1. Spirit Fanfics >
  2. Uma única canção- com Katsuki Bakugou >
  3. Pois é birinbinha, parece que nós dois somos uns fudidos

História Uma única canção- com Katsuki Bakugou - Capítulo 10


Escrita por:


Capítulo 10 - Pois é birinbinha, parece que nós dois somos uns fudidos


Lisa P.O.V:

Quebra de tempo:

Sou tirada do banheiro semi-nua pela rosada que me puxa animadamente enquanto me mostra várias roupas diferentes.

- Vem cá, eu tenho mesmo que ir?

- Tem sim! Todo mundo vai estar lá! Até o Todoroki!

- Tsk.

Me troco pegando uma roupa qualquer fingindo total interesse com um sorriso no rosto.

Em poucos segundos alguém bate na porta, e antes que desse tempo de mudar de idéia, já me encontrava com a rosada na porta abrindo a porta para Kirishima-kun e Bakugou.

- Oe extra! Vai assim?

- Não, enfiei uma roupa reserva no cu só porque eu ligo pra sua opinião.

- COMO É SUA MERDINHA???

Ele me olha furioso em posição de ataque e Kirishima e Mina me olhavam espantados.

Abaixo a mão de Bakugou o dando um peteleco.

- Já acabou de dar seu piti? Ótimo, eu quero terminar isso logo.

Saio na frente deixando os três confusos atrás de mim, Mina logo me acompanha com um sorriso imenso no rosto.

- Isso vai ser muito divertido.

Disse me dando um tapinha nas costas, o que teria de divertido nisso? Uma festa cheia de adolescente cansados dentro de uma escola.

- Vai ter ao menos bebida?

- Bom... Acho que refri, e um ponche não alcoólico...

- Você tá de brincadeira comigo?

- Bom... Somos menores de idade, não podemos beber.

- Arg.

Gemo em puro desprezo, seria até doloroso ver o desaparecimento espontâneo do sorriso da garota, se ir numa festa de escola não doesse mais.

Bakugou P.O.V:

Já estava pronto, Kirishima passou um pouco mais cedo no meu dormitório para irmos juntos buscar as garotas, que, por algum motivo que o cabelo de merda se RECUSOU a me dizer, estariam no quarto do Todoroki.

Quando batemos a porta foi aberta quase que imediatamente, dando lugar a uma Alien irritantemente animada, e uma garota de cabelos longos e escuros trajando um perfeito vestido tubinho preto com gola alta, com um allstar preto com pequenos detalhes em amarelo, e alguns acessórios aleatórios, coisas que com certeza foram escolhidos por Mina, já que não pareciam combinar com a garota que os trajava. Sua grande franja que antes cobria metade do rosto agora estavam postas para trás das orelhas, dando uma melhor visão das suas olheiras que foram falhamente cobertas com maquiagem, enfim, estremamente... F-foda.

Tento falhamente puxar assunto com a mesma que me retruca de forma extremamente grosseira e até agressiva me olhando com uma cara de puro tédio, me exato ao máximo quase explodindo ela e seu dormitório, mas minhas ações foram cortadas pela mesma de forma fria, coisa que me deixou extremamente... Quente.

Quebra de tempo:

Chegamos no local separado pelos professores, era bem distante dos dormitórios, prédio abandona em zona de treino, estava todo decorado com balões, luzes coloridas e uma mesa de petiscos com bebidas e salgadinhos variados.

Ao reparar melhor as garotas e Kirishima já tinham sumido, e eu estava sozinho no meio desse monte de adolescente imbecil.

Peguei um copo de refri enquanto xingava mentalmente a música modinha que tocava absurdamente alta.

Um tempo depois vejo Lisa agachanda em um canto afastado conversando com Mineta. Me aproximo um pouco para escutar a conversa, mas só consigo pegar um pouco do final.

- Vamos lá baixinho... Se você fizer isso por mim eu te dou um beijinho.

Mineta sai saltitantando alegremente enquanto tentava falhamente conter sua cara de gado do caralho.

Lisa P.O.V:

Mineta chega pouco tempo depois com duas garrafas de vodka e um saquinho logo me entragando.

- Então? Então??? Cadê meu beijinho?

Ele falava enquanto se inclinava em minha direção com um biquinho. Eu, calmamente, levando a pureza do mundo nas costas, com minha melhor expressão de serenidade, dou um rápido selinho na palma da minha mão, logo estalando um tapa na cara do anão de Chernobyl o jogando discretamente para o outro lado da sala.

- Tá aí teu beijo seu corno.

Falo enquanto ajeito as coisas na mão e entro no banheiro que estava mais próximo me trancando.

Bakugou P.O.V:

Vejo a garota entrar apressada no banheiro depois de fazer aquele nanico de porra voar, coisa que estranhamente ninguém havia notado, talvez eu apenas... Estivesse prestando atenção demais na garota...

Antes que eu pudesse raciocinar direito a situação me vi em pé na frente da porta do maldito banheiro, já havia batido raivosamente na porta, ao realmente me tocar da situação, sinto meu coração sambar dentro do peito, meu estômago revira em um barulho agonizante que só eu ouvia.

- Tá ocupado!

- Oe! Sua extra de merda sou eu! Eu te vi entrando aí!

Ainda com uma sensação horrível percorrendo meu corpo, ela abre a porta abruptamente me puxando para dentro me fazendo cair no chão do local, ela rapidamente fecha a porta novamente e se senta ao ao lado de onde estou caído dando uma golada direto da bica da garrafa, enquanto com a outra mão me estende a mesma bebida só que ainda fechada.

Abro a garrafa cheirando sorrateira o líquido sentindo o frescor poluído arder minhas narinas.

- Isso é álcool!

- Sim gênio! Achou que fosse o quê? Perfume?

- Tsk. E o que te faz achar que eu sou um perturbado mental igual você pra me trancar em um banheiro e me embebedar?

- Bom... Por onde eu começo? Que tal sua evidente sensação de inferioridade ligada a qualquer coisa que se refere a Izuku Midoriya? Ou que tal você usar seu estressezinho falso como máscara para esconder que se sente fraco, vulnerável e inferior a qualquer pessoa que seja de alguma forma mais educado ou comunicativo do que você jamais poderia ser por conta da sua provável infância de merda, ou a pressão que você impõe em si mesmo por ter uma individualidade particularmente forte?

- Mas que por-

- Pois é birinbinha, acho que nós dois somos uns fudidos.

Ele me reentrega a bebida que antes havia recusado, minha cabeça roda levemente com tantas informações, meu coração ainda estava acelerado, e acho que provavelmente não consegui focar em metade do que foi dito, mas meu corpo instintivamente concordou a abrindo a bebida e dando uma grande golada, ao descer pela minha garganta o líquido queimava como fogo, pura lava vulcânica fina e fresca.

Meu rosto se contorce em pura agonia pela ardência que gradativamente se espalhou percorrendo meu corpo, talvez de alguma forma se deva ao fato de... Eu nunca ter bebido antes. A garota que estava ao meu lado parecia ter muito experiência e só riu da minha careta.

Quebra de tempo:

Algum tempo se passou, ou talvez nenhum, provavelmente tenha até regressado.

Minha cabeça gira louca e gritantemente, sinto meu corpo mais leve e minha visão levemente turva, meu corpo não respondia a nenhum comando do meu cérebro, não que meu cérebro esteja funcionando em seu cem porcento.

A minha visão foca na garota ao meu lado, foca nitidamente em seu rosto alegre, ela provavelmente acabara de contar uma história muito longa, interessante e engraçada, mas eu não escutei uma só palavra.

Seu rosto estava perfeito, as suas maçãs estavam levemente coradas pela falta de ar, seu sorriso permanecia intacto, sua maquiagem havia escorrido levemente pelas pequenas lágrimas, seu olhos estavam fechados e seu rosto estava virado em minha direção como se esperasse alguma reação, estava... Extremamente fofa.

E o sorriso bobo que eu falhamente controlava, perdeu seu posto para a ação mais espontânea que eu poderia ter, antes mesmo de pensar, ou dar por mim, meu corpo estava a prensado contra o armarinho da pia, e nossos lábios estavam selados no que seria meu primeiro beijo...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...