História Uma suicida e um psicopata - Capítulo 48


Escrita por:

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Auto-mutilação, Drama, Psicopata, Revelaçoes, Suicidas
Visualizações 87
Palavras 752
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Ooi, eai? Ent estamos com mais um capítulo, espero muitíssimo q gostem, boa leitura amores, bjs.

Capítulo 48 - A academia (parte-2)


Fanfic / Fanfiction Uma suicida e um psicopata - Capítulo 48 - A academia (parte-2)

      

   ~Narração -Isabela

~horas depois.... 


Eu me acordo com uma dor muito forte na cabeça, quando olho pra baixo vejo Maia dormindo em sua caminha, tudo estava escuro, mas uma pequena luz podia ser vista vinda do corredor, era minha primeira noite ali, e nao queria estragar isso por causa da minha curiosidade, voltei a dormir , me virei de costa pra parede e Fechei meus olhos, eu havia deixado meu celular ao lado de meu travesseiro, e era muito facil ouvi-lo tocar caso tivesse alguma notificação, isso iria me encomodar um pouco a noite mas era preciso, o sono logo veio e eu adormeci. 

      ~no outro dia. 

Sou acorda por varios gritos e vozes vindas de fora de meu quarto. 


-isa? 

-oi, bom dia. -digo me sentando na cama. 

-bom dia, esta na hora do café, vistasse e vamos pro refeitório. -argumenta ele me ajudando a descer da cama. 

-okey. 


Vou atè o armario e pego minha calça cinza de moletom e meu moletom preto, calço meu tênis da nike e olho para Jack. 


-como estou? 

-esta linda, faz um coque. 

-boa ideia, odeio andar com meu cabelo solto. 


Faço um coque desajeitado e jack pega na minha mão e saimos. 


-vamos deixar Maia no quarto jack? 

-nao se preocupe, ela tem tudo do que precisa, brinquedos, agua, comida, cama.... E as pessoas que tem aqui nao gostam de animais, seria horrivel se algum desses loucos pegasse maia. 

-verdade... 


Descemos as grandes escadas, tinha varias pessoas ali, garotas, garotos, crianças, adolescentes.... Todos ficavam escarando eu e jack.

Aquilo estava me deixando super envergonhada, por que eles estavam olhando? Há um motivo específico? Jack seria esse motivo? Ou talves sermos novos é o motivo? Não sei bem no que devo acreditar, pode ser o fato de eu ser novata e jack ja ser conhecido de muitas pessoas aqui, como eles tratam os novatos aqui? Isso eu vou descubrir em breve. 


-por que estão todos olhando jack? -sim, eu prefiro perguntar, do que crê em algo que não fosse real

-nao sei, talvez, por que você seja um tipo de rosto diferente do que eles costumam ver. 

-o que esta tentando insinuar? 

-nada de mal, só quero dizer que sua beleza pode encantar esses tipos de pessoas, eles devem estar se perguntando o que alguem tão bonita que nem você está fazendo aqui, pra eles isso é um tipo de misterio sem solução. 

-huum, entendi. 


[…]


Ta bom, isso que ele disse esta completamente fora da minha lista de motivos, isso seria a ultima coisa que iria pensar, claro que não sou tão burra assim, mas acho que até pela cabeça de voces isso é algo difícil de pensar. 


[…]


Eu e jack passamos pelo corredor até chegar as escadas, descemos juntos e até que tudo parecia normal, na verdade normal até demais, mas como minha felicidade dura pouco, quando olhei pro refeitório vi algo que me deixou toda arrepiada, era ela... Melissa... Estava lá olhando pra mim, me encarando, meu corpo gelou e eu não conseguia me mexer, até que jack coloca a mão no meu ombro e me chama:

-isa? Ta tudo bem? 

-an? Oque?? 

E quando olho novamente não há nada lá, seria ela mesmo? Ou minha esquizofrenia agindo? Eu não sei... 


-eu to bem jack só fiquei tonta. 

-okey. 


Fomos até o refeitório e comemos, comi bem pouco, pois não conseguia engolir as coisas, eu estava plasma ainda. Eu não podia negar, estava realmente com saudade dela. Poxa, minha irmã... Ela me viu crescer, acompanhou meus primeiros passos, sempre estava lá, mesmo eu nao podendo vê-la eu podia senti-la. E agora? Agora estou aqui, com problemas de esquizofrenia, com medo, medo de não conseguir matar esse monstro que vive dentro de mim, queria poder trazer Melissa de volta... Ah minha Maninha... 


-ei, vem, vamos. 

-é acho que já estou cheia. 


Eu e ele subimos pro quarto e lá estava Maia, deitada em sua caminha com um de seus ursinhos na boca. 


-como se sente? -pergunta jack, ele se senta na cama e espera uma resposta de mim. 

-normal... 

-certeza? 

-É.. 

-não minta. -ele me encara e seu sorriso desaparece. -tudo bem, nao vou te obrigar a me conta.. 

-serio, eu to bem. 


Ele emfim desiste e vira o rosto, eu subo em minha cama e ligo o notbook. Meu facebook estava cheio de notificações e mensagens de minha mãe, não vou nem falar nada das 30 ligações perdidas dela, ela realmente estava tão preocupada? Isso é uma grande novidade, afinal sempre fui a decepção da família. 







Notas Finais


🌀🌛💤🔒


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...