História Uma Segunda Chance - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Nabari no Ou
Tags Miharu, Yoite
Visualizações 5
Palavras 840
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai
Avisos: Homossexualidade, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Esse é o casal mais fofo do mundo!!! Primeiro capitulo (serão três), espero que gostem. Não acho que vai ter muitos comentários porque não é um anime muito conhecido, mas tudo bem. Não escrevo para receber comentários, escrevo porque amo escrever. E amo esse casal de todo o meu coração. Fanfic postada já completa no nyah, se acharem essa fanfic lá no nyah, NÃO É PLAGIO, fui eu mesma que postei.

Capítulo 1 - Chuva e sofrimento


Fanfic / Fanfiction Uma Segunda Chance - Capítulo 1 - Chuva e sofrimento

Chovia. A noite já escura se tornava ainda mais sombria. No ar, um cheiro de terra molhada. Miharu estava sentado na varanda, a observando a silhueta das casas apinhadas pelo morro. Aquela era uma paisagem que sempre lhe prendia a atenção.

Sozinho com seus pensamentos, era difícil ignorar o vazio que lhe tomava o coração. O buraco deixado por uma existência que se fora. Que ele próprio apagara com o poder do shinrabanshou. Mesmo que essa pessoa tenha sido apagada e Miharu tivesse perdido suas memórias sobre ela, a dor e o sofrimento continuavam presentes.

Aquela noite escura e tempestuosa tinha uma beleza singular. Uma beleza formada de tristeza e um doce desespero.

“Eu gosto da noite. No escuro, as formas são absorvidas e deixam de existir.”

Essa frase passou por sua mente, fazendo seu coração bater mais forte. Quem falara isso? Seria...teria sido ”aquela pessoa”? Como desejava poder lembrar...ter novamente aquelas lembranças preciosas...

Suspirou, apoiando a cabeça em seus joelhos, fechando os olhos e deixando-se embalar pelo barulho da chuva. O sono foi chegando lentamente. Miharu adormeceu, tombando de lado no chão, ali mesmo, com o ar frio o envolvendo e a tempestade se tornando mais forte.

Em seus sonhos, uma escuridão tortuosa o envolvia, uma voz ao longe chamava pelo seu nome, uma voz que ele não reconhecia, mas ao mesmo tempo lhe era familiar. Tentava correr em direção àquela voz, mas, por mais que corresse, não conseguia alcançar.

–Yoite...- acordou murmurando.- Yoite...

Aquele nome ressoava em sua mente, mas não significava nada. Era apenas uma palavra, não havia um rosto, não havia nada além desse nome. Apenas isso.

Ainda chovia. Ainda estava frio. Seu coração vazio sangrava, doía. Aquela tristeza imensa ameaça consumi-lo. Questionava-se por que havia apagado alguém que lhe faria tanta falta.

–Yoite...- sussurrou novamente, tentando força-se a lembrar. Por que apenas um nome conseguia deixá-lo tão transtornado?

Deitou-se de novo no piso de madeira da varanda, sem se preocupar se era desconfortável ou com o frio e a tempestade.

“Eu não estou vivo, então não me importo em morrer.”

De novo! Aquela voz triste e melancólica ressoando sem seus pensamentos. A voz que lhe fazia tremer, que evocava um sentimento tão forte e tão puro que até o assustava. Um sentimento feito por um misto de dor e alegria.

A manhã o encontrou ali, num aparente tranqüilo sono, embora não fosse assim.

–Miharu?- Ramei se assustou ao ver seu amigo dormindo ali.- como conseguiu dormir aí com aquela tempestade de ontem?

–...- foi a resposta que ela conseguiu do indiferente menino.

Um pouco mais tarde, MIharu estava cozinhando okonomiyaki como de costume, mas sua mente não estava naquilo. Se perdia em tentativas de forçar a memória, sem resultados. Koichi, Ramei e Kumohira-sensei estavam barulhentos como sempre, porém, ele mal os ouvia, perdido dentro de si mesmo, em suas lembranças incompletas. Miharu não tinha lembranças de sua infância nem de seus pais, e agora perdera mais algumas. Suas memórias mais preciosas se foram, uma a uma, O que restara de si mesmo agora?

–Vamos treinar, Koichi!- Ramei estava mesmo animada.- Tobari-sensei e Fuuma-dono irão trabalhar no jutsu do avô dos sensei, e logo devem tirar o shinrabanshou do Miharu! E nós temos que ficar mais fortes para ajudá-lo!

E, sob os protestos do amigo, ela o agarrou e o arrastou para fora. Mais uma vez deixado sozinho, Miharu pegou um livro, sentou novamente na varanda. Ainda estava frio, mesmo sendo de dia, então voltou e pegou seu cachecol. Não sabia o motivo, mas aquele cachecol que ganhara da esposa de Kumohira-sensei lhe era muito querido. Lembrava vagamente da existência de uma promessa ligada àquele cachecol, mas não sabia qual era essa promessa...e nem com quem a havia feito.

Enrolou-o em seu pescoço, sentindo que aquele gesto tão simples significava muito. O vento fustigava a copa das arvores, o inverno logo chegaria.

Tentou se concentrar no livro, mas sua mente recusava-se a deixar de pensar no estranho sonho que tivera na noite anterior, e naquele nome. Sentia que seu subconsciente estava tentando lhe mandar uma mensagem. Fechou os olhos e deixou que os sussurros que estavam em seus pensamentos tomassem forma.

–Ainda hesitando?- era o shinrabanshou.- foi por isso que não conseguiu realizar seu desejo completamente. Você agora sabe que pode controlar a sabedoria. Apenas não hesite.

–Fada-san...

O que você deseja, Miharu? Você sabe muito bem o seu desejo mais profundo.

–Eu...eu...esqueci...

–Ah, bem.- ela estendeu as mãos.- vou lhe dar um pouco da minha sabedoria mais uma vez.

O poder começou a irradiar de Miharu, sua mente sendo tomada pelo shinrabanshou, os kanjis aparecendo em sua pele e subindo para seu rosto. E lá no fundo de sua mente, um rosto se tornou nítido. Um jovem pálido de olhos tristes, uma boina cobrindo os cabelos negros. E, num rompante, todas as suas lembranças sobre Yoite voltaram.

Miharu desabou no chão, desmaiando, entrando em um sono sem sonhos. O poder do shinrabanshou se dissipou, voltando para dentro de seu corpo. Ninguém notou o acontecido...ou notou?


Notas Finais


Essa fanfic já está terminada e postada completa no Nyah, só estou trazendo para cá também, portanto, semana que vem mesmo posto o segundo capitulo. Se alguém conhece esse anime flopadinho e leu, adoraria que comentasse dizendo o que achou!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...