História Uma segunda chance. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Eijirou Kirishima, Eri, Izuku Midoriya (Deku), Katsuki Bakugou, Shouto Todoroki
Tags Bakudeku, Bakugo Katsuki, Deku Seme, Dekubaku, Midoriya Izuku, Segunda Chance, Todoroki Shoto, Viagem No Tempo
Visualizações 338
Palavras 1.115
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ooie meu amoooores
Trazendo minha nova ideia para vcs
Deku, atuando como SEMEEE ISSO porra heuheu
Enfiim espero que gostem

Capítulo 1 - Voltando


Quando as coisas não ocorrem como o planejado, ou quando algo terrível aconteceu, sempre temos aquela vontade de voltar no tempo e fazer tudo diferente. Era isso que Midoriya mais queria naquele momento ao ver o corpo de seu amado banhado em seu próprio sangue. Os gritos que dava chamando seu nome, onde não obteria mais uma resposta, enquanto que era segurado por três policiais. 

— O senhor precisa se acalmar – Pronunciou um dos policiais.

Se desvencilhando de uma forma agressiva, Midoriya agarrou seus cabelos fortemente, enquanto que grossas lágrimas desciam.

— Me acalmar – Falou num sussurro olhando para o chão, totalmente perdido, quando num movimento leve seus olhos se dirigiram a poça de sangue, fazendo seus olhos se arregalarem e um grande aperto em seu coração surgir e o peso da culpa surgindo dentro de si. — A culpa é toda minha. – Não suportando mais seu peso, Midoriya caiu no chão de joelhos, suas mãos encostavam no chão da rua, e seu olhar era perdido e cheio de dor.

Se eles não tivessem brigado, se Midoriya não tivesse desconfiado de seu amado, nada disso teria acontecido, Bakugo não teria saído no meio da noite por causa da briga, o mesmo não teria sido assassinado a sangue frio e não estaria morrendo de forma lenta.

Tudo o que Midoriya mais queria naquele momento era voltar no tempo e teria feito tudo diferente, mas viagem no tempo é somente uma ficção e essa era a dura realidade.

— Izuku, você está bem? – Tão alheio em seus próprios pensamentos que quando escutou a voz de seu melhor amigo, percebeu que não tinha mais policiais, ambulância ou qualquer outra pessoa, ele estava sozinho, o corpo de Bakugo não se encontrava mais, somente o seu sangue. — Izuku – Chamou mais uma vez, os olhos verdes de Midoriya se dirigiram para os olhos de seu amigo.

— Shōto – Pronunciou segurando o soluço, ao ver o estado de seu amigo, Todoroki agachou-se no chão e puxou o esverdeado para o abraço, ouvindo o choro, sentindo as lágrimas molhando sua camisa e principalmente, ouvindo os pedidos de perdão.

Ver Midoriya naquele estado deixava o coração do bicolor partido, afinal o considerava como um irmão, e Todoroki não sabia o que dizer naquele momento, e a única coisa que conseguiu fazer foi abraça-lo e dizer que não era culpa dele, mas essas simples palavras não entravam na cabeça do outro.

Os dias se passaram de uma forma lenta e terrível para Midoriya, vendo o corpo de seu amado sendo enterrado a sete palmos do chão, e saber que o assassino de seu noivo era um traficante que foi encontrado morto no dia seguinte e a causa da morte foi uma overdose.

Midoriya não conseguia ainda acreditar na realidade que se encontrava, mesmo se envolvendo em constantes brigas com o loiro, seu mundo era colorido com o esquentado, e agora era tudo cinza e silencioso. Parecia que mais nada fazia sentindo para si, seus olhos verdes fitavam o tumulo de Bakugo, mas seus olhos não brilhavam, eles estavam sem vida.

Todoroki lhe observava de longe, sabia o quão o amigo estava sofrendo e isso estava deixando-lhe muito preocupado, então quando decidiu se aproximar, Midoriya virou-se.

— Eu estou bem, pode ir – Disse, seu tom de voz seco. Todoroki parou no ato e baixou o olhar.

— Certo – Falou baixo e saiu de lá, talvez se tivesse insistido em se aproximar, talvez, mas só talvez as coisas teriam acontecido de forma diferente. Midoriya provavelmente não teria tido a ideia de se dirigir para um precipício, as coisas teriam sido de uma maneira diferente, mas nem tudo é como a gente quer.

E assim que chegou na beira do precipício seus olhos focaram naquele amontoado de rochas com as águas cristalinas batendo sobre elas, tudo o que ele mais queria naquele momento era voltar ao passado e ter feito as coisas de maneira diferente e pedir desculpa para o loiro pela desconfiança que tinha sobre si.

Fechando seus olhos com lágrimas descendo sobre suas bochechas e dando seu último passo.

 

[...]

 

Sentindo suas pálpebras pesadas, Midoriya forçou seus olhos a abrirem, com sua vista embaçada o mesmo começou a piscar freneticamente, e assim que focaram ele percebeu um teto branco.

— Hospital? – Perguntou para si mesmo franzindo o cenho, foi quando seus olhos se direcionaram para o resto do recinto seus olhos verdes se arregalaram e num impulso de se levantar acabou por cair contudo no chão. — Que porra é essa?

Midoriya tinha certeza de que tinha algo muito estranho, afinal tinha acabado de se suicidar então como poderia estar inteiro e vivo, completamente em pânico o mesmo começou a se tocar no rosto, e aos tropeços foi até o espelho de seu quarto, vendo que era realmente ele mesmo.

— Como isso... – Antes que pudesse continuar ele escutou passos rápidos subindo a escada, e Midoriya sentiu seu coração disparar quando viu quem entrou pela porta do quarto.

— Deku, o que houve? Eu escutei um barulho – Os cabelos loiros completamente arrepiados, aqueles olhos vermelhos cobertos de brilho. — Você está bem? – Perguntou Bakugo preocupado ao perceber que seu parceiro não falava nada, e acabou por entrar em pânico ao ver Midoriya chorando — Ei, ei, ei – Bakugo se aproximou do mesmo e lhe puxou num abraço apertado.

— Você está vivo! – Sussurrava, Bakugo acariciava as costas do esverdeado.

— Foi só um pesadelo – Mesmo querendo acreditar que no que o loiro dizia era verdade, não dava, simplesmente não dava, porque Midoriya sentia lá no fundo que Bakugo realmente tinha morrido e que algo estava errado, mas ao mesmo tempo certo, ele só não sabia como definir isso.

Assim que se acalmou, Midoriya se afastou e ficou olhando no fundo dos olhos de Bakugo, o loiro deu um sorriso e se levantou dando um beijo na testa do mesmo.

— Levanta, se não vai se atrasar para o trabalho. – E se retirou do quarto, Midoriya continuou na mesma posição, pensando, tentando entender o que estava acontecendo.

Bakugo tinha morrido, dois dias depois foi seu enterro e uma semana depois Midoriya se suicidou. Midoriya anotou isso mentalmente, agora o que ele não entendia era como acordou, vivo por sinal e como Bakugo estava vivo.

— Vida após a morte? – Pronunciou baixinho para si mesmo, em seguida negou com a cabeça — Não é isso.

Foi então que seus olhos se arregalaram e nas pressas o mesmo pegou seu celular e olhou para data.

— 02 de maio de 2018 – Parecia que o ar tinha acabado ali, o coração de Midoriya começou a disparar e uma pitada de esperança cresceu dentro de si — Três meses – Sibilou — Eu voltei três meses.

Midoriya conseguiu voltar no tempo e dessa vez as coisas seriam diferentes para si, ele salvaria Bakugo.


Notas Finais


Entãao oq acharam (*-*??
Boom é um projeto pequeno entãooo não pretendo passar de 5 capítulos
É isso.. Achooo
Beijoookas morees, e até o prox


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...