História Uma patricinha em minha vida 2 (SEGUNDA TEMPORADA) - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Fifth Harmony
Tags Camren, Lesbicas, Natiese, Ponto Ação
Visualizações 356
Palavras 1.513
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 14 - Capítulo 14


     

Todo mundo pegou os seus pertences e começaram a caminhar por um trieiro, que já estava até falhando por conta do tanto de mato. No final dele, tinha uma cachoeira enorme e muito bonita. E foi pensando nisso, que Natalie resolveu levar a sua máquina fotográfica para tirar umas fotos ao lado dos amigos e também da namorada, a Priscilla.

            Enquanto estava andando, Laura virou para trás e viu a Kelly conversando novamente com o motorista, que agora estava apenas de calção na cor azul-marinho e mostrando o seu tanquinho sob a luz do sol. Nisso, Betão observou que a Laura estava calada e séria.

            — O que foi, meu amor?

            — Nada. Só quero chegar logo.

            Ele deu um sorriso, pegando a cintura dela de lado e dando um beijinho em sua boca. Além da Laura ter percebido a proximidade de Kelly e Edgar, Ygor também notou isso, mas deu mais atenção ao abdômen definido do rapaz.

            — Nossa... — disse Ygor, abanando-se — Que calor está fazendo aqui!

A cachoeira não ficava muito perto da casa de campo, por isso eles demoraram a chegar. No entanto, quando chegaram, não teve nenhum que não ficou impressionado com tamanha beleza, porque até mesmo as irmãs Smith não se lembravam mais o quanto aquele lugar era extremamente maravilhoso.

            Depois disso, as meninas tiraram as suas roupas, passaram protetor solar pelo corpo e ficaram apenas de biquínis. Já Priscilla ficou apenas com um maiô preto, que segundo a Natalie seria a melhor opção para ela. E os garotos ficaram de sungas, menos o Edgar que quis ficar com o calção, porque não queria ser desrespeitoso com ninguém ali.

            Natalie, então, começou a tirar algumas fotos dos seus amigos, e Ygor a ajudou também a tirar. Ao acabar as fotos, Laura foi a primeira a mergulhar, e, em seguida, foi a vez de Betão.

            — Venham, galera! A água está uma delícia! — comentou Laura.

            Nisso, Edgar também resolveu mergulhar, deixando Kelly quase hipnotizada quando ele apareceu na água tocando os seus cabelos pretos cacheados de forma bem sensual dentro da água.

            Ygor aproximou-se dela e disse:

            — Menina, se eu não fosse casado, não ia perder tempo.

            — Ele é muito lindo, né, Ygor? Mas é claro que ele não se interessaria por uma garota como eu.

            — E por quê, não? Você é linda, já te disse isso.

            — Ele é bem mais velho, por isso não sei se iria dar certo.

            — Menina, eu conheço muitas garotas que namoram homens mais velhos. E elas dizem que é muito melhor, porque eles são bem experientes, se é que me entende.

            Kelly deu um sorriso e disse:

            — Você não presta, Ygor.

            — Mas é verdade.

            — Ei, Ygor e Kelly... Venham! Vocês estão perdendo. — disse Edgar a eles.

            — Já estamos indo, lindo. — comentou Ygor, fazendo Kelly sorrir mais.

            Laura observou a cena e ficou olhando para a Kelly pegando a mão de Edgar, que estava a ajudando entrar na água. Betão nem reparou nisso, apenas agarrou a cintura da namorada e a beijou, e a mesma envolveu os seus braços no pescoço dele.

            Kelly até virou o rosto para não ver aquele beijo. Porém, Laura queria provocar ainda mais a garota, e, após o beijo no seu namorado, deslizou a sua mão até o volume da sunga, deixando Betão louco de tesão, e declarou no ouvido dele:

            — Hoje à noite, você não me escapa.

            Betão deu uma gemidinha e tirou a mão dela do lugar.

            — Laura, eu acabei de me lembrar de uma coisa...

            Antes que ele pudesse falar mais alguma coisa, todos viraram-se para uma cena, que estava acontecendo na água. Kelly agarrou Edgar e deu um beijão nele de tirar o fôlego de qualquer um. No entanto, o motorista parou o beijo e a repreendeu:

            — Você não deveria ter feito isso, Kelly.

            — Edgar.... Me desculpa. — pediu ela, mas ele nem virou para trás.

            Ele acabou saindo todo irritado da cachoeira e entrou no trieiro para voltar até a casa de campo. Laura deu um sorriso de canto para a garota, e Ygor se aproximou da Kelly.

            — Menina, que beijo foi aquele? Quase tive um infarto aqui.

            — Eu não... Eu não sei o que me deu. Agora ele vai ficar com raiva de mim.

            — Vai nada. Ele só deve ter se irritado porque você o beijou na frente de todo mundo.

            — Será?

            — Claro. É só você conversar com ele depois, e tudo vai ficar bem.

            Natalie nem tinha visto a cena do beijo, porque estava do outro lado, onde tinha uma parte mais rasa e que seria o lugar em que ela ensinaria a sua namorada a nadar. Porém, a patricinha tinha visto o Edgar indo embora com uma cara não muito boa.

            — Que estranho... O Edgar foi embora. — disse Natalie.

            — Vai ver alguém fez alguma brincadeira que ele não gostou... — comentou Priscilla.

            — Será? Depois vou ver isso... Agora vamos manter o foco aqui para você aprender a nadar.

            — Eu estou me sentindo uma estranha, sabia?

            — Por quê?

            — Todo mundo sabe nadar, menos eu.

            — É normal, Priscilla. Todo mundo tem a sua primeira vez para tudo. E não tem data para acontecer, porque as coisas simplesmente acontecem.

            Após esse comentário, Priscilla sorriu e observou os movimentos que a Natalie fez com o braço para exemplificar como seria uma braçada simples.

            — Agora tenta fazer, amor.

            Priscilla assentiu e fez os movimentos. No começo, sentiu um pouco de dificuldade, mas Natalie tirou todas as suas dúvidas. Após isso, tinha chegado a hora de praticar. Assim, Priscilla acompanhou a namorada até a água. Em seguida, a patricinha pediu:

            — Amor, eu quero que você se deite nas minhas mãos para que eu possa te ensinar a bater os braços e as pernas. Tudo bem?

            — Mas não me solta, por favor.

            Natalie sorriu.

            — Não vou soltar, amor. Confia em mim.

            — Tá bom.

            Priscilla deitou-se na água, e Natalie colocou as suas mãos por baixo para mantê-la boiando.

            — Agora, Priscilla... Tente relaxar para deixar o seu corpo leve, bata os pés e as mãos.

            Priscilla começou a fazer os movimentos e ficou com medo.

            — Natalie, eu não vou conseguir.

            — Vai sim, meu amor. Tenha foco!

            Priscilla começou a cair, mas se segurou em Natalie.

            — Calma, meu amor... Vamos tentar de novo? — indagou a patricinha.

Priscilla concordou e tentou novamente. Nisso, ela foi relaxando mais e conseguindo fazer os movimentos, que tanto a namorada pedia.

            — Isso, amor... Continua.  — disse Natalie.

            Enquanto isso, na cachoeira, Kelly aproveitou que todo mundo estava distraído e saiu de fininho da água. Calçou a sua chinelinha, pegou as suas roupas e saiu do lugar continuando a não fazer barulho.

            Minutos depois, Laura saiu de perto do Betão e percebeu que a Kelly não estava mais presente na cachoeira e isso a preocupou um pouco. Assim, resolveu aproximar-se de Ygor e perguntar o que houve.

            — Ygor, onde está a Kelly?

            Ygor olhou ao redor e disse:

            — Menina, ela estava aqui agorinha... Não sei, Laura.

            — Nossa...

            — O que foi?

            — É a primeira vez que ela vem aqui... Então ela pode se perder porque o caminho está praticamente tomado pelo mato.

            — Entendi... Se eu tivesse visto ela saindo da água, eu juro que tinha impedido.

            — Tranquilo, Ygor. Não é culpa sua. Eu só não entendo porque ela quis ir embora sem todo mundo.

            — Eu acho que ela foi se desculpar com o Edgar. Ele saiu daqui muito irritado com a atitude dela.

            — Você acha, é?

            — Sim...

            Laura ficou sem graça, e ele perguntou:

            — Não que seja da minha conta, mas está rolando algo entre vocês duas?

            — Eu não sei direito, Ygor.... Mas vou atrás dela. — começou a sair de perto dele — Se o Betão perguntar de mim, diga que fui procurar por ela. E tente distraí-lo enquanto isso.  

            — Como assim distraí-lo, Laura?

            — Dá um jeito, Ygor.

            Betão não viu a Laura em lugar nenhum e nadou até o Ygor, que estava muito nervoso em ter que falar com o rapaz.

            — Ygor, cadê a minha namorada?

            — Ela foi caçar a Kelly, porque ela não conhece o caminho direito.

            — Então vou atrás para ajudar.

            — Não precisa... Logo elas estão aí. Agora vamos ver se a Natalie conseguiu ensinar a Priscilla a nadar?

            — Eu acho que elas não querem ninguém lá agora.

            — Que nada. Vamos lá ver.

            — Tá bom. Se você diz, nós vamos...

            Enquanto isso, Kelly tentava voltar para a casa de campo e encontrar-se com o Edgar. Ela queria muito conversar com o Edgar e se desculpar mais uma vez pelo ocorrido.

            — Ai, meu Deus! Eu devia ter trazido um repelente. — disse ela com alguns mosquitos tentando incomodá-la. — Saiam de mim, seus monstros! — pediu ela, tentando sair dos mosquitos.

Tudo estava indo bem, até ela começar a desconhecer o caminho, e isso a fez entrar em pânico. Será que estava perdida?

            — Se eu não me engano, não passei por aqui... — olhou tudo ao redor — E não! Eu não passei por aqui! Droga! Eu estou perdida!

            Ela tentou andar mais um pouco, e algo se mexeu entre as árvores, deixando-a tremendo de medo. E não tinha nada para se defender naquele momento. Até o seu celular tinha ficado na casa de campo.

            — Quem está aí?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...