1. Spirit Fanfics >
  2. Uma Segunda Chance (Malec) >
  3. Sentindo falta

História Uma Segunda Chance (Malec) - Capítulo 13


Escrita por:


Capítulo 13 - Sentindo falta


-Tenho certeza que ele deve ter um bom motivo para ter sumido.. Na verdade isso nem pode ser considerado um sumiço, já que vocês se viram hoje de manhã.  –Catarina falou me entregando mais uma louça recém lavada para que eu secasse.

-Mas..E se ele conseguiu o que queria e agora não quer mais me ver? –Perguntei angustiado.  Eu sabia que podia estar agindo como um bobo, mas o que eu podia fazer? Depois de Mark, tudo pareceu piorar dentro de mim, inclusive minhas inseguranças.

Quando Alec saiu daqui um pouco antes do almoço, ele prometeu que me ligaria, e bom.. Já passou da hora do jantar e ele não ligou. Primeiro eu fiquei preocupado, talvez tivesse acontecido algo com ele. Ele poderia ter sido sequestrado, ou até mesmo atacado por algum leão que acabará de fugir de algum zoológico por aqui.  Mas, depois de um tempo eu percebi que isso era loucura e que ele podia simplesmente não ter gostado da nossa noite, ou talvez ele já até tivesse partido para o próximo alvo. Isso. foi isso mesmo que aconteceu, com certeza ele deve estar com outro agora, beijando-o e sendo super carinhoso e atencioso como foi comigo para depois joga-lo fora.

Esses pensamentos fizeram uma raiva descontrolada crescer em meu peito, eu sabia que isso tudo era um erro, céus como eu sou bobo, não é mesmo?

-Magnus você vai quebrar o meu lindo copo de vidro. –Ela comentou e eu percebi que estava apertando com toda a minha força o delicado copo que ela havia ganhado da avó.

-Me desculpe..-Desculpei-me guardando o copo que felizmente era a última louça do jantar a ser lavada.

-Isso tudo é saudade? –Perguntou caminhando comigo de volta para sala de estar, onde nos sentamos no sofá.

-Não.. Eu só estou.. curioso.

-Você está apaixonado por ele, não está?-Perguntou sorrindo e eu revirei os olhos em frustração. Eu estava frustrado comigo mesmo, pelo simples fato de que sim, eu estava apaixonado por ele. 

Por que ele tem que ser tão irresistível.. tão.. tão Alexander? Por que ele tem que ter aqueles belos olhos e aquela maravilhosa boca?  Por que ele tem que ser o cara mais lindo e interessante com quem já me relacionei e ser tão incrível?

A questão é que, gostar de Alexander era tão fácil. Sentir saudades dele, mesmo tendo o visto pela manhã, era inevitável. 

Alexander era incrível e meu coração apaixonado queria acreditar que ele não era do tipo que só queria uma noite e depois me ignoraria, mas a minha cabeça teimosa e insegura me dizia que nós não tínhamos nada além de um rápido lance e que eu havia me iludido sozinho... novamente.

(...)

-Bom Dia, ruiva! –Cumprimentei Clary enquanto me aproximava de sua mesa.

-Bom Dia, Magnus. –Ela sorriu. -Como foi o fim de semana?

-Excelente, minha querida.. Excelente!-Não pude evitar um sorriso quando me lembrei da incrível noite que tive com ele.

Hoje é segunda e eu finalmente poderei vê-lo novamente, a saudade estava me matando, eu não tive nenhum contado com ele desde que ele saiu da minha casa ontem prometendo que ligaria a noite e bom.. ele não ligou, mas daqui a pouco eu o veria e tudo seria esclarecido.

Conversamos por mais alguns minutos e depois fui pra minha mesa começar a trabalhar. Organizei alguns arquivos e arquivei documentos, além de repassar cautelosamente todos os compromissos do meu chefe e verificar se a agenda estava atualizada.

Quando o relógio marcou nove e meia, Alec ainda não havia chegado e uma preocupação cresceu dentro de mim.

Resolvi então perguntar a Clarissa se como secretaria de Isabelle ela sabia de algo, mas a mesma me informou que não sabia e que Izzy também não havia chegado.

Eu poderia ligar para ele? Sim, mas ele só havia atrasado meia hora, isso não era basicamente nada grave e eu não queria parecer um perseguidor.

As horas foram se passando e eu continuei meu trabalho o mais normalmente possível, Izzy já havia chegado e passou tão depressa que eu não consegui falar com ela, a mesma me pareceu muito ocupada e eu não quis atrapalhar.

Alguns compromissos pela manhã tiveram que ser desmarcados ou adiados, e então eu resolvi ligar para ele para saber o que eu deveria fazer com os compromissos da tarde, e claro, assim saber o que havia acontecido com ele.  Alec não me atendeu nas duas vezes em que liguei e minha preocupação aumentava a cada segundo.

Ele podia estar doente ou ter sofrido algum acidente. Talvez tenha tido algum imprevisto e não pode avisar, mas uma irritante vozinha falava na minha cabeça de que ele, na verdade, não queria me ver.

-Magnus, vamos? –Clary chamou se aproximando. –Izzy vai almoçar com a gente. –Assenti já levantando, com certeza era uma ótima oportunidade para perguntar sobre Alexander. O telefone na minha mesa tocou e meu corpo tremeu em nervosismo, talvez fosse ele.

-Eu alcanço vocês, querida. –Disse e ela afirmou com a cabeça já se afastando e entrando com Izzy, que acabará de sair da sua sala, no elevador.

Tentei disfarçar o meu ridículo e constrangedor desespero quando atendi ao telefone.

-Bom dia, telefone de Alexander Lightwood, como posso ajudar?

-Olá Magnus, aqui é o Barney, do coquetel...Lembra-se de mim? -Falou com uma voz aveluda e um tanto sugestiva e eu contive minha vontade de revirar os olhos, pois não era nada profissional.

-Ah sim, Olá Sr. Stinson! Sinto informar, mas o Sr. Lightwood não se encontra no momento.

-Tudo bem, eu falo com ele depois.. Posso dizer que me sinto grato por você ter atendido ao telefone.

-Bem.. eu sou o assistente dele, sou eu quem cuida dos telefonemas. -Disse tentando disfarçar minha impaciência.

-Um desperdício para suas habilidades, devo dizer.. Sabe Magnus, sua beleza é muito diferente e um tanto exótica.. Não são muitos os homens com esse belo par de olhos dourados, você deveria deixar de trabalhar com Alexander e vir trabalhar comigo, posso te apresentar as pessoas certas e..

Meu sangue ferveu.. eu não era uma pessoa violenta e fiz de tudo para não ser grosso com aquele cara, mesmo que ele merecesse, afinal ele ainda era um dos clientes mais importantes da empresa.

Interrompi o seu ridículo discurso sobre como minha beleza estava sendo desperdiçada atrás de uma mesa de escritório.

-Como eu disse, o meu chefe não se encontra no momento, mas direi que o senhor ligou e ele retornará assim que puder. Tenha um bom dia. -Desliguei sem nem mesmo esperar uma resposta.

No dia em que nos conhecemos eu não havia visto nenhum tipo de interesse de Barney sobre mim, além de sorrisos exagerados e alguns elogios velados.

Fui ao encontro das meninas para almoçamos.

Elas já estavam no restaurante e comiam algum tipo de salgadinhos enquanto me esperavam para fazer os pedidos.

Depois de cumprimentar Isabelle, eu fui direto ao assunto sobre Alec por que sim, eu estava morrendo de saudades.

-An..Izzy. –Chamei-a e ela direcionou os grandes olhos para mim, esperando que eu falasse. -O Sr. Alexander está bem? Ele não apareceu hoje e eu preciso saber o que fazer com os compromissos da tarde.

-Oh sim, eu sou uma tonta. -Bateu na própria testa. -Desculpe-me Magnus, o Alec pediu que eu te avisasse, mas quando cheguei eu tive um enorme problema pra resolver e acabei me esquecendo.. Alec está doente. -Arregalei os olhos, mal conseguindo disfarçar minha expressão preocupada. Izzy sorriu para me tranquilizar. -É só um mal estar, acho que foi algo que ele comeu no jantar romântico de vocês que não o fez bem. -Ela comentava tudo com tanta naturalidade que eu levei alguns segundos para compreender o que estava acontecendo. a sensação de alívio por saber que o que ele tinha não era tão grave foi imediata.

-C-como? -Engoli em saco ainda surpreso por saber que Alec havia contado para a irmã. Izzy riu de mim e Clary nos olhava com divertimento.

-Você não me disse que eles tiveram um primeiro encontro Izzy! -Clary falou com uma falsa indignação e eu direcionei o meu olhar de perplexidade para ela.

-Você também sabe?

-Também sou amiga do Alec, Magnus. -A ruiva soltou um risinho. -Então ele não liga que Izzy me conte.

-Ah. -Falei apenas, não sabia ainda se elas saber sobre nós, era bom ou ruim.

-O que acha de fazermos os pedidos? -A morena falou quebrando o silêncio. Assentimos e fizemos os pedidos.

Ninguém tocou mais no assunto sobre o meu romance com Alec e eu agradeci por isso. Conversamos sobre amenidades e sobre os novos projetos que Izzy estava trabalhando para aumentar ainda mais o sucesso da empresa.

O almoço foi carregado de conversas descontraídas e risadas, as meninas eram realmente incríveis e ótimas companhias, Catarina iria as adorar, com certeza.

(...)

A tarde passou voando. Trabalhei tanto que não tive tempo nem de tomar um café ou comer um dos meus amados bolinhos, mas eu estava grato por já estar quase na hora de partir.

Quando meu relógio informou que já eram seis horas, eu dei uma última olhada no papel com o endereço de Alec e fui me despedir de Clary.

15 minutos depois, eu peguei um ônibus, totalmente diferente do que eu pegava todos os dias e fui rumo a casa dele.

Fui o caminho todo pensando que era uma ideia estúpida e imprudente, que com certeza Alec não iria gostar do meu atrevimento em ir até o seu apartamento, mas eu sabia que ele morava sozinho, e com certeza não deveria haver ninguém cuidando dele.. e bom, ele já havia ido no meu apartamento as duas da manhã.

Então eu respirei fundo e entrei no prédio onde ele morava.

Depois de convencer a recepcionista de que eu era o seu assistente e que não precisava me anunciar -Talvez eu tenha usado um pouquinho do meu charme, que até então eu nem acreditava que tinha, para convence-la, e eu realmente não me orgulho disso, mas funcionou, não foi?-e subi até o apartamento 401, no sétimo andar.

Bati na porta e comecei a suar e tremer quando ouvi um “Já vai” meio fraco e rouco do meu chefe.

Quase tive um ataque cardíaco quando ouvi a porta ser destrancada e depois a imagem dele se fez presente em minha frente. Ele parecia abatido e um pouco pálido, mas continuava lindo.

-Magnus? -Ele falou surpreso e eu sorri tímido. Eu tentei começar o meu pedido de desculpas por ter aparecido sem convite, mas fui interrompido quando Alec me puxou para um abraço apertado.

-Que bom que veio. –Ele sussurrou antes de colar nossos lábios em um beijo calmo, lento e eu arriscaria a dizer até apaixonado.


Notas Finais


Insta: @Naomibanee


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...