1. Spirit Fanfics >
  2. Uma Seita Sem Nome >
  3. Capítulo 3

História Uma Seita Sem Nome - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Oii!!
Eu sei que esse capítulo demorou um pouco, mas ele finalmente saiu!
Eu tive um pouco de problemas pra decidir exatamente o que aconteceria e também tive um pouco de bloqueio, mas estamos a todo vapor de novo.

Espero que gostem, e boa leitura!

Capítulo 3 - Capítulo 3


O pátio da antiga construção estava maltratado, as vinhas e ervas daninhas e outros matos cresceram e haviam envolvido tudo o que havia sobrado das antigas construções. A natureza voltou a controlar seu espaço de direito naquele lugar que um dia havia abrigado uma pequena seita que começava. 

 

Eles andaram pelo local, Song Lan sempre a meio passo de Xiao Xingchen, e sempre alerta para caso ele precisasse. Esse era o sonho dos dois, e ver o estado que as coisas estavam agora, era triste e decepcionante para ele, mas ele sabia que Xiao Xingchen era mais sensível nesse assunto. 

 

-Com licença, desculpe perguntar, mas há algum tipo de cemitério aqui? - Wei Wuxian perguntou aos dois. 

 

-Nós enterramos todos os corpos que ainda encontramos atrás do prédio principal. - Song Lan respondeu. 

 

-Tudo bem. Nós vamos lá. Se preferirem, é melhor não irem ver, acho que vamos ter que remexer em algumas coisas. Nós ainda estamos procurando o outro braço do nosso amigo e ele está indicando que está por aqui… - Wei Wuxian explicou, e saiu com Lan Wangji em seu encalço. 

 

-Se preferir, nós podemos voltar para a cidade… - Song Lan falou. 

 

-Não. Nós viemos até aqui, eu preciso concluir essa parte da nossa vida e seguir em frente, é necessário. - Xiao Xingchen explicou. 

 

-Tudo bem, você quer ir até lá? - Song Lan perguntou. 

 

-Eu acho melhor não. - Xiao Xingchen falou. -Vamos ver como está a segunda construção, afinal, ainda podemos ajudar a procurar.

 

Song Lan acenou com a cabeça e eles foram em direção a segunda construção, que era onde eles viviam quando ainda estavam ali. Eles subiram na fundação de pedra que continuava firme, mas nada mais segurava, e olharam em volta. Havia muito mato, o pouco que viam da pedra da fundação ali em cima estava preta como carvão. Nenhuma viga dessa construção menor aguentou o incêndio, e não havia nada mais que remetesse à antiga casa. Enquanto andava, entretanto, Xiao Xingchen e Song Lan sentiam pedras sob seus pés, e examinando melhor, eles repararam que eram algumas pedras do antigo telhado. 

 

Enquanto andavam e examinavam o espaço, eles ouviram um alto 'crack' de madeira partindo, e se viraram para ver que o portão da entrada havia se partido ao meio. Eles não repararam antes por estarem em cima da fundação, mas uma névoa começou a se espalhar rapidamente. Enshi era uma região com muita névoa, estando entre montanhas, cachoeiras e rios, mas essa era completamente impossível de ser uma névoa natural. Em segundos, Xiao Xingchen quase não conseguia ver Song Lan, que não estava nem a 1m de distância de si. 

 

-Song Lan… - Xiao Xingchen falou imediatamente, esticando os braços e andando na direção que seu companheiro estava até finalmente alcançá-lo e enlaçar seus dedos aos dele.

 

-Eu estou aqui, A-Chen. - Song Lan falou, acariciando o rosto de seu companheiro. -Acho que nossa companhia finalmente chegou.

 

-Foram rápidos. - Xiao Xingchen disse.

 

Nesse momento eles ouviram o som de outras pessoas. Uma risada alta inundou todo o espaço em volta deles, ecoando nas paredes da montanha e se dissipando pela mata. 

 

-Olha só quem voltou… - eles ouviram a voz estridente e o tom de escárnio da última pessoa que gostariam de encontrar. Xue Yang. Mas eles ainda não o tinham visto.

 

De repente, o clarão de uma espada veio para cima deles dois, e Shuanghua se desembainhou e agiu quase por conta própria para protegê-los. Xiao Xingchen reconheceria a aura sombria e maldosa daquela espada em qualquer lugar, aquele era definitivamente Xue Yang. Fuxue também entrou em ação, e então, outra espada se juntou à Jiangzai de Xue Yang. Ela estava encoberta por um feitiço para não ser identificada. Eles lutaram por um tempo antes de ouvirem outra risada ecoar pelo lugar.

 

-Parece que alguém decidiu visitar esse cemitério, eu quase achei que nunca mais iria vê-los. - Xue Yang falou. -Cheguei a achar que tinha sido um desperdício colocar aquele alarme aqui… Mas a justiça, Daozhang, ela tarda, mas não falha.

 

-Você continua achando que está fazendo algum tipo de justiça matando a todos que lhe desagradam apenas por matar…? Eu deveria saber que você nunca amadureceria. - Xiao Xingchen falou secamente. 

 

-Você pode continuar achando o que quiser sobre mim, Daozhang. Logo não achará mais nada, eu pretendo fazer dos dois os meus melhores fantoches… - ele então riu de novo. -Eu gostaria que pudessem ver o que eu posso fazer agora… O que eu posso controlar…

 

Shuanghua apontou e avançou novamente com toda força na direção de Xue Yang, que voltou a bloquear os avanços com sua própria espada. Eles lutaram e Song Lan continuou lutando contra a segunda espada que havia aparecido. 

 

-Vocês dois são patéticos, porque acham que tudo o que fazem dá errado? Tudo o que tentam fazer é destruído? Vocês são fracos. Amolecidos por esse amorzinho que sentem um pelo outro e todas as criaturas, vocês me enojam. - Xue Yang continuou falando e atacando. 

 

-Você é o patético aqui, vivendo de pequenas picuinhas, inventando ressentimentos que te grudam nesse plano de tal forma… - Xiao Xingchen falou, percebendo, mesmo em meio à névoa, que Xue Yang havia baixado sua guarda. Ele atacou na direção da voz do outro e, pelo som que Xue Yang fez, ele o acertou de alguma forma. Sem saber a extensão do dano, ele voltou a atacar no mesmo lugar, mas a espada de Xue Yang voltou a interceptá-lo. 

 

Xue Yang voltou a lutar calado. Seus movimentos agora muito mais atentos e precisos. Song Lan voltou a impedir a espada estranha de chegar até Xiao Xingchen e mandou Fuxue tentar atacar na mesma região que Xiao Xingchen atacou, mas então as duas espadas inimigas recuaram, ao mesmo tempo que eles viam o brilho azul de Bichen se aproximar deles. 

 

-Xingchen, o que está acontecendo? Essa névoa… A pessoa que colocou o feitiço alarme apareceu, não foi? - Wei Wuxian perguntou. 

 

-É Xue Yang e outra pessoa. A outra espada está coberta por um feitiço, é impossível identificá-la. - Xiao Xingchen explicou. -Encontraram alguma coisa?

 

-Nada… - Wei Wuxian falou. -Nós ouvimos as risadas maníacas e viemos procurá-los. 

 

-Nós temos que continuar atentos, Xue Yang ainda não se foi. - Song Lan falou. 

 

Eles saíram de cima da fundação da segunda construção. Wei Wuxian e Lan Wangji ainda estavam atentos quanto à localização do outro braço do corpo que estavam procurando, mas Xiao Xingchen e Song Lan estavam mais preocupados com a localização de Xue Yang e seu companheiro. 

 

Uma brisa forte os atingiu, e Xiao Xingchen se distraiu com um vulto que passou logo ao seu lado, tão rente ao seu corpo que a pessoa com certeza conseguia enxergar pela névoa. Ao seu lado, ele ouviu um gemido de dor, que ele sabia, vinha de Song Lan.

 

Antes de conseguir perguntar o que havia acontecido, uma espada voltou a atacá-los por entre a névoa, que não havia dado nenhum sinal de diminuir ou dissipar. Ela veio na direção em que Lan Wangji e Wei Wuxian estavam, e o clarão azul de Bichen interceptou-a. Não era a espada de Xue Yang, era a outra, que estava protegida por um feitiço. 

 

-Lan Zhan, essa espada… Esse estilo, esse é o nosso coveiro, o que encontramos mexendo no cemitério em Yueyang. - Wei Wuxian falou. 

 

A resposta de Lan Wangji foi apenas um aceno de cabeça, e Jiangzai se juntou à espada oculta e se aproximou perigosamente de Wei Wuxian antes que Shuanghua a interceptasse. Com Lan Wangji ocupado lutando com o outro, que parecia ser muito familiar com seu estilo de luta, Xiao Xingchen teve que entrar na briga de novo. 

 

-Quem são esses? Vocês trouxeram outros discípulos? Alguém para ajudar? Vocês são realmente patéticos… - Xue Yang falou.

 

-Foi você quem chegou aqui com ajuda, Xue Yang. - Xiao Xingchen falou o mais friamente possível. 

 

As espadas continuaram se chocando, e Xiao Xingchen sentiu que Xue Yang estava distraído, e voltou a atacá-lo diretamente. Novamente, ele percebeu que o havia atingido. Ele parecia estar distraído e, o mais importante, não parecia ter tanta resistência a dor quanto tinha em seu corpo original. Xiao Xingchen reparou que a espada de Song Lan se juntou à sua assim que percebeu que havia conseguido atingir Xue Yang. 

 

Nesse momento a espada de Xue Yang tremulou no ar e caiu. Lan Wangji ainda lutava contra a espada oculta, mas a névoa começou a dispersar rapidamente, e a outra espada recuou rapidamente.

 

-Eles vão escapar!! Lan Zhan! - Wei Wuxian gritou ao ver que Xue Yang estava desfalecido e o coveiro o segurava. 

 

Ao reparar que os outros estavam de olho no que fazia, o homem disfarçado enfiou a mão nas vestes de Xue Yang e retirou um pedaço de metal retorcido numa forma que era muito familiar para Wei Wuxian. Ele ia gritar novamente, mas Lan Wangji também entendeu o que era, e Bichen foi rapidamente e tentou pará-lo. Conseguindo retirá-lo de seu equilíbrio, ele deixou cair algo no chão antes de começar a ativar um talismã de transporte. 

 

O homem conseguiu fugir, mas o corpo de Xue Yang ficou para trás. Nesse momento, a névoa já tinha quase inteiramente dissipado, e Xiao Xingchen sentiu o peso do corpo de Song Lan se apoiando nele. Ele ficou imediatamente alerta, lembrando que Song Lan havia reclamado mais cedo na luta. Wei Wuxian e Lan Wangji foram confirmar a morte de Xue Yang e ver o que tinha caído do homem misterioso. 

 

-Song Lan, o que foi…? O que aconteceu? - Xiao Xingchen perguntou preocupado. 

 

-Eu não… Não consigo ver nada, Xingchen… Eu não consigo… - Song Lan estava começando a acessar sua própria situação. 

 

-Shhh… Calma, nós vamos voltar para a cidade e ver isso direito. - Xiao Xingchen falou, parecendo calmo, mas ele estava desesperado por dentro. O que será que tinha acontecido? 

 

-Isso não é o que eu esperava… - Wei Wuxian falou ao longe ao inspecionar o que havia caído do outro homem, uma bolsa qiankun. Quando a abriu, ele reparou que era o outro braço que tanto estiveram procurando. 

 

-Xue Yang está quase morto. - Lan Wangji falou.

 

-Nós temos que recolher sua alma! Antes que ele se vá e se aposse de outro corpo para continuar sua vingança! - Wei Wuxian falou imediatamente, puxando de dentro de suas vestes uma bolsa de prender espíritos. -Aqui, deixe-me lidar com ele, guarde isso, Lan Zhan. - Wei Wuxian falou, dando a bolsa qiankun para Lan Wangji guardar com as outras.  

 

-Está tudo resolvido! Aqui está, é Xue Yang. - Wei Wuxian falou, passando a bolsa de prender espíritos para Xiao Xingchen. -Vocês precisam encontrar um local seguro para reprimir sua aura maligna, talvez uma montanha. 

 

-Nós vamos cuidar disso… Obrigado. - Xiao Xingchen falou. -Mas agora nós precisamos voltar para a cidade imediatamente, parece que eles fizeram algo com os olhos de Song Lan. Nós conhecemos um médico. 

 

-Vamos até lá então. - Wei Wuxian falou. 

 

Eles voltaram para a cidade, Xiao Xingchen guiando Song Lan, que continuava sem enxergar, o que o estava deixando preocupado. 

 

-Não se preocupe, Xingchen, nós podemos dar um jeito. Mesmo que isso seja permanente. - Song Lan falou. 

 

-Não pense nisso agora, nós vamos esperar e ver o que o médico diz. - Xiao Xingchen falou. 

 

Eles chegaram na casa do médico e ele pediu que entrassem e explicassem o que havia acontecido. Ao limpar os olhos de Song Lan, ele constatou que era um pó de cegueira, tão forte que ele nunca havia visto daquela forma. 

 

-Infelizmente, não é reversível a esse ponto. O pó é muito forte e ele atingiu Mestre Song Zichen com muita precisão. - o médico falou. -Eu sinto muito, mas não há o que eu possa fazer.

 

Eles saíram da casa do médico e entraram numa pensão e restaurante para poderem comer e conversar melhor sobre o que havia acontecido. Xiao Xingchen, sentado ao lado de seu companheiro, segurou o rosto de Song Lan e acariciou-o levemente. 

 

-Eu sinto muito, Song Lan. - ele falou, afinal, ele poderia ter dado mais atenção ao que havia acontecido com seu parceiro, talvez eles pudessem ter chegado a tempo de reverter tudo isso. Seus olhos estavam marejados, e Song Lan logo sentiu que seu companheiro estava chorando. 

 

-A-Chen, não fique assim, não tem nada que você pudesse ter feito… - Song Lan falou. -Eu me acostumo, e ainda tenho você para me ajudar. 

 

Eles continuaram a comer, Lan Wangji estava silencioso como sempre. Wei Wuxian continuava teorizando sobre quem seria o homem misterioso e de quem seria o corpo que estavam procurando, os dois em seu próprio mundo.

 

-Eu… Eu tenho uma ideia, se você aceitar… - Xiao Xingchen falou depois de um tempo . -Nós podemos ir até Baoshan Sanren. 

 

-Não… Você teria que quebrar sua promessa de nunca mais voltar, não tem necessidade. - Song Lan falou. 

 

-Err… - Wei Wuxian falou, vendo a interação dos dois. -Acho que é melhor nós irmos dormir, já que amanhã sairemos cedo para encontrar com Zewu-jun em Tanzhou, onde ele está numa caçada-noturna com os mais novos. Nós sentimos muito pelo que aconteceu…

 

-Tudo bem, se cuidem… Espero que consigam achar a cabeça do seu amigo, e que essa história se resolva da melhor maneira. - Song Lan falou aos dois.

 

-Obrigado. Espero que haja algo que possam fazer sobre o que aconteceu… - Wei Wuxian falou. -Vamos Lan Zhan, já é quase 21h. 

 

Song Lan e Xiao Xingchen também foram para seu quarto, se ajeitaram e deitaram. Xingchen estava convencido de que ir até Baoshan Sanren seria o melhor a se fazer, então ele pensou na melhor forma de convencer Song Lan também. Eles fariam uma jornada longa para o norte se ele aceitasse, e eles precisariam de mais recursos do que tinham agora. Pensando nisso, ele já pensou em ir no dia seguinte até o chefe da cidade para ver se tinham algumas coisa que pudessem pegar emprestado.

 

-Xingchen… Você está pensando tão alto que eu estou ouvindo daqui… - Song Lan falou, acariciando levemente os cabelos do outro. -O que foi?

 

-Song-gege… - Xiao Xingchen falou. -Escute o que eu tenho a dizer, por favor. Baoshan Sanren pode ser a nossa melhor e única opção. Se ela não conseguir fazer nada por nós, não haverá ninguém que possa. Ela é a única imortal conhecida. Seus poderes ultrapassam qualquer entendimento nosso, e nós podemos ir até lá. Eu não preciso necessariamente quebrar meu juramento, eu posso apenas te acompanhar até próximo de sua montanha e te explicar como chegar até lá. 

 

-Eu não sei… - Song Lan falou. -Não me parece certo. E se ela se zangar com você? Eu não quero ser o motivo para…

 

-Por favor não se preocupe com isso. Baoshan Sanren pode parecer uma pessoa severa, mas ela não faria mal a ninguém. Se realmente for um problema que eu me aproxime da montanha, eu aposto como nem conseguirei chegar até lá. Mas… Nós precisamos tentar. Por favor. - Xiao Xingchen falou, abraçando ainda mais Song Lan e enterrando seu rosto em seu peito. -Eu quero te ajudar. 

 

-Eu… Tudo bem, nós podemos ir até lá. - Song Lan falou. -Mas tomaremos todos os cuidados necessários. 

 

-Obrigado. - Xiao Xingchen falou. -Agora vamos dormir, para uma viagem tão para o norte, nós vamos precisar nos equipar amanhã. 

 

-Tudo bem… - Song Lan falou. -Eu só não quero que você se encha de expectativas e se decepcione depois. 

 

-Eu também não quero que fique decepcionado se não conseguirmos… - Xiao Xingchen falou. -Mas precisamos tentar. 

 

Eles dormiram e, quando acordaram no dia seguinte, Wei Wuxian e Lan Wangji já tinham seguido para sudeste, para encontrar Zewu-jun. Eles foram até o chefe da cidade e depois até o templo, pegaram algumas coisas emprestadas, e eles até lhes ofereceram algum dinheiro para a jornada ao descobrirem o que havia acontecido. As pessoas da cidade continuavam tendo muito apreço pelos dois, inclusive depois do acontecido com a seita WuMing. 

 

Com tudo pronto, eles saíram e rumaram para o norte. Eles haviam combinado de ir até a cidade onde ficava o Templo Baixue, onde Song Lan havia sido treinado, e de lá, iriam para a montanha de Baoshan Sanren. 

 

Felizmente, eles não estavam no inverno, e a viagem para o norte não seria tão dura. Em alguns dias, eles estavam no Templo Baixue, onde eles foram bem recebidos pelos antigos mestres e colegas de Song Lan. Eles vestiram capas mais grossas e seguiram rumando para norte, e em mais alguns dias, eles chegariam na montanha de Baoshan Sanren. 

 

Eles tinham acabado de chegar numa vila próxima e felizmente havia uma pensão ali para que pudessem fazer o pernoite antes de terminarem sua jornada. Eles tomaram uma sopa quente preparada pela dona da pensão e depois de recolheram para seu quarto. No outro dia, enquanto comiam algo para o desjejum, apareceu um comerciante na pensão para vender suas mercadorias ali. 

 

-Ah, parece que teve muita confusão na última conferência dos cultivadores. - ele falou com a dona da pensão, que ouvia as fofocas do sul com atenção. -Foi um falatório danado, a esposa do líder cometeu suicídio na frente de todos os outros importantes que estavam lá, outra pessoa foi ferida, uma bagunça! 

 

-Onde era a conferência esse ano? - Song Lan se perguntou. 

 

-Lanling. A conferência seria em Torre da Carpa. - Xiao Xingchen falou. 

 

-Então quem se matou… foi Qin Su? Eles pareciam um casal tão harmonioso. - Song Lan falou. 

 

-Eles tinham um casamento estável, apesar de não terem tido mais filhos depois do primeiro que foi morto… - Xiao Xingchen falou. -É muito estranho… Ei! O senhor sabe quem foi ferido?

 

-Não sei o nome, disseram que era alguém que estava com os Lan. - o homem falou.

 

-Com os Lan…? Seria… - Xiao Xingchen não queria pensar que Wei Wuxian pudesse estar ferido, mas quem mais seria? Um desconhecido com os Lan, era quase óbvio que era ele. -Obrigado pelas suas notícias.

 

-Não há o que agradecer, Daozhang. - o homem falou. 

 

Os dois saíram da pensão e continuaram a rumar para o norte. Assim que se aproximaram da montanha de sua mentora, Xiao Xingchen falou a Song Lan como chegar, e se afastou. Ele, entretanto, continuou seguindo o caminho, um pouco afastado de seu companheiro para que ele não o notasse. 

 

Assim que se aproximaram o suficiente para serem notados, e ao reparar que seu antigo pupilo estava presente, Baoshan Sanren em pessoa foi ver o que estava acontecendo. Ao ver sua antiga mentora, Xiao Xingchen suspirou aliviado, mas seguiu para conversar com ela. Eles foram a algum lugar onde Song Lan não os pudesse ouvir.

 

-Eu sinto muito ter que voltar aqui. - Xiao Xingchen falou. -Mas o que eu tenho para pedir não é algo que eu possa pedir a qualquer pessoa. Song Lan… Ele é meu companheiro, meu amigo, e nós ainda temos muito o que fazer e crescer juntos. Eu imploro que nos ajude hoje, e nunca mais você vai me ver. 

 

-Ele está cego. - a mulher quase etérea e mágica, tão velha, mas tão forte, falou. -Eu não tenho como reverter sua situação sem um novo órgão. Minha mágica não é milagrosa.

 

-Eu entendo, é por isso que eu ofereço um dos meus olhos. - Xiao Xingchen falou. -Assim, nós dois poderemos enxergar. 

 

-Se tem certeza que é o que quer… Será feito. - ela falou. -E então, nunca mais poderá por os pés aqui, ou sofrerá uma maldição. Não posso continuar recebendo antigos discípulos, essa é a regra. Mas farei o que pede porque confio em sua índole. 

 

-Obrigado. - Xiao Xingchen falou, os olhos marejados. -Obrigado, Mestre… 

 

-Vamos, pare de chorar, vamos fazer essa transferência agora mesmo. - ela falou.

 

-Não conte a ele… Song Lan não ia querer que eu me sacrificasse, ele nem queria vir até aqui, mas eu consegui convencê-lo. Guie-o para dentro e eu seguirei vocês. - Xingchen falou.

 

-Como quiser. - a mulher falou e então, se aproximou de Song Lan. 

 

Após garantir a Song Lan que poderia fazer algo para ajudá-lo, ela guiou-o para dentro da montanha, onde ficava o templo onde morava e ensinava seus discípulos. Eles foram até uma sala muito estéril, e ela deitou Song Lan numa cama. 

 

Após todo o procedimento, Xiao Xingchen estavam adormecidos, e foram retirados da montanha por discípulos, que os levaram até o pé de outra montanha, e os deitaram em esteiras numa clareira ali. Eles nunca mais poderiam pisar na montanha sagrada de Baoshan Sanren, mas ao menos, eles continuariam tendo um ao outro, e agora, Song Lan havia voltado a enxergar, mesmo que fosse apenas de um olho. 


Notas Finais


Bem, o que eu pensei foi: Xue Yang é um trombadinha engenhoso e ele não deixaria as coisas baratas para os dois, então a história também não pode ser só rosas. A história deles vai sempre ter esse tom meio dramático, mas apesar de tudo, eles ao menos tem que continuar tendo um ao outro.
Eu acho que esse deva ser o penúltimo capítulo, porque eu ainda quero amarrar o fim da história com pelo menos mais um capítulo.

Muito obrigada por todos os comentários e favoritos <3 <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...