1. Spirit Fanfics >
  2. Uma pequena mentira >
  3. Noite de reconciliação (Kiane)

História Uma pequena mentira - Capítulo 16


Escrita por:


Notas do Autor


Demorei? Demorei.
Tenho meu motivo? Talvez, mas não chamaria de motivo chamaria de lerdeza!

O capítulo de hoje não terá somente insinuação de sexo, com o próprio presente. Que você não gosta muito disso recomendo que não leia o final.

Bom capítulo!

Capítulo 16 - Noite de reconciliação (Kiane)


Ele olhou para a porta mais uma vez, sentiu que deveria dar a meia volta e ignora essa vontade de revela novamente. Mais sem dúvida alguma, essa seria a coisa que mais se arrependeria um dia. 

Harlequin, sorriu triste só em pensa nisso. 

Suspirou mais fundo, e então apertou a campainha numa velocidade muito rápida, e depois se afastou. Não saber que tipo de reação a Diane fará quando vê-lo, talvez, é o que mais o assusta. E reprimindo a intensa vontade de fugir, sorriu. 

Meio forçado, mas para ele ainda era um sorriso.

- Quem é você e o que está fazendo na casa da louca? - ouvir a voz de alguém ao seu lado, e quando virou, encarou o vizinho da Diane. - Por acaso é idiota? 

- O que? - perguntou-se estranhando a atitude desse vizinho.

- Ah, então é só mais um inocente. - riu com a cara de confusão do Harlequin - Escuta acho melhor você ir embora, aquela maluca não gosta de ninguém no dia de hoje! 

Ainda sem entender, olhou mais atento a o homem que falava com ele. E viu em suas mãos uma garrafa de bebida, então era isso. Ele estava completamente bebado.

- Acho melhor você ir para dentro. - pediu Harlequin com certa autoridade - Você não está bem... - tentou chegar perto dele para pegar a garrafa de bebida. 

- Não, não, não! - tirou ela do seu alcance dele - Isso aqui é MEU! - disse falando bem alto a palavra meu. 

Por algum motivo, esse idiota lembrava o Ban quando bebia. Lembrou um pouco das confusões que acontecia por causa dele, a última foi quando perderam a Elaine e ficaram procurando ela o dia inteiro, para no final descobrirem que ela estava dormindo do quarto de hóspedes do Meliodas.

E sem perseper riu com a lembrança, foram bons os momentos que duraram.

- O resto é seu.

Quando ouviu isso, o homem que antes bebia cause toda a garrafa derramou toda a bebida em sua cabeça. Ele riu, enquanto Harlequin apenas mantinha o rosto abaixado sem fazer um piu.

O motivo do Harle está imóvel, foi a lembrança de quando sofria bullyng, um sorriso surgiu em seus lábios. Quando dizia seu capitão quando o ensinou a luta: Pare de ficar parado e meter logo o soco nesse desgraçado.

Foi o que fez logo em seguida. 

Um soco já foi o bastante para derrubá-lo com toda força, logo ele pegou pelo sua camisa e levou seu rosto para perto do seu. O sorriso ainda estava lá, ainda com a cara muito amigável. 

- Escuta bem aqui.... vai embora. - foi o que disse da maneira mais sombria possível.

- King...? 

O soltado no chão, a voz que tanto buscou entrou em seus ouvidos. Mais uma vez, como na primeira vez que a viu, um frio enorme correu pela sua espinha. 

Com muita calma e lentidão virou-se para ela. Viu os olhos da Diane brilharem, um bom sinal. Então veio o sorriso e logo uma gargalhada pelo seu estado. O medo de revela foi embora depois disso.

- Olá Diane... 

                   

                      ♤ 🌔 ♤


Dentro do cômodo do apartamento da Diane, um nervosismo que tever estava mais forte. Parecia que tinha voltado a sua timidez, uma coisa que nunca quiser que volta-se nunca mais. 

- Toma uma toalha. - Diane chegar do banheiro entregando a King uma toalha para se secar - Tem certeza que não quer tomar banho?

- Não é preciso. Só sujou a roupa de cima. - disse limpando somente seu cabelo - E não é a primeira vez que acontece. Você saber bem disso. - sorriu para ela que lhe retribui de igual.

Diane pediu para que ele senta-se no sofá e assim o fez, antes que eles começassem sua "longa conversar" ela foi até a cozinha pegar algo para beber. E quando ela saiu deu uma breve olhada ao seu redor, tudo uma completa bagunça. Bem a cara da Diane. Ela nunca foi agonizada.

Diane que está na porta de geladeira, não teve muita coragem para olhar para trás, foram muitos anos. Não sabia quanto, mas o bastante para saber que eles mudaram muito. 

Será que eles poderiam voltar ao ponto onde pararam?

King olhava agora para a foto encima de uma mesinha perto do sofá, não estava em uma moldura, estava jogada em cima da mesinha. Era ele e a Diane na praia.

O terceiro encontro do casal.

Onde no final ambos acabaram queimando sua bele e ficando de cama por um mês inteiro.

- Aqui está! - Diane chegar com dois copos de refrigerante - Desculpe se demorei. - pediu como o melhor do seu sorriso.

- Obrigado, você não demorou. - sorriu de volta e voltou a olhar a foto. E Diane nota isso.

- Faz muito tempo isso... - começou se aproxima mais dele - Lembra? Do final dessa história? 

- Nossa pele toda queimada? - perguntou brincalhão com isso.

- Não seu idiota! - emburou ele com seu ombro - Nosso primeiro beijo. - sorriu abertamente com aquela lembrança e quando King corou violentamente com isso. Para Diane era ótimo, mas para ele era algo constrangedor por ser muito pessoal de mais.

- Foram boas lembranças... - devolveu a foto a mesa -..... Diane eu... - pensou em começa a falar, mas as falas simplesmente sumiram.

- Eu sei. - vendo que a voz dele se foi, Diane toma as rédeas - Eu nunca de odiei King... você estava passando por uma situação difícil eu também estava. - virou seu rosto de frente para a TV - Mais isso já passou.

Entendemos a onde essa conversa iria chegar, ele ficar em silêncio.

- A culpa foi nossa não estávamos prontos. - não era isso que queria dizer - Então que tal começamos de novo? Amigos? - estendeu a sua mão.

Não! Não é isso que eu quero!! Pensou Diane repreendendo a si mesma em sua mente. King não disse nada, mais ele tinha em mente o que queria.

- Não. - essa foi sua resposta -  Eu não quero ser seu amigo Diane! - tirou a mão dela de sua frente a encarado - Eu sei que faz cause 10 anos! E que muitas coisas mudaram, mas eu nunca sentir que tínhamos terminado. - afastou um pouco dela ao nota está muito perto - E mesmo se tivéssemos.... eu ainda te amo Diane. 

As últimas palavras de King fizeram Diane sorrir e soltar uma lágrima no processo. E quando notou que ele se afastava mais que deveria, não aguentou e o pegou pela gola de sua camisa e mandou um enorme beijo.

Meio que de repente King não sabia como reagir a isso. Retribuía ou a afastava?

- Se me ama.... - falou entre o beijo - Não me deixe ir.. - pediu se separando dele -.... nunca mais!

As lágrimas da Diane correu por todo o seu rosto assustado o King. Por puro impulso ele a abraçou com toda a sua força, mas logo ele cair no sofá com a Diane em cima dele que olhava para ele e aos poucos as lágrimas iam parando.

- Nunca vou ter deixar ir.... - King levou sua até o rosto dela e limpou a última lágrima que caiu - Eu prometo. - agora chegou a sua vez de sorrir.

Essa foi a resposta que a Diane precisava.

                          ○ 🌔 ○


De um lugar meio distante estava Meliodas e Elaine, no alto de um prédio.

- Não faça nenhuma idiotice Meliodas. - pediu Elaine com certa urgência e até preocupação - Elizabeth é uma menina incrível! Não destrua como você fez com a-

- Não diga o nome dela por favor! - gritou com ela a afastando - Foi só um beijo e.... eu preciso me afasta... por um tempo.

- Por que? - perguntou sendo a única que já sabia a possível razão.

- Eu não posso ter mais uma promessa a carregar nas costas.... - olhou para as suas mãos - E eu quero tocá-la... mas não posso.

O sentimento de querer e não pode é muito doloroso.

               

                        ■ 🌹 ■


O beijo de King e Diane se especificava ao poucos, a falta de ar nem parecia existir.

- Devemos.... - King tentou fórmula uma frase o que foi em vão -.... Diane... - finalmente o ar fez falta - Não acha quer... - suas palavras morreu quando a viu tira a sua camisa mostrando seu sutiã.

-.... - pensou em dizer algo, mas só o silêncio restou - .... ainda tem muita roupa. - reclamou Diane mas logo sorriu quando King já tratou de tira seu terno.

Voltando ao beijo calmo, King tirava sua roupa sem quebra o contado. Muito calor, e aperto enorme na parte de baixo.

Já com nada por cima, Diane desligou sua mão por entre seu abdômen. Não era tão definido, mas era o bastante para atraí-la. E quando chegou na parte de baixo sentiu o enorme volume de sua calça. E riu.

- Hahahaha! - separou o beijo começando a abrir o sinto.

-... que foi? - meio grogue com a falta de ar, ele perseper que a Diane só sorria.

- Você.... - terminando de abrir o sinto e tirando a calça revelando a cueca com um volume a mais - Continua a se excitar fácil... - pois um único dedo em cima e ele geme - Vou aliviar isso para você...

- Espera...! - tentou dizer algo mais já era tarde com um simples beijo em seu amigo já acaba - Ugh...!

Diane já tirou o membro de King todo da cueca, e com leves beijos iniciou o processo.

King gemeu um pouco, tever certeza que estava acabando quando sentiu o seu membros dentro da boca dela sentiu alívio e uma boa sensação.

Diane chupava e lambia com verocidade, mais em menos de poucos minutos King já havia gozado em sua boca. 

- Hã? - se surpreendeu com a reação rápida do King e quando o olhou para ele viu seu rosto todo vermelho.

- É que... desde que terminamos.... - virou seu rosto e cobriu seus olhos com seus braços - Eu não fiquei com mais ninguém! - falou tudo o mais rápido que podia.

- Hahahaha! - começou a rir subindo em cima dele colando seus rostos a centímetros - Diferente de mim... - provocou o King que quando ouve isso ele troca de posição ficando por cima - Que foi? Não tínhamos terminado? - perguntou travessa, quando King ficava com raiva era ainda melhor.

- Sim.... tínhamos.... - beijou seu pescoço quando dizia as palavras e foi descendo para a parte de baixo da Diane - Mas eu não gostei...

- Hum! - gemeu a sentir o primeiro dígito em sua entrada - Harle.... ah! - gritou de leve sentindo ele começa os movimentos de vai e vem com os dedos - Ah..! 

King enquanto procurava os pontos, que mais sensíveis sua outra mão tirava seu sutiã. Ele era ágio com as mãos e sábias cause tudo com elas, enquanto ouvia Diane dizer seu nome bem baixinho, ele sorria.  Estava se divertindo.

- Harle... por favor.... - pediu Diane já não aguentando.

- Por favor o que Diane? - quando falou isso podou já mais dois dedos ficando com todos os três se mexendo - Me diga vai... - sussurrou baixinho no pé do seu ouvido.

- Ah! Aaah! Eu... - tentou fórmula uma frase mais não conseguia, os dedos do King eram muitos ages e sabia muito bem onde atingi o ponto certo.

- Vamos Diane... - inseriu mais um - O que você quer...? - seu rosto não desgrudou do dela ainda estava fazendo carinho e beijando seu rosto com todo carinho do mundo, enquanto suas mãos só a torturavam por baixo.

Diane não sendo idiota, aproveitou essa situação. Beijou o King com tudo. O beijo foi feroz e cheio de desejo, por um minuto King parou os movimentos para dar atenção ao beijo.

- Enfia esse seu pau em mim e me satisfaça! - o tom de voz que Diane usou assim que quebrou o beijo foi autoritário. Como uma ordem.

- Assim não! - King não gostou do tom de voz e tirou os dedos dela já todos molhando com o gozo da Diane - Tem que ser com jeitinho... - se posicionou na frente da entrada da Diane - Vamos lá... com jeitinho... - pegou o seu membros e ficou brincando se entra ou não entra.

- Harlequin... ah... - gemeu se contorcendo de vontade. Maldito! Gritou em sua mente, teria que fazer aquilo... o mais divertido - King.... Kingizinho.... 

- Hum? - ouviu o chamado dela e olhou em seus olhos.

- O daddy vai me deixar com vontade...? Eu tô querendo muito! Por favor, daddy! - pediu da voz mais fofa que tinha. 

A mente do King morreu depois dessa.

Enfiando tudo de uma vez sem o menor cuidado, com maior "cuidado" que tinha.

- AH! - gritou Diane por conta da força que o King usou - King...! Aah! - o som alto de sua voz foi ouvida.

Em cima do sofá ele se mexia, com força se mexia com tudo. O sofá, começava a ser mexer também com os movimentos fortes do casal. 

King envestia com força, cada envestia era uma forma de dizer o quanto estava com saudades daquele corpo. Era tão bom dela novamente, gritando seu nome, e implorando por mais. 

- Mais.... ah! Ah! Mais rápido! Ah! - gritou com a boca ainda aberta. 

Saudade de voz... King pensou indo com mais velocidade. 

- Eu... ah.. ! - King tentou fórmula uma frase mais não deu certo - Eu... ah!

Os dois chegaram ao apcie juntos, e para finalizar Diane o beijar com tudo.

- Eu também te amo! - sorriu com essa novidade e se alegrou - Segunda round? 

- Segundo round!

                        


Continua....?


Notas Finais


Meu primeiro hentai.... E EU TÔ MORRENDO DE VERGONHA!!!!! NINGUÉM DIZ NADA!!!!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...