História Uma razão para viver - KakaNaru - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Tags Drama, Gay, Hentai, Kakanaru, Kakanaruto, Kakashi, Narukaka, Narushi, Naruto, Romance, Romance Gay
Visualizações 91
Palavras 2.226
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, LGBT, Luta, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Explicação ao final do capítulo.

Capítulo 11 - Tudo, é muito estranho.


Fanfic / Fanfiction Uma razão para viver - KakaNaru - Capítulo 11 - Tudo, é muito estranho.

Ponto de vista Naruto

Com o desejo me tomando, pude sentir tudo ao meu redor, como se meus sentidos estivessem super aguçados... Eu queria mais daquilo... Mais de Kakashi. Com a mente nublada, observo cada detalhe que meus olhos atentos alcançam, vendo com satisfação os curtos cabelos cinzas bagunçados, sentindo suas grandes mãos deixarem um rastro de calor conforme ele me alisava e acariciava. Isso é errado? Mas então por quê é tão bom? 

Eu retribuía, aranhava onde conseguia, seus gemidos roucos eram melhores do que música! Algo se acendia cada vez mais entre nós, como uma chama. Não há nada melhor do que o ver e o ouvir nessas condições. Tão dominador e possessivo. Porém, carinhoso. Sempre tomando cuidado com meus ferimentos. Sinto-o adentrar o elástico da minha calça...

E como um interruptor, tudo escurece. Minhas forças desaparecem e só pude sentir Kurama tomando meu lugar.

Ponto de vista Kyuubi ou Kurama

Acordo com uma forte onda e energia de prazer invadindo o corpo pequenino de Naruto. Não demora muito para perceber oque está acontecendo! ESSE GRISALHO DESGRAÇADO! ISSO NÃO É HORA, NEM LUGAR! Apesar de saber que provavelmente Naruto vai ficar muito bravo comigo, não posso permitir que isso aconteça! Ao menos, ainda não.

Aproveito-me de sua distração, roubando seu controle. E logo ao abrir os olhos, me deparo visualmente com esse péssimo exemplo de Sensei, tocando onde não deve! Com minha força bruta, sem dar a miníma, o empurro pra longe de nós. 

Como previ, Naruto está furioso. Mas mantenho-me no controle da situação. Kakashi está todo bagunçado, e apesar da agilidade que o afastei, impressionantemente ele já estava de máscara! Me olhava confuso e nervoso, talvez um tanto arrependido.

-- Naruto..._ O interrompo. 

-- Que péssimo sensei você é grisalho, francamente._ Vocifero indignado.

Ao notar que era eu, sua postura preocupada, confusa e nervosa, é substituída por sua habitual, ou seja, séria e entediante. Aos poucos e lentamente, começa a se arrumar novamente, enquanto eu me levantava da maca ainda o encarando bravo.

-- Kyuubi. Oque aconteceu? Por quê..._ O cortei.

-- Porquê você acha?! Isso não era hora, nem lugar, pra fazer oque você queria!_ Ele mantém a mesma cara, e juro que quase pulei em seu pescoço. 

-- Isso não lhe diz respeito._ Diz simples e monótono. 

-- Baka! Grisalho! Velho!_ Resmunguei, mas eu não consigo discordar. 

-- Algo de útil?_ Já arrumado, como se nem tivesse tentado transar com um aluno dentro da enfermaria no meio da madrugada, pergunta. 

-- Sim, sempre sou útil._ Retruquei, e ele permaneceu na inércia. Revirei os olhos._ Enfim. Enquanto você tentava comer meu receptáculo, eu estava meditando. Pensei e revisei todas as profecias e teorias que conheço, cheguei em algumas conclusões, infelizmente, não tão irrefutáveis assim, como gostaria. E só pra esclarecer, por culpa sua. 

-- Oque descobriu?_ Me ignora. AHRG! Que sujeito insuportável! Como é que Naruto gosta dele!? 

-- Você é muito odioso, sabia?!_ Ele caminha até a porta e encosta suas costas nela, cruzando as pernas, pondo as mãos nos bolsos e me encarando._ Enfim! Eu não descobri, porque tecnicamente já sabia, gênio. Primeiro: Para um membro Akatsuki ter adentrado aos domínios dessa escola, é sinal de que temos desertores, fato. Segundo: existe sim uma profecia muito antiga, quase mais do que a mim, que diz: "No passado, humilhou suas terras. Lavadas com sangue, a mão do traidor amaldiçoa as lutas do presente contra o futuro do amanhã. Até o fruto de um ventre livre, cortar rasante as raízes da fogueira da noite e com o pássaro negro no céu manchado de sangue, voltar a orgulhar sua origem."_ E pela primeira vez, vejo sua feição contorcer em confusão. 

-- Mas oque... Não menciona chave._ Pondera se interrompendo.

-- Eu pensei nisso, e por isso estudei melhor meus conhecimentos, e há uma pequena chance de que Hidan tenha passado uma informação errada ou incompleta de propósito, e não por pressão. Honestamente, duvido que aquele cérebro de passarinho saiba de alguma coisa. 

-- Um pombo correio._ Conclui com seu olhar passando através de mim, absolvendo as informações. 

-- Uma brincadeira de criança._ Concordo._ Desde sua criação, esta é uma das únicas que nunca compreendi seu significado. Passei mais de sete séculos a estudando, mas nunca cheguei a lugar algum._ Ponho a mão na testa, encostando-me na maca. Naruto realmente está um pouquinho bravo... 

*KURAMA SUA RAPOSA DESGRAÇADA EU VOU TE TRANCAR NO FUNDO DA MINHA ALMA ATÉ VOCÊ ESQUECER SUA EXISTÊNCIA!*  

Só um pouco. 

Percebi a movimentação do grisalho e me recompus, ajeitando a roupa do pequeno, mesmo com ele berrando horrores na minha cabeça. Sua feição aparentemente preocupada o denuncia enquanto se distancia da parede em minha direção, parando próximo a mim. 

-- Relaxa grisalho, ele só está um pouquinho irritado. Já já ele volta._ Apesar da sua falta de expressão, sua postura era rígida._ Aliás, por falar nele. Temos mais um problema... Quer dizer, você tem. 

-- Como assim? 

-- Naruto começou a arranhar o muro._ Seu olho arregala._ Obviamente ele não faz de forma consciente... Eu te avisei. 

-- Ele... Você..._ Seu choque era divertido. 

-- Não e sim._ Com calma, agora era ele quem se apoiava para não cair._ Conte. Antes dele descobrir do pior jeito possível. 

Antes de ouvir ou me importar com sua resposta, deito-me na maca e fecho os olhos, sentido como se um imenso isqueiro prestes a explodir estivesse em meu interior. Com calma, vou aos poucos devolvendo o controle para Naruto. Quando no limbo, aproveito-me para silenciar suas lembranças recentes... É melhor pra ele... E pra mim. 

Ponto de vista Naruto

Abro meus olhos, me deparando com o teto branco e as luzes fortes da enfermaria. Oque aconteceu? Percebo que estou deitado, me sento na maca, sentindo meu ombro reclamar. Eu dormi? Desmaiei?! Noto Kakashi-sensei distante, me olhando meio receoso e fico confuso.

-- Kakashi-sensei? Oque aconteceu?_ Ele se aproxima com as mãos no bolso da calça. 

-- Qual a última coisa da qual se lembra?_ Me pareceu meio persuasivo. 

-- Ahm..._ Forço minhas memórias, mas nada me vem, ao menos com clareza._ Acho que eu... Não, não, eu tenho certeza de que..._ Balanço minha cabeça na esperança de por os pensamentos em ordem... Por quê estou tão nervoso? Ou bravo?_ Não sei... 

Ele para bem próximo à mim, ao lado da cama e me sinto estranho. 

-- Não se lembra de nada? Naruto!_ Fico sem jeito, mas nego. Seus ombros inexplicavelmente relaxam... Estranho._ Bem, fomos atacados, você reabriu os pontos do ombro e no meio do processo desmaiou._ Arregalei os olhos. Eu esqueci disso?! Como?! 

-- Por Kami! Como me esqueci disso?!_ Ele dá de ombros tranquilo. Por quê me sinto tão desconfortável?! Isso tá me irritando!_ Ahm... Kakashi-sensei..._ Cocei o pescoço sem graça. 

-- Diga Naruto.

-- Mais cedo... Quando... Nós... Bem, mais cedo nós nos... Ahm..._ Me embolei todo e senti algo se concentrando nas minhas bochechas. 

Ele me olha desentendido.

-- Oque é Naruto? Nós jantamos e... e quando tiramos a mesa fomos atacados!_ Diz com seu tom tranquilo de sempre. 

O olho desconfiado. Nós não... Nos beijamos? Foi um sonho?! Uma falsa memória?! Droga, me sinto um idiota! 

-- Hey, tudo bem?_ Concordo mesmo querendo não o fazer. 

-- E quem nos atacou Kakashi-sensei?_ Mudei o rumo das coisas... Nada pior do que passar uma vergonha dessas! É óbvio que nada aconteceu! Como eu sou idiota! Ele é meu sensei! Só isso! Imagina se ele descobre oque eu sonhei?! 

-- Ouça com atenção._ Alerta._ Existe uma organização a muitos anos criada, que buscava acabar com as guerras assim trazendo a paz ao mundo shinobi, mas conforme o tempo passava, os integrantes desse grupo concluíram erroneamente que a culpa de todas as guerras e mortes, eram das chamadas Bijuus, seres poderosos, e em sua visão limitada, com poder até de mais. Mas oficialmente, os Bijuus são criaturas grandes e ferozes, portadoras de uma quantidade enorme de Chakra. Devido ao seu grande poder, são úteis no campo de batalha. Atualmente a Akatsuki já possui sete dos ditos bijuus, quem recebe o bijuu no seu corpo é chamado de Jinchuuriki, que é o seu caso. A Akatsuki planeja juntar os nove bijuus para criar o Jūbi (Dez Caudas). E por conta disso acabaram se tornando uma organização de mercenários que buscam capturar todas as Bijuus e seguirem apenas seus próprios e controversos ideais._ Ouvi toda sua explicação, pensando apenas em Kurama... 

Kurama é uma bijuu, uma raposa de nove caudas, com um imenso poder e chakra! Ela está selada em mim desde que me conheço por gente. Não sei como ou porquê, mas também não me importa saber disso. Se essa tal de Akatsuki está atrás de mim, e levando em conta oque Kakashi-sensei disse, provavelmente querem Kurama! 

*Temos um gênio entre nós!*_ Comenta irônico._ *Não se preocupe comigo garoto. Sei me cuidar muito bem, já vivi muito, sou forte o suficiente pra lidar com um grupinho rebelde formado por renegados.*_ Diz mais normal, se é possível, levando em conta que é uma raposa gigante dentro da minha cabeça, então acho que o meu normal é bem estranho. 

Revirei meus olhos, mas não posso mentir que estou mais tranquilo por ouvir isso. 

-- Naruto, tem certeza de que está bem?_ Desperto com a mão de Kakashi no meu ombro... Essa sensação... Me arrepia! É tão boa... Só então percebo que estou sem camisa, me afasto dele, e cubro meu tronco com uma blusa próxima, que estava com uma mancha de sangue na região do meu ombro ferido. 

-- Sim, estou. Desculpe._ Ele se afasta receoso. 

E finalmente olho ao redor, notando que estamos sozinhos... 

-- Kakashi-sensei, onde está Tsunade?_ Ele abre a porta, e logo a loira entra apressada. 

-- Que demora, francamente! Espero que não tenha feito oque eu acho que fez com el..._ Ela se interrompe ao me ver observá-la com confusão._  Naruto!_ Ela encara minha blusa e depois volta seu olhar até Kakashi, parecia nos analisar... 

-- Tsunade, por quê esperava do lado de fora?_ Ela vai até uma mesinha e volta com bandagens, as entregando para Kakashi-san.

-- Ah, eu... Eu precisava pegar mais bandagens!

-- Mas..._ Ela encara as bandagens nas mãos do meu sensei e concerta.

-- Eu precisava conversar com Iruka. É isso! Aliás, não lhe devo satisfação!_ Emenda nervosa e estranho. Tudo bem que conheço ela a muito pouco tempo e digamos que paciência não parece ser sua virtude mais notória, mas me soou mal e mentiroso._ Está tarde, precisam descansar. Seu ombro já está melhor, pode ir._ Diz enquanto andava pra longe de nós. 

-- Tudo bem, me desculpe..._ Disse incerto e ela suspira encarando Kakashi de um jeito estranho. Parecia brigar com ele. 

-- Obrigada Tsunade-san._ Diz enquanto guardava as bandagens.

-- Não por isso._ Diz séria e entre dentes._ Boa noite._ Diz antes de sair pela outra porta do outro lado de onde estamos. 

~~~~~~

Chegamos até a casa, e tenho certeza de que ela já teve dias melhores. As janelas estão quebradas, as portas abertas e com toda certeza bagunçada. Mas surpreendentemente, não é isso que mais me chama atenção quando entramos, e sim a comida e as coisas em cima da mesa... Mas Kakashi-sensei não disse que nós estávamos retirando as coisas? Interessante como elas parecem nem ao menos terem sido mexidas. 

Estranho... Por quê mentiria?

*Por quê é isso que ele faz.*_ Resmunga mal-humorado. 

-- Algo errado?_ Olho meu Sensei que varria os vidros do chão e me olhava atento. 

Desconfiado, e confuso, o encaro firme.

-- Kakashi-sensei, você não disse que fomos atacados quando retiramos a mesa?_ Perguntei apontando para os pratos, talheres e copos dispostos sobre a mesma. 

Kakashi pensa por um segundo antes de hesitar em responder.

-- Sim, não, bem..._ Coça um pouco a nunca._ Ele nos atacou quando íamos começar a retirar e bem, nós não estávamos com fome._ Assinto, porém não acredito. Lhe desejo boa noite.

Ando até meu atual quarto, pensando nas contradições... Não estávamos com fome?! Como se eu corri a punição inteira? Como se ele começou a cozinhar antes mesmo de eu terminá-la? CO-MO se eu me lembro de cozinhar e dele elogiar minha comida?! Há algo acontecendo sim e oque me irrita mais é eu não saber oque é! ME SINTO TÃO IDIOTA!

Bufo frustado, caindo na cama. Encaro o teto. A luz da lua ilumina meu quarto o suficiente, mas não minha mente. Essa ainda está no escuro completo. E de novo começo a notar os pedaços de tempo que faltam, a ilógica das minhas lembranças... Como elas simplesmente se escafederam?! 

-- Kurama. 

Tento.

-- Kurama...

Nada.

-- Me responde, por favor._ Peço simples, mas triste e angustiado... 

O sinto acordado, sei que está me ignorando e isso me deixa irritado. E triste. 

Me encolho na cama, como se pudesse sumir do mundo. Por quê tudo tem que acontecer na minha vida?! Tão confuso, tão... Cansado. 

Essa nova escola não está nem de longe como eu imaginei. Isso porque se foram apenas alguns dias. Tudo, é muito estranho. 


Notas Finais


Explicação:

Bem, detesto escrever em finais de capítulos, mas é oque preciso fazer. Você merece uma explicação pela demora para o andamento da história. Caso tenha lido a minha semi-explicação no capítulo da "Renegada de Konoha", vou aprofundar agora.

Quando postei o capítulo 10, no dia seguinte disso, recebi uma notícia realmente horrorosa. Um dos meus amigos mais próximos de infância, infelizmente, veio a óbito em um acidente de moto, onde um motorista bêbado o atropelou. Fiquei muito abalada, não tive pensamentos pra nada.

Então quando comecei a melhorar, meu primo, um recém chegado da família, de apenas um aninho, também veio a falecer. Mais uma tragédia. Dessa vez não houve culpados, apenas em uma noite fria, onde minha prima (sua mãe), o cobriu e foi dormir. Na manhã seguinte, ela acordou e foi vê-lo, mas infelizmente, ele não respirava. Aparentemente, durante a noite, sua manta se enrolou na sua cabeça, o impedindo de respirar. Foi a primeira notícia que recebi depois de acordar. Tive de viver e lidar com o luto de novo. E não foi fácil.

Mas como dizem: "Desgraça pouca, é bobagem.", alguns dias depois, mesmo recebendo o amparo da família, minha prima não suportou a dor da perda e a inexistente culpa, e tentou suicídio. Me informaram no almoço, que a mesma estava internada. Fiquei sem chão mais uma vez.

Depois de tantos eventos traumáticos, eu honestamente pensei que não estava preparada pra retomar minha vida. E foi então que o último golpe veio. Uma pessoa muito querida para mim, praticamente minha família, sofreu o pior crime. Essa pessoa, que me pediu para não mencioná-lo(a) na minha explicação, foi vítima de um assédio seguido de abuso sexual. Isso é algo realmente muito sério. Não tive condições psicológicas de lidar com o inferno que se tornou minha vida. E a dessa pessoa, que precisa de mim.

Peço desculpas pelo chá de sumiço, mas foi impossível e inevitável. Espero que me intenda. Ainda não consigo garantir a minha presença constante aqui. Ou atualizações todos os dias, ao menos por enquanto. Talvez eu suma de novo, talvez não... Se há algo que eu aprendi de tudo isso, é que a vida é imprevisível, e uma verdadeira caixa de surpresas desagradáveis.

Também peço a compreensão, essa última tragédia foi bem recente, e me abateu bastante, regredi muito em muitos aspectos, os quais prefiro não comentar, se os capítulos estiveram mais sombrios, ou mais soturnos, mas acredito que vá passar com o tempo... Tudo passa.

Obrigada pela atenção.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...