1. Spirit Fanfics >
  2. Uma paixão secreta >
  3. Capítulo 24

História Uma paixão secreta - Capítulo 24


Escrita por:


Capítulo 24 - Capítulo 24


Diferente do dia anterior, naquele dia, eu cheguei muito feliz e meu pai já fazia ideia do que tinha acontecido.

- Pelo visto, vocês fizeram mesmo as pazes – Ele comentou enquanto preparava a mesma para jantarmos.

 

- O senhor estava certo, ela estava magoada comigo.

 

- Conseguiram resolver a situação de vocês?

 

- Sim, no entanto, temos que esconder o que sentimos pela outra– Respondi e comecei a me lembrar de Agatha, se ela soubesse que Charlotte estava comigo, talvez não iria correr tanto atrás de minha amada.

 

- Acho que é melhor assim, já que são chefe e subordinada, as pessoas podem pensar mal de vocês e pode sobrar para Charlotte, pois podem pensar que ela te ajuda na criação das matérias e é por isso que você está indo tão bem.

 

- Mas isso nunca aconteceu, pai – Falei um pouco alto, pois não era verdade. Charlotte nunca havia me ajudado com nada.

 

- Eu sei disso, filha, mas as pessoas são maldosas - Meu pai disse calmo – Vá banhar, pois o jantar está pronto.

 

Após conversar com meu pai, subi para meu quarto e me deparei com uma mensagem de Charlotte em meu celular.

“Estou com saudade de você.”

Neste momento, um sorriso largo surgiu em meu rosto. Também estava com saudade dela, mas o que me deixou mais boba naquele momento, foi que estava vivendo algo que antes achava que seria impossível, pois parecia que Charlotte nunca iria me dar bola.

 

- Resolvi ligar para você, pois no trabalho quase não posso falar contigo – Disse após ligar para ela.

 

- Tudo bem, Margareth, sei o quanto é complicado fingirmos que não sentimos nada pela outra, mas acho que é melhor assim – Deu uma pausa -  Ainda bem que você me ligou, eu quero te fazer um convite – A voz de Charlotte saiu com um misto de ansiedade.

 

- Convite? – Fiquei um pouco surpresa.

 

- Sim, talvez esteja um pouco cedo. Eu não sei... – Ao notar que Charlotte estava um pouco envergonhada, eu comecei a sorrir, pois isso era algo muito novo para mim – Mas eu queria convidar você e seu pai para um jantar aqui em casa. Irei convidar meus pais e minha irmã.

 

Quando ouvi que ela iria convidar seus pais, eu fiquei com um friozinho na barriga, pois tinha medo deles não gostarem de mim, já que éramos de mundos totalmente diferentes.

 

- Eu aceito, mas tenho medo – Confessei, pois não queria esconder mais nada dela.

 

- Do que você tem medo, Margareth?

 

- De seus pais não gostarem de mim – Comentei e ela gargalhou do outro lado da linha – O que foi?

 

- Nada, pois acho que é mais provável o seu pai não gostar de mim. Desde a morte de Cecília que meus pais insistem para eu me relacionar com outra pessoa. Eles vão gostar de você, pode ter certeza disso.

 

Após essa fala de Charlotte, eu me senti mais aliviada, pois se eles não gostassem de mim, com certeza seria ainda mais complicado ficar com minha chefe.

Durante a ligação, Charlotte e eu conversamos sobre muitas coisas. Sobre comidas, músicas, gostos e o que notei é que minha amada era uma mulher muito diferente do que imaginavam na empresa.

Mesmo muito séria, ela gostava de festas, ir a barzinhos, só que diferente de mim, ela tentava ser sempre muito discreta.

Charlotte era uma mulher que não gostava muito de falar sobre sua vida para todo mundo. Não tinha redes sócias, evitava ao máximo se expor, talvez esse também seja um dos motivos para ela não querer que ninguém da empresa saiba sobre nós.

Depois de quase uma hora de conversa, eu encerrei a ligação e fui banhar.

Quando cheguei à sala, meu pai me deu uma bronca por ter demorado tanto, mas após explicar o motivo, seu Gregório ficou entusiasmado, pois se Charlotte estava nos convidando para um jantar em família, isso queria dizer que ela queria algo sério comigo.

 

- Ela vai te pedir em namoro. Tenho certeza disso, filha – Meu pai parecia mais alegre do que eu.

 

- Pai, é melhor o senhor não se empolgar tanto. Não sabemos as intenções dela – Não estava conseguindo parar de rir de meu pai.

 

- Mas eu suspeito quais sejam, filha – Ele piscou para mim e sorri.

 

Após essa conversa, nós jantamos em um clima bem agradável. No outro dia, no mesmo horário de sempre, eu cheguei no trabalho e como no dia anterior, os meus amigos estavam muito estranhos. Parecia que a Priscila estava fugindo de mim.

 

- Acho que está na hora de vocês me conterem o que está acontecendo – Falei após me encontrar com Arnold e Priscila. Eles estavam almoçando no restaurante que costumávamos fazer as nossas refeições.

 

- Acho que vocês precisam conversar – Arnold se levantou e Priscila parecia estar com medo de mim – É melhor assim, Pri, de qualquer forma ela vai ficar sabendo.

 

Quando ouvi aquela fala de Arnold, eu fiquei ainda mais confusa. O que será que eles estavam escondendo de mim?

 

- Você poderia me dizer o porquê de você estar me evitando desde ontem, Pri? – perguntei ao me sentar à mesa.

 

Priscila começou a olhar para os lados. Acho que se pudesse, ele fugiria daquele lugar.

-          Pri, somos amigas, não precisa ficar dessa forma.

 

-Eu sei que somos amigas e é por isso que estou assim – Abaixou o seu campo de visão – Eu cometi um erro na festa que fui com o Arnold.

 

- Que tipo de erro? – Comecei a ficar preocupada – O que vocês dois fizeram nessa festa? – Para os dois estarem estranhos. Só podiam ter aprontado juntos.

 

-Arnold não fez nada, Margareth, eu que fiz algo... Na verdade ainda estou fazendo.

 

- Eu não estou entendendo nada, Pri – Se ela não tinha aprontado nada com o Arnold, por que estava tão preocupada?

 

- Eu estou ficando com a Mel – Disse toda envergonhada e eu comecei a rir – Não vai me xingar?

 

- Pri, claro que não – Segurei uma das suas mãos – Depois que agi errado com a Mel, eu só desejo que ela volte a ser feliz com outra pessoa. Fico contente por saber que essa outra pessoa será você.

 

- Eu disse que ela não iria ligar – Arnold comentou e nós duas olhamos para ele – Eu estava no banheiro. Mesmo sabendo que você estava em outra, eu fiquei com medo de você acabar batendo na Priscila.

 

- Como assim você está em outra? – Priscila ficou confusa, pois ela não sabia que eu estava ficando com a Charlotte.

 

- Não é nada, amiga – Mesmo que querendo dizer a verdade para ela, eu não podia fazer isso, pois Priscila não sabia guardar segredos e Charlotte não queria que eu contasse para mais ninguém da empresa.

 

Quando terminamos de almoçar, voltamos para o World. Logo na entrada, eu me encontrei com Charlotte, ela estava muito linda naquele dia.

Sorri feito uma boba quando a vi e acho que Priscila acabou notando que diferente das outras vezes, a nossa chefe sorriu discretamente para mim.

 


Notas Finais


Olá,
O que acharam do capítulo?
Espero que tenham gostado.
Beijinhos^^
Van^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...