História Uma SN diferente! (Crackfic) - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Tags Bts, Crack!fic, Exo
Visualizações 253
Palavras 1.670
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, sumidos. rs

Vocês viram que eu alterei as capas? Deu trabalho, mas curti o resultado, a estética ficou bem mais bonita.

Capítulo 15 - Doze!


Fanfic / Fanfiction Uma SN diferente! (Crackfic) - Capítulo 15 - Doze!

Texting~ ON!

Nicolaaaaau

...

Pegue no meu paaaau

Desculpa, não resisti

Responde ae, na humilda

Nick: ???

Nick: Quem é?

Sou eu, sua amiguinha

Me explica aí o que aconteceu

Pfvr

Nick: S/N?

Nick: Como tu conseguiu meu número?

Eu peguei lá na tua ficha escolar

Nick: E como tu teve acesso à minha ficha escolar, posso saber? E outra, achei que não tinha celular.

Eu não tenho, mas meu pai tem, deixou em casa

Mas então, né...

Confessar isso não é muito ético

Nick: Já sei: amiguinha do diretor, né?

Pô, também!

Mas...

Depois de sair do hospital, eu passei lá na escola e entrei na sala do diretor

O cara tava bêbado. Sabe bêbado? Mamado

Bebum total!

Aí, né, eu aproveitei pra fuçar

Eu precisava do teu número, afinal​

Nick: Eu deveria te processar por isso

Nick: Mas tu nem ajudou o cara?

Ah, eu acho que ele mora lá

Só deixei ele quietinho

Nick: Deus me defenderay

Nick: Mas enfim, se acalma ae

Me diz logo!

Niiiick

Oporra, Nick

ME DIZ

EU PRECISO SABER!!!

Nick: PEEEEERA

Nick: CALMA CACETE

Nick: Tô jantando porra

Eita

Eu sei que brasileiros têm gostos exóticos, mas

Jantar porra é novo pra mim

É uma iguaria no seu país?​

Talvez eu experimente

Nick: Tô jantando, porra*

Nick: Engraçadinha você

Nick: Já pensou em fazer stand-up?

Pô, meu sonho é trabalhar no "A Praça é Nossa"

Deixando isso de lado, eu preciso que tu me diga o que aconteceu hoje à tarde

Tô preocupada, minha língua tá esverdeada até agora e eu tô com um gosto estranho na boca

Você realmente me deu algo do Starbucks?​

Nick: Sim, eu já te disse antes.

Nick: Foi refresco de maçã verde

Nick: Ou foi vitamina? Não lembro

Nick: Enfim, sim

pqp

Texting~ OFF!

Prontamente larguei o celular em cima da cama e corri em direção ao banheiro, pondo boa parte da língua pra fora e flexionando bem o músculo. 

— Tapado, imbecil, burro, idiota... — proferi enquanto abria o armário, pegando uma das pastas de dente e removendo a tampa. Feito isso, aproximei da minha língua. — Jumento, retardado, demente, embuste...

Espremi a embalagem da pasta de dente com vontade, encarando meu reflexo no espelho pouco acima da pia enquanto boa parte do conteúdo caía sobre minha língua, causando uma sensação de ardor que contrastava com o sabor ligeiramente amargo; nada agradável.

Segurei minha escova de dentes e comecei a escovar minha língua agressivamente a fim de remover quaisquer resquícios daquela maldita bebida. Ao terminar, cuspi toda a pasta, notando um pouquinho de sangue junto a ela; provavelmente resultado da minha escovação agressiva.

Voltando a erguer e flexionar o músculo, me aliviei ao perceber que o tom esverdeado havia desaparecido de vez. 

Retornei ao quarto e peguei o celular outra vez.

Texting~ ON!

Nick: S/N? 

Nick: O que tu tem contra o Starbucks?

Nick: Responde aaaa

Nick: Tô preocupado, coroi

Nicolas...

TU É UM TAPADO!

Nick: Sim, cê já me disse isso

Nick: Mas não fui eu que saí pelo hospital dizendo que queria beijar k-idols... entre outros detalhes mais sórdidos que eu prefiro nem citar.

...

Eu fiz isso?

Sério, não zoa cmg

Eu tô tremendo

Nick: Eu tô falando sério

Nick: Foi até engraçado no começo

Nick: Mas depois tu começou a agir feito cadela no cio, me assustou

Nick: E você tava realmente achando que algum k-idol ia aparecer! Mesmo eu repetindo mil vezes que eles são inacessíveis.

Ah, se você soubesse...

Nick: Éoq?

Nick, você nunca se perguntou o motivo de ter vindo morar aqui na Coreia?

Nick: Eu já te disse, meus pais sofreram um acidente e eu vim morar com a minha tia

Sim, mas nunca se perguntou o motivo disso?

Nick: ???

Nick: Acidentes acontecem, ué

Nick, você não se sente triste pela morte dos seus pais?

Nick: Meio que não me afeta mais, aprendi a lidar com o luto cedo

NICK, PORRA, VOCÊ TEM A DOENÇA DE S/N!

Nick: ???????????

Nick: Que diabo é isso?

É uma doença que faz os k-idols correrem atrás de você

E você vira um retardado que se submete às humilhações, maus tratos, fetiches estranhos

Eu aposto que você tomou a vacina quando era menor

Enfim, é basicamente isso

Nick: ...

Nick: Cê é loko, cachoeira?

Nick: Tu ainda tá meio louca, né? O efeito não passou

Se não acredita em mim, como explica o Baekhyun ter aparecido na escola?

E o Jungkook estudar na nossa escola?

E o T.O.P ser nosso diretor?

Não tem explicação pra isso, tem?

Nick: Cara, sei lá

Nick: Eu não sei, mas e daí?

Nick: Não sou de questionar as coisas, só... "aceita que dói menos"

Esse é o ponto

A gente tá preso nessa realidade onde é normal conviver entre personalidades famosas da Coreia do Sul, mano

Você não consegue entender, mas eu sim

Eu não gosto da cultura do meu país, eu...

Eu sou diferente, eu consigo perceber tudo que tem de errado nesse quesito

Nick, você precisa acreditar em mim

Chegou na Coreia há pouco tempo, né?

É uma questão de tempo até eles começarem a te atacar

Nick: Eles quem??? Tu tá me assustando

Os k-idols!

Você não pode ficar vulnerável, eles vão te estuprar

E você nem vai ligar, vai romantizar o ato

E vai virar um brinquedinho deles

Aí será tarde demais

Nick: ...

Nick: KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Nick: meu, você é cômica

Nick: Por um momento conseguiu me assustar

Nick: Agora eu vou voltar a curtir minha Netflix e o prazer da minha própria companhia

Pera, cê tá sozinho em casa?

Nick: Sim, minha tia saiu num encontro há pouco tempo

Nick: Ela é legal, mas meio irresponsável

pqp de novo

Nicolas, sai daí

Se esconde

Liga pra polícia

CORRE!!!!

Nick: Chega, S/N

Nick: (clipe de voz)

Cê tá muito alterada, eu não sei o que é isso, mas tu precisa de ajuda e eu vou te levar no hospital de novo aasim que amanhecer. Porque...  Pera, bateram na porta aqui.

 

NICOLAS, PLMDDS​

NÃO ABRE ESSA PORTA

CARALHO

(você enviou um clipe de voz)

NICOLAS, PUTA QUE PARIU, NÃO ABRE A MERDA DESSA PORTA! POR TUDO QUE É DE MAIS SAGRADO, NÃO ABRE ESSA MALDITA PORTA!

 

Nicolas?

Nick?

NICOLAAAAAS

Por favor, Nick

Eu não quero te perder assim

Pfvr

Texting~ OFF!

Percebendo que ele não iria mais responder, me entreguei à melancolia e pus-me a chorar enquanto boa parte do corpo tremia incessantemente, fazendo com que eu soltasse aquele celular na cama.

— Tadinho do Nick, vai virar capacho... — comentava aos prantos comigo mesma, minha voz repleta de ternura. — Ele é tão legal, não merecia isso.

Aquela sensação de impotência me destruía cada vez mais. Deitando em posição fetal e abraçando meus joelhos, continuei a chorar como uma criança desolada.

Foi aí que escutei o barulho de notificação vindo do celular.

Texting~ ON!

Nick: Que desespero é esse, garota?

Nick: Se acalma!

Nick: Eram só duas moças querendo vender BB Cream.

Nick: Você tá num estado deplorável, eu vou aí na sua casa. Posso?

Niiiiick! ♡♡♡♡

SEU TAPADO DO KRL, NÃO ME ASSUSTA ASSIM

FILHOTE DE SILAS MALAFAIA COM BOLSONARO!

E sim, venha

Nick: Nossa!!! Pra que ofender assim?

Nick: Vou me ajeitar e já já chego aí

Nick: Me passa a localização

(você enviou a localização)

Texting~ OFF!

Com um alívio revigorante tomando conta do meu ser, tratei de secar as lágrimas e ir ao banheiro para lavar o rosto e dar um jeito naquele inchaço com vermelhidão aparente.

Ao concluir o ato, sequei o rosto e dei uma olhada em meu reflexo, sorrindo fraco e escovando o cabelo para me livrar daquele aspecto arrepiado.

Depois de um dia cheio como aquele, seria legal passar o resto da noite com alguém que, mesmo tendo conhecido recentemente, já considerava um bom amigo. 

Mesmo que ele não acreditasse em mim, senti que seria mais seguro mantê-lo por perto. Duas mentes pensam melhor que uma, afinal; mesmo o Nick sendo um tapado.

Enfim, sentia-me contente pela possibilidade de passar a noite com o Nicolas.

Passar a noite...

Com o Nicolas...

Nicolas, um garoto...

Passar a noite... com um garoto?

Sozinhos.

Um garoto brasileiro.

Ao refletir melhor sobre a ideia, arregalei um pouco os olhos, uma sutil queimação fazendo-se presente em minhas bochechas.

Durante toda minha vida, eu nunca havia cultivado uma amizade presencial com um garoto — não gosto de coreanos, afinal —, portanto... nunca havia trazido um para casa. Nem sequer havia uma regra por parte dos meus pais repreendendo tal possibilidade.

Senti o corpo esquentar, era meu lado Maria Feijoada começando a surtir efeito sobre mim. Por mais que eu tentasse me desviar de pensamentos sugestivos, só conseguia pensar na oportunidade única que estava prestes a vivenciar.

— Minha deusa Mc Carol, será que hoje tem?

Mordi o lábio inferior, dirigindo-me até a sala e andando de lá pra cá, era quase impossível ficar quieta num canto; a ansiedade e entusiasmo tomavam conta de cada pedaço meu.

— Wesley-ssi, o que eu faço? — conversava comigo mesmo na tentativa de tentar acalmar meus pensamentos confusos. — O que a Anitta faria? E a Ivete? E a Ludmilla? Céus...

Minha confusão mental foi interrompida assim que escutei algumas batidas na porta de entrada. Meu corpo consideravelmente quente começou a tremer em expectativa e preocupação.

— Ai, é hoje que eu me afundo nesse acarajé.

Dito isso, juntei o pouco de coragem que me restava e caminhei nervosamente até a porta, destrancando-a com certa dificuldade devido às mãos trêmulas e finalmente a abrindo.

— B-Boa noite, Nick... — cumprimentei timidamente antes de desviar o olhar em sua direção.

Para meu espanto total, não se tratava do Nicolas em frente à minha porta de entrada, mas sim Jeon Jungkook: meu ex-amigo e atual sucesso mundial, como todos já sabem.

Aterrorizada, entreabri a boca; meus olhos esbugalhados.

— A gente não tem muito tempo, eu preciso mesmo conversar com você! — ditou. Pude notá-lo ofegando um pouco, um semblante de urgência fez-se presente em sua face.

Eu estava perdida. Sozinha com um k-idol... seria esse o meu triste fim?

 


Notas Finais


Será?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...