História Uma Rainha (nem um pouco) perfeita - Clace - Capítulo 30


Escrita por:

Postado
Categorias Os Instrumentos Mortais
Personagens Clary Fairchild (Clary Fray), Jace Herondale (Jace Wayland)
Tags Clace, Clary Fray, Comedia, Jace Herondale, Londres, Principes, Rainhas, Reis, Romance, Romance De Época, Uma Duquesa Qualquer
Visualizações 284
Palavras 879
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa Leitura! <3

Capítulo 30 - Capítulo 30


Sua casa sempre foi assim pequena?

Parada na rua, olhando, Clary hesitava ao entrar na própria casa. Major, o ganso de guarda, veio grasnando na direção dela, alertando os moradores.

– Clary? – O rosto da mãe apareceu na janela. – Clary, é você?

Ela enxugou as lágrimas que afloravam em seus olhos.

– Sim, mamãe. Sou eu. Voltei para casa.

Mais tarde, deitadas no mezanino, Clary e Erika se abraçaram e choraram.

Então as duas escovaram e trançaram o cabelo uma da outra, e depois arrumaram os vestidos de domingo para a manhã seguinte. Como sempre, o soberano de Jace foi direto para a caixa de esmolas.

Durante a missa, Clary podia sentir toda a curiosidade de Idris concentrada nela. Ela sabia que teria que responder a muitas perguntas, mas ainda não estava pronta. E embora tivesse conseguido retardar em vários dias sua ida à loja Tem de Tudo, ainda não se sentia preparada para respondê-las.

Isabelle Lightwood pulou nela assim que Clary entrou pela porta. Embora fosse sua amiga mais antiga e querida, Izzy era a pessoa mais curiosa e fofoqueira de Idris. Clary sabia que a curiosidade devia estar devorando a amiga com centenas de dentes.

Você. – Izzy levantou e sacudiu uma pilha de jornais – Você tem que me explicar muita coisa. Você foi mesmo a um baile? E fez um Príncipe se apaixonar perdidamente?

– Izzy, ainda não quero falar disso. Eu não consigo. Tudo é tão... – ela perdeu a voz.

Izzy não a pressionou. Ela saiu correndo de trás do balcão e envolveu Clary em um abraço apertado.

– Pronto, pronto. Vamos ter anos para falar disso, não vamos?

Clary assentiu.

– Infelizmente, acho que vamos.

A princípio ela nutria a esperança absurda de que Jace viria atrás dela, talvez aparecendo na fazenda uma bela manhã, com a barba por fazer e cheirando a colônia. Mas conforme os dias foram passando, sua esperança começou a parecer cada vez mais um sonho maluco. Aquele não era o conto de fadas que Jace tinha lhe prometido.

– Tenho uma notícia que vai animar você – Izzy disse.

– Oh. O que é?

– A velha é horrível Sra. Whitelaw mudou-se para Dorset, para morar com o sobrinho.

– Mesmo? É uma boa notícia, eu acho. Para todo mundo, menos para o sobrinho. Pensei que ela nunca fosse abandonar aquela casa caindo aos pedaços.

Izzy deu de ombros.

– Bem, ela abandonou. E foi rápida para ir embora. Agora estou com um encalhe de meia dúzia de garrafas daquele “tônico” nojento que ela tomava. Acho que ninguém mais vai querer aquilo. – Ela arqueou as sobrancelhas. – E tem mais uma coisa. Algo para você.

– O que é?

– Venha ver.

Izzy  a puxou até o depósito. No meio da sala, sobre o chão, havia uma imensa caixa de madeira com o nome de Clary.

– Um homem trouxe ontem. Entrega especial – Izzy explicou. – Não veio com o correio normal. Mas ele me disse que não era para entregar na sua casa. Eu devia esperar a Srta. Fray vir à loja e não podia falar sobre isso com ninguém. É tudo tão misterioso. – Ela pegou no braço de Clary e o sacudiu, impaciente. – Podemos abrir agora? É pesado como nunca vi. Estou morrendo para saber o que tem dentro.  Morrendo.

– É claro – Clary concordou.

Izzy deu um gritinho de empolgação. Com a ajuda de um pé de cabra, ela tirou a tampa da caixa e enfiou a mão na camada de palha.

– Oh – ela disse, murcha. – Bem, é uma decepção. Tomara que você não estivesse esperando muita coisa. São só livros. – Ela tirou um volume vermelho de cima e olhou dentro da caixa. – Sim. Só livros, até lá embaixo.

– Deixe-me ver – Clary pediu, pegando o livro das mãos de Isabelle.

Ela deslizou a palma pela encadernação de couro vermelho, tirando de cima um pouco de palha para poder ler o título: Fanny Hill: Memórias de uma mulher de prazer.

– Quem é essa tal de Sra. Radcliffe? – Izzy pegou um punhado de livros da caixa. – Ela escreveu um monte de livros.

– Cuidado com eles, por favor. – Clary se aproximou dela e começou a examinar os volumes.

Radcliffe, Johnson, Wollstonecraft, Fielding. Defoe. Todos os livros da lista que Jace tinha ditado aquele dia, na livraria do Snidling.

Ele tinha se lembrado. E soube que não devia mandá-los para sua casa, por receio que o pai dela os jogasse no fogo. Clary levou o livro até o nariz e inspirou aquele aroma – seu segundo cheiro favorito – antes de colocá-lo de lado para examinar o restante.

No meio da caixa, Clary encontrou um volume não encadernado em couro vermelho, mas com a pelica bege mais inviável.

Poemas reunidos de William Blake.

Lágrimas encheram-lhe os olhos quando ela virou a capa. Dentro, afixado na guarda marmorizada, estava o ex-líbris: Da biblioteca da Srta. Clary Fray.

– Oh, Jace.

A caixa não estava apenas cheia de livros. Estava repleta de significado. Mensagens complicadas demais para serem explicadas, ou arriscadas demais para enviar em uma carta.

Ele a conhecia, era o que aquela caixa de livros dizia. Ele conhecia os lugares mais profundos e ocultos de sua alma. Ele a respeitava como uma pessoa pensante, com sonhos e desejos.

Ele a amava. De verdade.

E a mensagem mais pungente de todas, que aquela caixa de livros trazia, era clara e inegável: Adeus.


Notas Finais


Espero que tenham gostado :)

Bjss de Luz! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...