, pego o celular do meu bolso.

—Bom Dia neném, não se esqueça de trazer o trabalho, viu?^^.— Mando uma mensagem para o Leonardo, Minutos depois, escuto o som de notificação e vejo que era a mensagem dele.

—Já disse para você parar de me chamar assim, nós não somos nada, só amigos, e eu já estou na escola com o trabalho.—Ele responde, dou risada enquanto leio a mensagem.

Chego na escola e vou para sala, vejo o Léo sentado na cadeira com a cabeça deitada em cima dos braços que estão em cima da mesa, ele estava dormindo, sento na frente dele e faço carinho na cabeça dele e ele parece gostar.

—Acorda Neném.—Falo baixo perto do ouvido dele,ele abre os olhos e se espreguiça, “Ele parece um neném mesmo.” observo ele se espreguiçando e dou um sorriso.

—O que foi?—Ele pergunta me olhando confuso.

—Nada não, a aula já vai começar.—Digo me virando para frente.

O professor começa a aula e já pergunta sobre os trabalhos, pois hoje era o dia de entregar, todos fizeram, nós tínhamos que ir na frente da sala e explicar sobre o que o professor tinha escolhido, a Amanda e o Giovanni estava explicando e depois era eu e o Léo, não vou mentir, eu estou nervoso, mas consigo esconder.

—Alguém não entendeu? —O professor pergunta para classe, mas ninguém levanta a mão.— Okay, agora é o trabalho de Anatomia que o Leonardo e o Naudson fizeram.—Ele fala e nós vai lá na frente e começa a explicar.

O Léo estava nervoso e no momento que o professor pergunta se alguém tinha alguma pergunta, a Beatriz levanta a mão e faz uma pergunta, o Leonardo começou a falar, mas começou a gaguejar.

—Calma..—Seguro a mão dele e Falo baixinho só para ele ouvir, ele parece se acalmar e para de gaguejar, parece que o nervosismo sumiu.

Depois de respondermos mais duas perguntas, voltamos para o nosso lugar e os outros alunos apresentaram os trabalhos deles.

—Léo...—Falo e ele para de prestar atenção na aula e olha para mim.—Então, quer sair comigo hoje mais tarde?

—Tipo um encontro?—Ele pergunta arqueando a sobrancelha.

—É-É.—Falo corado.

—Não..—Ele fala e virá o rosto, parece que ele também está corado também, eu fiquei triste e ele percebeu.—Se eu for com você, você não vai mais tentar me agarrar?—Pergunta.

—Tá bom.—Falo e volto a prestar atenção na aula, igual ele.


Notas Finais


Espero que tenha gostado^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...