História Uma promessa - Jackson Wang - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Big Bang, Black Pink, Got7, UNIQ
Personagens BamBam, Bobby, Jackson, J-hope, Jimin, Lisa, Mark, Rosé, Zhou Yi Xuan
Tags Drama, Jackson Wang, Romance
Visualizações 55
Palavras 2.300
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Me beija


Fanfic / Fanfiction Uma promessa - Jackson Wang - Capítulo 3 - Me beija



Ela está linda, minha Yuga está linda. Quatro anos que venho esperando pelo o nosso reencontro e quando chego,ela está nos braços de outro. Seu pai me contou, que Yuga vive lembrando de mim. Ele me disse que ela guardou tudo que comprei de presente. Mas vê-la daquela forma me doeu. Ela está namorando. Pare de pensar em Yuga Jack. 

  —  Jack! —  olhei a mulher de cabelos escuros, que chorava sorrio. Fazendo-a correr até mim. — Meu filho! Que saudades. — segurou as maçãs de meu rosto,beijando-as. — Você está mais magro! Se alimentou bem? — perguntou  me fazendo rir.

  — Mu qīn! Me alimentei bem!  — me olhou desconfiada. 

    — Ok! Vá tomar um banho e troque de roupas. Depois desça para almoçar! Xia fez carbonara.   —  exclamou me fazendo sorrir.

  — Eu tenho que vê-la!  — digo animado. Fazendo minha mu qīn revirar seus olhos.

  — Vá! Primeiro tomar um banho!  

Concordei e subi as escadas entrando em meu antigo quarto, suspirei ao lembrar que eu trazia Yuga escondido para cá, quando ela quebrava um copo ou algo do tipo. Ela só chorava, minha Yuga sempre foi chorona e eu gosto desse lado dela. 

  — Estou de volta! — exclamo respirando fundo, jogo à pequena mala na cama retirando dela uma bermuda e uma camisa. 

Escuto alguns barulhos vindo do lado de fora, vou até à janela vendo o carinha que estava alguns minutos atrás com Yuga, regando algumas flores, e algumas crianças correndo na rua. Suspirei aliviado que minha garota não estava com ele.

                              **

Depois de um banho relaxante desço. Ao colocar meus pés na sala, vejo meu pai fumando um dos seus charutos e dois homens de terno. Sentados em sua frente. Com esse calor que está em Hong Kong eles iram ser fritados.

  — Ah! Filho vem aqui preciso te apresentar para o embaixador Chen!   — sorriu fazendo-me olhar desconfiado. Caminhei até meu fù qīn fazendo-o se levantar e segurar em um de meus ombros. — Embaixador Chen! Esse aqui é meu filho Jackson. Um futuro negociador! — suas últimas palavras foram com um orgulho e com uma grande certeza.

  — Olá! Embaixador Chen!  — faço uma referência  ao senhor em minha frente.

  — Oh! Ele  realmente será um bom negociador.   —  disse sorrindo. 

  — Obrigado!  —  digo sorrindo fraco.   — Com licença preciso ir!  — tento me retirar mas o senhor me chama.

    — Fique! Beba conosco!  —  exclamou o embaixador me fazendo, negar.

   — Eu não sou muito de beber!   — digo fazendo meu fù qīn olhar-me em reprovação.

  — Um Wang! Certinho! — disse o senhor em minha frente fazendo-me sentar no sofá em sua frente. — Você tem muito que aprender, caro rapaz. — embaixador riu fazendo todos presentes forçar uma risada.  — Para ser um bom negociador ou embaixador, você precisa de muitas coisas em volta como exemplo; mulheres, e bebidas é umas delas.

Não acho que para ser um bom, negociador ou embaixador temos que encher a cara ou ter muitas mulheres além da sua em casa. Quando me tornar um negociador não irei trair minha Yuga. É eu sonho em casar com a minha garota, e não é aquele namoradinho dela e meus pais que vão me impedir.  Não quero Yuga como empregada e sim como mulher. 

                         **

Fui até a cozinha vendo Xia, sorrio para a mais velha que logo me devolve o sorriso e vem até mim, me envolvendo em um abraço forte cheio de saudades.

  — Senti sua falta! — digo enxugando suas lágrimas com os meus polegares.

  — Há! Meu menino!  —  disse beijando-me o rosto.  — Vai para a sala de jantar irei colocar o seu prato! — disse me fazendo negar.

  — Não! — digo sério fazendo-a arregalar os olhos.  — Irei comer ali! —  aponto para a mesa em nossa frente.

  — Jack! Se sua mãe vê-lo aqui irá me xingar.  — beijei sua bochecha em uma forma de acalmá-la. 

  — Se ela brigar com você! Eu irei te defender com as minhas garras de.... 

  — De trigre!   —  disse me fazendo rir.

  — Não! De gato!  — digo passando uma de minhas mãos em meu cabelo.

  — Seu bobo.  — disse me fazendo olhar triste. — O que foi? 

  — Eu não sou um gato?   —  questionei  ainda triste fazendo-a rir. 

  — É! Claro que é.  — disse me puxando até a mesa.   —  Meu gatinho!  

  — Só seu!  — exclamo sentando-me na cadeira. 

  Riu e foi até o fogão, abrindo à panela, fazendo-me respirar fundo.

  — O melhor carbonara! É o seu. —  digo fazendo-a sorrir.

  — Pare com isso! Você viajou o mundo todo e não achou alguém que faça um carbonara melhor que o meu? — perguntou me fazendo negar. 

  — Xia!  — chamo sua atenção toda para mim.

  — Fale, querido! Fale. — exclamou colocando o prato em minha frente.

  — Como foi esses quatro anos por aqui?   —  pergunto fazendo-a respirar fundo.

  — Foi, legal para alguns,foi triste para outros.  — disse me olhando.

    — Ela sofreu muito?  — pergunto olhando nos olhos da mais velha.

    — Yuga! Yuga sofreu e muito. 

  — Eu também! Sofri sem ela eu queria ficar mas você sabe eu era um moleque de dezenove anos. Meus pais que eram donos de minha vida! — digo piscando algumas vezes para controlar a vontade de chorar.

  — Eu sei Jack!  —  disse olhando para a porta que se abriu revelando Yixuan. 

  — Mu qīn! Ah... — parou de se pronunciar ao me ver.

  — O que foi?  — perguntou a mais velha olhando o rapaz que me encarava. 

  — É! Yuga. — disse ainda me encarando. — Ela está queimando em febre!  — ao falar isso Yixuan saíu. 

Me levantei junto de Xia que saíu da cozinha, seguir seus passos.

    — Querido! Entre não faz isso, seus pais iram me xingar! — disse me fazendo negar.

  — Não, me deixe vê-la! — exclamo enxugando as lágrimas que caíam de meus olhos.  — Por favor. 

  — Ok! — sorriu me fazendo respirar aliviado.  — Só não sei se ela vai querer te ver. 

  — Se ela não querer, tudo bem! Eu pelo menos irei tentar! — exclamo sorrindo fraco para a mais velha.

Ao passarmos perto do carinha que estava com Yuga, me deu uma vontade de socá-lo. Mas me contive em só perguntar o nome dele para Xia, que logo me disse. 

Entramos na pequena casa, Xia foi até o quarto de Yuga batendo na porta. Nada aqui mudou continua a mesma casinha que eu e Yuga passava todo o nosso tempo estudando ou comendo besteiras.  

Saí dos meus devaneios ao ver a porta sendo aberta e uma Yuga com aponta do nariz vermelha e uma cara de espanto muito engraçada, queria rir mas não era o melhor momento para se fazer. 

  — Você está bem? — perguntou Xia fazendo-a afirmar manhosa.

  — O que ele está fazendo aqui? — a garota me olhou mas logo desviou o olhar para sua mãe.

  — Ele quer conversar!  — exclamou Xia olhando-me.

    — Não quero conversar com ele.  — disse se virando de costa. 

  — Yuga! Filha escute Jack!  — disse a mais velha caminhando até a filha e deixando um beijo no topo de sua cabeça. 

  — Cuide dela pra mim!  — exclamou em sussurro. Me fazendo concordar em um sorriso.

                           **

Depois que minha mãe saíu o silêncio resolveu ficar. Ouvi os passos de Jack pelo o pequeno corredor, me virei vendo o mesmo caminhar.

  — Wang Puppy!  —  o chamo pelo o seu apelido. Fazendo-o me olhar. — Para onde está indo?  —  pergunto tentando tirar o clima desagradável.

  — Eu? Eu vou ir embora. Já que não quer falar comigo! —  exclama, fazendo lágrimas caírem de meus olhos.

  — Wang Puppy! Fique por favor! — digo entre tosse. Jack se aproximou de mim colocando a palma de sua mão em minha testa. Fechei os olhos ao sentir o seu toque. 

  — Você está queimado de febre! — exclamou preocupado. Me fazendo abrir os olhos. — Tome um banho frio!  E tire essa roupa coloque uma de pano leve.  

  — Eu já tomei! — digo manhosa. Fazendo o mais velho rir. 

  — Então! Coloque uma roupa mais fina.   — disse apontando para o moletom que eu vestia.  — Vai se cozinhar dentro disso! 

Sorrio fraco, deixando Jack no meu quarto e corro para o banheiro colocando um vestido. Voltei vendo-o segurar o urso de pelucia  que me deu.

  — Pronto! — sorrio para o rapaz em minha frente. 

  — Precisamos conversar.  —  disse em um tom sério me fazendo se aproximar e envolvê-lo em um abraço forte. — Eu senti tanto sua falta!  —  exclamou com uma voz de choro, acariciando os fios de meu cabelo. 

  — Eu também! —  exclamo em soluços.

Jack saíu de meus braços e tocou meu rosto fazendo-me fechar os olhos. Sentir sua respiração mais perto da minha, logo  sentir os seus lábios nos meus fazendo-me empurra-lo.

  — O que você está fazendo? —  questionei fazendo o rapaz em minha frente me olhar sério. — Já é a segunda vez que você faz isso!  — exclamo para o rapaz.

  — Me desculpa! 

  — Você sabe que eu nunca.... 

  — Beijou! — exclamou me fazendo abaixar a cabeça. — Desculpa! Me desculpa. 

  — Tudo bem! — digo enxugando minhas lágrimas.  — Jack!   —  chamei ao vê-lo se virar para saír. 

  — Já estou indo.  —  disse sem me olhar, isso dói não gosto de falar com ele sem que olhe em meus olhos. 

   — Jack!  — suspiro antes de dizer o que realmente quero.  — Jack! Me beija. 

Jack me olhou, seus olhos brilharam. Um sorriso se formou em seus lábios.

  — Você quer isso mesmo?—  perguntou me fazendo sorrir. 

  — É o que eu mais quero!  —  digo fazendo o rapaz sorrir e se aproximar de mim.

Jack segurou em meu rosto seu indicador passeou em meus lábios fazendo-me sentir um frio na barriga. Jack fechou os olhos, por impulso fiz o mesmo. Sua respiração foi ficando mais perto de meu rosto sentir o seu perfume, uma lágrima caíu de meus olhos. Logo sentir os seus lábios nos meus. Ele começou a mexer a boca e eu imitei, sua língua entrou em minha boca, no começo achei esquisito me deu uma vontade de rir. Mas ao pouco fui colocando minha língua na sua Jack sorriu me fazendo rir também, ele começou a chupar minha língua e eu não fiz diferente. Envolvi o seu pescoço com os meus braços. Jack deu alguns passos cegos até caírmos na cama. Logo a falta de ar chegou fazendo-me parar o beijo.

  Coloquei minhas mãos em meu rosto cobrindo-o, Jack deu um risinho e logo segurou minhas mãos retirando-as e me encarando.

  — Você! Vai Ficar melhor. — disse me fazendo ficar envergonhada. 

  — Foi horrível né? — perguntei fazendo-o rir.  — Vai embora não me procura mais.   —  começei a chorar fazendo Jack rir mais ainda. 

  — Dramatica como sempre!    — exclamou enxugando minhas lágrimas.  —  Não foi ruim! Você vai melhor ao passar dos tempos. Mas agora eu não vou ir embora pelo o fato de te beijar! Afinal eu gostei. — selou meus lábios em um selinho rápido. — Eu sempre quis fazer isso. 

  — Jack isso é errado!   —  exclamo em um surrurro fazendo o rapaz em meu lado se sentar na cama. 

  — Não!  — disse em um tom sério.   — Isso seria errado se fossemos irmão. 

  — Jack! 

  — Yuga! Tente entender que eu quero ficar com você, e não vai ser meus pais e o seu "namoradinho" que irá me impedir.

  — Namoradinho? — questionei fazendo Jack me olhar. 

  — É aquele carinha quer você, como uma mulher. —  disse me fazendo rir.

  — Jack! O hope é meu amigo ele é legal, ele não pensaria essas coisas.  — exclamo fazendo o rapaz em minha frente se levantar da cama. 

    — Yuga! Fique longe dele você é muito pura! Por favor, fique comigo só comigo.  

Me levantei e corri para os seus braços abraçando sua cintura.

  — Ok! Wang Puppy.  —  digo sorrindo fazendo o rapaz me apertar mais em seus braços.

  — Me perdoe!  — disse me fazendo olhá-lo.   

  — Tudo bem! Eu já te perdoei.  — digo selando nossos lábios em um selinho rápido. Logo coloco minha mão em minha boca, sentir minhas bochechas esquentarem. 

  — Faz isso de novo! — disse levantando minha cabeça. — Yuga! Não fique assim somos namorados! 

Arregalei os olhos ao ouvir suas palavras. 

  — Jack! Não podemos.   — exclamo me soltando de seus braço dei alguns passos  até minha cama. 

  — Claro que podemos! — caminhou até mim, se sentando ao meu lado. — Não precisa ninguém ficar sabendo. Será mais um dos nossos segredos! 

  — Você é muito louco!  — digo fazendo-o rir.

  — Eu sou louco, mesmo! — disse figindo está arrancando os cabelos. Me fazendo rir.  — Mas por você!

  — Isso é perigoso! — exclamo encostando minha cabeça em seu ombro.

  — Vale apena! Ser for com você.  — selou meus lábios em um beijo calmo, cheio de sentimentos.   — Você aprendeu rápido!  — disse me fazendo rir. 

    — Você realmente é um, Wang Puppy!  —digo arrancando um risinho do mesmo.

    — Tenho que ir. — disse se levantando.

  — Fica comigo!  — exclamo manhosa.  — Estou doente. 

    — Você já está melhor! — disse colocando a palma da mão em minha testa.

  — Fica!   —  digo fazendo-o sorrir. 

  — Ok! O que você não pede chorando que eu faço sorrindo.

  — Essa frase está errada!  — digo fazendo-o negar.

  — No seu caso é assim!   —  dou um tapa fraco em seu braço fazendo-o me jogar na cama. E começar a fazer cocégas em mim.













Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...