História Uma Segunda Chance Para Amar - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Denki Kaminari, Eijirou Kirishima, Fumikage Tokoyami, Hanta Sero, Inko Midoriya, Izuku Midoriya (Deku), Katsuki Bakugou, Kyoka Jiro, Mina Ashido, Minoru Mineta, Momo Yaoyorozu, Ochako Uraraka (Uravity), Shouta Aizawa (Eraserhead), Shouto Todoroki, Tenya Iida, Toru Hagakure, Toshinori Yagi (All Might), Tsuyu Asui, Yuuga Aoyama
Tags Bakudeku, Boku No Hero, Comedia, Drama, Fluff, Hentai, Katsudeku, Romance, Spoilers, Yaoi
Visualizações 733
Palavras 2.732
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Famí­lia, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olha lá eu de novo
Entrando em mais uma fandom :3

Porque eu simplesmente amo shipps de pessoas com cabelo claro e cabelo escuro
Fala sério, eu TINHA que fazer uma fic deles
É um dos melhores ships do anime inteiro!

Já vou avisando que o primeiro que me encher o saco falando que essa relação é tóxica vai tomar uma esbofetada no meio da fuça >:v

Se você acha que esse shipp é tóxico, então senta aqui do meu ladinho e deixa a titia Moni contar a história que ela escreveu
Prometo que você vai gostar :3
(pelo menos foi Oq minhas amigas puxa saco falaram :v)

Por enquanto o plot tá meio vazio, mas é porque eu não pensei em tudo que vai acontecer ainda
Mas relaxa que logo logo fica interessante
Prometo ;)

Aproveitem~

Capítulo 1 - Com a cara na apostila


Quando alguém diz que o tempo voa, essa pessoa não está brincando. Já se passaram três anos e Izuku Midoriya ainda sentia como se fosse ontem que conheceu All Might e recebeu a motivação que precisava para tentar entrar na Yuuei. Ainda parecia um sonho e ele muitas vezes tinha o medo de acordar e tudo ser do jeito que era antes, ele seria só mais um garoto sem individualidade num mundo com pessoas fantásticas e ele sendo ofuscado em seu próprio fracasso. Ele sabia que era só coisa da sua cabeça e que estava ficando paranoico - com a graduação e seu destino de pro-hero cada vez mais perto, o que o deixava cada vez mais nervoso - mas não dava pra simplesmente parar de pensar naquelas coisas. Ele não controlava o próprio cérebro, infelizmente.

Foi tirado de seus pensamentos com um tapa de leve em sua nuca, forçando sua cabeça pra frente e fazendo-o morder o lápis que estava próximo à sua boca, involuntariamente.

- Oi, Deku, para de devanear e presta atenção na sua lição que ninguém aqui quer tirar nota baixa. - resmungou Katsuki, sentando-se ao lado do de cabelos esverdeados.

- A-ah…! G-gomen, Kacchan. - desculpou-se rapidamente e voltou a resolver o problema de matemática a sua frente.

Com o último ano chegando cada vez mais próximo do fim, os professores começaram a pedir mais e mais conteúdo para provas e as matérias foram ficando mais e mais difíceis - embora muito provavelmente ninguém fosse usar qualquer um daqueles conteúdos pra alguma coisa - e, não muito a fim de ir mal em pleno último ano, Izuku, Katsuki, Uraraka, Tsuyu, Iida e Kirishima resolveram se reunir naquela noite de sexta-feira para fazer exercícios e estudar para as provas que se aproximavam.

- Kirishima-kun, quanto deu a sua questão cinco? A minha deu sete. - perguntou Uraraka, virando-se para o de cabelos artificialmente ruivos.

- Vish, eu não consegui fazer essa. Bakubro, qual foi a sua resposta da cinco?

O loiro ergueu o olhar para o amigo, ainda concentrado em seu próprio caderno.

- Do módulo nove? Vinte e dois. - virou-se para Ochako com uma expressão neutra. - Você deve ter esquecido de multiplicar antes de passar pro outro lado.

A morena olhou para seu caderno e arregalou os olhos, surpresa, aparentemente era exatamente esse o problema. Enquanto a mesma se aproximou de Kirishima para ajudá-lo a resolver a questão, Izuku não pôde conter seus olhos em espiar o amigo de infância sentado ao seu lado. Tanta coisa havia mudado em tão pouco tempo e a relação entre ele e Izuku não foi diferente. Eles já não brigavam tanto quanto antes e Katsuki na verdade acalmou muito desde o começo do primeiro ano, já não gritava com tanta frequência a menos que estivesse muito irritado ou alguém o estivesse incomodando. Isso além de que ele estava muito mais amigável com o de cabelos esverdeados, os dois conversavam normalmente, se davam bom dia quando chegavam na sala e o clima no geral entre eles estava bem mais agradável.

Isto é, quando ele não fodia tudo como estava fazendo agora.

- Tá me encarando por que, Deku idiota? - bradou o loiro com as bochechas levemente coradas.

- A-a-ah…! G-g-gomen…! E-eu só estava querendo ver suas respostas p-pra questão dez!

Revirando os olhos, Katsuki empurrou seu caderno para o lado mais próximo de Izuku e desviou o olhar, evitando qualquer contato com o menor.

O resto da cessão de estudos seguiu em quase absoluto silêncio entre os dois, ambos apenas focando em suas lições e trocando algumas respostas de exercícios conforme iam os finalizando. O pequeno grupo de amigos havia se reunido no primeiro andar desde que voltaram da aula, aproveitando que não tinham nada para fazer durante a tarde e cada um estava com uma dificuldade diferente. Já estava completamente escuro do lado de fora e quase todo o resto da classe 3-A estava em seus quartos, se preparando pra dormir, mas foi só quando um bocejo escapou da boca de Uraraka que a morena se pronunciou sobre o assunto e o mesmo chegou à mesa.

- Nossa, já ‘tá tarde! Acho que vou deitar, pessoal. Kiri, me passa as questões de inglês do módulo passado depois? - pediu com gentileza enquanto se levantava da mesa com os cadernos na mão, quase não conseguindo carregar todos de uma vez.

- Claro, Ocha! Sem problemas! Acho que vou subir também, eu tinha falado com o Sero pra gente assistir algum filme depois da janta. O cara já deve estar cansado de me esperar, haha! - brincou, recolhendo os papéis espalhados pela mesa. - Bakubro, tá a fim de vir com a gente?

O loiro deu de ombros.

- Se vocês não forem colocar nenhuma porra de fantasia de novo, eu vou. Porque puta merda, aquele último filme foi uma completa bosta! - franziu o cenho, juntando todos os cadernos numa pilha só enquanto o ruivo soltava uma risada sutil.

- Relaxa, vamos ver um de ação hoje. Quer vir também, Midoriya?

O menor ergueu a cabeça e abriu um sorriso nervoso, negando rapidamente.

- A-arigatou, mas eu realmente quero dar uma estudada melhor nessa parte da matéria, então vou ficar acordado mais um tempinho.

Kirishima deu de ombros.

- Você que sabe. Se quiser aparecer por lá depois que acabar aí, fique à vontade. - sorriu de forma amigável. - Vamos lá, Kacchan! - provocou o amigo enquanto se afastava da mesa e dos outros colegas.

- Para de me chamar assim, caralho!

A dupla se retirou da sala aos gritos com Uraraka seguindo logo atrás. Pouco a pouco todos foram guardando seu material e se retirando para seus quartos para ter uma boa noite de sono, restando apenas Midoriya na sala, sozinho com seus cadernos e lápis. Não era exatamente o que ele esperava de uma noite de sexta-feira, mas fazer o quê, trabalho é trabalho.

(...)

A mesma cena se repetia em sua cabeça novamente, devia ser a terceira vez essa semana. Em um segundo estava seguindo seu grupo tranquilamente e no outro sua visão começava a se nublar com um escuro absurdo enquanto era puxado para algum lugar desconhecido. Aquelas mãos frias apertavam ao redor de sua nuca com força, quase tão forte para deixar uma marca que ele não poderia ver. Mal conseguia respirar e estava completamente desnorteado, sem conseguir dizer onde estava ou o que estava acontecendo.

A única coisa que viu antes de ser arrastado para o portal e completamente envolvido pela escuridão foi Deku, com os dois braços completamente destroçados, gritando seu apelido de infância e disparando em sua direção.

Kacchan! - o desespero em sua voz era algo muito evidente e enchia seus ouvidos com sua dor.

Entretanto, mesmo com tudo que estava acontecendo, com o quão forte Izuku havia se tornado e o quanto a situação pedia, ele não conseguia se fazer pedir por sua ajuda. Não só era muito orgulhoso para isso, como o amigo de infância não estava em nenhuma condição de ajudá-lo naquele estado. Aquela era a liga de vilões com quem eles estavam lidando e, do jeito que aquele idiota era, não duvidava que ele fosse tentar alguma loucura se colocasse lenha na fogueira.

Não venha, Deku! - foi a única coisa que conseguiu arrancar de sua boca antes de ser completamente consumido pela escuridão. E ainda assim sua voz saiu raspada e falha.

Fraca.

Acordou do pesadelo com uma tosse forte, como se estivesse sufocando. Felizmente, não estava, mas sua garganta ainda assim doía.

Ao olhar ao redor, rapidamente encontrou os dois idiotas que chamava de amigos, completamente adormecidos na cama de Kirishima e com posições visivelmente desconfortáveis. O filme já devia ter acabado há muito tempo, pois a televisão nem estava mais no menu do DVD, mas sim no descanso de tela.

Esfregou o rosto e afastou as mechas de loiras que caíam sobre seus olhos com um grunhido. Antes de processar o sonho recorrente que acabara de ter, sua garganta continuava pedindo uma única coisa: água.

Com um suspiro pesado, levantou-se de seu lugar e dirigiu-se, primeiramente, para a pequena televisão, desligando o aparelho. Deu uma última desviada de olhar na direção de Kirishima e Sero e deixou o quarto, não aguentando o calor e o bafo que estava dentro daquele cômodo sufocante. Tudo o que menos precisava agora era de sentir pressionado em alguma coisa.

Deixou o quarto tentando fazer o mínimo de barulho possível, caminhando a passos pequenos para o elevador e descendo para o primeiro andar. Aproveitou os breves segundos no cubículo para recuperar o fôlego e acalmar as palpitadas em seu peito. Odiava ter aquelas lembranças, já não tinha tido uma boa noite de sono há quase uma semana por causa disso, e aquilo havia acontecido há dois anos, não tinha mais porque isso o afetar agora. Era pra ele ter seguido em frente, não continuar martelando naquela maldita memória!

Em contraponto, sempre que pensava naquela experiência ruim que teve, imaginava pelo que será que Izuku havia passado nos anos anteriores.

O portador do One for All havia se distanciado tanto dele durante os anos antes de entrarem na Yuuei que agora Katsuki nem tinha tanta certeza se realmente sabia tanto assim sobre seu amigo de infância. Mas, claro, quem em sã consciência contaria detalhes de sua vida para quem já foi seu bully durante tantos anos? Ainda mais por um motivo tão fútil quanto não ter uma individualidade?! No fim, não importava quanto tempo havia passado e o quanto de sua amizade conseguiram resgatar, Katsuki não conseguia se perdoar de todo o sofrimento pelo que fez Izuku passar.

As portas metálicas se abriram silenciosamente, permitindo que o loiro pisasse para a sala completamente escura, apenas iluminada pelos raios da lua entrando pelas janelas. Suspirou novamente e caminhou até um filtro na parte da cozinha. Tudo que queria era beber um copo d’água, tranquilizar a mente e ir para seu quarto. Nem banho ele tinha tomado ainda! Sem controle de suas ações, caminhou a passos pesados, já sentindo suas palmas ficarem suadas.

Forçou um copo de vidro debaixo do bico do filtro de água gelada e acabou soltando um palavrão baixo. Todos esses pensamentos embaralhados estavam o deixando muito irritado.

- Filho da puta… - murmurou, franzindo o cenho. - Sonho idiota… Vilões idiotas… Me fazendo não conseguir dormir… Vai tomar no cu.

- Hum… Kacchan? - chamou uma voz sonolenta que o loiro conhecia muito bem. - O que você está fazendo ainda acordado? - perguntou Izuku, se espreguiçando na cadeira onde estava sentado. Seus cadernos continuavam todos entulhados debaixo dele.

Escondendo rapidamente o espanto, encarou o menor com seus olhos escarlate que pareciam brilhar contra a luz da lua.

- Olha quem fala, Deku. Não era pra você estar na cama? - provocou, cruzando os braços e encarando o amigo com o cenho franzido.

Izuku soltou uma pequena risada, ajeitando os cabelos bagunçados.

- Hehe, acho que você me pegou. Devo ter dormido no meio dos exercícios de matemática. Tá tão difícil… - resmungou enquanto apoiava a cabeça na mesa. - Mas e você, Kacchan? Por que tá acordado a essa hora?

Mordeu a língua com força pra não acabar falando “não é da sua conta, imbecil”, a última coisa que queria era chatear Izuku às três da manhã por seu temperamento abrasivo.

Respirou fundo e respondeu com a maior calma que pôde.

- Só vim beber água. Acabei dormindo no meio do filme junto com aqueles dois imbecís e só acordei agora. - bebericou a água do copo. - Os dois ainda estão apagados, bando de pau no cu.

Izuku quase questionou o comentário do maior, mas resolveu segurar sua língua. Estava mais do que óbvio que Katsuki estava passando por mais do que só acordar no meio da noite, pois mesmo com seu mau-humor de velho de quando o acordam de sua soneca, a forma como ele estava com os cabelos bagunçados indicava que ele muito provavelmente tinha tido um pesadelo ou foi acordado por alguém e, já que ele disse que os outros estavam dormindo, só restava a primeira opção. Não que ele fosse perguntar sobre isso agora, pois já estava tarde.

E, além do que, ele não tinha certeza se ele e Katsuki estavam nesse nível de intimidade para discutir pesadelos. O maior muito provavelmente o via como um colega, não como um amigo, embora Izuku sonhasse com muito mais do que ser um simples colega de classe para o loiro explosivo.

- Entendi. Bom, é melhor eu arrumar essa bagunça e ir pro meu quarto. Ainda tenho que arrumar as coisas pra visitar minha mãe amanhã à tarde.

Katsuki assentiu com a cabeça, observando o menor que ajeitava os cadernos e os objetos de escrever em seu estojo, enquanto ele bebia de sua água. Izuku estava com uma cara de bolacha amassada, imaginava quanto tempo o mais novo ficou apagado para acabar com marcas da mesa gravadas nas bochechas.

- Quer ajuda? - as palavras escaparam de sua boca antes que Bakugou percebesse que elas estavam lá para começo de conversa.

As sobrancelhas do de cabelos esverdeados se ergueram em surpresa, de tudo que Katsuki poderia dizer na cara dele, nunca pensou que ele fosse oferecer ajuda pra alguma coisa. Agora Izuku estava completamente perdido sobre o que fazer quanto a essa situação.

- O-oh! Hum… C-claro! Arigatou, Kacchan. - agradeceu ao ver o loiro se aproximando dele e pegando os cadernos restantes de cima da mesa.

O loiro deu de ombros e acompanhou o menor até o elevador, apertando o botão com sua mão livre. Quando entraram, um silêncio um tanto constrangedor se instaurou. Nenhum deles sabia exatamente o que dizer nessa situação, ao mesmo tempo em que queriam conversar, tinham medo de acabar invadindo o espaço pessoal um do outro de alguma forma.

Um barulho de parada chamou a atenção dos dois, anunciando o destino de Izuku, o segundo andar.

- Bom, esse é o meu ponto. - fez com a cabeça para que o loiro colocasse os cadernos restantes em cima da pilha que carregava.

- Tem certeza que consegue levar isso tudo pro quarto e abrir a porta? - perguntou com a expressão mais neutra que conseguia ter.

Izuku sorriu com deleite.

- Está tudo bem, Kacchan, eu me viro. Obrigado pela ajuda! - alargou seu sorriso de orelha a orelha, deixando que suas bochechas tomassem uma coloração avermelhada.

Katsuki podia sentir como se tivesse acabado de ser esfaqueado no peito, mas de um jeito bom.

Os dois se despediram rapidamente e Izuku lhe deu as costas, pronto para voltar para seu quarto. O loiro mordeu o lábio com força, como se tentasse arrancar sangue do mesmo, mas isso não foi o suficiente para conter seus instintos impulsivos.

- Oi, Deku, - o menor parou em meio caminho até seu quarto, virando-se para encarar o amigo de infância por cima do ombro com curiosidade nos olhos. - Que horas você volta da casa da sua mãe?

Izuku engoliu um pouco de saliva que pendia na ponta de sua língua e respondeu com um pouco de hesitação.

- Hum… Volto no fim do dia. Acho que chego aqui antes de o sol se pôr se eu me apressar pra sair do trem.

Uma pequena parte do cérebro de Bakugou gritava para que ele não fizesse o que achava que estava fazendo, mas a grande parte estava simplesmente dizendo: foda-se.

- Amanhãs às sete da noite, venha pro meu quarto e traga o material de matemática. Nem um minuto a mais e nem um minuto a menos. - parou por um instante, virando-se para o painel do elevador até de repente ter um choque de realidade do que tinha acabado de dizer. - Se você se atrasar eu dou na sua cara! - bradou, nervoso, vendo as portas metálicas do elevador se fecharem no meio da “conversa” dos dois e interromper o menor de ver o rubor se formar em suas bochechas.

Midoriya não sabia como reagir, estava completamente travado no lugar segurando seus cadernos com as mãos levemente trêmulas. Seus olhos lentamente começaram a ganhar brilho e ele podia quase sentir as lágrimas virem aos seus olhos, reação típica do Izuku de dois anos atrás.

E, antes que pudesse fazer qualquer coisa a respeito, seus cadernos caíram no chão.


Notas Finais


Algum dia eu vou dominar todas as fandoms do mundo inteiro com as minhas fanfics
Sério, eu já escrevi sobre tanta coisa que isso vai virar um monopólio daqui a pouco XD

Gente, pra quem acha que essa relação é tóxica por conta das coisas que aconteceram na primeira temporada, eu peço que tenham paciência
É só que vocês não sabem oq acontece no mangá -3-
Todo esse tema do bullying e superação vai ser tratado mais a frente na fic e eu prometo que vou fazer meu melhor pra mostrar porquê eu gosto tanto desse shipp :3

Agora, saindo desse tema
QUAIS SHIPS SECUNDÁRIOS VOCÊS QUEREM QUE APAREÇA?
- Kirikami
- Kirimina
- Todomomo
- Kamijiro
- IIdaocha
- Tsuocha
- Tokoasui

Escolham!

Eu já tenho uma boa parte do plot feita, então não afeta muito
Mas eu também quero meus bebês sendo amorzinhos entre eles :3

Não se esqueçam de favoritar e comentar pra me incentivar a continuar a história
Está sendo muito divertido planejar tudo e eu estou muito ansiosa pelo feedback de vocês

Espero poder ver vocês muito em breve nessa fanfic <3

See Ya~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...